sexta-feira, 28 de novembro de 2014

São José suspende licitação do BRT por tempo indeterminado

28/11/2014 - O Vale - São José dos Campos

Cinco dias antes do prazo para a entrega de propostas, previsto para o dia 3 de dezembro, o governo Carlinhos Almeida (PT) prorrogou por prazo indeterminado a licitação do BRT (Transporte Rápido por Ônibus), o seu principal plano para melhorar o transporte público de São José dos Campos.

O secretário de Transportes, Luiz Marcelo Silva Santos, disse ontem que a suspensão do processo licitatório foi motivada por questionamentos técnicos feitos ao projeto por empresas que retiraram o edital.

Segundo ele, um dos questionamentos recebidos pela prefeitura foi com relação aos riscos da matriz do empreendimento no tocante à execução da obra.

Luiz Marcelo não detalhou o assunto. Informou que o governo preferiu prorrogar a licitação para responder os questionamentos e que mais de dez empresas retiraram o edital.

É preferível adiar a licitação agora para responder as questões técnicas para evitar questionamentos jurídicos no futuro, que poderiam até cancelar a licitação, afirmou o secretário.

Otimista, ele disse acreditar que em dez dias os técnicos da secretaria irão responder as dúvidas e o edital poderá ser relançado.

A previsão é que ele seja publicado novamente ainda este ano, frisou.

Verba. A licitação do BRT é na modalidade RDC (Regime Diferenciado de Contratação), que tem regras próprias, diferentes da Lei das Licitações, a 8.666/1993.

O RDC foi criado pelo governo federal para acelerar as obras da Copa do Mundo, ocorrida em junho, mas também pode ser aplicado às obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

O BRT de São José é uma das obras do PAC Mobilidade de Médias Cidades, do governo federal, que liberou R$ 800 milhões para a implantação desse sistema de transporte.

A licitação estava orçada em R$ 779 milhões e previa a elaboração dos projetos básico e executivo e realização das obras do BRT.

É a primeira vez que o município faz uma licitação nessa modalidade. Já esperávamos que isso poderia acontecer, declarou Marcelo.

Atraso. Mesmo assim, o secretário admitiu que haverá atraso no cronograma do projeto do BRT. Haverá atraso, que poderá ser recuperado quando da execução do projeto.

A previsão inicial do governo é que as obras seriam iniciadas em 2015 e parte do sistema começaria a ser operado no ano seguinte.

O BRT é um sistema em que os ônibus trafegam em canaletas segregadas do sistema viário, com estações que permitem a cobrança antes do embarque, para aumentar velocidade operacional.

Para 2015 está prevista uma verba de R$ 210 milhões para o início da obra.



domingo, 23 de novembro de 2014

São Paulo tem 30 Pontos de Ônibus com Wi-Fi Grátis

23/11/2014 - Via Trólebus

Em comemoração de aniversário de 1 ano da Amazon Appstore, a empresa em parceria com a prefeitura de São Paulo esta oferecendo conexão Wi-Fi gratuita em 30 pontos de ônibus na cidade. A empresa divulgou a ação em seu site. Confira os pontos:

Alto de Pinheiros
Av. Profº Fonseca Rodrigues, 1969 Portão 2 – Parque Vila Lobos

Barra Funda
Av. Marquês de São Vicente, 2800 X PC PEDRO CORAZZA – Em frente à UNIP

Av. Auro Soares M. Andrade, 967 – Faculdade Uninove (P) – Terminal Barra Funda

Av. Pacaembu, 967

Bela Vista
Av. Paulista, 1912 – Bob's Burguer

Campo Belo
Av. Washington Luiz, 6973 X Rua Felix D. Souza (P) – Em frente ao Aeroporto

Consolação
Av. Drº Arnaldo, 440

Av. Angélica, 1905 X Rua Pará – Em frente à Escola Panamericana de Artes

Itaim Bibi
Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 356

Av. Nove de Julho, 5229 X Rua Renato Paes de Barros

Av. Pres. Juscelino Kubitscheck X Av. Santo Amaro – Sentido Marginal

Av. Santo Amaro X Av. Antônio Joaquim M. Andrade – Sentido Centro

Av. Hélio Pellegrino, 1241 – Açaí Bar

Liberdade
Av. 23 de Maio X Viaduto Paraíso

Moema
Av. Pedro Álvares Cabral – Antigo DETRAN

Av. Ibirapuera X Largo Mestre de Aviz

Paraíso
Rua Vergueiro, 1505 – Metrô Paraíso

Pinheiros
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1795

Av. Pedroso de Morais, 1594 X Rua Ferreira de Araújo

Perdizes
Av. Pompéia, 924 X Rua Cel. Melo de Oliveira

Av. Sumaré, 840 X Rua Caetes

Rua Heitor Penteado, 1230 – Em frente ao Metrô Vila Madalena

República
Praça da República, 365 X Av. Vieira de Carvalho

Rua Cel. Xavier de Toledo – Em frente ao Teatro Municipal

Saúde
Av. José Maria Whitaker, 290 – Próximo à UNIP

Av. Jabaquara, 2443 X Metrô São Judas

Santo Amaro
Av. Adolfo Pinheiro, 318 – Metrô Adolfo Pinheiro – Plataforma-A

Vila Formosa
Av. Regente Feijó, 1295 – Faculdade UNICSUL

Vila Leopoldina
Av. Imperatriz Leopoldina, 550 – Faculdade UMC

Vila Mariana
Av. 23 de Maio X Praça Toronto – Rua Estela – Sentido Centro

Informações: Viatrolebus

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

1/4 dos cadastrados não usa bilhete único mensal

21/11/2014 - O Estado de SP

O Bilhete Único Mensal completa um ano com 914.086 pessoas cadastradas, mas 226.506 bilhetes permanecem inativos - 24,7% do total. A meta inicial de passageiros prevista pela Prefeitura de São Paulo e pelo governo do Estado, que era de 861,7 mil (6% menor) foi superada, conforme dados da São Paulo Transporte (SPTrans).

Na média, segundo a SPTrans, cada passageiro que usa bilhete mensal faz 99 viagens por mês, mais do que um trabalhador comum, que faz cerca de 46. Até hoje, 26,1 milhões de viagens foram pagas com bilhetes únicos mensais.


Lançado em 30 de novembro de 2013, o serviço mensal agradou sobretudo aos estudantes (63% dos usuários de cartões temporais). Entretanto, a necessidade do pagamento antecipado, entre R$ 140 e R$ 230, pode ainda afastar alguns interessados, na avaliação do superintendente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), Luiz Carlos Mantovani Néspoli. "Para quem ganha o salário médio de São Paulo, em torno de 2 salários mínimos, corresponde a uma antecipação de 10% a 15% da renda", analisa o especialista. "Significa que a pessoa está congelando parte considerável da renda, na expectativa de que vai de fato usar o cartão em outros horários, como fins de semana e à noite. Mas essa expectativa pode não ser muito confiável."

A impossibilidade de usar o saldo do cartão, como ocorre com um bilhete único comum, também afastaria interessados em potencial. Eles estariam, segundo o especialista, representados no montante de mais de 200 mil cadastrados na modalidade temporal que ainda não começaram a usar os cartões.

"No comum, não existe prazo, então, o dinheiro que você creditou pode ser usado a qualquer tempo. No temporal, você tem de usar no prazo contratado. Então, imagine que você faça 22 viagens no mês ou uma pessoa que vai e volta do trabalho, apenas. Você gastaria R$ 132 e sobraria um pouco. Se usar menos ainda, também perde", afirma Néspoli.

No entanto, ele vê uma grande utilidade social no cartão temporal, que existe há anos em várias grandes metrópoles do mundo. "Aumenta a ideia de mobilidade. Quem quer fazer mais alguma coisa, além de trabalhar ou estudar, como sair aos sábados, ir visitar amigos, ir ao cinema, fica menos dependente da cota fixa."

Justamente por isso, quando o Bilhete Único Mensal foi lançado, os governos municipal e estadual apelaram para que empresas passassem a utilizá-lo em vez do Vale-transporte (VT) - o que não vem acontecendo, segundo a SPTrans. A empresa onde trabalha o designer Richard Batista, de 29 anos, por exemplo, não adotou a sugestão. "Pego metrô e ônibus, mas continuo com VT. Gasto menos de R$ 230 por mês, só que não tenho margem para sair nos fins de semana ou à noite."

Futuro. Em nota, a SPTrans informou que "o ritmo de adesão (aos cartões temporais) depende da avaliação de cada passageiro" e "a expectativa é que o usuário compre produtos tradicionais em um momento e em outro opte pelo bilhete mensal, semanal, ou 24 horas, de acordo com a ocasião".

63% dos usuários do Bilhete Único são estudantes

Alunos matriculados em escolas ou universidades ganham descontos em todas as tarifas

As estatísticas da SPTrans revelam que a maioria dos usuários dos cartões temporais do Bilhete Único é de estudantes. São 578.406 pessoas, ou 63,2% do total. Os alunos matriculados em escolas ou universidades ganham descontos em todas as tarifas. Quando não há integração entre os sistemas de ônibus e metrô e trem, a tarifa sai por metade do preço integral. Nas outras situações, sai por cerca de 60% do valor original.

O universitário Bruno Cândido Ribeiro, de 18 anos, mora e estuda em Itaquera, na zona leste, e tem estágio na zona norte. Faz entre cinco e seis viagens de ônibus por dia, todas pagas com o bilhete único mensal. "O preço está bem justo, porque se você vai a cidades do interior paga por viagem R$ 2,90 e sem possibilidade de integração."

Ele pede, no entanto, mais conforto nos transportes de São Paulo. "Cortaram muitas linhas aqui do bairro até o centro no ano passado. Antes tínhamos três e agora só uma linha, que sai lotada." Para Ribeiro, as maiores beneficiadas pelo serviço são as empresas de ônibus, que precisam operar menos linhas, mas com o mesmo número de passageiros.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Em São Paulo, todas as paradas de ônibus terão informações, diz prefeito

12/11/2014 - Prefeitura de SP

Demorou, mas uma lei municipal assinada hoje (12) pelo prefeito Haddad prevê a afixação de adesivos nas paradas com diversas informações sobre os coletivos

Em São Paulo, todas as paradas de ônibus terão inf
Parada de ônibus na Paulista: informação obrigatória
créditos: Reprodução
 
Todos os cerca de 19 mil pontos de parada para ônibus de São Paulo ganharão um painel de apoio ao usuário, contendo informações como o nome, o número e o destino das linhas que passam por eles. A expectativa, segundo a prefeitura da cidade, é que os adesivos comecem a ser instalados no início do próximo ano pela concessionária Ótima, que responde pela instalação e manutenção dos pontos. 

Além das informações sobre o itinerário, os painéis terão de informar a categoria das linhas e identificar as diferenciadas, como noturnas e circulares. A melhoria está prevista na Lei 15.962 de janeiro deste ano, regulamentada nesta quarta-feira (12) pelo prefeito Fernando Haddad, por meio do Decreto 55.673. 

Nos pontos finais será obrigatório ainda informar os dias de operação das linhas, o horário programado para as primeiras e últimas partidas, além da frequência média dos ônibus. Nesses locais, também será obrigatória a implementação de um sistema que permita a consulta do resumo operacional de cada linha por meio de equipamento eletrônico, como um QR Code ou código de barras. Para utilizar este sistema é necessário que o usuário tenha em seu celular um aplicativo que decifre o código. 
 
O contrato entre a Prefeitura de São Paulo e a concessionária Ótima, assinado em 2012, prevê que até o fim de 2015, deverão ser instalados 6.500 novos abrigos de ônibus, além da troca de 12,5 mil totens. Até o fim de outubro, tinham sido instalados cerca de 3.900 novos abrigos. A empresa tem a concessão do mobiliário urbano por um período de 25 anos.

Haddad regulamenta lei que prevê informação em pontos de ônibus

13/11/2014 - O Estado de SP

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) regulamentou a lei municipal que institui a afixação, nos pontos e abrigos de ônibus, de adesivos contendo dados sobre as linhas que atendem esses locais. A publicação do decreto, que passa a valer imediatamente, saiu no Diário Oficial da Cidade desta quarta-feira, 12. Entre outras informações, esses dispositivos, quando nos terminais, deverão mostrar o intervalo máximo de espera para os passageiros.

A lei havia sido assinada em 10 de janeiro deste ano, mas ainda faltava ao Executivo regulamentá-la. A legislação prevê três tipos de pontos de parada de ônibus.

O primeiro, chamado de "ponto de controle das linhas", fica nos terminais de partida e chegada dos coletivos. Neles, é preciso constar os dias de operação das linhas, bem como o horário programado de saída das primeiras e das últimas partidas, conforme o dia da semana, os intervalos das linhas e a presença de um sistema, como os códigos de barras ou QR, que permita a consulta, por meio de celular ou computador, à operação em tempo real daquela linha -- através do programa "Olho Vivo", da São Paulo Transporte (SPTrans).

Já os denominados "pontos de passagem", ou seja, aqueles que "se localizam em toda a extensão da linha, podendo ser simples ou desmembrado, com ou sem abrigo", precisarão oferecer aos passageiros a informação sobre os dias de operação dos ramais que os atendem.

Por fim, a Prefeitura identifica os "pontos de passagem em corredores" e determina que todos eles "necessariamente serão providos de abrigo".

Em todos os três modelos, o usuário do sistema de ônibus encontrará a lista de linhas que passam por ali (com seu nome, número e destino) e a identificação do itinerário de linhas diferenciadas, "como circular ou noturna, e daquelas que se integram a modais metroviários e ferroviários".

Atualmente, parte dos pontos de paradas de ônibus da cidade já conta com esses adesivos, mas muitos ainda não têm. De acordo com a SPTrans, gerenciadora da rede de ônibus municipal, a capital paulista possui cerca de 19 mil pontos de parada.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Ônibus elétricos chineses começam a transportar passageiros em janeiro na Capital Paulista

10/11/2014 - CBN / Blog Ponto de Ônibus

Adamo Bazani

De acordo com a SPTrans, resultados dos testes apenas com galões simulando peso foram satisfatórios. Dois ônibus já estão sendo preparados

Veículos da BYD estão em teste
Veículos da BYD estão em teste em SP
créditos: Adamo Bazani
 
A partir de janeiro de 2015, passageiros do transporte municipal de São Paulo vão ser atendidos por dois ônibus elétricos que dependem apenas de bateria para se movimentar.
 
A confirmação foi feita na última quinta-feira, dia 06 de novembro de 2014, pelo superintendente de engenharia veicular da SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora dos serviços municipais, João Carlos Fagundes ao âncora da rádio CBN, Thiago Barbosa, durante o CBN São Paulo, produzido pela jornalista Gabriela Gonçalves.
 
Os ônibus são da empresa chinesa BYD – Build Your Dream Company Limited, que deve começar a produção de veículos deste tipo numa planta industrial que é construída em Campinas, no Interior de São Paulo. Para a primeira fase de produção, a BYD anunciou investimentos de R$ 250 milhões. Inicialmente devem ser produzidos de 500 a 1000 ônibus por ano, além das baterias, até que a unidade alcance a capacidade pela de 4 mil ônibus por ano.
 
Os dois ônibus já recebem nova configuração interna, que atende ao padrão da SPTrans e às normas brasileiras de acessibilidade. Também já são providenciados os documentos destes veículos.
 
A principal vantagem dos ônibus elétricos é que eles não emitem nenhum poluente durante a operação e o nível de ruído é muito baixo em comparação com os ônibus convencionais a diesel de semelhante padrão de tamanho e com motorização traseira.
 
O técnico disse a Thiago Barbosa que a julgar pelos testes já realizados a cidade de São Paulo, a operação com este tipo de ônibus "vale a pena". No entanto, a adição do modelo chinês vai depender dos testes com passageiros e da produção em maior escala, o que poderá tornar o ônibus mais barato. Hoje o veículo elétrico pode ter preço três vezes maior que de um ônibus diesel.
 
Confira a entrevista na íntegra neste link:
http://cbn.globoradio.globo.com/programas/cbn-sao-paulo/2014/11/06/SAO-PAULO-FARA-TESTES-PRATICOS-COM-ONIBUS-ELETRICOS-EM-JANEIRO.htm
 
Texto: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes
Entrevista: Thiago Barbosa, âncora da Rádio CBN
Produção: Gabriela Gonçalves, jornalista da Rádio CBN e produtora do CBN São Paulo.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Prefeitura de Sorocaba apresenta edital de licitação para o BRT

05/11/2014 - G1

A Prefeitura de Sorocaba (SP) apresentou na manhã desta terça-feira (4) o edital de licitação para as empresas interessadas no sistema de transporte público feito por ônibus em corredores exclusivos, conhecido como BRT (bus rapid transit, transporte rápido de ônibus na sigla em inglês).

Durante a apresentação do projeto técnico, os empresários fizeram questionamentos e também deram sugestões. De acordo com o secretário da Fazenda de Sorocaba, Aurílio Caiado, o edital ficará disponível para consulta pública, por 30 dias. "É uma minuta de edital que a prefeitura disponibiliza para que todas as pessoas interessadas poderem consultar e sugerir", explica.

Dessa forma, a partir do dia 3 de dezembro, a prefeitura recolhe as informações e publica o edital definitivo para as empresas interessadas em concorrer ao processo do BRT. A previsão é que as obras iniciem em março de 2015, com 18 meses programado de excecução do projeto, sendo finalizado no final de 2016.

O projeto escolhido para o edital, de acordo com Caiado, é o modelo de concessão, o mais tradicional conhecido em operação de transporte coletivo. "Neste caso é uma concessão simples e subsidiáda pela prefeitura que irá arcar com uma parte dos investimentos com os recursos que conseguiu através do PAC", finaliza.

Informações: G1 Sorocaba e Jundiaí