sábado, 27 de julho de 2013

Licitação do BRT recebe propostas em agosto

15/07/2013 - Correio Popular - Campinas

O novo aviso de licitação para contratação de empresa ou consórcio para consolidar os projetos básicos do BRT (Bus Rapid Transit - ônibus de trânsito rápido) foi publicado na última sexta-feira pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) no Diário Oficial.

A licitação estabelece pacto pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC) — formato criada pelo governo federal que permite mais agilidade no processo. As propostas serão recebidas entre as 8h do dia 5 de agosto e às 9h30 do dia seguinte. A abertura das propostas será a partir das 9h30 do dia 6 e a disputa de preços a partir das 10h do mesmo dia.

Na primeira licitação eletrônica, que ocorreu no dia 20 de junho, três empresas participaram do certame (Tranzum Planejamento e Consultoria de Trânsito; Consulgal Brasil Consultores de Engenharia e Gestão; e Fernandes & Terruggi Consultores Associados). O recurso máximo estipulado para a realização do serviço era de aproximadamente R$ 4 milhões, mas o processo fracassou.

Na semana passada, em negociação com a Caixa Econômica Federal (CEF), a Emdec conseguiu aporte financeiro, de R$ 2,4 milhões, para complementar o recurso, possibilitando a realização de nova licitação. A Administração tem até o dia 30 de outubro para entregar os projetos consolidados dos corredores do BRT ao Ministério das Cidades. "Fizemos todo o processo para ampliar os recursos de forma rápida, para conseguir entregar o projeto no prazo", declarou o secretário de Transportes, Sérgio Benassi.

Obras

As obras do BRT têm previsão de início para o próximo ano, com duração total estimada de 36 meses. O projeto contempla, além de uma pista exclusiva para os ônibus, estações de transferência fechadas e plataformas em nível, com embarque e desembarque pela porta esquerda do veículo.

O BRT irá beneficiar cerca de 300 mil pessoas que residem nas regiões do Ouro Verde e Campo Grande. No Ouro Verde serão 14,4 km de extensão, saindo do Terminal Central (Viaduto Miguel Vicente Cury), seguindo pela João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim e Terminal Vida Nova. Já no Campo Grande serão 17,8 km de extensão, saindo do Terminal Multimodal Ramos de Azevedo, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, John Boyd Dunlop e chegando ao Terminal Itajaí.

Entre os dois trechos haverá um corredor com 4 km, ligando a Vila Aurocan até o Campos Elíseos, seguindo pelo leito desativado do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A verba para a implantação dos corredores, no valor de cerca de R$ 340 milhões, vem do PAC 2.

Começa hoje faixa exclusiva para ônibus na marginal Pinheiros

01/07/2013 - Folha de SP / Estadão

A marginal Pinheiros ganha hoje seu primeiro trecho de faixa exclusiva para ônibus, à direita dos carros. A multa para quem invadir a área restrita nos horários de pico (de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h e das 17h às 20h) é de R$ 53,20.

No sentido sul, a faixa vai da rua Prof. Leme da Fonseca até a avenida Interlagos; no sentido norte, da avenida Interlagos até a avenida Mário Lopes Leão. A obra, com 4,2 km de extensão, será expandida por mais dois trechos, totalizando 21 km na marginal Pinheiros até dia 15.

A nova faixa faz parte de promessa do prefeito Fernando Haddad de criar 220 km de novas zonas exclusivas de ônibus em São Paulo. As avenidas Paulista e Dr. Arnaldo terão suas faixas implantadas no 15.

FISCALIZAÇÃO

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a fiscalização nos primeiros dias terá caráter apenas "educativo", para acostumar os motoristas. Não haverá autuações antes de a sinalização estar completa.

Uma vez que as multas tiverem início, infrações também serão punidas com três pontos na carteira de habilitação (infração leve).

A CET não informou quando será feita a transição da fiscalização educativa para a punitiva, mas o período de tolerância tem sido normalmente de uma semana.

'Vão pensar duas vezes antes de tirar o carro da garagem', afirma Haddad

No primeiro dia de funcionamento de faixa para coletivos na Marginal do Pinheiros, prefeito afirma esperar que velocidade média passe de 14 km/h para 25 km/h

Faixa para ônibus na Marginal Pinheiros, com 3,6 km de extensão, começou a funcionar nesta segunda

SÃO PAULO - Durante vistoria de inauguração da faixa exclusiva de ônibus da Marginal do Pinheiros na manhã desta segunda-feira, 1, o prefeito Fernando Haddad (PT) admitiu que a situação para motoristas vai piorar em nome da melhoria do transporte público. A expectativa da Prefeitura é que a velocidade média dos ônibus passe de 14 km/h para 25 km/h.

"Para o carro, vai piorar e para o ônibus, vai melhorar. Então, o pessoal vai pensar duas vezes antes de tirar o carro da garagem", afirmou o prefeito. Haddad ainda reafirmou que todas as grandes avenidas da cidade contarão com o mesmo tipo de espaço reservado para o transporte coletivo. "Onde quer que tenha três faixas, a ideia é segregar uma para ônibus. Não é justo que o transporte de dois terços dos trabalhadores não tenha pelo menos um terço das faixas disponíveis", disse.

As faixas na Marginal do Pinheiros vão funcionar das 6h às 9h e das 17h às 20h, de segunda a sexta-feira. O trecho inaugurado nesta segunda fica na Avenida das Nações Unidas, entre a Rua Professor Leme da Fonseca e a Avenida Interlagos, na pista sentido Interlagos. São 3,6 km. No sentido oposto, na direção da Rodovia Castelo Branco, a faixa é entre as Avenidas Interlagos e Mário Lopes Leão, com 4,2 km de extensão.

Por enquanto, não haverá cobrança de multa para os motoristas que não respeitarem a exclusividade das faixas para os ônibus - a Prefeitura trata o momento como uma fase educativa, para que a população "se acostume" com a faixa. Em data a ser definida, a multa será de R$ 53,20, e o motorista terá três pontos anotados em seu prontuário da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Na Marginal do Tietê, onde as faixas exclusivas foram implantadas no dia 16, a aplicação de multas começou no dia 24 de junho.

A faixa da Marginal do Pinheiros será a maior da cidade, com 21 quilômetros de extensão, quando estiver totalmente concluída. Ela faz parte de um pacote, anunciado na última semana, que prevê que a cidade tenha 220 quilômetros de faixas exclusivas até o final deste ano.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Na TV, Prefeitura prioriza transporte coletivo

19/07/2013 - O Estado de SP

Uma nova campanha publicitária da Prefeitura que começou a ser veiculada nesta semana sublinha a prioridade defendida pela gestão Fernando Haddad (PT) ao transporte coletivo em detrimento do individual. A Prefeitura nega que as inserções tenham sido criadas após as gigantescas manifestações de rua do mês passado.

A veiculação do material começou na terça-feira. No filme feito para a televisão, a narradora diz que "a cidade que a gente quer é aquela que dá preferência ao transporte público".

As imagens mostram o desenho animado de uma avenida vista de cima. Em determinado momento,uma das faixas de rolamento, por onde passavam muitos carros, é substituída por um corredor exclusivo de ônibus. Nesse ponto, o texto informa que já foram criados 70 km de faixas exclusivas à direita neste ano – o número mais recente da Prefeitura é de 83 km.

Depois, a narração diz que neste ano serão 220 km dessas faixas, deixando "o transporte público mais eficiente". Anteontem, Haddad reafirmou sua prioridade:" Como a rua é pública, a rua é do transporte público por excelência".

Em nota, a Secretaria Municipal de Comunicação informou que, neste ano, estão previstas quatro etapas de ações publicitárias vinculadas aos transportes. A primeira foi sobre o cadastro do bilhete único mensal. Em seguida, vem a atual, seguida por inserções sobre novos corredores e o início de operação do bilhete único mensal, prevista para novembro.

Segundo a pasta, a produção do material – que inclui anúncios, banner para internet e cartaz para relógio de rua – custou R$510mil. A veiculação da campanha custará R$ 6,150 milhões. A Prefeitura informou que nenhum recurso para isso saiu da Secretaria Municipal dos Transportes.

São Paulo terá mais 3 faixas de ônibus na segunda-feira

18/07/2013 - Folha de SP

DE SÃO PAULO - Três faixas exclusivas de ônibus, totalizando 900 m, começam a funcionar em São Paulo na segunda-feira.

Na Lapa (zona oeste), será implantada na rua Brigadeiro Gavião Peixoto, sentido centro, entre a rua Barão da Passagem e a av. Mercedes. Com 500 m, será conectada de segunda a sexta, das 6h às 9h, à faixa já existente.

Na rua Zilda, na Casa Verde (zona norte), uma faixa de 100 m funcionará no mesmo período. Ela vai da rua Graciano Altiério à av. Engenheiro Caetano Álvares, no sentido centro.

Na Vila Prudente (zona leste), a faixa terá 300 m na rua Ibitirama, entre a rua José dos Reis e a avenida Luiz Ignácio de Anhaia Melo, sentido centro, de segunda a sexta, das 6h às 20h.

Rua no Alto da Lapa ganha mais 500 metros de faixa para ônibus

A partir de segunda-feira, a rua Brigadeiro Gavião Peixoto, no Alto da Lapa (zona oeste de São Paulo), vai ganhar mais 500 metros de faixa exclusiva para ônibus, no sentido centro.

O trecho vai ampliar a faixa já existente na via, que segue pela rua Barão de Jundiaí.

Os ônibus podem circular com exclusividade de segunda à sexta, das 6h às 9h.

Câmara de Campinas aprova R$ 444 mi do PAC a toque de caixa

13/06/2013 - Correio Popular - Campinas

Em menos de cinco horas, a Câmara de Campinas realizou uma audiência pública e uma sessão extraordinária para aprovar a toque de caixa o projeto de lei que autoriza a Prefeitura a financiar R$ 444 milhões para obras do BRT (sigla em inglês de Bus Rapid Transit, o ônibus rápido) e pavimentação, dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal. O projeto foi enviado ao Legislativo no afogadilho com o risco de ter a linha de crédito perdida depois de falha do Executivo, que atrasou o encaminhamento da matéria.

A audiência, que começou às 13h, foi acelerada várias vezes e o secretário de Transportes, Sérgio Benassi, saiu às pressas para uma reunião com o prefeito Jonas Donizette (PSB) para anunciar a redução da tarifa de ônibus.

A audiência durou duas horas e 15 minutos. Na sessão extra, que terminou por volta das 17h40, a maior parte dos vereadores usou a tribuna para elogiar os projetos do BRT e asfaltamento. A lei tem de ser publicada até sábado para o recurso não ser perdido. Apenas uma emenda foi apresentada ao projeto, mas foi derrubada pela base governista. A proposta, do vereador Paulo Bufalo (PSOL), previa que o Executivo prestasse contas a cada três meses e relatasse o andamento das obras e os pagamentos efetuados. Porém, ele teve parecer desfavorável nas comissões permanentes e não foi a votação.

Segundo Bufalo, é preciso que o Executivo preste contas sobre o andamento das obras e qual o impacto do financiamento — que será parcelado — no Orçamento do Município. "Não sabemos de onde as contrapartidas virão. São duas obras grandes, de grande impacto financeiro. É preciso prezar pela transparência e pelo acompanhamento público."

Em menos de 15 minutos, quatro comissões decidiram dar parecer desfavorável à emenda do vereador. Segundo elas, a função constitucional da Câmara é fiscalizar, não havendo a necessidade de uma emenda que preveja isso. "A Caixa também faz isso. Não libera um centavo sem haver medição, se parte da obra não tiver sido finalizada. Não há necessidade", disse o vereador Marcos Bernadelli (PSDB).

Bufalo chegou a pedir durante a audiência que o Executivo anexasse no projeto de lei votado pelos vereadores as projeções de pagamento do financiamento e como será executado. Porém, o secretário de Finanças, Hamilton Bernardes, garantiu que o gasto já está previsto no Orçamento e que o projeto encaminhado à Câmara "é apenas para autorização". O valor será dividido em parcelas, sob juros de 6%.

Na tribuna, durante a sessão, o vereador Gilberto Cardoso, o Vermelho (PSDB), disse que a comissão criada para acompanhar o BRT — da qual ele faz parte — já realiza o papel de fiscalizador. Vermelho abandonou a audiência pública assim que ela começou e só voltou para a sessão.

O vereador Pedro Tourinho (PT), que integra a bancada de oposição, criticou o modelo BRT que está sendo implantado em Campinas e defendeu a retomada do transporte ferroviário. "O BRT é altamente eficiente, porém, não é modal de capacidade de massa. Nos faz entender que não é a solução a longo prazo", disse.

Valores

Para as obras do BRT e a construção dos corredores de ônibus, serão financiados R$ 197 milhões, pelo PAC da Mobilidade. Em relação à pavimentação, o valor financiado com a Caixa Econômica Federal (CEF) será de R$ 247 milhões, pelo PAC Pavimentação, e prevê asfaltamento em 19 bairros. A previsão é que as obras sejam iniciadas no ano que vem.

Os financiamentos pela Caixa não cobrem o valor total das duas obras, que terão contrapartidas da Prefeitura e também do governo federal. O valor total para o BRT é de R$ 340 milhões e para a pavimentação, de R$ 262 milhões.

Município caça mais recursos para estrutura em bairros

O PAC Pavimentação vai atender 19 bairros de Campinas que ainda são de terra. Alguns não têm sequer rede de esgoto. No entanto, a verba somente poderá ser usada para as regiões que estão regularizadas. Apesar da verba de R$ 262 milhões, os recursos não serão suficientes para garantir a pavimentação de 100% das vias de Campinas.

Segundo o secretário de Infraestrutura, Carlos Augusto Santoro, com esse recurso, será possível pavimentar somente 25% dos bairros que necessitam — o número de locais não foi informado.

Agora, o Executivo pleiteia um terceiro PAC, com verba semelhante, na tentativa de ampliar o número de regiões beneficiadas. O valor para que Campinas chegue à totalidade de ruas pavimentadas é de R$ 1 bilhão, estima Santoro.

Um projeto já foi encaminhado ao Ministério das Cidades e, segundo o secretário, já houve uma resposta de que a proposta "caminha bem". Mas, para que o recurso seja realmente conquistado, a Prefeitura vai ter de demonstrar condições financeiras para assumir esse investimento. Isso porque, além do recurso do governo federal, por meio do PAC, o Executivo tem de dar uma contrapartida e financiar outra parte.

O PAC Pavimentação prevê que, do total de R$ 262 milhões, parte seja destinada para asfaltamento e outra para investimento na rede de esgoto nos bairros em que não há esse serviço, além de galerias de águas pluviais, guias e canaletas. A previsão é que as obras sejam iniciadas no primeiro semestre do ano que vem. Na lista, foram incluídos bairros como Jardim Noêmia, que surgiu em 1953, e o Parque Oziel, na década de 90. Ao todo, as regiões escolhidas concentram cerca de 60 mil pessoas.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Marginal Tietê terá faixa só para ônibus na 2ª

14/06/2013 - Folha de SP

As faixas exclusivas de ônibus na marginal Tietê começarão a funcionar na próxima segunda-feira, anunciou ontem a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

Elas serão implantadas apenas nos horários de pico, na faixa da direita da pista local, nos dois sentidos, no trecho entre as pontes das Bandeiras e Aricanduva.

Das 6h às 9h, a faixa funcionará no sentido da rodovia Castello Branco. Já entre as 17h e 20h, a exclusividade para os ônibus valerá no sentido da Ayrton Senna.

As faixas vão funcionar apenas de segunda a sexta-feira.

A alça da ponte das Bandeiras, no sentido Castello Branco para a avenida Santos Dumont, também será exclusiva para os ônibus no horário das 6h às 12h. Nos demais horários, ela vai ficar aberta para qualquer veículo.

Segundo a CET, a primeira semana de implantação das faixas será apenas de orientação aos motoristas, ou seja, não haverá autuações. Já a partir do dia 24, os carros que invadirem a faixa exclusiva para os coletivos serão multados.

Invadir a faixa de ônibus à direita nos horários de funcionamento é uma infração leve e rende multa de R$ 53,20, mais três pontos na carteira de habilitação.

A CET disse ontem que só informará como será a fiscalização quando as multas começarem a ser aplicadas. A companhia informou apenas que os radares que existem na marginal não são capacitados para multar esse tipo de infração. Assim, a fiscalização deverá ser feita por agentes de trânsito.

No total, as faixas terão 12,7 km, sendo 5 km no sentido Castello Branco e 7,7 km no sentido Ayrton Senna.

O objetivo das faixas, diz a companhia, é priorizar a circulação do transporte coletivo e, assim, reduzir o tempo das viagens.

De acordo com a CET, 18 linhas de ônibus passam pelo trecho contemplado. Cerca de 211 mil passageiros serão beneficiados diariamente.

PINHEIROS

A marginal Pinheiros também ganhará faixas exclusivas de ônibus, segundo a CET.

A data de implantação e o trecho que será contemplado, porém, ainda não foram definidos pela prefeitura. A expectativa da companhia é que elas comecem a funcionar até o final de julho.

Embora o trajeto ainda não tenha sido definido, serão priorizados os pontos onde há grande fluxo de ônibus. Os principais trechos com tráfego de coletivos estão nas regiões das pontes João Dias e Eusébio Matoso.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Primeiro trecho do corredor Guarulhos -SP é entregue

Primeiro trecho do corredor Guarulhos -SP é entregue

03/07/013 - Via Trólebus, Caio Lobo

O governador Geraldo Alckmin entregou hoje, 3, o primeiro trecho do corredor de ônibus Guarulhos-São Paulo, que liga os Terminais Taboão e Cecap, num trajeto de 3,7 km.

As linhas que devem atender o corredor são:

121TRO Guarulhos (Terminal Metropolitano Taboão) São Paulo (Penha)
552TRO Guarulhos (Parque Santos Dumont) São Paulo (Metrô Armênia)
590TRO Guarulhos (Jardim Paraíso) São Paulo (Metrô Penha)
599TRO Guarulhos (Parque Santos Dumont) São Paulo (Metrô Penha)
802TRO Guarulhos (Terminal Metropolitano Taboão) São Paulo (Metrô Tucuruvi)

O corredor completo será entregue em várias etapas.

Trecho Cecap – Vila Galvão

As obras para o segundo trecho do Corredor Metropolitano Guarulhos – São Paulo, que ligará o Terminal Cecap ao futuro Terminal Vila Galvão, já foram contratadas pela EMTU/SP e aguardam apenas a autorização da Prefeitura de Guarulhos para serem iniciadas.

Serão mais 12,3 km de corredor exclusivo para o transporte coletivo onde serão construídos um Terminal de Integração (Vila Galvão), duas Estações de Transferência (Vila Endres e Emílio Ribas) e 20 Estações de Embarque/Desembarque. Neste trecho o Governo do Estado investirá R$ 78,7 milhões, com prazo de 12 meses de execução, beneficiando 120 mil usuários por dia.

Trecho Vila Endres – Tiquatira

A EMTU/SP está desenvolvendo os projetos básico e executivo do terceiro trecho do corredor, que vai ligar a Vila Endres a Tiquatira. Com cerca de 4 km de extensão, este trecho será integrado à futura Estação Tiquatira CPTM/Metrô.

No dia 29 de junho foi publicada a relação das empresas e consórcios classificados na concorrência de pré-qualificação das empresas interessadas em participar da licitação de execução das obras deste trecho. As obras devem começar em 2014 e deverão ser entregues em 2015.

http://viatrolebus.com.br/2013/07/primeiro-trecho-do-corredor-guarulhossp-e-entregue/