sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Prefeitura de São Paulo reajusta tarifa de ônibus para R$ 3,50

26/12/2014 - O Estado de SP

LUIZ FERNANDO TOLEDO - O ESTADO DE S. PAULO

Congelada há 4 anos, tarifa subirá em 6 de janeiro; bilhete único mensal, semanal e diário não serão reajustados e integração vai para R$ 5,45. Alckmin anunciou aumento do trem e do metrô, mas não falou em valores

Ônibus, metrô e trem ficarão mais caros em São Paulo no começo do próximo ano. A gestão Fernando Haddad (PT) anunciou nesta sexta-feira, 26, a nova tarifa da capital, de R$ 3,50, a partir do dia 6 de janeiro. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) também admitiu que haverá reajuste no transporte sobre trilhos, mas não informou valores. O aumento da tarifa será de 16,67% sobre os atuais R$ 3. 

De acordo com a Prefeitura, a integração dos ônibus com metrô e trem custará R$ 5,45, ante os R$ 4,65 atuais. O aumento valerá para usuários do bilhete único comum e para quem pagar a tarifa com dinheiro na catraca do coletivo.

O reajuste não será aplicado para usuários de bilhete único mensal, semanal ou diário, que hoje custam R$ 140, R$ 38 e R$ 10. "Outra inovação é a manutenção das tarifas do bilhete único mensal, induzindo o empregador a adquiri-lo para seus funcionários", disse Haddad, em sua conta em uma rede social. A Prefeitura vai isentar estudantes de pagar ônibus.

Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão
Quem pagar passagem com dinheiro gastará R$ 3,50

No fim da tarde desta sexta, a Prefeitura fez o anúncio do reajuste e informou que o governo estadual "se compromete a aplicar os mesmos reajustes nos trens do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), além de manter a mesma tarifa nos bilhetes únicos temporais de integração". Alckmin, no entanto, pela manhã, afirmou que o reajuste era "natural" e a mudança possivelmente seria feita em parceria com a Prefeitura.

Após a medida, as prefeituras do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que é composto por sete cidades, também deverão aderir à tarifa de R$ 3,50. Em todas as cidades, a única que deve ter o valor mais baixo é Rio Grande da Serra, que antes cobrava R$ 2,90 do passageiro.

O último reajuste é de janeiro de 2011, e a inflação acumulada no período é de 23,2% - o valor atualizado seria de R$ 3,70. Em junho do ano passado, Haddad e Alckmin subiram as tarifas para R$ 3,20, mas revogaram o reajuste após uma série de manifestações do Movimento Passe Livre (MPL). 

Negociações. Haddad e prefeitos do PT se reuniram em almoço na Prefeitura da capital e debateram custos de transporte, entre outras pautas, no mês passado. Como o Estado antecipou, o valor estudado ficava entre R$ 3,40 e R$ 3,50. Haddad não deu mais detalhes na ocasião e afirmou que qualquer decisão só seria tomada após o resultado da auditoria externa que estava em curso nos transportes, finalizada neste mês. 

Na semana passada, Alckmin e Haddad chegaram a se reunir, mas negaram que o tema do aumento da passagem tivesse sido discutido. Alegaram que o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, nem esteve no local. 

Protestos. O presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Prazeres Júnior, afirmou que a entidade buscará diálogo com outros sindicatos, além do MPL, para promover protestos contra o reajuste. "Vamos chamar uma reunião no fim do ano para lutar contra esse 'pacote de maldades' do 

Alckmin e também do Haddad."

Para Prazeres Júnior, há motivos "de sobra" para que a população repita as manifestações de 2013. "Nosso papel é mobilizar." A reportagem não conseguiu contato com membros do MPL até as 19h30.
O congelamento da tarifa implicou aumento dos subsídios. Neste ano, Haddad vai desembolsar R$ 1,7 bilhão e mais R$ 1,4 bilhão está previsto para 2015. Na capital, são 14 mil ônibus e 6 mil vans. 

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Em SP, linha de ônibus alternativa ao Metrô tem aumento de 239% na demanda

18/12/2014 - Via Trólebus

Nova linha transporta em média 44,7 mil passageiros por dia, quantidade muito maior do que os 13,2 mil registrados no ano passado

Renato Lobo

Superlotação do metrô contribuiu para aumento na d
Superlotação do metrô contribuiu para aumento na demanda
créditos: Via Trólebus
 
Desde que foi criada, a Linha 4310-10 E.T. Itaquera – Terminal Pq Dom Pedro II tem atraído usuários da Linha 3-Vermelha do Metrô, e o número de passageiros que optam pela ligação sobre pneus não para de crescer.
 
Segundo reportagem do Metro Jornal a linha tem uma média de 44,7 mil passageiros transportados por dia. A quantidade é mais do que o triplo (239%), do que os 13,2 mil registrados em setembro do ano passado.
 
Nos horários de pico, a linha opera com ônibus saindo a cada três minutos. Nas extremidades o pagamento da tarifa é feito no pré-embarque, o que agiliza a saída dos ônibus. O trajeto leva, em média, 40 minutos, bem competitivo com a linha 3-vermelha do Metrô.
 
A reportagem ouviu a superintendente de serviços da SPTrans, Rosilda Domingues, que aponta que além da superlotação do metrô, a reestruturação de linhas também colaborou com o aumento na demanda. "Fizemos uma mudança no conceito dessa linha. Dessa forma, conseguimos atender a demanda de passageiros do metrô" diz Rosilda. O eixo Itaquera-Centro é dotado de faixa exclusiva de ônibus, que colaborou para o aumento na velocidade dos coletivos.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

SP estuda fim de cooperativas de vans

09/12/2014 - O Estado de SP

Em meio às discussões sobre o aumento da tarifa de ônibus, a Prefeitura de São Paulo afirma estudar o fim do uso de cooperativas para operar no sistema de transportes da capital paulista. O objetivo é combater o uso do sistema por criminosos. A nova licitação dos ônibus, adiada desde o ano passado depois dos protestos de junho, poderá ser feita apenas para empresas regulares de transporte. 

"Uma das hipóteses em estudo na formulação da nova licitação do sistema é não haver mais contratação de cooperativas, com a operação passando a ser feita exclusivamente por empresas constituídas", afirma a São Paulo Transporte (SPTrans), empresa municipal responsável pelos coletivos. 

Se levada adiante, a hipótese será a mais radical mudança no sistema de transporte desde que o bilhete único foi criado, em 2004. Há mais de uma década, a Prefeitura concede a grandes viações a exploração das chamadas linhas estruturais, que ligam os bairros ao centro, e às cooperativas o transporte local, entre os bairros e os terminais.  

Esse modelo teria sido renovado com a mesma divisão, não fosse os protestos de junho. Uma licitação chegou a ser lançada no ano passado para renovar as concessões, mas foi cancelada justamente por causa dos protestos. E foi adiada até que todo o sistema passasse por uma auditoria, que está na fase final e deve ser divulgada amanhã. 

"O processo licitatório está em fase de elaboração e só terá início após a divulgação das conclusões da verificação independente feita pela Ernst&Young, cujos resultados serão considerados", diz a SPTrans. 

Por outro lado, a Prefeitura afirma que "alternativas criando novos mecanismos de controle também estão sendo estudadas", para manter as cooperativas e evitar o uso de laranjas - contratos em nome de outra pessoa e que dão margem a ações criminosas. 
A gestão Fernando Haddad (PT) afirmou, ainda em nota, que não tem contato direto com os cooperados que trabalham nos lotações. 

"A SPTrans esclarece que a contratação de permissionárias para a operação do sistema de transporte coletivo municipal se dá com cooperativas e não com cooperados. Não há nenhuma relação entre a empresa gestora e os cooperados, mas com as diretorias das cooperativas", diz a nota. "A questão levantada pela reportagem refere-se aos trabalhos das autoridades policiais, com as quais a SPTrans colabora." 

Investigações. Perueiros clandestinos que desapareceram em setembro de 2003 depois de serem forçados a deixar de atuar em Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo, foram o primeiro alerta à polícia de que organizações criminosas estavam se aproveitando da regularização do sistema de transportes que a Prefeitura promovia na época. Investigações feitas em 2005 e 2008 apontaram essa relação. 

A primeira denúncia exclusiva por lavagem de dinheiro do tráfico de drogas por meio dos lotações foi feita pelo Grupo Especial de Delitos Econômicos (Gedec) do Ministério Público Estadual (MPE), em outubro deste ano. Para a Polícia Civil, criminosos que operavam clandestinamente antes da regularização do sistema de transportes, na gestão Marta Suplicy (2000-2004), conseguiram migrar juntamente com perueiros e se mantêm no sistema até hoje.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

São Paulo: Confira as linhas de ônibus que circulam 24 horas

04/11/2011 - Band

São Paulo é uma cidade que nunca para. E por causa disso, o transporte também não pode parar. A cidade possui 41 linhas de ônibus que operam 24 horas, de acordo com a SPTrans (São Paulo Transporte S. A.).

As linhas operam por oito áreas (veja a lista abaixo).

Apesar de São Paulo ter linhas de ônibus que operam 24 horas, o sistema de metrô e trens não acompanha este ritmo e se encerra por volta das 0h15 – o metrô funciona até à 1 hora aos sábados.

Você pode conferir o trajeto de cada uma das 41 linhas no site da SPTrans.

LISTA DE ÔNIBUS QUE OPERAM 24 HORAS

8006-10 Jd. Donaria - Terminal Pirituba (Área 1)
8400-10 Terminal Pirituba - Pça. Ramos de Azevedo (Área 1)
8549-10 Taipas - Pca. do Correio (Área 1)
9014-10 Morro Grande - Terminal Lapa (Área 1)
9500-10 Terminal Cachoeirinha - Paissandu (Área 1)
9653-10 Pedra Branca - Lgo. do Paissandu (Área 1)
848L-10 Recanto dos Humildes - Terminal Pirituba (Área 1)
9019-10 Jd. Paulistano - Terminal Pirituba (Área 1)
9020-10 Vila Mirante - Terminal Pirituba (Área 1)
1728-51 Jd. Brasil - Pca. do Correio (Área 2)
2732-10 Metrô Artur Alvim - Vila Regina (Circular) (Área 3)
2363-10 Jd. Danfer - Terminal Pq. D. Pedro II (Área 3)
2100-10 Terminal Vila Carrão - Pca. da Sé (Área 4)
3160-10 Terminal Vila Prudente - Terminal Pq. D. Pedro II (Área 4)
5020-10 Hospital Heliópolis - Terminal Sacomã (Área 5)
5032-10 Vila Arapuã - Terminal Sacomã (Área 5)
514T-10 Terminal Sacomã - Jd. Itápolis (Área 5)
4222-10 Pq. Santa Madalena - Pça. João Mendes (Área 5)
5036-10 Jd. Celeste - Terminal Sacomã (Área 5)
5038-10 Pq. Bristol - Terminal Sacomã (Área 5)
5290-10 Divisa Diadema - Pça. João Mendes (Área 6)
546L-10 Jd. Luso - Terminal Santo Amaro (Área 6)
6003-10 Terminal Grajaú - Terminal Varginha (Área 6)
6034-10 Pq. Res. Cocaia - Term. Santo Amaro (Área 6)
6312-10 Jd. Luso - Terminal Amaral Gurgel (Área 6)
675G-10 Pq Res. Cocaia - Metrô Jabaquara (Área 6)
6960-10 Terminal Varginha - Terminal Santo Amaro (Área 6)
7063-10 Jd. Macedônia - Terminal Campo Limpo (Área 7)
5300-10 Terminal Santo Amaro - Terminal Pq. D. Pedro II (Área 7)
6450-10 Terminal Capelinha - Terminal Bandeira (Área 7)
6455-10 Terminal Capelinha - Lgo. São Francisco (Área 7)
809P-10 Terminal Campo Limpo - Pinheiros (Área 7)
8605-10 Terminal Campo Limpo - Terminal Bandeira (Área 7)
7903-10 Jd. João XXIII/Educ. - Pça. Ramos de Azevedo (Área 8)
8615-10 Pq. da Lapa - Terminal Pq. D.Pedro II (Área 8)
8700-10 Terminal Campo Limpo - Pça. Ramos de Azevedo (Área 8)
8038-10 Pq. Continental - Lapa (Área 8)
637A-10 Terminal Jd. Ângela - Pinheiros (Área 7)
737A-10 Term. Jd. Ângela - Terminal Sto. Amaro (Área 7)
6008-10 Jd. Planalto - Terminal Sto. Amaro (Área 7)
7001-10 Vila Gilda - Jd. Ângela (Área 7)

*Área 1: verde claro - Zona Noroeste
*Área 2: azul escuro - Zona Norte
*Área 3: amarelo - Zona Nordeste
*Área 4: vermelho - Zona Leste
*Área 5: verde escuro - Zona Sudeste
*Área 6: azul-claro - Zona Sul
*Área 7: vinho - Zona Sudoeste
*Área 8: laranja - Zona Oeste

Fonte: Band

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Haddad paga R$ 5,4 mi por consultoria de transporte

01/12/2014 - O Estado de SP

Dez anos depois, a Prefeitura de São Paulo abre caminho para a capital ter um novo plano de mobilidade. A Secretaria Municipal dos Transportes fechou contrato de R$ 5,4 milhões com uma consultoria da área para reestruturar as 1,3 mil linhas de ônibus existentes na cidade.

A intenção é criar uma rede de referência para o transporte público que inclua as medidas já implementadas pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) e as prometidas até 2016. Nessa lista, deverá ser levado em conta também o plano estadual de expansão das linhas de trem e metrô.

De acordo com o contrato, o estudo deve ser concluído em um ano e meio – e poderá ser usado apenas em meados de 2016, último ano da gestão petista. Mas, como estabelece o edital, a intenção é estabelecer um programa a longo prazo, que possa servir a cidade num período de até 20 anos.

Os vencedores da licitação terão de considerar dois cenários: a execução das obras previstas pela atual gestão, como a implementação de 150 km de corredores de ônibus e 400 km de ciclovias, e o não cumprimento de tais metas.

O principal objetivo é propor soluções para uma melhor otimização dos 15 mil ônibus que rodam pela cidade. A expectativa é que, ao longo dos próximos 18 meses, a Oficina Consultores apresente propostas para reduzir os gargalos atuais e aumentar a velocidade dos coletivos. Uma nova divisão das empresas do transporte – hoje são oito áreas operacionais – também deve ser apresentada.

Responsável pelo transporte coletivo, a SPTrans afirmou que a "rede integrada de linhas é fundamental para o aprimoramento da mobilidade e das opções de deslocamento da população, homogeneizando os padrões de acessibilidade das diversas regiões e melhorando a qualidade do conjunto de serviços ofertados".

Plano diretor. As propostas devem estar em acordo com as diretrizes determinadas pelo novo Plano Diretor, aprovado na Câmara no primeiro semestre deste ano. Entre elas, está uma maior concentração de moradores no entorno de estações de metrô e corredores de ônibus.

Santo Amaro ganha mais uma faixa exclusiva de ônibus

01/12/2014 - Portal R7

A rua Doutor Antônio Bento, no bairro de Santo Amaro, zona sul da capital, vai ganhar 720 metros de faixa exclusiva de ônibus a partir desta segunda-feira (1º), segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

A nova faixa funcionará à direita da via no sentido largo 13 de Maio, de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h, no trecho entre a rua Nove de Julho e a avenida Mário Lopes Leão.

De acordo com a CET, a ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores.

Na rua Doutor Antônio Bento (entre a rua Nove de Julho e a avenida Mário Lopes Leão), trafegam 39 linhas de ônibus, que realizam em média 547 mil viagens de passageiros por dia útil de operação. A frequência média das linhas mencionadas, no horário de pico, é de 213 ônibus/hora.

Alterações

Após a implantação do novo trecho de faixa exclusiva, os demais veículos que circulam em direção ao largo 13 de Maio deverão utilizar as duas faixas da esquerda existentes na rua Doutor Antônio Bento.

Fiscalização

A ativação da nova faixa exclusiva terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito vão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. Independente disso, a orientação da CET é para que todos os motoristas respeitem a faixa exclusiva desde o início de sua implantação.