sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Prefeitura de São Paulo reajusta tarifa de ônibus para R$ 3,50

26/12/2014 - O Estado de SP

LUIZ FERNANDO TOLEDO - O ESTADO DE S. PAULO

Congelada há 4 anos, tarifa subirá em 6 de janeiro; bilhete único mensal, semanal e diário não serão reajustados e integração vai para R$ 5,45. Alckmin anunciou aumento do trem e do metrô, mas não falou em valores

Ônibus, metrô e trem ficarão mais caros em São Paulo no começo do próximo ano. A gestão Fernando Haddad (PT) anunciou nesta sexta-feira, 26, a nova tarifa da capital, de R$ 3,50, a partir do dia 6 de janeiro. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) também admitiu que haverá reajuste no transporte sobre trilhos, mas não informou valores. O aumento da tarifa será de 16,67% sobre os atuais R$ 3. 

De acordo com a Prefeitura, a integração dos ônibus com metrô e trem custará R$ 5,45, ante os R$ 4,65 atuais. O aumento valerá para usuários do bilhete único comum e para quem pagar a tarifa com dinheiro na catraca do coletivo.

O reajuste não será aplicado para usuários de bilhete único mensal, semanal ou diário, que hoje custam R$ 140, R$ 38 e R$ 10. "Outra inovação é a manutenção das tarifas do bilhete único mensal, induzindo o empregador a adquiri-lo para seus funcionários", disse Haddad, em sua conta em uma rede social. A Prefeitura vai isentar estudantes de pagar ônibus.

Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão
Quem pagar passagem com dinheiro gastará R$ 3,50

No fim da tarde desta sexta, a Prefeitura fez o anúncio do reajuste e informou que o governo estadual "se compromete a aplicar os mesmos reajustes nos trens do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), além de manter a mesma tarifa nos bilhetes únicos temporais de integração". Alckmin, no entanto, pela manhã, afirmou que o reajuste era "natural" e a mudança possivelmente seria feita em parceria com a Prefeitura.

Após a medida, as prefeituras do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que é composto por sete cidades, também deverão aderir à tarifa de R$ 3,50. Em todas as cidades, a única que deve ter o valor mais baixo é Rio Grande da Serra, que antes cobrava R$ 2,90 do passageiro.

O último reajuste é de janeiro de 2011, e a inflação acumulada no período é de 23,2% - o valor atualizado seria de R$ 3,70. Em junho do ano passado, Haddad e Alckmin subiram as tarifas para R$ 3,20, mas revogaram o reajuste após uma série de manifestações do Movimento Passe Livre (MPL). 

Negociações. Haddad e prefeitos do PT se reuniram em almoço na Prefeitura da capital e debateram custos de transporte, entre outras pautas, no mês passado. Como o Estado antecipou, o valor estudado ficava entre R$ 3,40 e R$ 3,50. Haddad não deu mais detalhes na ocasião e afirmou que qualquer decisão só seria tomada após o resultado da auditoria externa que estava em curso nos transportes, finalizada neste mês. 

Na semana passada, Alckmin e Haddad chegaram a se reunir, mas negaram que o tema do aumento da passagem tivesse sido discutido. Alegaram que o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, nem esteve no local. 

Protestos. O presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Prazeres Júnior, afirmou que a entidade buscará diálogo com outros sindicatos, além do MPL, para promover protestos contra o reajuste. "Vamos chamar uma reunião no fim do ano para lutar contra esse 'pacote de maldades' do 

Alckmin e também do Haddad."

Para Prazeres Júnior, há motivos "de sobra" para que a população repita as manifestações de 2013. "Nosso papel é mobilizar." A reportagem não conseguiu contato com membros do MPL até as 19h30.
O congelamento da tarifa implicou aumento dos subsídios. Neste ano, Haddad vai desembolsar R$ 1,7 bilhão e mais R$ 1,4 bilhão está previsto para 2015. Na capital, são 14 mil ônibus e 6 mil vans. 

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Em SP, linha de ônibus alternativa ao Metrô tem aumento de 239% na demanda

18/12/2014 - Via Trólebus

Nova linha transporta em média 44,7 mil passageiros por dia, quantidade muito maior do que os 13,2 mil registrados no ano passado

Renato Lobo

Superlotação do metrô contribuiu para aumento na d
Superlotação do metrô contribuiu para aumento na demanda
créditos: Via Trólebus
 
Desde que foi criada, a Linha 4310-10 E.T. Itaquera – Terminal Pq Dom Pedro II tem atraído usuários da Linha 3-Vermelha do Metrô, e o número de passageiros que optam pela ligação sobre pneus não para de crescer.
 
Segundo reportagem do Metro Jornal a linha tem uma média de 44,7 mil passageiros transportados por dia. A quantidade é mais do que o triplo (239%), do que os 13,2 mil registrados em setembro do ano passado.
 
Nos horários de pico, a linha opera com ônibus saindo a cada três minutos. Nas extremidades o pagamento da tarifa é feito no pré-embarque, o que agiliza a saída dos ônibus. O trajeto leva, em média, 40 minutos, bem competitivo com a linha 3-vermelha do Metrô.
 
A reportagem ouviu a superintendente de serviços da SPTrans, Rosilda Domingues, que aponta que além da superlotação do metrô, a reestruturação de linhas também colaborou com o aumento na demanda. "Fizemos uma mudança no conceito dessa linha. Dessa forma, conseguimos atender a demanda de passageiros do metrô" diz Rosilda. O eixo Itaquera-Centro é dotado de faixa exclusiva de ônibus, que colaborou para o aumento na velocidade dos coletivos.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

SP estuda fim de cooperativas de vans

09/12/2014 - O Estado de SP

Em meio às discussões sobre o aumento da tarifa de ônibus, a Prefeitura de São Paulo afirma estudar o fim do uso de cooperativas para operar no sistema de transportes da capital paulista. O objetivo é combater o uso do sistema por criminosos. A nova licitação dos ônibus, adiada desde o ano passado depois dos protestos de junho, poderá ser feita apenas para empresas regulares de transporte. 

"Uma das hipóteses em estudo na formulação da nova licitação do sistema é não haver mais contratação de cooperativas, com a operação passando a ser feita exclusivamente por empresas constituídas", afirma a São Paulo Transporte (SPTrans), empresa municipal responsável pelos coletivos. 

Se levada adiante, a hipótese será a mais radical mudança no sistema de transporte desde que o bilhete único foi criado, em 2004. Há mais de uma década, a Prefeitura concede a grandes viações a exploração das chamadas linhas estruturais, que ligam os bairros ao centro, e às cooperativas o transporte local, entre os bairros e os terminais.  

Esse modelo teria sido renovado com a mesma divisão, não fosse os protestos de junho. Uma licitação chegou a ser lançada no ano passado para renovar as concessões, mas foi cancelada justamente por causa dos protestos. E foi adiada até que todo o sistema passasse por uma auditoria, que está na fase final e deve ser divulgada amanhã. 

"O processo licitatório está em fase de elaboração e só terá início após a divulgação das conclusões da verificação independente feita pela Ernst&Young, cujos resultados serão considerados", diz a SPTrans. 

Por outro lado, a Prefeitura afirma que "alternativas criando novos mecanismos de controle também estão sendo estudadas", para manter as cooperativas e evitar o uso de laranjas - contratos em nome de outra pessoa e que dão margem a ações criminosas. 
A gestão Fernando Haddad (PT) afirmou, ainda em nota, que não tem contato direto com os cooperados que trabalham nos lotações. 

"A SPTrans esclarece que a contratação de permissionárias para a operação do sistema de transporte coletivo municipal se dá com cooperativas e não com cooperados. Não há nenhuma relação entre a empresa gestora e os cooperados, mas com as diretorias das cooperativas", diz a nota. "A questão levantada pela reportagem refere-se aos trabalhos das autoridades policiais, com as quais a SPTrans colabora." 

Investigações. Perueiros clandestinos que desapareceram em setembro de 2003 depois de serem forçados a deixar de atuar em Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo, foram o primeiro alerta à polícia de que organizações criminosas estavam se aproveitando da regularização do sistema de transportes que a Prefeitura promovia na época. Investigações feitas em 2005 e 2008 apontaram essa relação. 

A primeira denúncia exclusiva por lavagem de dinheiro do tráfico de drogas por meio dos lotações foi feita pelo Grupo Especial de Delitos Econômicos (Gedec) do Ministério Público Estadual (MPE), em outubro deste ano. Para a Polícia Civil, criminosos que operavam clandestinamente antes da regularização do sistema de transportes, na gestão Marta Suplicy (2000-2004), conseguiram migrar juntamente com perueiros e se mantêm no sistema até hoje.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

São Paulo: Confira as linhas de ônibus que circulam 24 horas

04/11/2011 - Band

São Paulo é uma cidade que nunca para. E por causa disso, o transporte também não pode parar. A cidade possui 41 linhas de ônibus que operam 24 horas, de acordo com a SPTrans (São Paulo Transporte S. A.).

As linhas operam por oito áreas (veja a lista abaixo).

Apesar de São Paulo ter linhas de ônibus que operam 24 horas, o sistema de metrô e trens não acompanha este ritmo e se encerra por volta das 0h15 – o metrô funciona até à 1 hora aos sábados.

Você pode conferir o trajeto de cada uma das 41 linhas no site da SPTrans.

LISTA DE ÔNIBUS QUE OPERAM 24 HORAS

8006-10 Jd. Donaria - Terminal Pirituba (Área 1)
8400-10 Terminal Pirituba - Pça. Ramos de Azevedo (Área 1)
8549-10 Taipas - Pca. do Correio (Área 1)
9014-10 Morro Grande - Terminal Lapa (Área 1)
9500-10 Terminal Cachoeirinha - Paissandu (Área 1)
9653-10 Pedra Branca - Lgo. do Paissandu (Área 1)
848L-10 Recanto dos Humildes - Terminal Pirituba (Área 1)
9019-10 Jd. Paulistano - Terminal Pirituba (Área 1)
9020-10 Vila Mirante - Terminal Pirituba (Área 1)
1728-51 Jd. Brasil - Pca. do Correio (Área 2)
2732-10 Metrô Artur Alvim - Vila Regina (Circular) (Área 3)
2363-10 Jd. Danfer - Terminal Pq. D. Pedro II (Área 3)
2100-10 Terminal Vila Carrão - Pca. da Sé (Área 4)
3160-10 Terminal Vila Prudente - Terminal Pq. D. Pedro II (Área 4)
5020-10 Hospital Heliópolis - Terminal Sacomã (Área 5)
5032-10 Vila Arapuã - Terminal Sacomã (Área 5)
514T-10 Terminal Sacomã - Jd. Itápolis (Área 5)
4222-10 Pq. Santa Madalena - Pça. João Mendes (Área 5)
5036-10 Jd. Celeste - Terminal Sacomã (Área 5)
5038-10 Pq. Bristol - Terminal Sacomã (Área 5)
5290-10 Divisa Diadema - Pça. João Mendes (Área 6)
546L-10 Jd. Luso - Terminal Santo Amaro (Área 6)
6003-10 Terminal Grajaú - Terminal Varginha (Área 6)
6034-10 Pq. Res. Cocaia - Term. Santo Amaro (Área 6)
6312-10 Jd. Luso - Terminal Amaral Gurgel (Área 6)
675G-10 Pq Res. Cocaia - Metrô Jabaquara (Área 6)
6960-10 Terminal Varginha - Terminal Santo Amaro (Área 6)
7063-10 Jd. Macedônia - Terminal Campo Limpo (Área 7)
5300-10 Terminal Santo Amaro - Terminal Pq. D. Pedro II (Área 7)
6450-10 Terminal Capelinha - Terminal Bandeira (Área 7)
6455-10 Terminal Capelinha - Lgo. São Francisco (Área 7)
809P-10 Terminal Campo Limpo - Pinheiros (Área 7)
8605-10 Terminal Campo Limpo - Terminal Bandeira (Área 7)
7903-10 Jd. João XXIII/Educ. - Pça. Ramos de Azevedo (Área 8)
8615-10 Pq. da Lapa - Terminal Pq. D.Pedro II (Área 8)
8700-10 Terminal Campo Limpo - Pça. Ramos de Azevedo (Área 8)
8038-10 Pq. Continental - Lapa (Área 8)
637A-10 Terminal Jd. Ângela - Pinheiros (Área 7)
737A-10 Term. Jd. Ângela - Terminal Sto. Amaro (Área 7)
6008-10 Jd. Planalto - Terminal Sto. Amaro (Área 7)
7001-10 Vila Gilda - Jd. Ângela (Área 7)

*Área 1: verde claro - Zona Noroeste
*Área 2: azul escuro - Zona Norte
*Área 3: amarelo - Zona Nordeste
*Área 4: vermelho - Zona Leste
*Área 5: verde escuro - Zona Sudeste
*Área 6: azul-claro - Zona Sul
*Área 7: vinho - Zona Sudoeste
*Área 8: laranja - Zona Oeste

Fonte: Band

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Haddad paga R$ 5,4 mi por consultoria de transporte

01/12/2014 - O Estado de SP

Dez anos depois, a Prefeitura de São Paulo abre caminho para a capital ter um novo plano de mobilidade. A Secretaria Municipal dos Transportes fechou contrato de R$ 5,4 milhões com uma consultoria da área para reestruturar as 1,3 mil linhas de ônibus existentes na cidade.

A intenção é criar uma rede de referência para o transporte público que inclua as medidas já implementadas pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) e as prometidas até 2016. Nessa lista, deverá ser levado em conta também o plano estadual de expansão das linhas de trem e metrô.

De acordo com o contrato, o estudo deve ser concluído em um ano e meio – e poderá ser usado apenas em meados de 2016, último ano da gestão petista. Mas, como estabelece o edital, a intenção é estabelecer um programa a longo prazo, que possa servir a cidade num período de até 20 anos.

Os vencedores da licitação terão de considerar dois cenários: a execução das obras previstas pela atual gestão, como a implementação de 150 km de corredores de ônibus e 400 km de ciclovias, e o não cumprimento de tais metas.

O principal objetivo é propor soluções para uma melhor otimização dos 15 mil ônibus que rodam pela cidade. A expectativa é que, ao longo dos próximos 18 meses, a Oficina Consultores apresente propostas para reduzir os gargalos atuais e aumentar a velocidade dos coletivos. Uma nova divisão das empresas do transporte – hoje são oito áreas operacionais – também deve ser apresentada.

Responsável pelo transporte coletivo, a SPTrans afirmou que a "rede integrada de linhas é fundamental para o aprimoramento da mobilidade e das opções de deslocamento da população, homogeneizando os padrões de acessibilidade das diversas regiões e melhorando a qualidade do conjunto de serviços ofertados".

Plano diretor. As propostas devem estar em acordo com as diretrizes determinadas pelo novo Plano Diretor, aprovado na Câmara no primeiro semestre deste ano. Entre elas, está uma maior concentração de moradores no entorno de estações de metrô e corredores de ônibus.

Santo Amaro ganha mais uma faixa exclusiva de ônibus

01/12/2014 - Portal R7

A rua Doutor Antônio Bento, no bairro de Santo Amaro, zona sul da capital, vai ganhar 720 metros de faixa exclusiva de ônibus a partir desta segunda-feira (1º), segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

A nova faixa funcionará à direita da via no sentido largo 13 de Maio, de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h, no trecho entre a rua Nove de Julho e a avenida Mário Lopes Leão.

De acordo com a CET, a ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores.

Na rua Doutor Antônio Bento (entre a rua Nove de Julho e a avenida Mário Lopes Leão), trafegam 39 linhas de ônibus, que realizam em média 547 mil viagens de passageiros por dia útil de operação. A frequência média das linhas mencionadas, no horário de pico, é de 213 ônibus/hora.

Alterações

Após a implantação do novo trecho de faixa exclusiva, os demais veículos que circulam em direção ao largo 13 de Maio deverão utilizar as duas faixas da esquerda existentes na rua Doutor Antônio Bento.

Fiscalização

A ativação da nova faixa exclusiva terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito vão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. Independente disso, a orientação da CET é para que todos os motoristas respeitem a faixa exclusiva desde o início de sua implantação.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

São José suspende licitação do BRT por tempo indeterminado

28/11/2014 - O Vale - São José dos Campos

Cinco dias antes do prazo para a entrega de propostas, previsto para o dia 3 de dezembro, o governo Carlinhos Almeida (PT) prorrogou por prazo indeterminado a licitação do BRT (Transporte Rápido por Ônibus), o seu principal plano para melhorar o transporte público de São José dos Campos.

O secretário de Transportes, Luiz Marcelo Silva Santos, disse ontem que a suspensão do processo licitatório foi motivada por questionamentos técnicos feitos ao projeto por empresas que retiraram o edital.

Segundo ele, um dos questionamentos recebidos pela prefeitura foi com relação aos riscos da matriz do empreendimento no tocante à execução da obra.

Luiz Marcelo não detalhou o assunto. Informou que o governo preferiu prorrogar a licitação para responder os questionamentos e que mais de dez empresas retiraram o edital.

É preferível adiar a licitação agora para responder as questões técnicas para evitar questionamentos jurídicos no futuro, que poderiam até cancelar a licitação, afirmou o secretário.

Otimista, ele disse acreditar que em dez dias os técnicos da secretaria irão responder as dúvidas e o edital poderá ser relançado.

A previsão é que ele seja publicado novamente ainda este ano, frisou.

Verba. A licitação do BRT é na modalidade RDC (Regime Diferenciado de Contratação), que tem regras próprias, diferentes da Lei das Licitações, a 8.666/1993.

O RDC foi criado pelo governo federal para acelerar as obras da Copa do Mundo, ocorrida em junho, mas também pode ser aplicado às obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

O BRT de São José é uma das obras do PAC Mobilidade de Médias Cidades, do governo federal, que liberou R$ 800 milhões para a implantação desse sistema de transporte.

A licitação estava orçada em R$ 779 milhões e previa a elaboração dos projetos básico e executivo e realização das obras do BRT.

É a primeira vez que o município faz uma licitação nessa modalidade. Já esperávamos que isso poderia acontecer, declarou Marcelo.

Atraso. Mesmo assim, o secretário admitiu que haverá atraso no cronograma do projeto do BRT. Haverá atraso, que poderá ser recuperado quando da execução do projeto.

A previsão inicial do governo é que as obras seriam iniciadas em 2015 e parte do sistema começaria a ser operado no ano seguinte.

O BRT é um sistema em que os ônibus trafegam em canaletas segregadas do sistema viário, com estações que permitem a cobrança antes do embarque, para aumentar velocidade operacional.

Para 2015 está prevista uma verba de R$ 210 milhões para o início da obra.



domingo, 23 de novembro de 2014

São Paulo tem 30 Pontos de Ônibus com Wi-Fi Grátis

23/11/2014 - Via Trólebus

Em comemoração de aniversário de 1 ano da Amazon Appstore, a empresa em parceria com a prefeitura de São Paulo esta oferecendo conexão Wi-Fi gratuita em 30 pontos de ônibus na cidade. A empresa divulgou a ação em seu site. Confira os pontos:

Alto de Pinheiros
Av. Profº Fonseca Rodrigues, 1969 Portão 2 – Parque Vila Lobos

Barra Funda
Av. Marquês de São Vicente, 2800 X PC PEDRO CORAZZA – Em frente à UNIP

Av. Auro Soares M. Andrade, 967 – Faculdade Uninove (P) – Terminal Barra Funda

Av. Pacaembu, 967

Bela Vista
Av. Paulista, 1912 – Bob's Burguer

Campo Belo
Av. Washington Luiz, 6973 X Rua Felix D. Souza (P) – Em frente ao Aeroporto

Consolação
Av. Drº Arnaldo, 440

Av. Angélica, 1905 X Rua Pará – Em frente à Escola Panamericana de Artes

Itaim Bibi
Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 356

Av. Nove de Julho, 5229 X Rua Renato Paes de Barros

Av. Pres. Juscelino Kubitscheck X Av. Santo Amaro – Sentido Marginal

Av. Santo Amaro X Av. Antônio Joaquim M. Andrade – Sentido Centro

Av. Hélio Pellegrino, 1241 – Açaí Bar

Liberdade
Av. 23 de Maio X Viaduto Paraíso

Moema
Av. Pedro Álvares Cabral – Antigo DETRAN

Av. Ibirapuera X Largo Mestre de Aviz

Paraíso
Rua Vergueiro, 1505 – Metrô Paraíso

Pinheiros
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1795

Av. Pedroso de Morais, 1594 X Rua Ferreira de Araújo

Perdizes
Av. Pompéia, 924 X Rua Cel. Melo de Oliveira

Av. Sumaré, 840 X Rua Caetes

Rua Heitor Penteado, 1230 – Em frente ao Metrô Vila Madalena

República
Praça da República, 365 X Av. Vieira de Carvalho

Rua Cel. Xavier de Toledo – Em frente ao Teatro Municipal

Saúde
Av. José Maria Whitaker, 290 – Próximo à UNIP

Av. Jabaquara, 2443 X Metrô São Judas

Santo Amaro
Av. Adolfo Pinheiro, 318 – Metrô Adolfo Pinheiro – Plataforma-A

Vila Formosa
Av. Regente Feijó, 1295 – Faculdade UNICSUL

Vila Leopoldina
Av. Imperatriz Leopoldina, 550 – Faculdade UMC

Vila Mariana
Av. 23 de Maio X Praça Toronto – Rua Estela – Sentido Centro

Informações: Viatrolebus

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

1/4 dos cadastrados não usa bilhete único mensal

21/11/2014 - O Estado de SP

O Bilhete Único Mensal completa um ano com 914.086 pessoas cadastradas, mas 226.506 bilhetes permanecem inativos - 24,7% do total. A meta inicial de passageiros prevista pela Prefeitura de São Paulo e pelo governo do Estado, que era de 861,7 mil (6% menor) foi superada, conforme dados da São Paulo Transporte (SPTrans).

Na média, segundo a SPTrans, cada passageiro que usa bilhete mensal faz 99 viagens por mês, mais do que um trabalhador comum, que faz cerca de 46. Até hoje, 26,1 milhões de viagens foram pagas com bilhetes únicos mensais.


Lançado em 30 de novembro de 2013, o serviço mensal agradou sobretudo aos estudantes (63% dos usuários de cartões temporais). Entretanto, a necessidade do pagamento antecipado, entre R$ 140 e R$ 230, pode ainda afastar alguns interessados, na avaliação do superintendente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), Luiz Carlos Mantovani Néspoli. "Para quem ganha o salário médio de São Paulo, em torno de 2 salários mínimos, corresponde a uma antecipação de 10% a 15% da renda", analisa o especialista. "Significa que a pessoa está congelando parte considerável da renda, na expectativa de que vai de fato usar o cartão em outros horários, como fins de semana e à noite. Mas essa expectativa pode não ser muito confiável."

A impossibilidade de usar o saldo do cartão, como ocorre com um bilhete único comum, também afastaria interessados em potencial. Eles estariam, segundo o especialista, representados no montante de mais de 200 mil cadastrados na modalidade temporal que ainda não começaram a usar os cartões.

"No comum, não existe prazo, então, o dinheiro que você creditou pode ser usado a qualquer tempo. No temporal, você tem de usar no prazo contratado. Então, imagine que você faça 22 viagens no mês ou uma pessoa que vai e volta do trabalho, apenas. Você gastaria R$ 132 e sobraria um pouco. Se usar menos ainda, também perde", afirma Néspoli.

No entanto, ele vê uma grande utilidade social no cartão temporal, que existe há anos em várias grandes metrópoles do mundo. "Aumenta a ideia de mobilidade. Quem quer fazer mais alguma coisa, além de trabalhar ou estudar, como sair aos sábados, ir visitar amigos, ir ao cinema, fica menos dependente da cota fixa."

Justamente por isso, quando o Bilhete Único Mensal foi lançado, os governos municipal e estadual apelaram para que empresas passassem a utilizá-lo em vez do Vale-transporte (VT) - o que não vem acontecendo, segundo a SPTrans. A empresa onde trabalha o designer Richard Batista, de 29 anos, por exemplo, não adotou a sugestão. "Pego metrô e ônibus, mas continuo com VT. Gasto menos de R$ 230 por mês, só que não tenho margem para sair nos fins de semana ou à noite."

Futuro. Em nota, a SPTrans informou que "o ritmo de adesão (aos cartões temporais) depende da avaliação de cada passageiro" e "a expectativa é que o usuário compre produtos tradicionais em um momento e em outro opte pelo bilhete mensal, semanal, ou 24 horas, de acordo com a ocasião".

63% dos usuários do Bilhete Único são estudantes

Alunos matriculados em escolas ou universidades ganham descontos em todas as tarifas

As estatísticas da SPTrans revelam que a maioria dos usuários dos cartões temporais do Bilhete Único é de estudantes. São 578.406 pessoas, ou 63,2% do total. Os alunos matriculados em escolas ou universidades ganham descontos em todas as tarifas. Quando não há integração entre os sistemas de ônibus e metrô e trem, a tarifa sai por metade do preço integral. Nas outras situações, sai por cerca de 60% do valor original.

O universitário Bruno Cândido Ribeiro, de 18 anos, mora e estuda em Itaquera, na zona leste, e tem estágio na zona norte. Faz entre cinco e seis viagens de ônibus por dia, todas pagas com o bilhete único mensal. "O preço está bem justo, porque se você vai a cidades do interior paga por viagem R$ 2,90 e sem possibilidade de integração."

Ele pede, no entanto, mais conforto nos transportes de São Paulo. "Cortaram muitas linhas aqui do bairro até o centro no ano passado. Antes tínhamos três e agora só uma linha, que sai lotada." Para Ribeiro, as maiores beneficiadas pelo serviço são as empresas de ônibus, que precisam operar menos linhas, mas com o mesmo número de passageiros.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Em São Paulo, todas as paradas de ônibus terão informações, diz prefeito

12/11/2014 - Prefeitura de SP

Demorou, mas uma lei municipal assinada hoje (12) pelo prefeito Haddad prevê a afixação de adesivos nas paradas com diversas informações sobre os coletivos

Em São Paulo, todas as paradas de ônibus terão inf
Parada de ônibus na Paulista: informação obrigatória
créditos: Reprodução
 
Todos os cerca de 19 mil pontos de parada para ônibus de São Paulo ganharão um painel de apoio ao usuário, contendo informações como o nome, o número e o destino das linhas que passam por eles. A expectativa, segundo a prefeitura da cidade, é que os adesivos comecem a ser instalados no início do próximo ano pela concessionária Ótima, que responde pela instalação e manutenção dos pontos. 

Além das informações sobre o itinerário, os painéis terão de informar a categoria das linhas e identificar as diferenciadas, como noturnas e circulares. A melhoria está prevista na Lei 15.962 de janeiro deste ano, regulamentada nesta quarta-feira (12) pelo prefeito Fernando Haddad, por meio do Decreto 55.673. 

Nos pontos finais será obrigatório ainda informar os dias de operação das linhas, o horário programado para as primeiras e últimas partidas, além da frequência média dos ônibus. Nesses locais, também será obrigatória a implementação de um sistema que permita a consulta do resumo operacional de cada linha por meio de equipamento eletrônico, como um QR Code ou código de barras. Para utilizar este sistema é necessário que o usuário tenha em seu celular um aplicativo que decifre o código. 
 
O contrato entre a Prefeitura de São Paulo e a concessionária Ótima, assinado em 2012, prevê que até o fim de 2015, deverão ser instalados 6.500 novos abrigos de ônibus, além da troca de 12,5 mil totens. Até o fim de outubro, tinham sido instalados cerca de 3.900 novos abrigos. A empresa tem a concessão do mobiliário urbano por um período de 25 anos.

Haddad regulamenta lei que prevê informação em pontos de ônibus

13/11/2014 - O Estado de SP

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) regulamentou a lei municipal que institui a afixação, nos pontos e abrigos de ônibus, de adesivos contendo dados sobre as linhas que atendem esses locais. A publicação do decreto, que passa a valer imediatamente, saiu no Diário Oficial da Cidade desta quarta-feira, 12. Entre outras informações, esses dispositivos, quando nos terminais, deverão mostrar o intervalo máximo de espera para os passageiros.

A lei havia sido assinada em 10 de janeiro deste ano, mas ainda faltava ao Executivo regulamentá-la. A legislação prevê três tipos de pontos de parada de ônibus.

O primeiro, chamado de "ponto de controle das linhas", fica nos terminais de partida e chegada dos coletivos. Neles, é preciso constar os dias de operação das linhas, bem como o horário programado de saída das primeiras e das últimas partidas, conforme o dia da semana, os intervalos das linhas e a presença de um sistema, como os códigos de barras ou QR, que permita a consulta, por meio de celular ou computador, à operação em tempo real daquela linha -- através do programa "Olho Vivo", da São Paulo Transporte (SPTrans).

Já os denominados "pontos de passagem", ou seja, aqueles que "se localizam em toda a extensão da linha, podendo ser simples ou desmembrado, com ou sem abrigo", precisarão oferecer aos passageiros a informação sobre os dias de operação dos ramais que os atendem.

Por fim, a Prefeitura identifica os "pontos de passagem em corredores" e determina que todos eles "necessariamente serão providos de abrigo".

Em todos os três modelos, o usuário do sistema de ônibus encontrará a lista de linhas que passam por ali (com seu nome, número e destino) e a identificação do itinerário de linhas diferenciadas, "como circular ou noturna, e daquelas que se integram a modais metroviários e ferroviários".

Atualmente, parte dos pontos de paradas de ônibus da cidade já conta com esses adesivos, mas muitos ainda não têm. De acordo com a SPTrans, gerenciadora da rede de ônibus municipal, a capital paulista possui cerca de 19 mil pontos de parada.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Ônibus elétricos chineses começam a transportar passageiros em janeiro na Capital Paulista

10/11/2014 - CBN / Blog Ponto de Ônibus

Adamo Bazani

De acordo com a SPTrans, resultados dos testes apenas com galões simulando peso foram satisfatórios. Dois ônibus já estão sendo preparados

Veículos da BYD estão em teste
Veículos da BYD estão em teste em SP
créditos: Adamo Bazani
 
A partir de janeiro de 2015, passageiros do transporte municipal de São Paulo vão ser atendidos por dois ônibus elétricos que dependem apenas de bateria para se movimentar.
 
A confirmação foi feita na última quinta-feira, dia 06 de novembro de 2014, pelo superintendente de engenharia veicular da SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora dos serviços municipais, João Carlos Fagundes ao âncora da rádio CBN, Thiago Barbosa, durante o CBN São Paulo, produzido pela jornalista Gabriela Gonçalves.
 
Os ônibus são da empresa chinesa BYD – Build Your Dream Company Limited, que deve começar a produção de veículos deste tipo numa planta industrial que é construída em Campinas, no Interior de São Paulo. Para a primeira fase de produção, a BYD anunciou investimentos de R$ 250 milhões. Inicialmente devem ser produzidos de 500 a 1000 ônibus por ano, além das baterias, até que a unidade alcance a capacidade pela de 4 mil ônibus por ano.
 
Os dois ônibus já recebem nova configuração interna, que atende ao padrão da SPTrans e às normas brasileiras de acessibilidade. Também já são providenciados os documentos destes veículos.
 
A principal vantagem dos ônibus elétricos é que eles não emitem nenhum poluente durante a operação e o nível de ruído é muito baixo em comparação com os ônibus convencionais a diesel de semelhante padrão de tamanho e com motorização traseira.
 
O técnico disse a Thiago Barbosa que a julgar pelos testes já realizados a cidade de São Paulo, a operação com este tipo de ônibus "vale a pena". No entanto, a adição do modelo chinês vai depender dos testes com passageiros e da produção em maior escala, o que poderá tornar o ônibus mais barato. Hoje o veículo elétrico pode ter preço três vezes maior que de um ônibus diesel.
 
Confira a entrevista na íntegra neste link:
http://cbn.globoradio.globo.com/programas/cbn-sao-paulo/2014/11/06/SAO-PAULO-FARA-TESTES-PRATICOS-COM-ONIBUS-ELETRICOS-EM-JANEIRO.htm
 
Texto: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes
Entrevista: Thiago Barbosa, âncora da Rádio CBN
Produção: Gabriela Gonçalves, jornalista da Rádio CBN e produtora do CBN São Paulo.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Prefeitura de Sorocaba apresenta edital de licitação para o BRT

05/11/2014 - G1

A Prefeitura de Sorocaba (SP) apresentou na manhã desta terça-feira (4) o edital de licitação para as empresas interessadas no sistema de transporte público feito por ônibus em corredores exclusivos, conhecido como BRT (bus rapid transit, transporte rápido de ônibus na sigla em inglês).

Durante a apresentação do projeto técnico, os empresários fizeram questionamentos e também deram sugestões. De acordo com o secretário da Fazenda de Sorocaba, Aurílio Caiado, o edital ficará disponível para consulta pública, por 30 dias. "É uma minuta de edital que a prefeitura disponibiliza para que todas as pessoas interessadas poderem consultar e sugerir", explica.

Dessa forma, a partir do dia 3 de dezembro, a prefeitura recolhe as informações e publica o edital definitivo para as empresas interessadas em concorrer ao processo do BRT. A previsão é que as obras iniciem em março de 2015, com 18 meses programado de excecução do projeto, sendo finalizado no final de 2016.

O projeto escolhido para o edital, de acordo com Caiado, é o modelo de concessão, o mais tradicional conhecido em operação de transporte coletivo. "Neste caso é uma concessão simples e subsidiáda pela prefeitura que irá arcar com uma parte dos investimentos com os recursos que conseguiu através do PAC", finaliza.

Informações: G1 Sorocaba e Jundiaí

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

SP ganha mais 1,1 km de corredores de ônibus nesta segunda-feira

27/10/2014 - Portal R7

A partir desta segunda-feira (27), a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e a SPTrans (São Paulo Transporte) implantam 1,1 km de faixa exclusiva à direita para ônibus nas ruas Martins Fontes e Augusta, nos seguintes trechos:

Na rua Martins Fontes, no sentido Bairro, entre a rua Maria Paula e a rua Álvaro de Carvalho; na rua Augusta, no sentido Bairro, entre a rua Fernando Albuquerque e a avenida Paulista; e no sentido centro, no trecho compreendido entre a alameda Itu e avenida Paulista. 

A nova faixa exclusiva vai funcionar de segunda a sexta-feira das 6h às 20h. A ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores.

Com estes 1,1 km, a malha viabilizada pela atual gestão chegará a 361,9 km de faixas exclusivas para ônibus na capital paulista. 

População beneficiada 

Pelas ruas Martins Fontes e Augusta, no trecho destas implantações, passam cinco linhas de ônibus municipais, transportando 42 mil passageiros em média por dia útil, numa frequência média, no horário de pico, de 31 ônibus/hora.

Alternativas 

Aos motoristas que desejam acessar a avenida Paulista vindos do centro pela rua Augusta, a CET recomenda como alternativa utilizar a rua Peixoto Gomide; e no sentido contrário, a opção é a alameda Itu e a rua Ministro Rocha Azevedo. 

Fiscalização

A ativação terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito irão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. A partir de 10 de novembro, a fiscalização será intensificada na via.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), transitar na faixa exclusiva à direita de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.  

SP ganha mais 1,1 km de corredores de ônibus nesta segunda-feira

27/10/2014 - Portal R7

A partir desta segunda-feira (27), a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e a SPTrans (São Paulo Transporte) implantam 1,1 km de faixa exclusiva à direita para ônibus nas ruas Martins Fontes e Augusta, nos seguintes trechos:

Na rua Martins Fontes, no sentido Bairro, entre a rua Maria Paula e a rua Álvaro de Carvalho; na rua Augusta, no sentido Bairro, entre a rua Fernando Albuquerque e a avenida Paulista; e no sentido centro, no trecho compreendido entre a alameda Itu e avenida Paulista. 

A nova faixa exclusiva vai funcionar de segunda a sexta-feira das 6h às 20h. A ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores.

Com estes 1,1 km, a malha viabilizada pela atual gestão chegará a 361,9 km de faixas exclusivas para ônibus na capital paulista. 

População beneficiada 

Pelas ruas Martins Fontes e Augusta, no trecho destas implantações, passam cinco linhas de ônibus municipais, transportando 42 mil passageiros em média por dia útil, numa frequência média, no horário de pico, de 31 ônibus/hora.

Alternativas 

Aos motoristas que desejam acessar a avenida Paulista vindos do centro pela rua Augusta, a CET recomenda como alternativa utilizar a rua Peixoto Gomide; e no sentido contrário, a opção é a alameda Itu e a rua Ministro Rocha Azevedo. 

Fiscalização

A ativação terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito irão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. A partir de 10 de novembro, a fiscalização será intensificada na via.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), transitar na faixa exclusiva à direita de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.  

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Novos corredores de ônibus serão liberados, diz presidente do TCM

22/10/2014 - O Estado de SP

SÃO PAULO - Presidente do Tribunal de Contas do Município (TCM) e responsável por analisar os projetos da Prefeitura na área de Transportes, o conselheiro Edson Simões barrou 15 concorrências da gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), das quais seis já foram liberadas. Há 17 anos na Corte, Simões, que também é professor de Geografia e autor de mais de dez livros, argumenta que suas decisões são puramente técnicas e aponta a insuficiência de recursos do governo para executar parte das propostas apresentadas à população.

Questionado sobre o fato de manter suspensa a licitação para a construção de 126 quilômetros de corredores de ônibus, prioridade máxima do governo petista, Simões diz que "o problema anterior estava ligado à falta de comprovação orçamentária e do projeto básico". Mas adiantou ao Estado, em entrevista exclusiva, que a concorrência está prestes a ser liberada. O governo fez um replanejamento e desistiu dos corredores da Celso Garcia e da 23 de Maio. Nesta terça-feira, 21, a Prefeitura informou que a liberação permitirá iniciar as obras em 2015.

"Está faltando a comprovação dos elementos que demonstrem o orçamento (para a obra dos corredores)" disse Simões. Ele, porém, lembrou que, após a Prefeitura ter reduzido de R$ 4,7 bilhões para cerca de R$ 2 bilhões o projeto dos corredores, no fim de setembro, a proposta passou a ter viabilidade econômica.

A Caixa Econômica Federal informou que aguarda a análise técnica. "Após concluída, os desembolsos dos recursos serão efetuados mediante a apresentação dos boletins de medição (das obras) da Prefeitura."

Simões também liberou as licitações para a construção de garagens subterrâneas e o plano viário da zona sul, orçado em R$ 1,8 bilhão e com previsão de duplicar as principais avenidas da periferia, como a M'Boi Mirim, a Carlos Caldeira e a Belmira Marin.

Câmeras. Mas o conselheiro ainda espera esclarecimentos do governo para liberar a licitação destinada à compra de 434 câmeras para uma central da CET e outra para a aquisição de 300 radares previstos para serem instalados nos ônibus, com o objetivo de flagrar motoristas que invadem as faixas exclusivas dos coletivos.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

São Paulo terá primeiro túnel exclusivo para ônibus

20/10/2014 - Via Trólebus

Parte do futuro BRT na Radial Leste, a prefeitura de SP deve construir um túnel exclusivo para ônibus com 700m de extensão nas imediações do Parque Dom Pedro II

Renato Lobo

Projeto deve melhorar trânsito na Radial Leste
Projeto deve melhorar trânsito na Radial Leste
créditos: Via Trolebus
 
Como parte do futuro BRT (Bus Rapid Transit) na Radial Leste, a prefeitura de São Paulo deve construir um túnel com 700 metros de extensão nas imediações do Parque Dom Pedro II para uso exclusivo dos ônibus.
 
O prefeito Fernando Haddad apresentou nesta sexta-feira (17) o projeto da estrutura que ligará o viaduto Antonio Nakashima, na região da avenida do Estado, à avenida Alcântara Machado. "Vamos fazer um túnel de acesso ao Parque Dom Pedro. É o primeiro túnel construído exclusivamente para transporte coletivo, e só com isso vamos economizar 15 minutos porque vai evitar um contorno irracional. O ônibus vai chegar diretamente no terminal", afirmou Haddad. "É a maior obra de mobilidade urbana da história de São Paulo", completou o prefeito.
 
O BRT da Radial terá piso rígido em concreto, faixa de ultrapassagem nas paradas, além do pagamento de tarifa nas próprias paradas, dando agilidade ao sistema. O corredor deverá beneficiar 220 mil pessoas por dia. Outros dois corredores, o Radial Leste 2, com 5 quilômetros e o Leste com 14 quilômetros, completarão todo a extensão da avenida até chegar ao Terminal Itaquera. As obras estão previstas para iniciar ainda neste mês.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Novos corredores de ônibus ficam para 2015

07/10/2014 - Webdiario - Osasco

Embora tenha três projetos de corredores de ônibus para a região Oeste da Grande São Paulo, apenas o Itapevi-Butantã está em execução pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos). Já os outros dois vão ficar para 2015.

Um deles é o Corredor Metropolitano Itapevi-Cotia, que vai ligar os dois municípios pela Estrada da Roselândia, a partir do Terminal Metropolitano de Cotia, na rodovia Rodovia Raposo Tavares, até o futuro Terminal Engenheiro Cardoso, fazendo conexão com o Corredor Metropolitano Itapevi-São Paulo (em obras) e também com a linha 8 Diamante da CPTM em Itapevi.

São 9,4 quilômetros de extensão, com investimento R$160 milhões e previsão de atendimento de 68 mil passageiros dias. O projeto está em elaboração desde abril deste ano e os projetos básico e executivo devem ser concluídos em março de 2015. Já as obras começam em junho de 2015 e têm conclusão estimada para dezembro do mesmo ano.

O segundo projeto é o do Corredor Metropolitano Alphaville-Cajamar, que vai ligar os municípios de Carapicuíba, Barueri, Santana de Paranaíba e Cajamar. Integrado com a CPTM no Terminal Antônio João, em Barueri, terá extensão de 28,9 quilômetros. O projeto funcional está concluído e os projetos básico e executivo do primeiro trecho, que liga Cajamar a Santana de Parnaíba, de cerca de 12 quilômetros de extensão, começaram a ser elaborados em 16 de junho. O segundo trecho está em fase de negociação com a Prefeitura de Barueri. O início das obras acontece no 1º semestre de 2015.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Câmara prevê R$ 2 bi para manter tarifa de ônibus em SP a R$ 3

01/10/2014 - O Estado de SP

Leia: Sem reajuste da tarifa, subsídio para ônibus vai a R$ 1,7 bi - O Estado de SP

SÃO PAULO - A manutenção da tarifa do ônibus a R$ 3 vai exigir uma suplementação do subsídio pago às empresas do transporte coletivo previsto pelo prefeito Fernando Haddad (PT) na proposta orçamentária de 2015. Nesta terça-feira, 30, parte dos vereadores que analisarão o projeto de lei enviado à Câmara já fazia as contas. Para manter a passagem congelada no próximo ano, representantes da Comissão de Finanças afirmam que o repasse reservado, de R$ 1,4 bilhão, deverá ser elevado para ao menos R$ 2 bilhões.

"Só assim o sistema não vai quebrar. O governo precisa colocar R$ 2,2 bilhões para as viações e cooperativas, se quiser manter a tarifa a R$ 3", disse Milton Leite (DEM), que é presidente da Comissão de Finanças e ligado a cooperativas de perueiros da zona sul. "Com o subsídio a R$ 1,4 bilhão, a passagem precisa subir para, ao menos, R$ 3,50", acrescentou Leite.

A previsão leva em conta a expectativa de gastos anunciada pela Secretaria Municipal de Transportes com o pagamento de subsídios neste ano. De acordo com a pasta, será repassado R$ 1,7 bilhão ao setor no ano passado, esse valor foi de R$ 1,2 bilhão. Segundo a Prefeitura, o aumento é explicado pela criação do Bilhete Único Mensal, pelo reajuste dos contratos e pelas gratuidades do transporte.

Diante da realidade atual e da previsão de repasse de subsídios 18% menor para 2015, parlamentares da base de sustentação do prefeito Haddad admitem que serão necessários novos recursos para as viações e cooperativas. Caso contrário, a tarifa deverá aumentar.

"Se precisar aumentar o subsídio, isso poderá ser feito por remanejamento de verbas. Mas aí teremos de mudar os recursos de lugar, tirar de outras áreas para pagar as empresas. Temos antes de avaliar o impacto disso", disse Paulo Fiorilo (PT). A mesma avaliação fez Arselino Tatto (PT), líder do governo e irmão do secretário de Transportes, Jilmar Tatto.

"Falei com meu irmão no fim de semana, e ele disse que nada está decidido sobre a tarifa. O governo está aguardando a conclusão de uma auditoria que está sendo feita nas empresas de ônibus antes de tomar qualquer decisão", disse Tatto.

Financiamento.Para Horácio Augusto Figueira, mestre em Transportes pela USP e consultor na área, é preciso buscar formas de financiamento. Figueira é favorável, por exemplo, à criação de uma nova tributação sobre o valor do litro da gasolina. "Isso seria importante porque o subsídio acaba tirado da Educação e de outras áreas importantes do governo", ressaltou.

O mesmo discurso tem sido defendido publicamente pelo prefeito Haddad, que pleiteia, no cenário nacional, a municipalização da Cide, o tributo federal que incide sobre combustíveis e que hoje está zerado como forma de neutralizar o aumento do diesel e da gasolina nas refinarias.

Para o líder do PSDB, Floriano Pesaro, o orçamento proposto mostra que essa discussão não avançou. "Está mais do que claro agora que a tarifa de ônibus será reajustada no ano que vem. Com o valor do subsídio previsto e a passagem a R$ 3, a Prefeitura quebra", disse.

Para o também tucano Andrea Matarazzo, a peça orçamentária do governo é contraditória. "Ao mesmo tempo em que se reduz os investimentos, a gestão propõe, em outro projeto, baixar o ISS cobrado das empresas de vale alimentação de 5% para 2%."

A gestão Haddad afirma que não existe definição sobre a tarifa. "Ainda temos um grau de incerteza muito grande em relação a isso", disse a secretária municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leda Paulani. A decisão, mais política do que financeira, deve ser tomada após a conclusão da auditoria, prevista para o fim do mês.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Campinas começa nesta quarta a abolir dinheiro em ônibus

30/09/2014 - Correio Popular - Campinas

A partir de quarta-feira (1), o sistema de transporte coletivo de Campinas não aceitará mais dinheiro para o pagamento das passagens.

Gradativamente, os cobradores deixarão de trabalhar nos coletivos e a população terá que embarcar com os bilhetes eletrônicos, chamados de Bilhete Único.

A opção para quem não tiver o cartão são os novos Bilhete 1 Viagem e Bilhete 2 Viagens.

O custo para essas duas opções é de R$ 5,30 e R$ 8,60, sendo que R$ 2,00 se referem ao custo do "casco" do cartão.

Esse valor pode ser reembolsado pelo usuário se o cartão for devolvido em um dos postos da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Transurc) após o uso. O preço da passagem é R$ 3,30.

Quem não usa o ônibus com frequência ou mora em outra cidade terá de utilizar os cartões temporários, que não permitem a integração entre as linhas.

Hoje, Campinas possui integração de duas horas, o que permite ao usuário usar até três ônibus no período pagando uma única tarifa.

O bilhete de uma ou duas viagens estará à venda em diversos estabelecimentos (bancas, farmácias, mercados, padarias, postos de combustível). Até 30 de novembro, o bilhete de uma viagem também poderá ser adquirido dentro dos ônibus com os motoristas ou cobradores.

Após utilizado, o bilhete duas viagens poderá ser recarregado, sempre com duas tarifas (R$ 6,60), diferentemente do Bilhete 1 Viagem, que não é recarregável.

A proposta da Emdec é que até quarta-feira a adesão ao Bilhete Único seja de 90%. Até o final de agosto, cerca de 14,5% dos passageiros ainda utilizavam dinheiro para pagar a passagem.

O Bilhete Único é gratuito. Mesmo se o saldo zerar, ainda contará com duas tarifas, como se o cartão "emprestasse" até R$ 6,60, a serem debitados na próxima recarga.

O usuário também usufrui do Passe Lazer (paga meia tarifa) em dois domingos por mês. Além disso, pode avisar a Transurc em caso de perda ou furto do cartão para bloquear o saldo existente.

Em 2014, nos seis primeiros meses, o Sistema InterCamp registrou média de 630 mil passagens pela catraca por dia útil (240 mil usuários). São 15,4 milhões de passageiros por mês, dos quais 80% usam Bilhete Único.

O secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, afirmou que a medida é adotada por duas questões.

A primeira é referente à segurança dentro dos ônibus. Ele afirmou que o número de assaltos aumentou 60% entre janeiro e julho, comparado ao mesmo período do ano passado. Além disso, o grau de violência também cresceu.

"Antes, o roubo era com uma chave de fenda, algo assim. Hoje, vemos pessoas armadas, agindo em grupo", disse.

O outro ponto é a modernização do sistema coletivo de transporte. A proposta da Emdec é implantar, em dois anos, o conceito de "pagamento desembarcado".

A ideia é que os passageiros paguem a passagem fora dos ônibus. Até junho de 2015, a Emdec planeja adaptar os terminais de ônibus que ainda são abertos e, em dois anos, criar o processo de pagamento em pontos de ônibus e por meio de aplicativos em celulares.

Polêmica

A mudança causou polêmica entre os usuários. A maior parte deles está ciente da nova forma de pagamento, mas alguns discordam em ter apenas essa opção nas mãos.

"É horrível limitar as opções de pagamento. Quem deveria escolher isso é o passageiro", disse a atendente Aline Ferreira, de 29 anos. Ela também comentou sobre o uso do transporte público por parentes e amigos que moram fora de Campinas e visitam a família. "Eles não vão perder tempo para recuperar o dinheiro do reembolso do cartão", disse.

A usuária Andreia da Silva, de 25 anos, considera a mudança boa, mas com ressalvas. "Acho bom por trazer mais segurança para o ônibus, mas é complicado para os motoristas. Eles ficarão sozinhos e isso pode deixar o trabalho mais complicado", disse.

Emdec diz que vai realocar os cobradores

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) informou ontem que os cobradores não serão todos dispensados a partir desta quarta-feira (1), e que a intenção é absorvê-los em outras funções.

Essa é a motivação do Programa de Aperfeiçoamento Profissional (PAP). Entre os cursos disponíveis, estão os de abastecedor, almoxarife, auxiliar administrativo, auxiliar de recursos humanos, auxiliar de mecânico, fiscal de tráfego, mecânico e motorista.

Também há o Curso de Formação de Condutores (CFC) para mudança de categoria da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) letra B ou C para D, requisito necessário para que se possa dirigir ônibus.

Já os fiscais de tráfego trabalharão nas principais linhas, nos horários de pico, auxiliando os usuários do sistema.

O PAP é supervisionado pela Emdec e tem como parceiros o Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) e o Centro de Formação de Condutores (CFC) de Campinas.

Sem reajuste da tarifa, subsídio para ônibus vai a R$ 1,7 bi

30/09/2014 - O Estado de SP

O subsídio pago pela Prefeitura de São Paulo para manter a tarifa do ônibus a R$ 3 vai custar R$ 1,7 bilhão ao caixa municipal neste ano. Recorde absoluto, o valor quase dobrou desde 2012, quando o então prefeito Gilberto Kassab (PSD) deixou o governo pagando R$ 980 milhões em subsídios às empresas do setor. Se confirmada, essa quantia representará 70% do total de investimentos previstos para serem realizados na cidade em 2014 – R$ 4,2 bilhões –, a contragosto do prefeito Fernando Haddad (PT), que já declarou publicamente a necessidade de São Paulo investir recursos municipais em outras áreas.

Depois das manifestações de junho do ano passado, que levaram o prefeito Fernando Haddad (PT) a rever a alta de R$ 0,20 aplicada na passagem de ônibus, o investimento na área explodiu.

Em 2013, o repasse em forma de subsídio às empresas de ônibus ficou em R$ 1,2 bilhão. Neste ano, como adiantado pela Prefeitura, vai superar a meta de R$  1,4 bilhão prevista inicialmente.

De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes, a diferença com relação à previsão inicial de R$ 1,4 bilhão se dá por causa da redução de arrecadação do sistema após a implementação do Bilhete Único Mensal e da mudança na idade para concessão da gratuidade no transporte de 65 para 60 anos.

A pasta ainda cita outros fatores para explicar a alta de R$  300 milhões, como o reajuste na remuneração dos contratos de concessão e a contratação emergencial de novas empresas, após o descredenciamento, por exemplo, do Consórcio Leste 4, que atuava na zona leste. 

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Região da Água Rasa ganha faixa exclusiva para ônibus

29/09/2014 - Portal R7


A região da Água Rasa, na zona leste da capital, ganhará 1,1 km de faixa exclusiva pata ônibus a partir desta segunda-feira (29). Confira os trechos contemplados:

- Na avenida Regente Feijó, entre a avenida Vereador Abel Ferreira e a avenida Água Rasa, onde os coletivos terão prioridade no sentido centro, de segunda à sexta-feira, das 6h às 9h;

- Na rua Marechal Barbacena, entre a avenida Álvaro Ramos e a rua Guapeva, onde os ônibus trafegarão com exclusividade pela nova faixa no sentido Bairro, de segunda à sexta-feira, das 17h às 20h;

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo. Com isso, busca-se a redução dos tempos de viagens, conforto e segurança para os usuários.

A CET ainda ressalta que avenida Regente Feijó já possuía faixa exclusiva de ônibus nos dois sentidos em outro trecho implantado em setembro de 2013.

População beneficiada

Pela avenida Regente Feijó, no trecho desta implantação, em direção ao centro passam nove linhas de ônibus, transportando 67 mil passageiros em média por dia útil, em uma frequência média de 65 ônibus/hora.

Já pela rua Marechal Barbacena, em direção ao bairro, passam seis linhas de ônibus, que transportam 61 mil passageiros em média por dia útil, numa frequência de 50 ônibus hora.

Não está prevista nenhuma alteração na circulação do tráfego em função da implantação da faixa exclusiva, informou a CET.

Fiscalização

A ativação terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito irão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. A partir do dia 13 de outubro, a fiscalização será intensificada na via.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), transitar na faixa exclusiva à direita de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Haddad terá verba federal para construção de mais dois BRTs

16/09/2014 - O Estado de SP

SÃO PAULO - Até março, São Paulo terá em execução as obras de 165 quilômetros de corredores de ônibus, segundo o prefeito Fernando Haddad (PT), que na manhã desta segunda-feira, 15, assinou dez contratos com a Caixa Econômica Federal para ter R$ 2,6 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O dinheiro será usado para construir mais dois BRTs que, juntos, terão 32 quilômetros de extensão.

Do total, R$ 1,9 bilhão será destinado à construção de corredores de ônibus e obras viárias. O restante do recurso será investido em piscinões, um parque linear em Perus, na zona oeste, e obras de drenagem. É a terceira vez que Haddad recebe dinheiro do PAC para investir em mobilidade urbana e drenagem. Ao todo, a Prefeitura já recebeu mais de R$ 13 milhões do governo federal.

"Em 2015 e 2016, São Paulo vai transformar-se em um canteiro de obras. Os 165 quilômetros de corredores estarão em execução até março", disse Haddad. O governo federal liberou R$ 487 milhões para o BRT Perimetral Bandeirantes-Salim Farah Maluf (16 quilômetros) e mais R$ 529 milhões para a extensão Itaim Paulista-São Mateus, que começam a ser construídos em 2015. Segundo Haddad, a cidade tem 37,5 quilômetros de corredores em obras. Neste ano a Prefeitura começará a construir 60,8 quilômetros. Todos os 165 quilômetros têm recursos do PAC.

Entre os corredores que começarão a ser construídos ainda neste ano estão os BRTs da Radial Leste (17 quilômetros) e da Avenida Aricanduva (14 quilômetros), que devem ficar prontos em dois anos. Os BRTs têm faixas de ultrapassagem para os ônibus e pontos maiores do que os tradicionais.

Superarticulados.Esses corredores também vão servir para reorganizar a distribuição das linhas de coletivo de São Paulo, além de poder receber ônibus biarticulados e superarticulados. O evento na Caixa Econômica Federal teve a participação do superintendente regional, Paulo José Galli, do ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e do ministro das Cidades, Gilberto Occhi.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Vias nas zonas Oeste e Leste de SP ganham faixas exclusivas

15/09/2014 - G1 SP

Dois novos trechos de faixas exclusivas de ônibus começam a funcionar nesta segunda-feira (15) na capital paulista, como informou o Bom Dia São Paulo. Essa segunda é o primeiro dia útil depois da liberação do tráfego de táxis com passageiros nas faixas exclusivas.

Na Zona Oeste, na Rua Alvarenga, no Butantã, a nova via exclusiva para os coletivos funcionará entre as Avenidas Afrânio Peixoto e Vital Brasil, o que equivale a um trecho de 500 metros.

Já na Zona Leste, na Rua Padre Adelino, no Belém, um treco de 600 metros foi implantado entre a Álvaro Ramos e o viaduto Guadalajara.

Na sexta-feira (12), Prefeitura de São Paulo liberou o uso de todos os 440 km de faixas seis meses após permitir o tráfego de táxis nas vias exclusivas da Av. 23 de Maio, das marginais e de outras nove importantes avenidas da cidade. De acordo com o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, os táxis também vão poder parar para embarcar e desembarcar passageiros.

As faixas exclusivas são uma das principais bandeiras da gestão de Fernando Haddad (PT). Foram criados 356 km com a promessa de priorizar o transporte por ônibus na cidade. As faixas são estruturas localizadas à direita, como na Avenida Paulista.

Nos corredores de ônibus, que são espaços à esquerda totalmente segregados do trânsito, caso das avenidas 9 de Julho e Santo Amaro, continua valendo a proibição de táxis nos horários de pico - das 6h às 9h e das 16h às 20h.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Prefeitura de SP libera faixas exclusivas de ônibus para taxistas

12/09/2014 - G1 SP

A Prefeitura de São Paulo anunciou a liberação das faixas exclusivas de ônibus para taxistas a partir deste sábado (13), quando a autorização será publicada em Diário Oficial. Trata-se de uma liberação definitiva seis meses após a Prefeitura começar a permitir a presença dos táxistas nas faixas exclusivas de ônibus da 23 de Maio, das marginais e outras nove importantes avenidas da cidade.

Com a nova liberação, as faixas compartilhadas vão saltar de 71 km para 440 km. A medida valerá também para as faixas que forem inauguradas futuramente.

De acordo com o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, os táxis também vão poder parar para embarcar e desembarcar passageiros. Eles só poderão trafegar nas faixas exclusivas se estiverem com passageiros.

As faixas exclusivas são uma das principais bandeiras da gestão de Fernando Haddad (PT). Foram criados 356 km com a promessa de priorizar o transporte por ônibus na cidade. As faixas são estruturas localizadas à direita, como na Avenida Paulista.

Nos corredores de ônibus, que são espaços à esquerda totalmente segregados do trânsito, caso das avenidas 9 de Julho e Santo Amaro, continua valendo a proibição de táxis nos horários de pico - das 6h às 9h e das 16h às 20h.

A liberação das faixas comunicada nesta sexta é adotada a menos de um mês das eleições estaduais e federais, fato semelhante à liberação dos corredores de ônibus para taxistas em 2004. À época, a permissão foi dada pela então prefeita Marta Suplicy (PT) a uma semana da eleição municipal, na qual ela era candidata.

A liberação feita por Marta recebeu críticas por parte de especialistas em trânsito, já que a presença dos táxis diminui a velocidade dos ônibus. A permissão foi revista apenas na atual gestão de Haddad após o Ministério Público ameaçar entrar com uma ação civil pública contra o governo municipal caso os taxistas não fossem proibidos de trafegar nos corredores.

A liberação das faixas de ônibus para os taxistas não foi o único benefício à categoria comunicado pelo prefeito Fernando Haddad na manhã desta sexta. A administração municipal anunciou também um pacote que integra defesa dos taxistas para manutenção do alvará e isenção de ISS para as cooperativas e associações de taxistas. O shopping Iguatemi e Tietê Plaza, assim como outros pontos, também ganharão baias para os taxistas.

Estudos

Os benefícios da adoção da faixa exclusiva de ônibus para a velocidade dos coletivos foram tema de divulgações da Prefeitura de São Paulo em diversas oportunidades. Em agosto do ano passado, a Prefeitura de São Paulo informou que a velocidade média dos ônibus subiu até 108% no Corredor Norte-Sul (eixo da 23 de Maio).

Em relação aos corredores de ônibus (estruturas à esquerda), a Prefeitura realizou estudo que mostrou que os táxis limitavam a velocidade dos ônibus em 31,6% no sentido centro-bairro, e em 25,5% no sentido bairro-centro.

"Constatou-se o que é olhos vistos. Tudo que entra no corredor atrapalha o ônibus. A gente só não sabia o quanto. E verificamos que 1% dos usuários de carro atrapalham 99% dos usuários do transporte coletivo", afirmou o secretário Jilmar Tatto no dia 17 de dezembro.

A prefeitura e o Ministério Público adiaram uma decisão definitiva sobre a presença dos táxis nos corredores para março. Foi quando o governo municipal anunciou que a proibição ocorreria apenas nos horários de pico.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Faixa exclusiva em 66 vias faz velocidade de ônibus crescer 68%

09/09/2014 - O Estado de SP / Portal R7


SÃO PAULO - Um levantamento divulgado nesta segunda-feira, 8, pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) mostra que aumentou 68,7% a velocidade média nos 59,3 km de faixas exclusivas de ônibus implantadas neste ano. A variação, segundo o órgão que gerencia o trânsito na capital, foi de 12,4 km/h para 20,8 km/h.

Ao todo, 66 trechos de faixas de ônibus foram inaugurados neste ano. A pesquisa comparou, por meio de cronômetros, dados de uma semana antes e de uma semana depois da instalação das faixas exclusivas, em cada via.

De acordo com a CET, o melhor resultado foi verificado na ativação da faixa da Ponte do Jaguaré, que funciona desde 31 de março. Ali, a melhora foi de 317,3% na velocidade média dos ônibus. Antes da faixa exclusiva, a velocidade média dos ônibus no trecho era de 10,8 km/h. Ela subiu para 44,9 km/h.

Outro trecho destacado pela CET é o percurso urbano da Rodovia Anchieta, na zona sul, onde a velocidade média dos coletivos cresceu de 9,9 km/h para 18,4 km/h, no sentido São Bernardo do Campo, no ABC. No sentido oposto, a variação foi menor, de 20,8 km/h para 25,4 km/h (variação de 22%).  Já na Avenida Lins de Vasconcelos, na Vila Mariana, na zona sul, onde alguns lojistas chegaram a fazer protestos contra a instalação do mecanismo, as faixas exclusivas melhoraram o desempenho dos ônibus em 140%. A velocidade média lá subiu de 12,1 km/h para 29,3 km/h.

Um trecho de 300 metros de faixa exclusiva implantado na Rua da Consolação, no centro, não registrou nenhuma variação, conforme os dados da CET. A velocidade média dos coletivos ali permaneceu em 10,4 km/h na semana depois da implantação.

Já nos 400 metros de novas faixas na Avenida Cidade Jardim, no sentido bairro, houve variação positiva de 15,3%. A velocidade média dos ônibus avançou de 10 km/h para 11,5 km/h.

Na Rua Voluntários da Pátria, na zona norte, antes da faixa exclusiva sentido centro, os ônibus trafegavam, em média, a 6,7 km/h. Com a faixa, a velocidade saltou para 24,9 km/h (uma variação de 269,4%). Na Rua Faustolo, na zona oeste, a variação foi de 50,7%, saltando de 14,5 km/h para 21,8 km/h.

Portal R7

Faixa exclusiva faz velocidade de ônibus aumentar 68,7%

Ao todo, 59,3 km de faixas de ônibus divididas em 66 trechos foram inaugurados neste ano

Um levantamento divulgado na segunda-feira (8), pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) mostra que aumentou 68,7% a velocidade média nos 59,3 km de faixas exclusivas de ônibus implantadas neste ano. A variação, segundo o órgão que gerencia o trânsito na capital, foi de 12,4 km/h para 20,8 km/h.

Ao todo, 66 trechos de faixas de ônibus foram inaugurados neste ano. A pesquisa comparou, por meio de cronômetros, dados de uma semana antes e de uma semana depois da instalação das faixas exclusivas, em cada via.

De acordo com a CET, o melhor resultado foi verificado na ativação da faixa da ponte do Jaguaré, que funciona desde 31 de março. Ali, a melhora foi de 317,3% na velocidade média dos ônibus. Antes da faixa exclusiva, a velocidade média dos ônibus no trecho era de 10,8 km/h. Ela subiu para 44,9 km/h.

Outro trecho destacado pela CET é o percurso urbano da rodovia Anchieta, na zona sul, onde a velocidade média dos coletivos cresceu de 9,9 km/h para 18,4 km/h, no sentido São Bernardo do Campo, no ABC. No sentido oposto, a variação foi menor, de 20,8 km/h para 25,4 km/h (variação de 22%). Já na avenida Lins de Vasconcelos, na Vila Mariana, na zona sul, onde alguns lojistas chegaram a fazer protestos contra a instalação do mecanismo, as faixas exclusivas melhoraram o desempenho dos ônibus em 140%. A velocidade média lá subiu de 12,1 km/h para 29,3 km/h.

Um trecho de 300 metros de faixa exclusiva implantado na rua da Consolação, no centro, não registrou nenhuma variação, conforme os dados da CET. A velocidade média dos coletivos ali permaneceu em 10,4 km/h na semana depois da implantação.

Já nos 400 metros de novas faixas na avenida Cidade Jardim, no sentido bairro, houve variação positiva de 15,3%. A velocidade média dos ônibus avançou de 10 km/h para 11,5 km/h.

Na rua Voluntários da Pátria, na zona norte, antes da faixa exclusiva sentido centro, os ônibus trafegavam, em média, a 6,7 km/h. Com a faixa, a velocidade saltou para 24,9 km/h (uma variação de 269,4%). Na rua Faustolo, na zona oeste, a variação foi de 50,7%, saltando de 14,5 km/h para 21,8 km/h.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Conforto levaria motorista para o transporte público

04/09/2014 - Gazeta do Povo


Linhas de ônibus com internet wi-fi e ar-condicionado, como as que começaram a rodar nesta semana na capital paulista, são mecanismos que podem atrair motoristas para o transporte público. É o que diz o canadense Todd Litman, especialista em mobilidade urbana, que participou ontem de um seminário sobre o desestímulo ao uso do automóvel. As informações são da Agência Brasil.

"As pessoas sentem uma sensação de dignidade quando sobem em um ônibus em São Paulo? Essa é a mudança mais importante que vocês podem alcançar: fazer com que [usar o transporte público] seja atraente para as pessoas", afirmou Litman, ao participar do encontro organizado pelo Instituto de Energia e Meio Ambiente (Iema).

Diretor do Instituto de Políticas de Transporte de Victoria, no Canadá, Litman também ressaltou que as cidades devem se preparar para estimular o uso da bicicleta e a prática de caminhadas.

"São Paulo tem vias melhores para os carros, tem faixa exclusiva para ônibus, mas as calçadas são terríveis para os pedestres. É horrível para quem está em uma cadeira de rodas. Falo sobre uma cidade em que todos possam se movimentar", disse ele. Para o especialista, os adeptos do transporte individual precisam ser convencidos também pelos aspectos da economia financeira e da redução de acidentes, bem como dos benefícios da prática de exercícios físicos.

Qualidade do ar

O presidente do Iema, André Ferreira, destacou, por sua vez, outros benefícios da adoção de meios de transporte limpos, como a diminuição das emissões de gases poluentes e a melhoria da qualidade do ar. "Ao falar em combustível fóssil no Brasil, é preciso focar necessariamente em transporte", disse Ferreira. Os dados apresentados por ele mostram que, dos quilômetros rodados hoje em transporte de passageiros, 96% dos deslocamentos ocorrem no transporte individual. "Os impactos disso ocorrem não só no congestionamento, mas há um conjunto de externalidades."

Como exemplo dos benefícios provocados pela adoção de mecanismos para melhorar a eficiência do transporte coletivo, Ferreira apresentou um estudo do Iema sobre a implantação de faixas exclusivas para ônibus na cidade de São Paulo. A análise de três corredores mostrou que houve, além da diminuição do tempo de viagem, redução do consumo de combustível e da emissão de gás carbônico. Em algumas linhas, houve queda de 14,3%. "A faixa é algo mais tímido do que um corredor expresso. É uma medida de baixo custo, que trouxe ganhos na redução de todos os gases poluentes", destacou.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Zona norte de SP ganha mais 1,5 km de faixas exclusivas de ônibus nesta segunda-feira

03/08/2014 - Portal R7

A partir desta segunda-feira (04), a avenida Raimundo Pereira de Magalhães, zona norte, terá mais 1,5 km de faixa exclusiva para ônibus no sentido bairro. A pista da direita será proibida para qualquer outro tipo de veículo de segunda a sexta feira, das 17 às 20 horas, no trecho entre as ruas Tollenare e Agostinho de Angola.

De acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), cerca de 120 mil pessoas utilizam diariamente o transporte coletivo que passa pela avenida Raimundo Pereira de

Alterações. O estacionamento na via também sofrerá alteração e o horário de restrição será o mesmo válido para a faixa exclusiva.

Fiscalização

Agentes de trânsito auxiliarão os motoristas durante um período de adaptação no trecho onde haverá a faixa exclusiva para ônibus. A partir do dia 18 de agosto, a fiscalização será intensificada. A orientação da CET é para que seja respeitado o horário de funcionamento desde o primeiro dia de operação.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), transitar na faixa exclusiva de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 53,20.