quarta-feira, 24 de abril de 2013

Diadema acaba com três linhas de ônibus gratuitas


24/04/2013 -Diário do Grande ABC - Santo André

A desativação de três linhas de ônibus circulares gratuitas prejudicou moradores da região Sul de Diadema, composta pelos bairros Eldorado, Inamar e Sapopema. As mudanças foram feitas há cerca de 15 dias e os trajetos foram incorporados a itinerários pagos, cuja tarifa é de R$ 3,20.

Segundo funcionários da concessionária Mobibrasil, operadora responsável pelo serviço, apenas a linha 03 permanece gratuita, mas também deve ser encerrada em breve. A linha 05, dizem os empregados, passou a ser cobrada, enquanto a 02 e a 04 foram substituídas pelo itinerário 09E (Sítio Joaninha/Eldorado).

Cerca de 900 pessoas utilizavam os trajetos diariamente, informam os motoristas da companhia. Grande parte dos passageiros era estudante das escolas municipais do entorno. Sem contar com a gratuidade, moradores da região têm de arcar com o prejuízo ou obter outros meios para se deslocar. As viagens gratuitas foram criadas no início dos anos 2000.

O serralheiro Luciano José de Barros, 36 anos, mora no Jardim Ivone e, agora, depende da solidariedade dos condutores dos coletivos. "Pegava a linha 02 para ir para casa. Agora, preciso pegar um dos ônibus pagos, mas não tenho dinheiro. Então, tenho que ficar pedindo carona aos motoristas", lamenta.

A operadora de máquinas Adriana Franciane, 49, teve de contratar perua escolar para levar e buscar a filha na escola. "Quando era gratuito, eu ia pegá-la. Agora, com o valor que gastaria, compensa mais pagar uma van."

A cuidadora de idosos Ana Maria de Araújo, 46, critica a falta de divulgação das mudanças. "Só fiquei sabendo quando cheguei no Terminal Eldorado e os funcionários me falaram."

No dia 11, a Prefeitura anunciou alterações em itinerários de ônibus, mas só citou mudanças de percurso nas linhas 38D e 39D, além da criação da já citada 09E. Não foram mencionadas quaisquer modificações nas linhas 02, 03, 04 e 05.

Apesar das informações de funcionários da companhia e de lideranças comunitárias do Eldorado, o secretário de Transportes, David Schmidt, garante que ainda mantém duas linhas gratuitas em funcionamento. "Das quatro, duas foram remodeladas para atender às necessidades da região. No entanto, vamos abrir discussões com os moradores para analisar a demanda resultante e estudar meios para suprir isso", garante o titular da Pasta. Ainda não há data para que sejam feitas eventuais adequações.

domingo, 21 de abril de 2013

CET implanta mais duas faixas só para ônibus na cidade


20/04/2013 - Folha de SP

A cidade de São Paulo terá mais faixas exclusivas de ônibus a partir desta segunda-feira. As vias serão implantadas pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) entre as zonas norte e leste. Uma das faixas, com 7,8 km de extensão, será implantada nas avenidas Mateo Bei e Rio das Pedras, em ambos os sentidos --entre a praça Felisberto Fernandes da Silva e a avenida João 23, próximo ao Terminal Vila Carrão.

A outra faixa, com 2,8 km, será na av. Engenheiro Caetano Álvares, nos dois sentidos, entre as ruas Domingos Torres e rua Zilda. As faixas funcionarão à direita, nos horários de pico da manhã (6h às 9h) e da tarde (17h às 20h), de segunda a sexta.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Haddad fará concessão dos terminais de ônibus de São Paulo


16/04/2013 - Valor Econômico

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo pretende conceder à iniciativa privada a operação dos 28 terminais de ônibus da cidade, afirmou nesta segunda-feira o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto. O projeto está sob análise da Secretaria Municipal de Negócios Jurídicos e deve ser enviado em breve à Câmara Municipal pelo prefeito Fernando Haddad (PT).

"Hoje gastamos R$ 140 milhões por ano com segurança, limpeza e manutenção dos terminais. A ideia é modernizar a estrutura e criar novos serviços para os usuários, com lojas, restaurantes, ou eventualmente até uma creche ou área de lazer”, disse Tatto ao participar de um debate no sindicato dos motoristas e cobradores de ônibus da cidade.

O secretário deu como exemplo as estações de metrô Tatuapé e Santa Cruz, que têm shoppings construídos dentro dos terminais. Cerca de 6 milhões de pessoas usam os ônibus da rede municipal por dia.

Segundo Tatto, o investimento privado também serviria para ampliar os terminais, que estão superlotados. "Os ônibus aumentaram muito de tamanho e os terminais feitos, inclusive na nossa gestão anterior, ficaram pequenos”, afirmou, em referência à administração da ex-prefeita Marta Suplicy (PT), de 2001 a 2004, da qual também foi secretário de Transportes.

O secretário disse que o modelo de concessão ainda está em estudo e dependerá da viabilidade econômica de cada terminal. "Pode ser uma outorga ou percentual do valor arrecadado pela administradora, mas tem que ver também se haverá interessados, cada terminal tem uma característica diferente”, disse.

Por enquanto, a concessão não será feita nos 13 novos terminais prometidos por Haddad até 2016. "Temos um cronograma já definido e a concessão poderia atrapalhar o andamento. Mas vamos testar o modelo nos terminais que já estão em operação e depois podemos ampliar para os novos”, afirmou.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

SP terá 4 trocas de pontos de ônibus por dia


15/04/2013 - O Estado de SP

A partir desta semana, quatro abrigos novos de ônibus vão ser troca dos por dia nacidade. Atualmente, cerca de 100 abrigos novos já foram instalados.

As estruturas, com espaço para propaganda publicitária estão sendo substituídos desde o dia 17 de fevereiro pela empresa privada Otima, vencedora de uma licitação que trocou a substituição dos abrigos antigos pela permissão de exploração comercial dos anúncios. Elas são as primeiras áreas de comercial ao ar livre desde que a Lei Cidade Limpa passou a valer, em 2007.

Desde que assumiu o serviço, a empresa já desmontou cerca de 500 abrigos antigos.Todos tinham problemas estruturais e 100 deles ofereciam risco aos passageiros de ônibus que esperavam o coletivo nesses pontos.

A Otima tem quatro modelos de abrigos. Para este ano, a previsão é substituir cerca de 1.800. A meta é que, nos próximos três anos, 6.500 estruturas sejam trocados e mil novos sejam instalados. Além disso, 14,7 mil totens (postes que indicam a existência de um ponto de ônibus) também vão ser instalados em toda a capital paulista.

Parte desses abrigos terá telas touchscreen com informações sobre as rotas dos coletivos. Mas a empresa garante que todos os pontos de ônibus de São Paulo terão indicados, de forma clara, quais são as linhas que passam em cada uma delas.

O investimento da Otima (um consórcio formado por Odebrecht Transport, Rádio e TV Bandeirantes, APMR Investimentos e Participações e Kalítera Engenharia) é de R$ 550 milhões e o contrato tem duração prevista de 25 anos.

A Otima diz que quatro empresas já a procuraram para comprar espaços publicitários – a maioria é de grupos que patrocina a Copa do Mundo, que também terá jogos na capital paulista. Em 30 de março, os primeiros anúncios, da Brahma, começaram a ser exibidos nos novos abrigos.

Avenida Paulista e marginais terão corredores de ônibus

13/04/2013 - O Estado de São Paulo

A Prefeitura tem plano para que a malha de corredores de ônibus da capital chegue a 400 quilômetros de vias. Na terça-feira (9), a administração municipal incluiu em seus planos um mapa que prevê corredores exclusivos na Avenida Paulista e em trechos das Marginais do Tietê e do Pinheiros.

Ainda não há prazo para que essas obras saiam do papel, mas não devem ser tocadas na atual gestão do prefeito Fernando Haddad (PT). Como ainda não existe projeto executivo (o plano final, que guia a obra durante sua execução), não há definição se a Paulista terá um corredor central ou se a proposta será simplesmente transformar as atuais faixas exclusivas - que já existem, à direita - em corredores.

Os corredores de ônibus que a cidade deve ganhar têm diferenças importantes, segundo a avaliação de técnicos, em relação às faixas e corredores existentes. Para começar, o pagamento da passagem vai ser feito na própria plataforma, que estará construída no mesmo nível dos degraus de embarque. Além disso, os corredores terão faixas para que um coletivo ultrapasse o outro. Tudo isso serve para aumentar a velocidade média dos ônibus.

A cidade passa ainda por um processo de troca dos pontos de ônibus, a cargo da empresa Otima. A presidente da empresa, Violeta Kertész Noya, disse que seu projeto - vencedor de uma licitação da gestão Kassab, que tem quatro modelos - não prevê esse tipo de ponto de embarque. Mas ela afirmou que podem ser feitas mudanças.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

domingo, 14 de abril de 2013

Novo Bilhete Único vai usar sistema biométrico em SP


14/04/2013 - Folha de SP

O Bilhete Único Mensal, promessa de campanha do prefeito Fernando Haddad (PT), usará a leitura de digitais para tentar evitar fraudes, de acordo com a Prefeitura de São Paulo.

O usuário pagará um valor que vai girar em torno de R$ 140 para usar quantos ônibus quiser num mês. O valor ainda depende do reajuste da tarifa, hoje em R$ 3, que deve ocorrer em junho.

No início do ano, o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, havia anunciado a introdução do sistema biométrico, o que ainda não tem data para ocorrer.

No último dia 2, sem dizer quando o sistema de digitais vai começar a funcionar, Jilmar Tatto afirmou ao anunciar o início do cadastramento para o Bilhete Único Mensal que o novo bilhete passará a valer em novembro e que já estará preparado para a leitura de digitais.

A prefeitura não soube detalhar, porém, quanto planeja gastar na implementação da leitura biométrica e se ela terá de ser feita por todos os usuários do Bilhete Único.

Além disso, o sistema precisa abrir exceções para quem tem uma digital falha por algum motivo específico.

Nesse caso, o que ocorre é a impossibilidade ou dificuldade de identificação de pessoas que sofreram perda das digitais por desgaste da pele.

O médico Vitor Manuel da Silva Reis, coordenador do departamento de doenças dermatológicas da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que o contato diário com materiais abrasivos produz um desgaste na ponta dos dedos que pode provocar a perda das digitais.

Reis diz que esse tipo de problema ocorre principalmente com pessoas que lavam muita louça no dia a dia e trabalhadores da construção civil que mexem com cimento, cal e ácido.

RECOMENDAÇÃO

Além disso, em alguns casos, a perda de digitais pode ocorrer devido a queimaduras nas pontas dos dedos.

A Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo recomenda que, em alguns casos de lesão permanente, pacientes atestem a ausência de digitais em consultório médico e registrem o documento na secretaria.

"Você fica sem conseguir diferenciar um indivíduo do outro só pelas digitais", diz o médico Silva Reis.

Bilhete único mensal valerá por 31 dias

12/04/2013 - O Estado de SP

Cartão terá um dia a mais de vantagem para quem comprá-lo do que havia sido anunciado anteriormente

Cartão terá um dia a mais de vantagem para quem comprá-lo do que havia sido anunciado anteriormente

Caio do Valle - O Estado de S. Paulo

O bilhete único mensal vai valer por 31 dias, um a mais do que o anunciado previamente pela Prefeitura de São Paulo. A informação consta do site da São Paulo Transporte (SPTrans) onde os interessados poderão se cadastrar no serviço a partir de segunda-feira, 15. Com isso, o cartão se tornará um pouco mais vantajoso. A página ainda não traz detalhes do preço.

De acordo com as informações disponibilizadas na internet, esse ganho, a cada primeiro dia de uso, só valerá durante o período que antecede a primeira utilização do bilhete no ônibus e a meia-noite. Ou seja, quanto mais cedo for usado nesse dia específico, mais horas o passageiro poderá desfrutar do benefício. O cartão só poderá ser usado nos ônibus a partir de novembro.

Outra novidade é que os passageiros poderão consultar o saldo de seu cartão, bem como ter acesso a uma planilha mostrando todas as suas utilizações. Isso deve facilitar o controle das viagens de cada pessoa.

Além disso, quem quiser poderá continuar carregando os créditos eletrônicos de acordo com as regras atuais. Segundo a Prefeitura, o bilhete único mensal "está preparado para armazenar o direito de viagem (tempo ou crédito) de vale-transporte, estudante e comum em um único cartão".

Para utilizar o bilhete único mensal, é preciso fazer um cadastro no site da SPTrans, enviando informações pessoais, como número do RG e do CPF, e uma foto 3x4 com um tamanho máximo de 30 kilobytes, em formato JPG. A imagem será estampada no cartão, personalizado.

No site, a SPTrans informa que a possibilidade de o Metrô e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) adotar o bilhete único mensal, uma das principais promessas do prefeito Fernando Haddad (PT), ainda "está em estudo" e que os governos municipal e estadual (este, controlado pelo tucano Geraldo Alckmin) "já estão em negociação visando a aceitação" do cartão nas estações de metrô e trem.

Ainda não está definido o valor do bilhete único mensal. Na campanha de Haddad e no início do ano, a Prefeitura havia informado que o serviço custaria R$ 140. Contudo, a tarifa dos ônibus, do Metrô e da CPTM deverão ser reajustadas em junho.

Os créditos poderão ser comprados pelo site da SPTrans, que também tem três lojas físicas, ou em postos autorizados.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

23 de Maio vai perder 20% do espaço de carros

10/04/2013 - O Estado de S.Paulo

A proposta dos novos corredores da cidade deve trazer à capital outra polêmica: a disputa por espaço. As vias que vão receber essas faixas exclusivas já são saturadas para carros. Mesmo com cinco faixas de circulação, a Avenida 23 de Maio, por exemplo, trava todo dia. Com essa proposta, a via deve perder cerca de 20% da capacidade para tráfego de carros, segundo especialistas consultados pelo Estado.

"A questão é quantas dessas pessoas vão migrar para os ônibus. Para calcular a capacidade da via, é preciso ver também quantos ônibus vão utilizar os corredores", afirmou Mário Angelo Nunes de Azevedo Filho, especialista em trânsito e professor da Universidade Federal do Ceará (UFC). A matemática é bem simples: um ônibus ocupa o espaço de três carros, mas transporta 40 pessoas.

Para o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, que já fez repetidas declarações de que a prioridade agora é o transporte público, o trânsito em São Paulo já está parado e a única solução possível é fazer as pessoas migrarem do automóvel para o ônibus. "O metrô, por exemplo, demora demais para ser feito", disse ontem, durante a apresentação do projeto das faixas exclusivas. "Por isso, a necessidade dos corredores, agora."

Qualidade. Para especialistas, essa migração depende de as faixas apresentarem níveis de qualidade que o transporte de ônibus de São Paulo ainda não tem. "Ele precisa ser igual ao metrô, no sentido de pontualidade, confiabilidade, segurança", disse o superintendente da Associação Nacional do Transporte Público, Luiz Carlos Mantovani Néspoli. "Não faz sentido a pessoa que faz o movimento pendular, de casa para o trabalho, ir de carro para o centro e parar na rua. Precisa ir de transporte público, mas a troca só será feita se houver qualidade", diz o professor de Engenharia de Transportes Mário Angelo Azevedo Filho. / B.R.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Ônibus da USP têm dobro de usuários que toda a cidade


08/04/2013 - O Estado de SP

Os ônibus que ligam a Estação Butantã do Metrô à Cidade Universitária, no mesmo bairro, na zona oeste da capital,estão entre os mais cheios da metrópole.Diariamente, cada veículo das Linhas 8012-10 e 8022-10 (Metrô Butantã-Cidade Universitária) transporta 1.458 e 1.361 passageiros, respectivamente. A lotação representa quase o dobro de usuários se comparada com a média de 800 passageiros por ônibus de toda a cidade, segundo dados da São Paulo Transporte (SPTrans).

As duas linhas, operadas por 18 ônibus, são tão lotadas que alguns veículos chegam a transportar diariamente até 1.700 passageiros – a maioria de estudantes da Universidade de São Paulo (USP). Tanto aperto provoca reações. Além da lotação, as filas e a demora entre um carro e outro são as principais queixas.

"Às vezes o ônibus não para, porque tem gente demais.Quando o outro passa, você vai socada”, diz a estudante Gabriela Talpo, de 22anos, do 4.º ano de Geografia. Ela tem problemas no horário de pico noturno, a partir das 22h30. Como alternativa, anda dez minutos até o ponto da Biologia, onde embarca no coletivo vazio. Às vezes, caminha 20 minutos até a estação. "O tempo que demora para passar um circular é o que se leva até o metrô.”

Aluno do 1.º ano de Jornalismo, William Nunes Luz, de 18 anos, também reclama da dificuldade para embarcar à noite. "É pouco circular para muita gente. Uma vez esperei passar três circulares lotados. Voltei para o ponto anterior para poder entrar e, mesmo assim, fui empacotado. É aterrorizante”, diz.

A extinção das 701U-10 (Jaçanã-Butantã) e 724A-10 (Aclimação-Cidade Universitária) e a alteração da Linha177P-10 (Santana-Butantã/USP), que agora faz ponto final no metrô, intensificam as reclamações. Além disso, as Linhas 107P-10 (Mandaqui-Pinheiros) e 107T-10 Tucuruvi-Butantã) foram unificadas na 107T-10 (Metrô Tucuruvi-Pinheiros), que também passou a ir até o metrô.

"As linhas iam para a zona norte, mas também davam acesso aos eixos das Avenidas Paulista e Doutor Arnaldo”, diz Thales Carpi, diretor do Diretório Central dos Estudantes (DCE). A percepção é de que sobraram poucas alternativas ao Terminal Butantã, saturando ainda mais os ônibus que servem à USP.

O DCE cobra melhorias da USP. A prefeitura do câmpus argumenta que, embora comunique as reclamações à SPTrans, as linhas "têm sua  programação própria sem qualquer ingerência da USP”. Um documento foi encaminhado à prefeitura do câmpus e à empresa, em dezembro do ano passado, com 5 mil assinaturas, contra as mudanças. A SPTrans informou que fará um estudo sobre o problema e que não descarta aumentar o número de carros nas linhas.

Soluções

Diante do número de passageiros, o consultor de trânsito Horácio Augusto Figueira apresenta sugestões. "Tem de aumentar o número de carros ou colocar um articulado no pico.” A empresa informou que a demanda cresceu entre 20% e 25% no começo deste ano. A superlotação seria explicada pelo aumento sazonal do número de estudantes. A expectativa é de que o número caia a partir deste mês, quando há desistências. Além do bilhete único, as duas linhas aceitam o bilhete USP, de uso gratuito dos estudantes. Como o Busp, a circulação de ônibus no campus em dias úteis foi de 48 para 50 por hora nos picos.

No aperto

31 mil

passageiros são transportados diariamente pelos 18 ônibus das Linhas 8012-10 e 8022-10 (Metrô Butantã-Cidade Universitária)

Aplicativos mostram em tempo real onde está seu ônibus em São Paulo


08/04/2013 - UOL

Leia também: Ônibus da USP têm dobro de usuários que toda a cidade

Aplicativos para smartphone podem acabar com o mistério dos pontos de ônibus, mostrando se o veículo está próximo e quanto tempo levará para chegar. Vários programas gratuitos utilizam a internet para municiar os usuários com dados sobre localização aproximada dos veículos, traçar rotas e até avaliar a qualidade do transporte público. Veja os testes de algumas opções disponíveis para São Paulo e também um álbum com diversas alternativas disponíveis no Brasil.

Urbanoide

Traz informações (fornecidas por SPTrans, Metrô e CET) sobre as condições dos transporte público no momento, na cidade de São Paulo. Com ele, é possível saber se ônibus está próximo do seu ponto, com a exibição em um mapa (atualizado a cada 1min30s) do itinerário. Inclui dados sobre a situação do trânsito na cidade.

No teste feito pelo UOL Tecnologia, o ônibus exibido no aplicativo apareceu no ponto pouco tempo depois do anunciado. Também é possível saber a extensão do trajeto, os horários dos ônibus nos dias úteis e finais de semana e se um veículo foi adaptado (com acesso para pessoas com necessidades especiais).


Sua interface carece, em algumas páginas, de uma melhor adaptação para smartphones – isso em alguns casos, há dificuldade para leitura e navegação.

Grátis para iPhone

Onde está o meu ônibus?

Se você já ficou parado no ponto durante um tempão fazendo justamente essa pergunta, o Onde Está Meu Ônibus? pode ajudá-lo. É só fazer uma busca pela linha (Pinheiros, por exemplo) e selecionar o ônibus que você costuma pegar.

Ele mostra no mapa o trajeto e a localização aproximada do veículo naquele momento. Permite regular a atualização entre dez segundo a cinco minutos.

Também é possível saber se o veículo está adaptado para o uso de cadeirantes, informação confirmada no teste feito pelo UOL Tecnologia, com a chegada do veículo ao ponto. Para facilitar o acesso em futuras buscas, o usuário pode marcar uma linha como favorita.

Grátis para iPhone

Moovit

Classificado por seus desenvolvedores como um "aplicativo de navegação social para transporte público", o Moovit cria uma comunidade de usuários que compartilham informações durante suas viagens. Ele aponta rotas e linhas de ônibus, trem e metrô.

Logo que você baixa o aplicativo, ele identifica a sua localização e a exibe em um mapa. O usuário escolhe a origem e o destino, e o programa mostra o percurso, o tempo de duração e quanto andará a pé. Algumas informações são meio truncadas: frases como "vire noroeste na rua avenida Paulista".

Durante o trajeto, é possível fazer um relatório, informando questões como atraso, lotação, limpeza e até classificar a educação e a prudência do motorista, dados compartilhados com outros usuários.

No Brasil, além de São Paulo, também está disponível para o Rio de Janeiro. Ele funciona em países como Estados Unidos, Canadá, Itália e Espanha.

Grátis para iPhone e Android

OnibusSP Free Edition

Permite pesquisar linhas de transporte público por número ou nome, exibindo os itinerários em um mapa. O aplicativo mostra a localização atual do usuário e a área aproximada dos veículos que fazem a linha, facilitando a programação para quem quer pegar um ônibus.

Porém, não espere acompanhar em tempo real na tela do smartphone o movimento de sua condução. Para visualizar a atualização com frequência, só tocando várias vezes no ícone da seta.

Tem integração com as contas de Twitter da SPTrans, Sul América, Trânsito SP, Metrô e CPTM, com informações sobre as linhas e sobre as condições de trânsito na cidade. Exibe a situação dos ramais de Metrô e traz um mapa (bem difícil de visualizar) com as estações e suas conexões.

Grátis para iPhone e Android

quinta-feira, 4 de abril de 2013

British Airways passa a ter voo diário entre Rio e Londres

03/04/2013 - Panrotas

Com o acréscimo de um novo voo, a British Airways passa a operar diariamente entre o Rio de Janeiro e Londres. "O Brasil tem demonstrado um grande potencial de negócios para a British Airways, o que deverá ser mantido em função da conjuntura econômica positiva aliada aos próximos eventos que acontecerão na cidade do Rio de Janeiro, principalmente os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo", explica o responsável pela área comercial da companhia no Brasil, José Antonio Coimbra.

O voo parte às 22h50 do Rio e chega às 14h do dia seguinte no aeroporto de Heathrow. No sentido inverso, parte de Londres às 13h15 e chega na capital fluminense às 20h05 do mesmo dia. As operações são realizadas com Boeing 777-200, que possui as classes World Traveller (econonômica), World Traveller Plus (conforto) e Club World (executiva).

Savia Reis

Ministério das Cidades dá sinal verde a BRT de Campinas

03/04/2013 - Embarq

Maria Fernanda Cavalcanti

Ônibus articulados já circulam em algumas regiões, mas sem os corredores exclusivos. (Foto: EMDEC)

Em março, a prefeitura de Campinas recebeu a autorização do Ministério das Cidades para abrir o edital de licitação de obras do BRT (Bus Rapid Transit) – sistema de transporte coletivo que vai beneficiar 300 mil moradores das regiões do Campo Grande e Ouro Verde. O anúncio do Ministério foi feito pessoalmente ao prefeito Jonas Donizette pelo secretário nacional de Transportes e Mobilidade Urbana, Júlio Eduardo dos Santos.

"O processo de licitação deve começar o mais breve possível", disse o prefeito. Os recursos para a implantação do BRT, de R$ 338 milhões, são do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 Mobilidade Urbana, sendo que R$ 197 milhões vem por meio de financiamento, com mais R$ 97 milhões de fundo perdido e contrapartida da prefeitura de R$ 44 milhões.

O projeto do BRT prevê estações de transferência e infraestrutura adequada; veículos articulados ou biarticulados; corredores exclusivos com espaços para ultrapassagens; embarque / desembarque pela esquerda (junto ao canteiro central das avenidas); embarque em nível; pagamento desembarcado; sistema mais seguro, rápido, eficiente e confiável.

Na região do Ouro Verde são 14,4km de extensão, saindo do Terminal Central (Viaduto Miguel Vicente Cury), seguindo pela João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim e Terminal Vida Nova. No Campo Grande, o BRT terá 17,8km de extensão, saindo do Terminal Multimodal Ramos de Azevedo, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, John Boyd Dunlop e chegando ao Terminal Itajaí.

Saiba mais sobre os sistemas BRT e corredores de ônibus no mundo.

Super Articulado é testado nos corredores de ônibus do ABD

02/04/2013 - Casa da Notícia

A Metra, empresa que opera o Corredor Metropolitano de Ônibus ABD, está testando um novo ônibus para a operação em seus corredores. O Millenium BRT Super Articulado MBB circula nos 42 quilômetros de vias operadas pela Metra entre os municípios de São Bernardo do Campo, Diadema, Santo André, além das zonas leste (São Mateus) e sul da cidade de São Paulo (Berrini e Jabaquara). Por enquanto, o teste está sendo efetuado no trajeto entre Ferrazópolis e Jabaquara.


O Millenium BRT Super Articulado 0-500 UDA 3836 tem 23 metros de comprimento, cinco a mais que os tradicionais veículos articulados do mercado. Para o usuário, as vantagens do novo ônibus estão na alta capacidade de transporte de passageiros: 159 pessoas (57 sentados e 102 em pé), maior conforto para circulação, graças a boa largura do veículo e do salão interno, além de anteparos, balaústres e corrimãos em tubos de aço encapsulados em PVC desenvolvido pela encarroçadora Caio. Janelas mais amplas, dutos embutidos e outros diferenciais melhoraram o espaço interno do veículo. Com ar condicionado, bom revestimento acústico e suspensão pneumática, o ônibus resulta em uma operação mais segura e confortável durante as viagens feitas ao longo do corredor ABD operado pela Metra.

Na parte mecânica, o Millenium BRT é feito sobre chassi Volvo e tem propulsor diesel OM 457 LA que já atende ao Proconve 7 (Programa Nacional de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores), baseado nos padrões de emissão Euro V. Equipado com câmbio automático, o carro tem sistema de freio antiblocante (ABS), itinerário eletrônico e iluminação LED mais eficiente.

Os testes com o novo veículo fazem parte de um programa de renovação de frota da Metra, que inclui ainda a aquisição de 20 novos trólebus fabricados pela Eletra, os quais começam a circular no corredor ABD ainda no primeiro semestre de 2013. A Metra tem uma frota de 280 veículos entre elétricos, híbridos e equipados com motor diesel.

Informações: Casa da Notícia

BRT colombiano será modelo de transporte em Jundiaí

01/04/2013 - Rede Bom Dia

O prefeito Pedro Bigardi (PCdoB) embarca para a Colômbia com objetivo de conhecer o modelo de transporte público do país sul-americano que já transformou em realidade o BRT (Bus Rapid Transit, ou ônibus rápido). A viagem terá duração de quatro dias e a intenção é adequar o projeto de Jundiaí de acordo com o que funciona bem no país vizinho.


O prefeito e sua comitiva, composta pelos secretários de transporte, Dinei Pasqualini, e de Comunicação Social, Cristiano Guimarães, além do chefe de gabinete Wagner Soares, irão visitar Bogotá e Cali.
"Bogotá possui quase o mesmo tamanho territorial de Jundiaí e conta com uma população de cerca de 7 milhões de pessoas. O BRT de lá atende 70% dos habitantes da cidade", afirma o prefeito.

Segundo ele, o projeto foi implantado na capital colombiana após a análise do BRT de Curitiba, no Paraná, considerado referência mundial nesse tipo de transporte.

"Mas a Colômbia conseguiu melhorar o sistema com maior rapidez e comodidade aos usuários". E esse é o objetivo por aqui, já que o governo de Bigardi fará adequações ao traçado apresentado pela gestão anterior, do PSDB. Após conhecer e avaliar o funcionamento do ônibus rápido na Colômbia, Bigardi visa apresentar um novo projeto para Jundiaí num prazo de 60 dias.

"Acredito que nesse período poderemos apresentar uma proposta consistente e moderna junto ao Governo Federal para que Jundiaí ganhe seu BRT", enfatiza.

Aprovado / O Governo Federal já anunciou R$ 106 milhões do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento - Fase Dois) para Jundiaí criar seu BRT. A contraproposta da prefeitura é de R$ 13,9 milhões.

O traçado mandado pelo governo de Miguel Haddad previa três linhas de BRT, todas ligando o Centro ao Cecap (Corredor Noroeste), Colônia (Leste) e Eloy Chaves (Oeste). Bigardi não entrou em detalhes, mas tem a intenção de ligar os núcleos de moradias de classes mais pobres ao Centro e região do Distrito Industrial.

Intenção é copiar modelo com inclusão de ciclovia
O prefeito Pedro Bigardi ressaltou que Bogotá também se destaca pelas ciclovias existentes. "O projeto executado em Bogotá é igual ao de Curitiba, mas que avançou muito nos últimos anos pelas melhorias realizadas, inclusive no uso da bicicleta como alternativa. Este é o motivo de nossa ida até lá: estudar isso, conhecer e implantar em Jundiaí."

Em Bogotá, a rede integrada conta com 420 quilômetros de ciclovias estruturadas com estacionamento de bicicleta. Com relação ao transporte público, foram implantados corredores exclusivos para ônibus; calçadas acessíveis e soerguidas; rebaixamentos padronizados e passarelas.

O sistema como um todo conta com 84 quilômetros de corredores exclusivos e 633 quilômetros alimentadores cobertos por 1.290 ônibus articulados, 518 alimentadores e 114 estações localizadas em nove zonas urbanas.

Em Cali funciona o MIO (Massivo Integrado do Ocidente), baseado no BRT de Bogotá. O sistema entrou em operação em março de 2009 e mobiliza um milhão de pessoas por dia. A estrutura conta com cabines suspensas para integrar a zona de ladeira, que é de difícil acesso, inclusive para os ônibus menores, por conta das condições geográficas e a infraestrutura das vias. A ideia em Cali é observar as adaptações feitas em terrenos com aclives.

Proposta
O BRT se destaca por ser um sistema em que os ônibus trafegam por corredores exclusivos e que contam com mini-terminais de passageiros. A ideia da Prefeitura de Jundiaí é ligar as principais regiões da cidade com o comércio e o setor industrial, facilitando o acesso da população e tornando o transporte coletivo mais rápido e atrativo.

Por Aline Pagnan | Informações: Rede Bom Dia

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Começa a zona livre de carros no Largo 13

01/04/2013 - Diário de SP

Implementada no feriado de Sexta-Feira da Paixão, a primeira zona livre de carros de São Paulo no Largo 13 de Maio, em Santo Amaro, na Zona Sul, encara nesta segunda o seu primeiro dia útil. A restrição vale de segunda a sábado nos horários de pico, em algumas ruas no entorno do Largo 13. Somente ônibus, táxis e motos poderão transitar pelas vias. De acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), o objetivo é melhorar o desempenho do transporte público.

Pela manhã, entre 5h e 10h, os carros ficam proibidos de trafegar por trechos da Alameda Santo Amaro, Rua Paulo Eiró, Avenida Padre José Maria e Avenida Adolfo Pinheiro (ver mapa). À tarde, entre 16h e 20h, a interdição para automóveis é na Rua Barão do Rio Branco, entre as Avenidas Mário Lopes Leão e Padre José Maria. No local, as placas já indicam os caminhos alternativos.

A mudança divide a opiniões. O comerciante Raimundo Rodrigues, de 59 anos, tem um escritório na Alameda Santo Amaro e precisará mudar a sua rota. "Os carros não atrapalham. Essa via é de fluxo rápido, não fica parada", argumenta.

Já o comerciante Cláudio Paulo de Oliveira, de 42 anos, chega ao comércio no Largo 13 por volta das 5h, quando a restrição já está vigorando, mas não reclama. "Terei de fazer outro caminho, mas de fato esses carros atrapalham muito."

Apesar de ter carro, o professor Cleber Luiz Ribeiro, de 50 anos, prefere usar o ônibus de segunda a sábado, por causa do tráfego intenso. "O que estão fazendo é para o bem. Mas é preciso melhorar a qualidade do transporte público."

Motorista de uma lotação Fátima Hummes, de 43 anos, diz que para cruzar a Rua Barão do Rio Branco chega a levar 40 minutos. "Isso piora no horário de saída de escola. Espero que essa medida resolva um pouco."