terça-feira, 30 de setembro de 2014

Campinas começa nesta quarta a abolir dinheiro em ônibus

30/09/2014 - Correio Popular - Campinas

A partir de quarta-feira (1), o sistema de transporte coletivo de Campinas não aceitará mais dinheiro para o pagamento das passagens.

Gradativamente, os cobradores deixarão de trabalhar nos coletivos e a população terá que embarcar com os bilhetes eletrônicos, chamados de Bilhete Único.

A opção para quem não tiver o cartão são os novos Bilhete 1 Viagem e Bilhete 2 Viagens.

O custo para essas duas opções é de R$ 5,30 e R$ 8,60, sendo que R$ 2,00 se referem ao custo do "casco" do cartão.

Esse valor pode ser reembolsado pelo usuário se o cartão for devolvido em um dos postos da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Transurc) após o uso. O preço da passagem é R$ 3,30.

Quem não usa o ônibus com frequência ou mora em outra cidade terá de utilizar os cartões temporários, que não permitem a integração entre as linhas.

Hoje, Campinas possui integração de duas horas, o que permite ao usuário usar até três ônibus no período pagando uma única tarifa.

O bilhete de uma ou duas viagens estará à venda em diversos estabelecimentos (bancas, farmácias, mercados, padarias, postos de combustível). Até 30 de novembro, o bilhete de uma viagem também poderá ser adquirido dentro dos ônibus com os motoristas ou cobradores.

Após utilizado, o bilhete duas viagens poderá ser recarregado, sempre com duas tarifas (R$ 6,60), diferentemente do Bilhete 1 Viagem, que não é recarregável.

A proposta da Emdec é que até quarta-feira a adesão ao Bilhete Único seja de 90%. Até o final de agosto, cerca de 14,5% dos passageiros ainda utilizavam dinheiro para pagar a passagem.

O Bilhete Único é gratuito. Mesmo se o saldo zerar, ainda contará com duas tarifas, como se o cartão "emprestasse" até R$ 6,60, a serem debitados na próxima recarga.

O usuário também usufrui do Passe Lazer (paga meia tarifa) em dois domingos por mês. Além disso, pode avisar a Transurc em caso de perda ou furto do cartão para bloquear o saldo existente.

Em 2014, nos seis primeiros meses, o Sistema InterCamp registrou média de 630 mil passagens pela catraca por dia útil (240 mil usuários). São 15,4 milhões de passageiros por mês, dos quais 80% usam Bilhete Único.

O secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, afirmou que a medida é adotada por duas questões.

A primeira é referente à segurança dentro dos ônibus. Ele afirmou que o número de assaltos aumentou 60% entre janeiro e julho, comparado ao mesmo período do ano passado. Além disso, o grau de violência também cresceu.

"Antes, o roubo era com uma chave de fenda, algo assim. Hoje, vemos pessoas armadas, agindo em grupo", disse.

O outro ponto é a modernização do sistema coletivo de transporte. A proposta da Emdec é implantar, em dois anos, o conceito de "pagamento desembarcado".

A ideia é que os passageiros paguem a passagem fora dos ônibus. Até junho de 2015, a Emdec planeja adaptar os terminais de ônibus que ainda são abertos e, em dois anos, criar o processo de pagamento em pontos de ônibus e por meio de aplicativos em celulares.

Polêmica

A mudança causou polêmica entre os usuários. A maior parte deles está ciente da nova forma de pagamento, mas alguns discordam em ter apenas essa opção nas mãos.

"É horrível limitar as opções de pagamento. Quem deveria escolher isso é o passageiro", disse a atendente Aline Ferreira, de 29 anos. Ela também comentou sobre o uso do transporte público por parentes e amigos que moram fora de Campinas e visitam a família. "Eles não vão perder tempo para recuperar o dinheiro do reembolso do cartão", disse.

A usuária Andreia da Silva, de 25 anos, considera a mudança boa, mas com ressalvas. "Acho bom por trazer mais segurança para o ônibus, mas é complicado para os motoristas. Eles ficarão sozinhos e isso pode deixar o trabalho mais complicado", disse.

Emdec diz que vai realocar os cobradores

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) informou ontem que os cobradores não serão todos dispensados a partir desta quarta-feira (1), e que a intenção é absorvê-los em outras funções.

Essa é a motivação do Programa de Aperfeiçoamento Profissional (PAP). Entre os cursos disponíveis, estão os de abastecedor, almoxarife, auxiliar administrativo, auxiliar de recursos humanos, auxiliar de mecânico, fiscal de tráfego, mecânico e motorista.

Também há o Curso de Formação de Condutores (CFC) para mudança de categoria da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) letra B ou C para D, requisito necessário para que se possa dirigir ônibus.

Já os fiscais de tráfego trabalharão nas principais linhas, nos horários de pico, auxiliando os usuários do sistema.

O PAP é supervisionado pela Emdec e tem como parceiros o Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) e o Centro de Formação de Condutores (CFC) de Campinas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário