segunda-feira, 27 de outubro de 2014

SP ganha mais 1,1 km de corredores de ônibus nesta segunda-feira

27/10/2014 - Portal R7

A partir desta segunda-feira (27), a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e a SPTrans (São Paulo Transporte) implantam 1,1 km de faixa exclusiva à direita para ônibus nas ruas Martins Fontes e Augusta, nos seguintes trechos:

Na rua Martins Fontes, no sentido Bairro, entre a rua Maria Paula e a rua Álvaro de Carvalho; na rua Augusta, no sentido Bairro, entre a rua Fernando Albuquerque e a avenida Paulista; e no sentido centro, no trecho compreendido entre a alameda Itu e avenida Paulista. 

A nova faixa exclusiva vai funcionar de segunda a sexta-feira das 6h às 20h. A ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores.

Com estes 1,1 km, a malha viabilizada pela atual gestão chegará a 361,9 km de faixas exclusivas para ônibus na capital paulista. 

População beneficiada 

Pelas ruas Martins Fontes e Augusta, no trecho destas implantações, passam cinco linhas de ônibus municipais, transportando 42 mil passageiros em média por dia útil, numa frequência média, no horário de pico, de 31 ônibus/hora.

Alternativas 

Aos motoristas que desejam acessar a avenida Paulista vindos do centro pela rua Augusta, a CET recomenda como alternativa utilizar a rua Peixoto Gomide; e no sentido contrário, a opção é a alameda Itu e a rua Ministro Rocha Azevedo. 

Fiscalização

A ativação terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito irão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. A partir de 10 de novembro, a fiscalização será intensificada na via.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), transitar na faixa exclusiva à direita de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.  

SP ganha mais 1,1 km de corredores de ônibus nesta segunda-feira

27/10/2014 - Portal R7

A partir desta segunda-feira (27), a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e a SPTrans (São Paulo Transporte) implantam 1,1 km de faixa exclusiva à direita para ônibus nas ruas Martins Fontes e Augusta, nos seguintes trechos:

Na rua Martins Fontes, no sentido Bairro, entre a rua Maria Paula e a rua Álvaro de Carvalho; na rua Augusta, no sentido Bairro, entre a rua Fernando Albuquerque e a avenida Paulista; e no sentido centro, no trecho compreendido entre a alameda Itu e avenida Paulista. 

A nova faixa exclusiva vai funcionar de segunda a sexta-feira das 6h às 20h. A ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores.

Com estes 1,1 km, a malha viabilizada pela atual gestão chegará a 361,9 km de faixas exclusivas para ônibus na capital paulista. 

População beneficiada 

Pelas ruas Martins Fontes e Augusta, no trecho destas implantações, passam cinco linhas de ônibus municipais, transportando 42 mil passageiros em média por dia útil, numa frequência média, no horário de pico, de 31 ônibus/hora.

Alternativas 

Aos motoristas que desejam acessar a avenida Paulista vindos do centro pela rua Augusta, a CET recomenda como alternativa utilizar a rua Peixoto Gomide; e no sentido contrário, a opção é a alameda Itu e a rua Ministro Rocha Azevedo. 

Fiscalização

A ativação terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito irão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. A partir de 10 de novembro, a fiscalização será intensificada na via.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), transitar na faixa exclusiva à direita de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.  

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Novos corredores de ônibus serão liberados, diz presidente do TCM

22/10/2014 - O Estado de SP

SÃO PAULO - Presidente do Tribunal de Contas do Município (TCM) e responsável por analisar os projetos da Prefeitura na área de Transportes, o conselheiro Edson Simões barrou 15 concorrências da gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), das quais seis já foram liberadas. Há 17 anos na Corte, Simões, que também é professor de Geografia e autor de mais de dez livros, argumenta que suas decisões são puramente técnicas e aponta a insuficiência de recursos do governo para executar parte das propostas apresentadas à população.

Questionado sobre o fato de manter suspensa a licitação para a construção de 126 quilômetros de corredores de ônibus, prioridade máxima do governo petista, Simões diz que "o problema anterior estava ligado à falta de comprovação orçamentária e do projeto básico". Mas adiantou ao Estado, em entrevista exclusiva, que a concorrência está prestes a ser liberada. O governo fez um replanejamento e desistiu dos corredores da Celso Garcia e da 23 de Maio. Nesta terça-feira, 21, a Prefeitura informou que a liberação permitirá iniciar as obras em 2015.

"Está faltando a comprovação dos elementos que demonstrem o orçamento (para a obra dos corredores)" disse Simões. Ele, porém, lembrou que, após a Prefeitura ter reduzido de R$ 4,7 bilhões para cerca de R$ 2 bilhões o projeto dos corredores, no fim de setembro, a proposta passou a ter viabilidade econômica.

A Caixa Econômica Federal informou que aguarda a análise técnica. "Após concluída, os desembolsos dos recursos serão efetuados mediante a apresentação dos boletins de medição (das obras) da Prefeitura."

Simões também liberou as licitações para a construção de garagens subterrâneas e o plano viário da zona sul, orçado em R$ 1,8 bilhão e com previsão de duplicar as principais avenidas da periferia, como a M'Boi Mirim, a Carlos Caldeira e a Belmira Marin.

Câmeras. Mas o conselheiro ainda espera esclarecimentos do governo para liberar a licitação destinada à compra de 434 câmeras para uma central da CET e outra para a aquisição de 300 radares previstos para serem instalados nos ônibus, com o objetivo de flagrar motoristas que invadem as faixas exclusivas dos coletivos.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

São Paulo terá primeiro túnel exclusivo para ônibus

20/10/2014 - Via Trólebus

Parte do futuro BRT na Radial Leste, a prefeitura de SP deve construir um túnel exclusivo para ônibus com 700m de extensão nas imediações do Parque Dom Pedro II

Renato Lobo

Projeto deve melhorar trânsito na Radial Leste
Projeto deve melhorar trânsito na Radial Leste
créditos: Via Trolebus
 
Como parte do futuro BRT (Bus Rapid Transit) na Radial Leste, a prefeitura de São Paulo deve construir um túnel com 700 metros de extensão nas imediações do Parque Dom Pedro II para uso exclusivo dos ônibus.
 
O prefeito Fernando Haddad apresentou nesta sexta-feira (17) o projeto da estrutura que ligará o viaduto Antonio Nakashima, na região da avenida do Estado, à avenida Alcântara Machado. "Vamos fazer um túnel de acesso ao Parque Dom Pedro. É o primeiro túnel construído exclusivamente para transporte coletivo, e só com isso vamos economizar 15 minutos porque vai evitar um contorno irracional. O ônibus vai chegar diretamente no terminal", afirmou Haddad. "É a maior obra de mobilidade urbana da história de São Paulo", completou o prefeito.
 
O BRT da Radial terá piso rígido em concreto, faixa de ultrapassagem nas paradas, além do pagamento de tarifa nas próprias paradas, dando agilidade ao sistema. O corredor deverá beneficiar 220 mil pessoas por dia. Outros dois corredores, o Radial Leste 2, com 5 quilômetros e o Leste com 14 quilômetros, completarão todo a extensão da avenida até chegar ao Terminal Itaquera. As obras estão previstas para iniciar ainda neste mês.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Novos corredores de ônibus ficam para 2015

07/10/2014 - Webdiario - Osasco

Embora tenha três projetos de corredores de ônibus para a região Oeste da Grande São Paulo, apenas o Itapevi-Butantã está em execução pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos). Já os outros dois vão ficar para 2015.

Um deles é o Corredor Metropolitano Itapevi-Cotia, que vai ligar os dois municípios pela Estrada da Roselândia, a partir do Terminal Metropolitano de Cotia, na rodovia Rodovia Raposo Tavares, até o futuro Terminal Engenheiro Cardoso, fazendo conexão com o Corredor Metropolitano Itapevi-São Paulo (em obras) e também com a linha 8 Diamante da CPTM em Itapevi.

São 9,4 quilômetros de extensão, com investimento R$160 milhões e previsão de atendimento de 68 mil passageiros dias. O projeto está em elaboração desde abril deste ano e os projetos básico e executivo devem ser concluídos em março de 2015. Já as obras começam em junho de 2015 e têm conclusão estimada para dezembro do mesmo ano.

O segundo projeto é o do Corredor Metropolitano Alphaville-Cajamar, que vai ligar os municípios de Carapicuíba, Barueri, Santana de Paranaíba e Cajamar. Integrado com a CPTM no Terminal Antônio João, em Barueri, terá extensão de 28,9 quilômetros. O projeto funcional está concluído e os projetos básico e executivo do primeiro trecho, que liga Cajamar a Santana de Parnaíba, de cerca de 12 quilômetros de extensão, começaram a ser elaborados em 16 de junho. O segundo trecho está em fase de negociação com a Prefeitura de Barueri. O início das obras acontece no 1º semestre de 2015.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Câmara prevê R$ 2 bi para manter tarifa de ônibus em SP a R$ 3

01/10/2014 - O Estado de SP

Leia: Sem reajuste da tarifa, subsídio para ônibus vai a R$ 1,7 bi - O Estado de SP

SÃO PAULO - A manutenção da tarifa do ônibus a R$ 3 vai exigir uma suplementação do subsídio pago às empresas do transporte coletivo previsto pelo prefeito Fernando Haddad (PT) na proposta orçamentária de 2015. Nesta terça-feira, 30, parte dos vereadores que analisarão o projeto de lei enviado à Câmara já fazia as contas. Para manter a passagem congelada no próximo ano, representantes da Comissão de Finanças afirmam que o repasse reservado, de R$ 1,4 bilhão, deverá ser elevado para ao menos R$ 2 bilhões.

"Só assim o sistema não vai quebrar. O governo precisa colocar R$ 2,2 bilhões para as viações e cooperativas, se quiser manter a tarifa a R$ 3", disse Milton Leite (DEM), que é presidente da Comissão de Finanças e ligado a cooperativas de perueiros da zona sul. "Com o subsídio a R$ 1,4 bilhão, a passagem precisa subir para, ao menos, R$ 3,50", acrescentou Leite.

A previsão leva em conta a expectativa de gastos anunciada pela Secretaria Municipal de Transportes com o pagamento de subsídios neste ano. De acordo com a pasta, será repassado R$ 1,7 bilhão ao setor no ano passado, esse valor foi de R$ 1,2 bilhão. Segundo a Prefeitura, o aumento é explicado pela criação do Bilhete Único Mensal, pelo reajuste dos contratos e pelas gratuidades do transporte.

Diante da realidade atual e da previsão de repasse de subsídios 18% menor para 2015, parlamentares da base de sustentação do prefeito Haddad admitem que serão necessários novos recursos para as viações e cooperativas. Caso contrário, a tarifa deverá aumentar.

"Se precisar aumentar o subsídio, isso poderá ser feito por remanejamento de verbas. Mas aí teremos de mudar os recursos de lugar, tirar de outras áreas para pagar as empresas. Temos antes de avaliar o impacto disso", disse Paulo Fiorilo (PT). A mesma avaliação fez Arselino Tatto (PT), líder do governo e irmão do secretário de Transportes, Jilmar Tatto.

"Falei com meu irmão no fim de semana, e ele disse que nada está decidido sobre a tarifa. O governo está aguardando a conclusão de uma auditoria que está sendo feita nas empresas de ônibus antes de tomar qualquer decisão", disse Tatto.

Financiamento.Para Horácio Augusto Figueira, mestre em Transportes pela USP e consultor na área, é preciso buscar formas de financiamento. Figueira é favorável, por exemplo, à criação de uma nova tributação sobre o valor do litro da gasolina. "Isso seria importante porque o subsídio acaba tirado da Educação e de outras áreas importantes do governo", ressaltou.

O mesmo discurso tem sido defendido publicamente pelo prefeito Haddad, que pleiteia, no cenário nacional, a municipalização da Cide, o tributo federal que incide sobre combustíveis e que hoje está zerado como forma de neutralizar o aumento do diesel e da gasolina nas refinarias.

Para o líder do PSDB, Floriano Pesaro, o orçamento proposto mostra que essa discussão não avançou. "Está mais do que claro agora que a tarifa de ônibus será reajustada no ano que vem. Com o valor do subsídio previsto e a passagem a R$ 3, a Prefeitura quebra", disse.

Para o também tucano Andrea Matarazzo, a peça orçamentária do governo é contraditória. "Ao mesmo tempo em que se reduz os investimentos, a gestão propõe, em outro projeto, baixar o ISS cobrado das empresas de vale alimentação de 5% para 2%."

A gestão Haddad afirma que não existe definição sobre a tarifa. "Ainda temos um grau de incerteza muito grande em relação a isso", disse a secretária municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leda Paulani. A decisão, mais política do que financeira, deve ser tomada após a conclusão da auditoria, prevista para o fim do mês.