segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Fernando Haddad quer aumentar velocidade comercial dos ônibus com menos linhas em corredores e veículos maiores

11/11/2012 - Via Trólebus

O prefeito eleito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad ainda não assumiu o posto, mas já faz algumas considerações de como será a política implantada nos transportes públicos, com prioridade ao ônibus. Haddad juntamente com sua equipe quer o aumento da frequência dos coletivos.
Para os dez corredores atuais, está sendo analisado a possibilidade de circular apenas veículos biarticulados. Centros de controle operacional devem ser criados para monitorar cada ramal e tomar providências caso haja problemas. A ideia é aumentar a fluidez para dar aos corredores velocidade média semelhante ao metrô. Para tanto, os especialistas que estão trabalhando com o novo prefeito entendem que o correto é ter apenas uma linha por corredor, mas avaliam também que a complexidade do sistema não permitirá essa medida. O número de linhas vai variar de acordo com o corredor, mas a proposta é diminui-lo ao máximo.
Nova concessão dos consórcios
De acordo com o jornal "Folha de São Paulo", o modelo da nova concessão ainda está em estudo e deverá ser definido nos primeiros meses da gestão Haddad. A equipe, entretanto, já sabe que a nova gestão terá de dialogar com as empresas e as cooperativas para equacionar o problema considerado o mais agudo: o da frequência dos ônibus. A equipe quer diminuir o tempo de espera pelos coletivos e reduzir a lotação.
"Todo mundo resiste, empresas e cooperativas. Ninguém quer colocar ônibus vazio para rodar, todo mundo quer pôr ônibus cheio, mas cabe ao poder público dosar isso", disse o deputado federal Carlos Zarattini, ex-secretário de Transportes da gestão Marta Suplicy (2001-2004) e um dos coordenadores da área no programa de governo de Haddad. "O sistema foi privatizado, mas o planejamento e a fiscalização estão nas mãos da Prefeitura."
Os novos corredores
Fernando Haddad também definirá com seus assessores em quais vias é mais urgente construir os 150 quilômetros de corredores prometidos na campanha. O petista chegou a citar as Avenidas 23 de maio, Celso Garcia, Brasil e Radial Leste.
Por Renato Lobo
4713073



Enviado via iPhone

sábado, 10 de novembro de 2012

Sem trem, transporte para Cumbica é caro e demorado

08/11/2012 - Valor Econômico

A falta de opções de transporte rápido e de massa faz com que o deslocamento de passageiros do Aeroporto de Guarulhos até São Paulo seja caro ou demorado: o que há disponível são táxis, ônibus executivo e coletivos particulares. O aeroporto fica a cerca de 30 quilômetros da região central de São Paulo e, há anos, é alvo de promessas do governo do Estado da instalação de uma linha de trem para facilitar o acesso.

O mais recente projeto é o da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que pretende construir uma linha de 11,5 quilômetros entre o terminal e a Estação Engenheiro Goulart, na zona leste paulistana. A obra deve começar a sair do papel só em fevereiro do ano que vem e as obras, com custo de R$ 1,2 bilhão, só ficam prontas entre 18 e 24 meses. "O trem não consegue ficar pronto para a Copa do Mundo de 2014, ainda estamos discutindo os detalhes da licitação", afirmou na terça-feira o presidente da CPTM, Mário Bandeira. Já o primeiro projeto de trem expresso até o centro da cidade foi descartado pela companhia em razão do trem de alta velocidade, que também tem estação prevista no aeroporto.

Quando estiver pronta, a linha chamada de 13-Jade terá demanda de 120 mil passageiros por dia. São pessoas que hoje precisam arranjar alternativas para chegar até o maior aeroporto da América Latina. Por lá, passam 30 milhões de pessoas por ano. Além disso, a população permanente do aeroporto (basicamente funcionários) é de 30 mil pessoas e deve chegar a 50 mil com as ampliações do terminal. A população flutuante (passageiros e acompanhantes) já alcança 300 mil pessoas por dia.

Ônibus

Hoje, a companhia Airbus Service que disponibiliza ônibus executivos para o aeroporto cobra R$ 35 pelo serviço. A atendente informa que o trajeto até a Rodoviária do Tietê dura 30 minutos; para a República, no centro, dura 40 minutos; até a Barra Funda, na zona oeste, Avenida Paulista, na região central, Aeroporto de Congonhas e Avenida Faria Lima, ambos na região sul, a viagem chega a uma hora. O serviço é feito 24 horas por dia. Há ainda um ônibus circular da empresa que leva passageiros até o metrô Tatuapé por R$ 4,30. Nesse caso, o serviço é prestado das 5h às 24h e o trajeto dura cerca de 40 minutos.

Os serviços do ônibus mais barato, no entanto, não têm sinalização adequada e nem todos os passageiros o encontram. Kleber da Silva, que chegava do Ceará para trabalhar como garçom em São Paulo, procurava o ônibus que ia até o metrô Tatuapé. "Faltam informações sobre onde param os ônibus. Se meu amigo não tivesse vindo me esperar não conseguiria chegar", considera.

Para a comissária de bordo Amanda Rodrigues, o ônibus até o Tatuapé é a opção mais barata. "Demoro uma hora e meia para chegar na minha casa, em Osasco. Se tiver um trem, esse trajeto pode ser mais fácil e rápido", considera ela, que faz o trajeto pelo menos uma vez por semana.

Executivo

Já o advogado Cassius Lopes utilizava o terminal 4 para embarcar para Curitiba. "Vim de táxi do centro. Paguei R$ 90", diz ele, que viaja de avião com frequência por conta do trabalho. "Uma linha de trem é importante para ter outras opções para vir para cá", avalia. Lopes afirma ainda que utiliza ônibus executivos no aeroporto de Curitiba por R$ 4 e em Brasília por R$ 4. "O preço em São Paulo é absurdo", considera.

A analista de recursos humanos Renata Morro mora no Chile, mas vem para São Paulo uma vez por mês visitar a família e utiliza ônibus executivo. "Fico em Perdizes [na zona oeste] e acho que o trem facilitaria bastante o acesso", diz ela. Quando viaja a trabalho, Renata utiliza os táxis do aeroporto e diz pagar R$ 120 pelo transporte até a casa da família.

Outra opção são os ônibus das companhias aéreas que levam os passageiros até o Aeroporto de Congonhas. Na fila para pegar o ônibus da TAM, a bancária Bianca Carvalho, esperava o transporte até Congonhas, onde pegaria o voo de volta para o Rio de Janeiro. "Hoje dependemos da companhia para fazer isso. Ter possibilidade de transporte público vai nos dar mais acessibilidade", considera.

Estação

De acordo com o presidente da CPTM, o governo de São Paulo mantém conversas com a concessionária Aeroporto Internacional de Guarulhos, que está assumindo a administração do aeroporto, para definir o melhor local da estação. "Havia um local reservado entre os terminais 1 e 2. Há documentos que comprovam isso, mas eles dizem que não sabiam do projeto e reservaram o espaço para outra finalidade", afirma Bandeira.

Segundo Bandeira, a concessionária reservou espaço próximo ao Terminal 4, que hoje atende apenas a WebJet, e fica dois quilômetros distante dos terminais 1 e 2, que são os mais movimentados e darão acesso ao terminal 3, que está em construção. A concessionária afirma que colabora com a CPTM para a definição do "local mais adequado" para a construção da futura estação da Linha 13-Jade. Após definição do local, a empresa prevê construir um sistema de mobilidade interna que levará os passageiros da estação aos terminais. De acordo com a empresa, há um sistema de monotrilho em estudo, previsto no plano diretor do aeroporto, com capacidade adequada à demanda projetada pela CPTM. O investimento estimado é de US$ 40 milhões, mas a previsão é que o projeto fique pronto somente em 2016.

Já em São Paulo, a estação que vai abrigar a chegada dos passageiros é a Engenheiro Goulart, da Linha 12-Safira. De lá os passageiros precisarão percorrer mais dez minutos para ter acesso ao metrô no Tatuapé. A estação Engenheiro Goulart, de acordo com a CPTM, será remodelada. Antiga, ela recebe somente 2,3 mil passageiros por dia e apresenta infiltrações no teto. Para chegar à plataforma é preciso subir uma rampa que passa por cima dos trilhos e é acessada por escadas. Os passageiros com dificuldade de acessibilidade precisam atravessar a linha do trem para chegar a plataforma.

A gestora escolar Elizabete Martins, que mora em Engenheiro Goulart e trabalha em Guarulhos, diz que nunca utilizou o aeroporto, mas que o trem pode ajudar a diminuir o tempo gasto até o trabalho, que hoje chega a 40 minutos.

O auxiliar administrativo Alexandre Pereira também nunca precisou ir até o aeroporto e diz que a necessidade dos passageiros do bairro é que o trem da Linha 12-Safira, que hoje só faz integração com o metrô Tatuapé, tenha paradas também em outras estações. "Trabalho perto do metrô Belém e precisa ir até o Brás para depois voltar ao local onde trabalho", reclama.


Enviado via iPhone

Subsídio para ônibus em SP pode chegar a R$ 1 bi em 2013

10/11/2012 - Via Trólebus

Fernando Haddad nem começou na Prefeitura e já possui um imbróglio em suas mãos. Aumentar ou não a tarifas dos ônibus em SP.
Este ano, o subsídio para as empresas de ônibus bateu recorde: R$ 961 milhões. Isto se deve à decisão do atual prefeito, Gilberto Kassab, em não aumentar as tarifas municipais (hoje em R$ 3,00).
Para o próximo ano, primeiro da gestão Haddad, o subsídio pode ultrapassar a marca do R$ 1 bi visto que só sua promessa de campanha, o Bilhete Único Mensal, consumiria a quantia aproximadamente de R$ 400 milhões.
O governo municipal tem um ponto positivo a seu favor. Em setembro, o governo reduziu os impostos para as empresas de transporte coletivo, o que deve abater em pelo menos 4% o custo do sistema paulistano, o equivalente a R$ 220 milhões por ano. Porém, caso a tarifa permaneça nos R$ 3,00 atuais, esta medida não será suficiente para o subsídio não passar a marca dos R$ 1 bi.
O último reajuste municipal foi em 2010, de 11,1%, contra uma inflação acumulada na época de 6%. Desde então, a inflação passa de 10%. Se esse percentual for aplicado, a passagem de ônibus chegará a R$ 3,30.
Nova licitação
Em julho de 2013 vencem os contratos do transporte coletivo atual. Até lá, a Prefeitura necessita fazer uma nova licitação. Segundo o vereador Antonio Donato (PT), esta licitação pode fazer com que os custos atuais diminuem. Em pior dos casos, mantém como está.
A Prefeitura precisa remodelar o atual sistema de informática do Bilhete Único que se encontra saturado e defasado. Caso isso ocorra, a promessa do Bilhete Único Mensal pode sair no segundo semestre do ano.
Outra opção é a Prefeitura fazer uma licitação a parte do novo sistema.


Enviado via iPhone

Haddad e a tarifa de ônibus

10/11/2012 - Via Trólebus

Conforme noticiado hoje pela Folha de São Paulo, umas das preocupações do prefeito eleito Fernando Haddad é a questão da tarifa de ônibus municipal. Não há aumento da tarifa desde janeiro de 2011 e com isto, o subsídio para as empresas é recorde este ano (R$ 821 milhões).
Outro fator importante que deverá aumentar o subsidio às empresas é a sua promessa de campanha, o Bilhete Único Semanal e Mensal.
Para barrar o aumento do repasse, Haddad terá que aumentar a passagem porém, caso isto ocorra, irá causar um desgaste político logo no início de seu mandato. A tarifa hoje é de R$ 3,00 e já é a mais cara do país.
Além desses fatores, os contratos com as empresas de ônibus vencem no meio do ano. Com certeza, o primeiro ano de mandato do novo prefeito será turbulento na área dos transportes.

Por Caio Lobo



Enviado via iPhone

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

EMTU/SP recebe propostas para execução de obras no trecho Cecap-Vila Galvão do Corredor Guarulhos-São Paulo

09/11/2012 - EMTU

Oito consórcios entregaram hoje (09/11) suas propostas para a concorrência de execução de obras no trecho Cecap-Vila Galvão do Corredor Guarulhos - São Paulo, com 12,3 km de extensão, previsto para ser concluído em 2014. A previsão de início das obras é janeiro de 2013. O valor orçado para o empreendimento é de R$ 92.245.978,04.

As propostas foram entregues pelos seguintes consórcios:

FERREIRA GUEDES - ARAGUAIA

S.A. PAULISTA - CONSTRUBASE

ENPAVI - EQUIPAV

CVG (CONSLADEL - HELENO & FONSECA)

GOMES LOURENÇO - SITRAN

VILA GALVÃO ( EIT ENGª - SERGET)

AZEVEDO TRAVASSOS - SINALIZADORA PAULISTA

CONSTRUCAP - MENDES JUNIOR.

O trecho Vila Endres -Tiquatira/Penha encontra-se em fase de projetos. A sessão pública para entrega das propostas de obras está marcada para 14/12 e a previsão de início é o primeiro semestre de 2013, com a conclusão das obras prevista para o primeiro semestre de 2014.


Enviado via iPhone

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Estado de SP aceita discutir bilhete único mensal

07/11/2012 - Folha de São Paulo, Eduardo Geraque e Evandro Spinelli

Governo estadual está disposto a negociar extensão às redes de metrô e trem do benefício do bilhete único mensal, uma das principais promessas de campanha de Haddad

Bilhete único mensal também no metrô?
créditos: Divulgação

O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse que conversou com "conhecidos no PT" sobre o assunto e que o governo está "aberto a discutir e conversar".

Ele classificou a proposta como tecnicamente viável, mas fez ressalvas sobre a possibilidade de implantação, especialmente nas questões de controle dos custos.

"O Metrô não pode entrar em um sistema e depois pagar o pato. Nós apanhamos muito com a venda do bilhete único por um serviço que não era nosso", disse.

Ele se refere à implantação do bilhete único, na gestão Marta Suplicy (PT), que inicialmente servia apenas aos ônibus e depois foi estendido à rede sobre trilhos, aumentando significativamente o número de usuários.

A rede de metrô e de trens já está saturada. O bilhete único mensal pode estimular o uso do sistema, aumentando ainda mais a superlotação, tudo o que o Metrô não quer.

O bilhete único mensal prometido por Haddad já funciona em outras cidades do mundo --Paris e Nova York, por exemplo. O usuário paga uma taxa única e pode fazer quantas viagens de transporte coletivo quiser naquele período de tempo -um dia, uma semana ou um mês.

Nos ônibus, o sistema deve ser implantado em 2013, segundo o coordenador da equipe de transição de Haddad, Antonio Donato, mas depende do estado para estender à rede sobre trilhos.



Enviado via iPhone

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Estado de SP aceita discutir bilhete único mensal

07/11/2012 - Folha de São Paulo, Eduardo Geraque e Evandro Spinelli

Governo estadual está disposto a negociar extensão às redes de metrô e trem do benefício do bilhete único mensal, uma das principais promessas de campanha de Haddad

O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse que conversou com "conhecidos no PT" sobre o assunto e que o governo está "aberto a discutir e conversar".

Ele classificou a proposta como tecnicamente viável, mas fez ressalvas sobre a possibilidade de implantação, especialmente nas questões de controle dos custos.

"O Metrô não pode entrar em um sistema e depois pagar o pato. Nós apanhamos muito com a venda do bilhete único por um serviço que não era nosso", disse.

Ele se refere à implantação do bilhete único, na gestão Marta Suplicy (PT), que inicialmente servia apenas aos ônibus e depois foi estendido à rede sobre trilhos, aumentando significativamente o número de usuários.

A rede de metrô e de trens já está saturada. O bilhete único mensal pode estimular o uso do sistema, aumentando ainda mais a superlotação, tudo o que o Metrô não quer.

O bilhete único mensal prometido por Haddad já funciona em outras cidades do mundo --Paris e Nova York, por exemplo. O usuário paga uma taxa única e pode fazer quantas viagens de transporte coletivo quiser naquele período de tempo -um dia, uma semana ou um mês.

Nos ônibus, o sistema deve ser implantado em 2013, segundo o coordenador da equipe de transição de Haddad, Antonio Donato, mas depende do estado para estender à rede sobre trilhos.


Enviado via iPhone

Sistema avisa quando ônibus vai chegar ao ponto em São Carlos, SP

07/11/2012 - G1

Tecnologia reduz tempo de espera e ajuda portadores de deficiência. Todos os 1,2 mil pontos da cidade estão cadastrados no Busalert.
07/11/2012 19h06 - Atualizado em 07/11/2012 19h06

Aplicativo Busalert já está funcionando em São Carlos (Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV)
Do G1 São Carlos e Araraquara
Um sistema de envio de mensagens de textos e áudio através de um aplicativo de celular vai ajudar a diminuir o tempo de espera no ponto de ônibus em São Carlos (SP). A tecnologia permite saber quando o ônibus vai chegar ao ponto e ainda avisa aos motoristas se haverá deficiente visual ou físico.
Para ter acesso aos dados é preciso se cadastrar no Busalert. O serviço desenvolvido para São Carlos permite que as mensagens sejam enviadas em texto e também em som.
Agora, todos os 1,2 mil pontos estão cadastrados. Uma placa com número e identificação em braile para ajudar pessoas com deficiente visual está instalada em 400 deles.
O aposentado Ailton Alves Guimarães, que é deficiente visual, cadastra o ponto e o número da linha ônibus. O motorista da linha recebe um aviso em um aparelho. Nele, tem o tempo para a chegada e até a indicação se o passageiro é deficiente.
Para Guimarães, a mudança facilita muito o deslocamento. "Dá uma autonomia para o cego pegar um ônibus em São Carlos. Antes a gente ficava no ponto, as pessoas não ajudavam e o ônibus passava", disse.
Desde junho, o serviço permitia apenas o aviso ao passageiro e não ao motorista. A secretária de Transporte e Trânsito, Regina Romão, disse que uma campanha vai explicar melhor essa expansão do serviço. "Vamos começar com a divulgação efetivamente para a população e pretendemos implantar com todo o potencial que ele permite.
Cerca de mil pessoas já estão cadastradas no sistema do Busalert. Para o diretor da empresa responsável pelo projeto, Sérgio Soares, o sistema pode ser levado a outras cidades. "A ideia do Busalert é que ninguém fique mais no ponto de ônibus esperando, porque não tem nada mais chato no mundo do que você ficar esperando no ponto de ônibus. Você pode estar aproveitando o seu tempo no trabalho, na escola, em casa com os filhos, qualquer coisa menos esperar no ponto de ônibus", disse.
Funcionamento do sistema
O Busalert funciona em qualquer celular, pré ou pós-pago, com capacidade de acesso a pacotes de dados, que utilize a linguagem de programação Java, ou tenha os sistemas operacionais Android e Windows ME.
Para utilizar o Busalert é necessário ter um pacote de transmissão de dados habilitado para o aparelho celular e que utilize a linguagem de programação Java, ou tenha os sistemas operacionais Android e Windows ME.
Para baixar o programa o usuário deverá mandar um torpedo (SMS) de acordo com o sistema operacional de seu celular. Para celulares que rodem jogos ou programas em JAVA deve ser enviada a frase Instalar Busalert Java, para o sistema operacional da Google muito comum nos celulares mais novos a frase é Instalar Busalert Android e para o sistema tradicional para alguns modelos Instalar Busalert Windows. Em seguida o Sistema retornará ao usuário uma mensagem com o link para efetuar a instalação, ou o telefone do Suporte, caso tenha alguma dificuldade na instalação.

Os telefones para envio de SMS, de acordo com cada operadora, são: TIM (16) 8168-4444, Vivo (16) 9717-2277, Claro (16) 9342-7500, Oi (16) 8836-8888 e CTBC (16) 9996-6999. O usuário pode escolher qualquer telefone, de qualquer operadora. Em geral, SMS para a mesma operadora costuma ser mais barato. Esta operação é executada apenas uma vez e não há custo para utilizar o Busalert, apenas o uso normal do seu celular. O SMS é enviado apenas uma única vez na instalação.
Depois de baixar e instalar o programa, para utilizá-lo basta inserir o número da linha de ônibus desejada, ou das linhas e o número do ponto de parada de ônibus, onde o usuário se encontra. O sistema informa na tela do celular a distância, o tempo estimado de chegada e o número de pontos que o ônibus se encontra, naquele momento, até o ponto onde o usuário informou. Não é necessário estar no ponto para receber esta informação.
Caso o usuário tenha dúvidas ou não consiga instalar o programa ele ainda poderá consultar o Suporte do Grupo Criar pelos telefones 0800-942-9422 ou (16) 3512-9000, ou acessar o site http://busalert.com.br/ . No caso de contato via telefone é importante que se faça a ligação de outro aparelho para poder operar o celular onde será instalado o Busalert.


Enviado via iPhone

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Terminal Pinheiros fica para dezembro

Terminal Pinheiros fica para dezembro

06/11/2012 - Rede Bom Dia, Mari Cavalcante

No local vão operar 16 linhas municipais e nove intermunicipais, que juntas atenderão 120 mil ao dia

O investimento total será de R$ 146 milhões
créditos: Bruno Poletti/ Diário SP

O futuro terminal de ônibus de Pinheiros, na Zona Oeste da capital, ficará pronto até dezembro deste ano. Na área, de nove mil metros quadrados, vão ser implantadas seis plataformas para receber 16 linhas de ônibus municipais, que hoje fazem ponto final no Largo da Batata, nove linhas intermunicipais, duas linhas de passagem e outras três noturnas.

Segundo a SPObras (São Paulo Obras), a previsão é de que saiam seis ônibus por minuto e sejam atendidos 120 mil passageiros por dia. De acordo com a SPTrans não serão criadas novas linhas de ônibus.

O investimento total, somado as obras de melhorias no entorno, será de R$ 146 milhões.

O terminal vai integrar os ônibus municipais com a Linha 4-Amarela, do Metrô, e vai permitir a transferência dos passageiros que utilizam a Estação Pinheiros da Linha-9 Esmeralda, da CPTM. A estrutura terá ainda uma garagem com capacidade para 430 carros.

As ruas do entorno do terminal e outras vias da região serão revitalizadas. Haverá alargamento de pistas, colocação de guias, nova iluminação pública, entre outras melhorias.

Quem mora na região precisa conviver com as obras diariamente, ainda mais quando elas acontecem em frente de casa. O morador Átila Aguiar, de 57 anos, mora em uma das ruas que sofrem intervenções. Há dois meses foram colocados tapumes. Para ele, o maior benefício que vai ter com a construção do terminal é o desvio das linhas de ônibus, que deixarão de passar em sua rua. "O barulho, principalmente de madrugada, é insuportável", conta. Ele acredita que as melhorias só vão valorizar o bairro.


Enviado via iPhone

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Haddad afirma que vai fazer corredores da gestão Kassab

31/10/2012 - Agora, Fabiana Cambricoli

O prefeito eleito Fernando Haddad (PT) disse ontem que quer dar continuidade à licitação dos corredores de ônibus iniciada pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD).

Construir 66 km dessas vias foi uma das promessas de campanha de Kassab em 2008, mas não será concluída até o fim do ano.

Segundo a SPTrans, os corredores que estão em licitação somam 60,5 km e são os de Santo Amaro, Radial Leste, Aricanduva, Itaquera, Berrini e Capão Redondo-Vila Sônia.

O pacote inclui ainda quatro terminais de ônibus e obras viárias, em um investimento de R$ 2,3 bilhões.

Com isso, Haddad pretende incorporar os corredores já em licitação ao seu plano de construir 150 km dessas vias.

O tema foi tratado em reunião entre Kassab e o petista ontem à tarde.

"Perguntei [sobre a licitação] e, segundo o prefeito, está transcorrendo e vai transcorrer normalmente", disse Haddad.



Enviado via iPhone