terça-feira, 26 de novembro de 2013

Bilhete Único Mensal valerá também para Metrô e CPTM

18/11/2013 - Folha de S. Paulo

A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu aderir ao Bilhete Único Mensal, uma das principais promessas de campanha do prefeito paulistano Fernando Haddad (PT).

Com o acordo, o cartão emitido pela prefeitura poderá ser utilizado tanto nos ônibus municipais quanto no metrô e nos trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Por uma tarifa única, o passageiro terá direito a quantas viagens quiser em um mês.

O valor, que para uso apenas nos ônibus foi estabelecido pela prefeitura em R$ 140, deverá aumentar.

A decisão do governo tucano foi informada a Haddad nesta segunda-feira pelos secretários Edson Aparecido (Governo) e Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos).

Na reunião, foram apresentados dados sobre o impacto financeiro da medida, prevista inicialmente para começar no dia 30 de novembro.

Desde abril, quando começou o cadastro de interessados no novo bilhete, o Estado dizia aguardar estudos para tomar uma decisão.

IMPACTO

O bilhete mensal deverá aumentar os gastos públicos com transporte, em um contexto de queda nas receitas devido ao congelamento das tarifas após os protestos de junho.

Só a prefeitura estima um aumento de R$ 400 milhões por ano em subsídios.

As equipes voltarão a se reunir nesta terça-feira para acertar pontos do acordo, entre eles o valor que será cobrado.

Em nota, o governo estadual informou querer criar também um "Bilhete Mensal dos Trilhos", que valeria apenas no metrô e nos trens.

"Os valores dos novos bilhetes e detalhes sobre seu funcionamento estão em fase final de definição e serão anunciados na quinta-feira", afirmou o governo estadual.

Já Haddad disse que estão sendo feitas "as últimas contas". "A parte técnica tem um pequeno detalhe, a parte tarifária tem um pequeno detalhe. Diria que estamos às vésperas, talvez, de um anúncio positivo para acidade", disse.

A adesão do governo do Estado vai na contramão das críticas feitas pelo PSDB durante a campanha eleitoral.

Em 2012, o então candidato tucano José Serra classificou o bilhete mensal, que existe em outros países, como uma "enganação".

A expectativa é que o número de cadastrados no bilhete, hoje em 120 mil, aumente com a entrada do metrô.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

SP terá mais 5,7 km de faixas para ônibus a partir desta segunda-feira

24/11/2013 -  G1 SP / Folha de SP

A cidade de São Paulo vai receber mais 5,7 km de faixas exclusivas para ônibus nesta segunda-feira (25). As faixas serão implantadas em vias das zonas Norte, Oeste e na região central da cidade. Com isso, a malha de faixas exclusivas implantadas este ano chegará a 269,7 km.

As intervenções fazem parte da Operação Dá Licença para o Ônibus, que busca melhorar a velocidade dos ônibus ampliando o número de faixas exclusivas na cidade.

Na região Norte, a Avenida Raimundo Pereira de Magalhães terá 1,6 km de faixa exclusiva para os coletivos à direita da via. O novo trecho ficará entre a Rua Menotti Laudisio e a Rua Giacomo Crespi, em ambos os sentidos da avenida. Ainda na região Norte, outros 900 metros da faixa serão implantados à direita na Avenida Imirim. A nova faixa vai funcionar no sentido bairro, entre a Rua José de Oliveira e a Avenida Eng° Caetano Álvares. Os dois trechos vão funcionar de segunda a sexta-feira das 6h às 20h e aos sábados, das 6h às 14h.

A CET vai implantar outros 1,6 km de faixas para ônibus em vias da Barra Funda. Os novos trechos funcionarão em ambos os sentidos do Viaduto Pacaembu, entre a Rua Brigadeiro Galvão e a Avenida Marquês de São Vicente; nos dois sentidos da Avenida Abraão Ribeiro, entre a Avenida Marquês de São Vicente e a Rua Professor Joaquim Monteiro de Carvalho; e na Rua Baronesa de Porto Carreiro, que tem sentido único, entre as avenidas Abraão Ribeiro e Rudge. A exclusividade valerá de segunda a sexta-feira, das 6h às 20h, e aos sábados, das 6h às 14h.

Na região do Butantã, serão inaugurados mais 700 metros da faixa, divididos em dois trechos. Um deles ficará na Avenida Afrânio Peixoto, sentido USP, entre a Rua Alvarenga e a Praça Vicente Rodrigues, e o outro na Avenida Valdemar Ferreira, em ambos os sentidos, entre a Praça Vicente Rodrigues e a Rua Pirajussara. Os trechos vão funcionar de segunda a sexta-feira das 6h às 20h e aos sábados, das 6h às 14h.

Novecentos metros da faixa também serão implantados em duas pistas de avenidas da Rótula Central, no Centro da cidade.  Eles ficarão localizados na Avenida Mercúrio, no trecho entre a Avenida do Estado e a Rua da Cantareira, e na Avenida Senador Queirós, entre a Rua da Cantareira e a Praça Alfredo Issa. Nos locais, a exclusividade da faixa será ativada de segunda a sexta-feira, das 6h às 22h, e aos sábados, das 6h às 14h.

Folha de SP

Prefeitura inaugura mais cinco trechos de faixas para ônibus

DE SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo implanta amanhã mais cinco trechos de faixas exclusivas para ônibus.

Na região central, serão mais 900 m (pistas das avenidas Mercúrio e Senador Queirós). O funcionamento da faixa será de segunda a sexta-feira, das 6h às 22h, e aos sábados, das 6h às 14h.

Outro trecho que vai começar será no Butantã (zona oeste), nas avenidas Afrânio Peixoto e Valdermar Ferreira.

Também haverá intervenções na Barra Funda (zona oeste): no viaduto Pacaembu, na av. Dr. Abraão Ribeiro e na r. Baronesa de Porto Carreiro.

Começará ainda complemento nas faixas nas avenidas Imirim e Raimundo Pereira de Magalhães (zona norte).

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Governo do Estado testa o E Bus, o primeiro ônibus elétrico movido totalmente a bateria

19/11/2013 - Governo Estado SP

Veículo é também o primeiro articulado do mundo com esta tecnologia e a operação experimental será até o 2º semestre de 2014 no Corredor Diadema – São Paulo

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo S.A. - EMTU/SP, iniciará neste mês de novembro os testes com o E Bus, o primeiro ônibus articulado do mundo movido totalmente a baterias.

O programa de testes desenvolvido em parceria com a Mitsubishi Heavy Industries (MHI) e a Mitsubishi Corporation (MC), do Japão, além da concessionária Metra - Sistema Metropolitano de Transportes, tem como objetivo verificar a viabilidade técnica e econômico-financeira da implementação da tecnologia de tração elétrica, totalmente movida a bateria, sem a necessidade de implantação de rede aérea de alimentação.

Os testes serão na Extensão Diadema – Morumbi (São Paulo), do Corredor Metropolitano ABD (São Mateus-Jabaquara), sistema gerenciado pela EMTU/SP, e começarão neste mês de novembro, sem carregamento de passageiros. De janeiro a junho de 2014 os usuários do transporte coletivo poderão utilizar o E Bus em operação regular.

A escolha da Extensão Diadema-Morumbi (São Paulo) para o programa de testes se deu em função de não haver neste trecho a operação de veículos com tecnologia totalmente isenta de emissão de poluentes. Ao mesmo tempo, fornecerá uma base de dados importante, caso se concretize a opção futura por esta tecnologia na referida extensão.

Características técnicas

A Mitsubishi Heavy Industries - MHI, do Japão, desenvolveu o sistema de baterias de tração que foi integrado a um veículo de propriedade da concessionária Metra (articulado, com 18 metros de comprimento e capacidade de carregamento de 124 passageiros). As baterias são compostas por íons de lítio recarregáveis, do tipo das utilizadas em equipamentos eletrônicos portáteis, capazes de armazenar muito mais energia do que as baterias de tração mais comumente utilizadas.
Os investimentos com o ônibus e a montagem da infraestrutura para carregamento das baterias de tração ficaram a cargo da MHI, MC e Metra. A integração do sistema de baterias ao ônibus foi executada pela MHI e pela empresa brasileira Eletra Industrial.

O trecho Diadema - São Paulo (Terminal Metropolitano Diadema e Estação Morumbi da CPTM) tem 11 quilômetros de extensão. A operação foi planejada para permitir, ao longo do dia, quatro recargas rápidas (cada uma com duração de quatro minutos) no Terminal Diadema, totalizando diariamente 160 km de rodagem (incluindo deslocamentos entre a garagem e o terminal). Além disso, o ônibus receberá cargas lentas (com duração de duas a três horas) na garagem da Concessionária Metra durante a noite e em horários de baixa demanda de passageiros.

Benefícios

As linhas intermunicipais operadas na extensão Diadema- São Paulo (Morumbi) transportam a média de 13,4 mil passageiros por dia útil. Além desses usuários, a população do entorno do corredor será beneficiada com a operação dos ônibus elétricos, pois não há emissão de poluentes, têm baixo nível de ruído, dispensa a instalação da rede aérea elétrica ao longo do trajeto.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Primeiro ônibus elétrico a bateria brasileiro começa testes em SP

19/11/2013 - G1

Modelo movido 100% a bateria elétrica circulará entre Diadema e a capital.
Autonomia operacional é de 200 km e ele pode levar cerca de 150 pessoas.


Ônibus elétrico a bateria é apresentado em São Bernardo do Campo (Foto: Rafael Miotto/G1)

O primeiro ônibus elétrico brasileiro movido 100% a bateria foi apresentado nesta terça-feira (19) em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. De acordo com a empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), uma unidade do veículo fará a operação de testes, a partir de dezembro, percorrendo o corredor Diadema-São Paulo.

"Dentro de 1 ano, queremos começar a substituir a frota a diesel e os trólebus pelos elétricos a bateria", disse Jurandir Fernandes, secretário de transportes metropolitanos do estado de São Paulo.
Na primeira fase, o chamado E-Bus se deslocará sem passageiros. Porém, entre janeiro e junho próximos, começará a levar usuários no percurso. Sua capacidade máxima é de cerca de 150 pessoas.

Segundo ele, a ideia é começar com cerca de 30 ônibus elétricos no corredor até o final de 2014. O próximo passo deve ser a implementarão dos veículos no corredor Jacu-Pêssego. Não foram divulgados valores do projeto.

Como funciona

Além de não emitir gases poluentes, uma vantagem em relação aos ônibus a diesel, o E-Bus não necessita estar conectado a cabos elétricos para a rodagem, como ocorre com os trólebus. "O problema dos trolébus é que a fiação gera manutenção alta, esse novo sistema traz mais agilidade", explicou o secretário Jurandir Fernandes.



São usadas 14 baterias como esta (Foto: Reprodução/TV Globo)

"No projeto, utilizamos a mesma base dos trólebus [ônibus que recebem energia por meio de cabos elétricos], mas trocamos o sistema conexão aos cabos pelas baterias", explicou Paulino Hiratsuka, engenheiro da Metra.

O E-Bus possui autonomia para rodar 200 km com a carga da bateria. De acordo com a Eletra, empresa responsável pela interface de conexão entre o chassi e o sistema elétrico, é o 1º ônibus elétrico a bateria com 18 metros de comprimento no mundo.

Para serem recarregadas totalmente, as 14 baterias, que ficam no teto, necessitam de 3 horas, mas o veículo também possui sistema para recargas rápidas, que levam 5 minutos, dando mais 11 km de autonomia. Há um posto de recarga longa, de 3 horas, na sede da Metra, que administra o Sistema Metropolitano de Transportes, em São Bernardo, e outro, de recarga rápida, em Diadema.

O ônibus é fruto de uma parceria entre Eletra, Mitsubishi Heavy Industries e Mitsubishi Corporation. O chassi é produzido pela Mercedes-Benz, em São Bernardo, enquanto o sistema de baterias foi desenvolvido pela Mitsubishi.

Nesta fase de testes, as baterias, assim como os postos de recarga, vieram do Japão, mas o projeto já prevê a nacionalização destes componentes.

De acordo com Hiratsuka, as baterias de íon-lítio tem vida útil de 10 anos. As empresas não divulgaram o custo do veículo nem o de sua manutenção.

Teste em Salvador

A cidade de Salvador também iniciará testes com um ônibus elétrico no próximo dia 27. O veículo é importado da China pela empresa BYD. Segundo a secretaria estadual de Cidade Sustentável, ele vai circular por duas semanas em uma linha que passa por quase toda a orla da capital baiana e será identificado, para que os passageiros saibam que se trata de um elétrico.

Híbridos em Curitiba

Em 2012, a cidade de Curitiba começou a utilizar ônibus híbridos feitos no Brasil. Movidos a eletricidade e biodiesel, os veículos são produzidos pela Volvo e reduzem em 90% a emissão de poluentes, na comparação com os ônibus convencionais.



Hibribus, de Curitiba (Foto: Divulgação)

Chamado de Hibribus, é mais silencioso, não emite ruídos em cerca de 30% do tempo de operação. O modelo é fabricado na unidade da montadora Volvo em Curitiba, a primeira a produzir o Hibribus fora da Suécia, sede mundial da marca. Os ônibus híbridos começaram a ser fabricados no país em junho de 2012.

fonte: G1

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Bilhete Único mensal começa a ser testado em São Paulo

11/11/2013 -  Bom Dia Brasil - TV Globo

A prefeitura de São Paulo começou a testar no domingo (10) um novo modelo de bilhete para os ônibus da cidade.

Não foi preciso trocar as catracas ou os leitores do bilhete. Só atualizar o programa. E funcionou tudo bem.

Esse novo bilhete vai ter um preço único, fixo, e poderá ser usado o mês inteiro, para quantas viagens o passageiro quiser.

Mas especialistas alertam: essa medida vai ter um custo, que deve sair do bolso de quem usa o sistema.

Ficou até estranho chamar de cobrador quem mal vê dinheiro. Agora, quase toda cobrança é entre o passageiro e a máquina.

Em São Paulo, com o Bilhete Único, a gente paga uma passagem – R$ 3 – e pega até quatro ônibus – ou três ônibus, mais o metrô, ou o trem. Isso se for num intervalo de três horas – ou duas, no caso de estudantes e trabalhadores que recebem o vale transporte.

E esse cartãozinho de débito cada um carrega com o valor que acha melhor.

No fim deste mês deve começar a valer um novo Bilhete Único – agora, com valor fixo para ser usado à vontade por um mês. Serão R$ 140 por mês. Ou R$ 70, para estudantes. Sem limite de quilometragem.

"Gasto R$ 250 por mês. Se passasse a gastar R$ 140 melhoraria bastante. Isso, no bolso, dá para fazer uma feirinha", diz a cozinheira Telma Oliveira Santos.

"Hoje a gente percebe que no final do mês a própria demanda pelo serviço cai um pouco, o que está ligado à pessoa ficar com o dinheiro mais contado. Com esse bilhete, ela consegue se locomover sem ficar se preocupando se vai faltar dinheiro para ir trabalhar nos últimos dias do mês", avalia o diretor de gestão econômico-financeira da SPTrans, Adauto Farias.

Mas, para isso, a prefeitura vai ter que aumentar o dinheiro repassado às empresas de ônibus.

O adicional pode chegar a R$ 400 milhões. 

O especialista em transporte Sérgio Ejzenberg diz que a prefeitura vai precisar arrecadar mais para poder pagar esse valor e a conta vai acabar no bolso do cidadão.

"Esse dinheiro vai sair da mesma população da cidade de São Paulo. Tira de um bolso, vai para o outro, mas encarece o de todos. Não existe nada de graça", explica o mestre em transportes.

Com esse Bilhete Único, o passageiro deve economizar cerca de R$ 60.

O Bilhete Único mensal só começa a valer no dia 30 de novembro. Mas, para ter direito a ele, as pessoas precisam se cadastrar pela internet.

O Bom Dia Brasil fez o teste e foi bem complicado: foram 20 minutos para preencher tudo. E no final não deu certo porque a pessoa não tinha uma foto digitalizada.

A SPTrans, que gerencia o sistema de ônibus da cidade, não se manifestou sobre isso.

SP ganha mais 7,9 km de faixas para ônibus nesta segunda-feira

10/11/2013 18h01 - G1

Serviço será implantado em avenidas da Zona Oeste da capital.

Corifeu de Azevedo Marques terá mais 4,3 km de faixa exclusiva.

Do G1 São Paulo

A cidade de São Paulo ganhará mais 7,9 km de faixas exclusivas para ônibus nesta segunda-feira (11). Fazem parte desta ampliação 3,6 km nas avenidas Jaguaré e Queiroz Filho e outros 4,3 km que serão adicionados na Avenida Corifeu de Azevedo Marques, todas vias da Zona Oeste. Com isso, a malha de faixas exclusivas implantadas neste ano chegará a 256,6 km.

As intervenções fazem parte da "Operação Dá Licença para o Ônibus", que busca melhorar a velocidade dos ônibus ampliando o número de faixas exclusivas na cidade.

Nas avenidas Jaguaré e Queiroz Filho, os ônibus terão exclusividade ao longo de 3,6 km, em ambos os sentidos da via, de segunda a sexta-feira, das 6h às 20h e, aos sábados, das 6h às 14h. Na Avenida Jaguaré, o trecho que ganhará o serviço vai da Praça César Washington Alves de Proença até a Ponte do Jaguaré. Na Avenida Queiroz Filho, entre a Ponte do Jaguaré e a Avenida Padre Pereira de Andrade.

Na Corifeu de Azevedo Marques, o novo trecho terá 4,3 km de extensão, e o transporte coletivo terá exclusividade à direita em ambos os sentidos da avenida, entre a Rua Martin Luther King e a Avenida Engenheiro Heitor Antônio Eiras Garcia, de segunda a sexta-feira, das 6h às 20h, e aos sábados, das 6h às 14h.

Além desse complemento, a partir desta segunda, a faixa exclusiva já existente na Avenida Corifeu de Azevedo Marques (entre a Praça Elis Regina e a Avenida Vital Brasil), e na Vital Brasil no sentido bairro (entre a Praça Jorge de Lima e a Av. Corifeu de Azevedo Marques), passará a operar também de segunda a sexta-feira, das 6h às 20h, e aos sábados, das 6h às 14h.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Dilma faz quarto anúncio para transporte público em São Paulo

08/11/2013 - Folha de SP / O Estado de SP

A presidente Dilma Rousseff fez ontem sua quarta viagem ao Estado de São Paulo para anúncios de investimentos em mobilidade urbana no segundo semestre. A visita segue a estratégia do Planalto após os protestos de junho, quando a petista prometeu R$ 50 bilhões para o setor.

Depois do auge das manifestações, a presidente intensificou viagens pelo país para anunciar verbas e entregar obras. Em São Paulo, governado desde 1995 pelo PSDB, ela priorizou eventos relacionados ao transporte público.

Ontem, Dilma anunciou R$ 769 milhões para a construção de corredores nas cidades de Guarulhos e Osasco. Ambas são geridas pelo PT.

O prefeito paulistano, Fernando Haddad (PT), alvo de críticas pela elevação das tarifas de transporte e pelo aumento do IPTU, dividiu o palanque com a presidente.

A petista já havia anunciado, em julho, recursos para corredores em São Paulo e, em agosto, para a região do ABC. No dia 25, ela liberou verbas federais para linhas e estações do metrô e da CPTM.

Nos eventos, adotou o discurso de que só nas gestões do PT o governo federal passou a investir em mobilidade.

O Estado de SP

Sem Alckmin, Dilma anuncia verba em SP

A presidente anunciou a liberação de R$ 774 milhões para obras de mobilidade urbana na cidade e em Osasco

Em um evento realizado nesta quinta-feira, 07, em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, sem a presença do governador Geraldo Alckmin (PSDB), a presidente Dilma Rousseff anunciou a liberação de R$ 774 milhões para obras de mobilidade urbana na cidade e em Osasco.

Os dois municípios são governados pelo PT. Único representante do governo estadual presente ao ato, o secretário de Planejamento, Júlio Semeghini, não pode fazer discurso e foi citado discretamente pelos oradores. As obras não contam com recursos do governo estadual.

Em sua fala, que durou 38 minutos, a presidente exaltou os investimentos de R$ 21 bilhões que o governo federal está fazendo no Estado de São Paulo, parte desse valor a fundo perdido. "Uma parte (dos R$ 21 bilhões) é do Orçamento Geral da união, dinheiro que é a fundo perdido. Outra parte é empréstimo", disse. "No Brasil não se tinha empréstimo adequado a obras desse porte, que dê tempo para retornar o investimento, com 30 anos para pagar, cinco de carência e juros subsidiados", completou. O evento foi dominado por políticos e prefeitos petistas, entre eles Fernando Haddad. Dilma liberou R$ 645 milhões para obras de mobilidade em Guarulhos, com corredores de ônibus e um trevo de acesso à Via Dutra, e outros R$ 129 milhões para Osasco.

Uma claque de médicos cubanos que vieram para trabalhar na cidade pelo programa Mais Médicos, que deve ser uma das vitrines da campanha do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governo paulista em 2014, participou da solenidade trajando jalecos brancos.

Manifestantes Durante o discurso de Dilma, um grupo de 30 manifestantes entrou em confronto com a polícia ambiental e a Polícia Militar de Guarulhos,Eles estavam em frente ao local do evento desde início da tarde.

O grupo gritava palavras de ordem contra a Copa do Mundo e picharam o muro de um imóvel em frente ao local, com as frases: "Todo apoio aos black blocs" e "Guarulhos também tem revolta popular". Um jovem foi detido e levado do local por um carro da Guarda Civil de Guarulhos para o 4º DP da cidade. De acordo com manifestantes, o menino tem 13 anos.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Cinquenta ônibus terão Wi-Fi grátis na cidade de São Paulo

06/11/2013 - Via Trólebus, Renato Lobo

A SPTrans vai começar a testar nas próximas semanas Wi-Fi grátis em 4 linhas da cidade de São Paulo

Os testes serão feitos em ônibus que circulam de m
Os testes serão feitos em ônibus que circulam de madrugada
créditos: Fernando Pereira/Secom
 
Serão cerca de 50 ônibus que terão a funcionalidade, com apoio de diversas empresas, como Telefônica/Vivo, Etra e Clever Devices, dentre outras. Anteriormente 20 veículos da linha 509M-10 (Jardim Miriam–Terminal Princesa Isabel) já tinham a funcionalidade, e o sistema atendeu às expectativas da SPTrans.
 
De acordo com o site Mobile Time, os veículos serão equipados com displays informativos, sensores de presença, câmeras e roteador Wi-Fi conectado à rede celular, que fará a comunicação de dados entre o veículo e os sistemas da SPTrans. O superintendente de tecnologia da informação da gerenciadora do transporte paulista, Gilmar Loepper, conta que a meta é ter todos os ônibus da capital paulista conectada dentro de dois anos.
 
Medição do fluxo
Além do Wi-Fi grátis, os veículos terão quatro câmeras instaladas no interior dos coletivos para filmar as viagens o tempo todo, sendo que sensores instalados nas portas de saída medirão o fluxo de pessoas ao longo da linha, dando base para o planejamento da SPTrans sobre a quantidade necessária de ônibus por linha. Deverão ter ainda Painéis de Mensagens Variáveis (PMV) no interior dos veículos para informar aos passageiros qual é a próxima parada.
 
Neste primeiro momento os testes serão feitos em ônibus que circulam de madrugada, período sem grande movimento.