domingo, 27 de dezembro de 2015

Haddad entrega primeiro corredor de ônibus, mas só cumprirá 1/3 da meta

26/12/2015 - O Estado de SP

A gestão Fernando Haddad (PT) pretende entregar em 60 dias um pacote de 32 quilômetros de corredores de ônibus, o primeiro deles na segunda-feira, na Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, zona sul, com 3,3 km. A ação, em começo de ano eleitoral, vem com números tímidos diante da promessa de campanha de fazer 150 km de vias exclusivas. O prefeito deve concluir só um terço do previsto.


O corredor da Berrini demorou 26 meses para ficar pronto, ou seis a mais do que a previsão original, e custou R$ 45 milhões, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Por ali devem passar 100 mil pessoas por dia. Ele deve alterar o percurso de 14 linhas de ônibus. As que passarão a usar a via expressa fazem a conexão entre o centro e terminais como Capelinha, Santo Amaro, Jardim Ângela e Guarapiranga, na zona sul. Estudos da São Paulo Transporte (SPTrans) estimam ganho de até 20% na velocidade média.

Segundo a Prefeitura, a via foi pensada para servir como ponto de articulação entre a Avenida Brigadeiro Faria Lima, na zona sul, e o futuro corredor de ônibus Perimetral Bandeirantes, até São Mateus, na zona leste (em processo de licitação). Ela foi concebida na gestão Gilberto Kassab (PSD), entre 2008 e 2012, que fez a licitação.

Entregue pela Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras na terça-feira, o corredor foi usado por carros nesta semana, sem fiscalização. Na segunda, os coletivos começam a circular oficialmente, parando nos novos pontos à esquerda. A previsão da gestão Haddad é que haja um período de adaptação, de provavelmente cinco dias, antes de a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) começar a multar os carros que trafeguem por lá. Também não há data definida para que os pontos de ônibus da direita sejam desativados.

"Não vi nenhum aviso ainda orientando a mudança. Acho que estou do lado certo. Tem gente dizendo que o ponto da Marginal do Pinheiros vai ser transferido para o corredor, mas não sei”, disse o comerciante Alessandro Soares Filho, de 56 anos, que esperava por um coletivo à direita anteontem.

Meta descumprida.O secretário municipal de Obras, Roberto Garibe, diz que outros dois corredores serão entregues em janeiro. "O corredor Inajar (de Souza, na zona norte) e o M’Boi (Mirim, na zona sul). Em fevereiro, é a vez do Binário Santo Antônio (também na zona sul).” Contando com esses corredores, a capital paulista terá 66,3 quilômetros de obras, abrangendo nove avenidas – foram prometidos 173,4 quilômetros.

O secretário conta ainda com 35,5 quilômetros de corredores, em cinco vias, cujo processo de licitação terminou e as obras devem começar nesta gestão. Nas pranchetas da Prefeitura, há três corredores que obtiveram todo o licenciamento ambiental e estão com os editais de licitação publicados e outros quatro com os projetos prontos, esperando a publicação dos editais de licitação. Os últimos são todos na zona sul.

Em apresentação feita ao Conselho da Cidade no começo do mês, foram detalhadas ações para a construção de 165,5 quilômetros de corredores exclusivos – isso considerando tanto as obras que já estão em execução quanto os trabalhos que já foram contratados e ainda não começaram e aqueles cuja licitação está acontecendo ou deve ocorrer ainda na gestão petista.

Nem com essa margem, incluindo projetos só no papel, a gestão chega perto da meta anunciada no primeiro trimestre de mandato de Haddad, que era "projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e construir” 23 corredores de ônibus – cuja extensão total era de 173,4 km, além até da promessa de campanha de 150 km.

O ritmo fraco se deve, em parte, à demora na liberação de recursos do governo federal, que secaram diante do ajuste fiscal e da queda de arrecadação da União. Mas parte do atraso também resulta de bloqueio de licitações feito pelo Tribunal de Contas do Município (TCM). Três tentativas de licitações dessas obras foram suspensas pelo tribunal, que apontou irregularidades burocráticas.

Ao longo dos três anos de governo, a Prefeitura viu todos os bloqueios impostos pelo TCM como ações pontuais e foi respondendo aos questionamentos. A gestão chegou a manobrar, transferindo a responsabilidade de licitações da SPTrans para a Secretaria de Obras, de forma a mudar o conselheiro responsável pela análise.

Corredores de ônibus só saíram no ‘cheque especial’, afirma secretário

Gestão usou recursos reservados para o Tesouro municipal para manter os pagamentos às construtoras

Apresentando um orçamento para investimentos que totalizou R$ 16,4 bilhões nos três primeiros anos do governo Fernando Haddad (PT), o secretário municipal de Obras, Roberto Garibe, diz que a capital passou a tocar obras "no cheque especial”, diante da demora em receber recursos previstos do governo federal.

"Os recursos não deixaram de vir”, afirma Garibe. "O que acontece é que, quando temos um contrato e fazemos uma obra, pagamos a construção conforme as medições são feitas. As medições chegam, mandamos para a Caixa (Econômica Federal), que analisa e libera o recurso. Quando o recurso chega, pagamos e vamos seguindo a obra”, explica Garibe, ao detalhar a dinâmica de financiamento em situações normais. Entretanto, a crise econômica velada de 2014 e a recessão escancarada de 2015 fizeram as notas de Brasília demorarem mais tempo para chegar do que o previsto, segundo conta.

Sem pagar as empreiteiras, a Prefeitura correu risco de ver canteiros de obras paralisados. O que não ocorreu. "Fomos usando recursos da Prefeitura para manter as obras”, disse Garibe. O "cheque especial”, conta ele, consistiu em usar recursos reservados para investimentos do próprio Tesouro municipal para manter os pagamentos às construtoras. A conta foi coberta à medida que os recursos federais apareciam. "Conseguimos cumprir 85% de todo o plano de investimentos da Siurb.”

As obras de mobilidade, que incluem os corredores e também terminais de ônibus, somam R$ 3,9 bilhões – de uma estimativa feita em 2013 de R$ 5,3 bilhões. A gestão Haddad teve um desempenho porcentual melhor nas obras de drenagem urbana, de combate às enchentes, que devem terminar a gestão com 98% de conclusão – R$ 4,8 bilhões dos R$ 4,9 bilhões previstos estão empenhados. O bolo de investimentos é completado por obras de equipamento sociais, como creches, onde Haddad também vai mal, e das operações urbanas.

Descontos. A gestão Haddad se defende das acusações de que as metas não vêm sendo cumpridas apresentando comparações sobre a execução de contratos. "O tempo do processo licitatório foi reduzido à metade e o desconto médio (em relação aos preços de referência da licitação) obtido aumentou dez vezes”, disse Garibe, no começo do mês, em apresentação ao Conselho da Cidade sobre os investimentos.

Segundo os cálculos da Prefeitura, entre a publicação dos editais de licitação e a contratação de obras, o tempo caiu de uma média de 263 dias na gestão passada para 148 dias. O desconto médio dos contratos caiu de 1,8% para 19,7% – uma economia de R$ 734 milhões no acumulado da gestão.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Ônibus da madrugada transportaram 8 milhões de passageiros em nove meses

23/12/2015 -  Blog Ponto de Ônibus

ADAMO BAZANI

A SPTrans – São Paulo Transporte divulgou nesta terça-feira, 22 de dezembro de 2015, novo balanço sobre o número de pessoas transportadas pelas linhas de ônibus que trafegam na madrugada. De acordo com a gerenciadora de transportes, desde quando foi criada em 28 de fevereiro até o dia 10 de dezembro foram transportados mais de oito milhões de pessoas no horário das 00h às 04h.

A rede noturna serve de piloto para implantação de outras redes de transportes da capital paulista, que estão previstas na licitação de transportes.  O cumprimento das viagens e horários é monitorado por CCO – Centro de Controle Operacional, na chamada operação controlada. A licitação também prevê a implantação de um novo sistema de monitoramento.

A próxima rede a ser implantada é a de domingo que, de acordo com o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto, deve entrar em vigor na cidade de São Paulo antes mesmo da licitação.

Também estão previstas redes de sábado, linhas de reforço da rede nos dias úteis e nos horário de pico, e a rede de referência, que são as principais linhas da capital paulista.

Em nota a SPTrans, informou que o crescimento do número de passageiros na 151 linhas que compõem a rede noturna foi de 32 ,5% e que linha Terminal Santo Amaro – Terminal Parque Dom Pedro II é a mais movimentada:

"A adesão do paulistano à novidade vem sendo demonstrada com a evolução do volume de passageiros transportados ao longo dos meses. Em março, as 151 linhas que compõem o Noturno transportaram um total de 712.765 passageiros, enquanto que, em novembro, foram transportados 944.591, o que representa um crescimento de 32,5%. Entre as linhas que mais tiveram movimento estão a N701-11 Term. Sto. Amaro – Term. Pq. D. Pedro II, com 373.215 passageiros entre 28 de fevereiro e 10 de dezembro, a N703-11 Term. Jd. Ângela – Term. Sto. Amaro, com 297.105 e a N706-11 Terminal Campo Limpo – Term. Pinheiros com total de 223.502 passageiros.” diz a nota

Na madrugada, são 151 linhas de ônibus que começaram a circular em fevereiro de 2015, sendo que 101 linhas locais têm intervalo de 30 minutos e 50 linhas estruturais tem um intervalo de 15 minutos. Ao todo são 454 ônibus em operação e 88 reservas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes


domingo, 20 de dezembro de 2015

Prefeitura de São Paulo irá implantar operação especial na circulação dos ônibus aos domingos

16/12/2015 - G1

A Prefeitura de São Paulo decidiu adotar um modelo semelhante à Rede Noturna de ônibus para circulação da frota aos domingos a partir do ano que vem. A ideia é que as linhas levem passageiros para parques, pontos de lazer e eventos culturais esporádicos.

                                       Foto: Reprodução/TV Globo

“No começo do ano [2016] já vamos implantar a Rede de Domingo, que é reorganizar todo o sistema de transporte aos domingos. Isso já faz parte do novo modelo independente do processo licitatório”, afirmou o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

Na Rede Noturna, os coletivos circulam da meia-noite às 4h e percorrem o trajeto das linhas do Metrô. São atendidas áreas com maior concentração de pessoas, como hospitais, casas de espetáculo, velórios, cemitérios e arenas esportivas.

Já a Rede de Domingo será reestruturada e irá funcionar conforme a demanda e desejo dos usuários que usam os ônibus aos domingos para lazer. Atualmente, apenas 40% da frota de veículos circulam aos domingos. “Você define as linhas a partir da demanda, a partir do desejo dos usuários do domingo, que uma parcela desse desejo é diferente do usuário durante a semana”, declarou Tatto.

A intenção é que posteriormente o modelo também seja adotado aos sábados. Os pontos de lazer mais procurados da cidade como parques e eventos culturais esporádicos devem ganhar linhas fixas aos fins de semana. “Não tem uma lógica de funcionamento do transporte conforme o desejo do usuário. Você precisa manter mais carros em parques, por exemplo.”

Apesar de o modelo que será adotado aos domingos ser semelhante ao modelo utilizado na madrugada, aos fins de semana a operação torna-se mais complexa devido ao trânsito e outras possíveis interferências.

Por isso, o padrão da operação será controlada por uma central que monitora os ônibus através do GPS, assim como ocorre com as linhas que trafegam pela madrugada. Os vencedores do processo licitatório terão que se adequar as novas regras.

Rede Noturna

As novas 151 linhas de ônibus da madrugada começaram a funcionar em fevereiro deste ano em São Paulo.

Batizada de "Rede de ônibus da madrugada" ou "Rede Noturno", a maioria das linhas, 101, opera com intervalo de 30 minutos e faz atendimento local. As outras 50 linhas são estruturais e circulam com intervalo de 15 minutos.

A tarifa é a mesma do período diurno: R$ 3,50. Ao todo, 454 ônibus fazem as linhas e 88 veículos ficam na reserva. A cidade já tinha 98 linhas em operação na madrugada, que serão extintas e darão espaço às novas.

A Guarda Civil Metropolitana faz a segurança, com uma equipe por terminal, e o Ilume - Departamento de Iluminação Pública da Prefeitura disponibilizou 160 postes de luz em pontos de conexão das linhas.

Um aplicativo, disponível para celulares com sistema operacional Android, fornece  informações sobre o funcionamento da "Rede Noturno". O programa possibilita que o passageiro saiba qual o ponto mais próximo, as linhas que passam por lá e sua programação.

A relação das linhas estruturais e locais está disponível no site da SPTrans.

Informações: G1 SP

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Prefeitura de São Paulo apresentou ônibus com novas tecnologias

17/12/2015 - Blog Ponto de Ônibus

onibus

ADAMO BAZANI

A Prefeitura de São Paulo apresentou nesta quarta-feira, 16 de dezembro de 2015, três novidades relacionadas ao transporte coletivo da capital paulista.

Uma delas são painéis externos de cristal líquido, que vão exibir informações em tempo real das próximas paradas, substituindo as antigas placas com roteiro da viagem. O segundo veículo apresentado tem outro modelo de painel digital, com lâmpadas de led.

Os painéis serão conectados ao GPS dos ônibus e as informações sobre o trajeto mudam de acordo com o posicionamento do veículo no itinerário. Assim os dados serão em tempo real, como a relação das próximas paradas e pontos de interesse servidos pela linha.

Cada ônibus terá dois painéis digitais, um na lateral esquerda e outro na direita.

Os dois veículos com esta tecnologia pertencem à Viação Campo Belo deve entrar em operação ainda neste mês. A comunicação deve ser padrão na cidade.

onibus

ÔNIBUS ELÉTRICOS:

Como adiantou Blog Ponto de Ônibus, nesta quarta-feira também foi apresentado o novo ônibus elétrico K 10-A, da BYD- fabricante chinesa.

O veículo tem 15 metros de comprimento e funciona apenas com baterias que ficam armazenadas no assoalho, deixando assim mais espaço para os passageiros.

Veja detalhes do veículo aqui

A produção no Brasil deste ônibus começa no primeiro semestre de 2016, em Campinas, mas a unidade apresentada começa a operar definitivamente em fevereiro de 2016, de acordo com o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto, pela Ambiental Transportes.

A cidade deve ter mais modelos do K-9, elétrico de 12 metros, em circulação no ano que vem.

MULHERES NOS TRANSPORTES:

Durante a apresentação dos novos ônibus em Itaquera, na zona leste de São Paulo, Haddad assinou a portaria 002/ 15 que determina que as empresas que operam transporte público na capital paulista reservem, no mínimo, 30% das vagas para mulheres.

A partir de hoje, as empresas que transportam os passageiros na cidade de São Paulo terão de realizar a divulgação das vagas para as profissionais. Os 30% do quadro de funcionários da empresa não terão separação por área.  Desta forma, o percentual se refere a todo o quadro profissional da empresa, podendo haver diferença, por exemplo, entre o pessoal de operação, manutenção e área administrativa.

Golden Line com wi-fi e ar condicionado

Em nota, a SPTrans, gerenciadora local, diz que uma das linhas consideradas de maior eficiência, terá mais ônibus novos.

A Linha 4310/10, batizada de Golden Line, opera com 100% da frota formada por veículos articulados. Eles também são equipados com wi-fi e mais da metade da frota operando a linha já tem ar condicionado. "Com as faixas exclusivas as pessoas conseguem economizar tempo e enquanto estão no transporte podem ficar na internet e viajar confortavelmente”, observou durante a viagem de ônibus o prefeito Haddad.

Desde o início de 2015, a cidade já ganhou 354 ônibus com wi-fi e 670 estão equipados com ar condicionado. A frota também recebeu câmeras em ônibus e renovou todas as catracas eletrônicas, agora mais modernas e seguras para os usuários.

ônibus

 Adamo Bazani jornalista especializado em Transportes

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Prefeitura de Sorocaba publica novo edital do BRT

16/12/2015 - Via Trólebus

Renato Lobo

Após a abertura de licitação em janeiro, e o TCE ter sugerido mudanças de natureza jurídica e técnicas, a prefeitura de Sorocaba abriu uma nova concorrência para um sistema de corredor de ônibus do tipo BRT (Bus Rapid Transit). Os envelopes devem ser abertos em 2 de fevereiro de 2016. O novo edital está disponível gratuitamente no site da Prefeitura de Sorocaba, e a licitação contempla a construção e operação da estrutura exclusiva para ônibus.

De acordo com a administração local, o projeto deve promover uma racionalização nas linhas. As estações do BRT devem ser dotadas de pagamento antecipados. O prazo de concessão é por 20 anos, e a Tarifa Técnica de Remuneração da Concessionária (passageiro transportado remunerável) será de no máximo de R$ 4,43.

A assinatura do contrato com o vencedor da licitação deve ocorrer em abril de 2016, e inauguração esta prevista para o final de 2017. O BRT terá 28 estações e mais 04 de integração, 96 abrigos de parada, 03 terminais, pátio de estacionamento e manutenção.

Serão 16,7 km de extensão, com desembarque em nível pela esquerda do coletivo. Outros 11,2 km serão construídos com faixas bidirecionais e 12,9 km unidirecionais em seis corredores estruturais exclusivos para circulação de ônibus com desembarque à direita pela escada. Serão ao todo 17 linhas no eixo BRT, que deverá operar com uma frota de 125 ônibus.

O BRT deve ser dividido em dois eixos

A linha Norte-Sul terá eixos em corredores que percorrerão as Avenidas Itavuvu e Ipanema (desembarque em nível pela esquerda dos coletivos) e depois as faixas pela direita das Ruas Comendador Oeterer e Hermelino Matarazzo até o Terminal Santo Antônio, seguindo em faixas exclusivas até a Avenida Antônio Carlos Comitre.

Já a linha Leste-Oeste terá corredor pela Avenida São Paulo e seguirá até o Terminal São Paulo e depois, em faixas exclusivas pelo Centro, e Avenidas General Carneiro e Armando Pannunzio, nesta em corredor com desembarque em nível pela esquerda.

A prefeitura de Sorocaba obteve financiamento de aproximadamente R$ 134 milhões do Governo Federal, por meio do programa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), para dar andamento ao projeto.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Em SP, Avenida Pompeia ganha faixa exclusiva para ônibus

 14/12/2015 - Via Trólebus

A faixa tem 700 metros e foi implantada hoje (14). Cidade já soma 481 km de faixas exclusivas para ônibus

 Renato Lobo 

Avenida Pompeia, em São Paulo
Avenida Pompeia, em São Paulo
créditos: Reprodução/Via Trolebus

A prefeitura de São Paulo implantou nesta segunda-feira (14) mais um trecho de faixa exclusiva para ônibus, desta vez na Avenida Pompeia, na zona oeste. São 700 metros de faixa que vai desde a Rua Venâncio Aires até a Rua Tavares Bastos no sentido Vila Madalena. O funcionamento é de segunda a sexta-feira das 6h às 10h e das 17h às 20 h.

De acordo com a SPTrans, passam pelo local seis linhas de ônibus que transportam diariamente 44 mil passageiros.

O programa de faixa exclusiva para os coletivos atingiu a marca de 481 km, desde 2013. Em alguns casos, os ganhos foram na ordem de 67,5% em média, no que diz respeito a velocidade dos veículos.

Em outros casos, o programa ajudou a reduzir a poluição atmosférica. A implantação da estrutura no Corredor Norte Sul, por exemplo, por onde passam 37 linhas, resultou em redução do consumo de óleo diesel na ordem de 756 litros por dia, segundo um estudo feito pelo IEMA – Instituto de Energia e Meio. Esta economia significa que por dia, os ônibus deixam de emitir aproximadamente 1,9 tonelada de gás carbônico, de acordo com o estudo.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Biometria Facial vai permitir uso mais fácil de gratuidades nos ônibus de São Paulo

01/12/2015 - Blog Ponto de Ônibus

ADAMO BAZANI


O sistema de mapeamento facial instalado nos ônibus e terminais de São Paulo vai permitir que passageiros isentos de cobrança de tarifa, como idosos e portadores de deficiência, passem mais rapidamente pelas catracas.

As câmeras foram colocadas nos validadores para evitar fraudes no uso das gratuidades.

O novo sistema entra em operação no domingo, dia 06 de dezembro de 2015, quando os idosos e portadores de deficiência vão precisar encostar uma vez só o bilhete no validador da catraca. Segundo a SPTrans, que gerencia os transportes na capita paulista, o "sistema de registro da passagem de idosos e portadores de deficiências pelas catracas vinha sendo feito de forma conjunta com o cobrador, ou seja: para haver a liberação da catraca o passageiro precisava encostar seu bilhete no validador e o cobrador devia passar outro cartão, conhecido como "Bordo”, para ir para a próxima fase, que seria o reconhecimento do titular do cartão. Feito isso, os donos dos bilhetes especiais ainda tinham que fazer o mesmo procedimento com o bilhete no equipamento, para que só assim fosse liberada a passagem do usuário pela catraca.”

Mesmo que não tenha sido este o principal objetivo, o sistema também elimina este papel do cobrador.

A retirada de cobradores de ônibus no sistema de São Paulo é polêmica e é discutida na justiça.

A imagem do usuário que conta com a gratuidade é captada pelas câmeras dos ônibus e terminais e comparada à imagem cadastrada no banco de dados da SPTrans. O Bilhete Único pode ser suspenso em caso de fraude.

Com o sistema, a SPTrans também espera agilizar os embarques e diminuir o tempo de parada dos ônibus nos pontos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes