quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Novos ônibus começam a circular na cidade

22/12/2010 - Estado News

Novos Onibus21122010 0886 as Smart Object 1 300x187 Novos ônibus começam a circular na cidade
Os veículos são equipados com elevador para acesso de deficientes físicos

Novos ônibusNa última segunda-feira, o prefeito Vitor Lippi entregou 12 novos ônibus para o Sistema de Transporte Coletivo da cidade. Todos os veículos são equipados com elevador para acesso dos portadores de deficiência física.

Por enquanto, não são todos os ônibus que estão nas ruas, mas aos poucos eles vão substituindo a antiga frota, melhorando também a condição de transporte dos usuários.

O presidente da Urbes, Renato Gianola, disse que dessa nova frota, dois veículos têm quinze metros, para circulação em corredores de grande demanda de passageiros, devido à sua maior capacidade de lotação, uma linha que pode receber um desses ônibus é a do Campolim.

Em Sorocaba, atualmente, são quatro empresas que são responsáveis pelo transporte urbano, sã elas: São João, Rosa, Jundiá e STU. Os novos ônibus devem integrar as linhas feitas pela STU, sendo que as outras empresas já circulam com ônibus novos e com acesso aos portadores de deficiência.

Reportagem: Daniela Campos 
Fotos: Renata Momi

Ônibus a hidrogênio começa a rodar com passageiros

20/12/2010 -  por blogpontodeonibus

Ônibus Marcopolo Viale / Tuttotrasporti com equipamentos de tração a hidorgênio importados já leva passageiros em testes

Testes com ônibus a hidrogênio têm surpreendido EMTU
Consumo do veículo em trechos do Corredor ABD é menor do que o previsto

A EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos – tem até o momento se mostrada satisfeita com as análises preliminares do desempenho e do consumo do ônibus a hidrogênio que começou, a título de testes, transportar passageiros desde a última quinta-feira, dia 12 de dezembro.
A média estimada de consumo é de 15 quilos de hidrogênio a cada 100 quilômetros percorridos, mas em alguns trechos do Corredor entre São Mateus, zona Leste da Capital Paulista, e Jabaquara, na zona Sul de São Paulo, passando pelos municípios de Santo André, São Bernardo do Campo e Diadema, a média de consumo chega a ser inferior a isso. Assim, as operações com ônibus a hidrogênio podem sair mais baratas que o estimado, embora ainda com valor elevado.

É que apesar de ser considerado o primeiro ônibus hidrogênio brasileiro, do Brasil mesmo ele só tem a carroceria, Marcoplo Viale, e o chassi, da Tuttotrasporti.

A célula de combustível de hidrogênio, os tanques reservatórios que ficam sobre o ônibus, os cilindros e o motor elétrico, entre outras peças de alto valor, ainda são de outros países.

O desenvolvimento do ônibus a hidrogênio para circular no corredor da EMTU, operado pela Metra, custou US$ 16 milhões e contou com recursos do PNUD, que é o fundo de desenvolvimento das Nações Unidas, Ministério de Minas e Energia, além de entidades ligadas à tecnologia e meio ambiente.

O ônibus a hidrogênio circula em períodos e trechos alternados do Corredor que serve o ABC Paulista e desde a última quinta-feira transporta passageiros.

O valor da tarifa é normal, sendo aceito somente o bilhete magnético de R$ 2,65.
O veículo só não opera ainda em horários de pico.

MAIS HIDROGÊNIO: 

A EMTU estima que até 2012 mais três ônibus a hidrogênio comecem a operar no Corredor que liga a região do ABC Paulista à partes das zonas Sul e Leste de São Paulo.

Para isso, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos aguarda que haja incentivo à indústria nacional para que boa parte dos componentes hoje importados seja produzida no Brasil, o que diminuiria os custos de aquisição e manutenção dos ônibus.

O ônibus hidrogênio reduz 100% a emissão de poluentes, como o trólebus, com a vantagem de ser flexível, sem depender de fios de rede aérea.

Sua tração é elétrica.

Simplificando como ocorre o funcionamento do ônibus, os tanques colocados em cima do veículo enviam o hidrogênio até a célula de combustível. Pela eletrólise, é realizada a separação do hidrogênio e do oxigênio.
Neste processo há geração de energia elétrica, que é captada pelo motor de tração, fazendo o ônibus funcionar.

O subproduto da eletrólise é transformado em vapor d’água.
O ônibus possui baterias de alto desempenho para captação e armazenamento de energia elétrica.

Isso garante funcionabilidade em trechos que possam exigir mais esforço do sistema ou mesmo autonomia para o ônibus andar, mesmo com a geração de energia na célula de combustível interrompida.

As baterias garantem uma autonomia sem geração de energia de 30 quilômetros, mais do que o suficiente para o ônibus voltar à garagem, levando em conta que o trecho do corredor onde opera tem 33 quilômetros e o pátio fica quase no meio do percurso.

A energia também é aproveitada pelo sistema denominado frenagem regenerativa, como o suado na Fórmula 1.
A energia extra que não é utilizada nos momentos de frenagem pelo fato do ônibus ser menos exigido e também a gerada pelo atrito entre os freios e a roda é levada para as baterias de armazenamento.

O ônibus possui 9 tanques de hidrogênio, que juntos totalizam 45 quilos de combustível, o que, só de hidrogênio dá uma autonomia de 300 quilômetros percorridos.

Como as condições de relevo e pavimento do corredor são melhores que em situações normais, o rendimento, por enquanto, tem se mostrado superior.

A população tem aprovado. É mais conforto e menos barulho.

Adamo Bazani.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Ubatuba tem nova frota de ônibus ecológicos circulando pelo município

11/11/2010 - VN News

São 12 novos veículos com motores eletrônicos, que atendem às normas Euro III de emissão de poluentes

onibus ecologico

Os cidadãos que costumam utilizar os serviços da empresa de ônibus local já perceberam que uma nova frota está rodando pela cidade. A novidade é que esses novos ônibus são ecológicos, pois atendem ao padrão europeu de emissões de poluentes chamado de EURO III.

Ao todo, são 12 veículos, que atendem também às normas de acessibilidade, com elevadores para cadeiras de rodas e espaço para cães-guia de deficientes visuais.

Segundo Carlos Eduardo Ferreira Martins, diretor da empresa que agora se chama "Expresso Verde Bus", a nova frota é um compromisso firmado com o prefeito, visando a melhoria dos serviços prestados à cidade. 

"Assumimos a empresa há seis meses e nos comprometemos a dar maior conforto à população, sem perder de vista a necessidade da preservação do meio ambiente. Nossa perspectiva é substituir gradativamente os veículos antigos por esses ônibus modernos, até que todos os ônibus da empresa sejam ecológicos."

Transporte coletivo terá doze ônibus novos com acessibilidade

20/12/2010 - Cruzeiro do Sul



Sorocaba recebeu 12 novos ônibus adaptados com elevadores para o acesso de deficientes físicos, na manhã desta segunda-feira (20). Os novos coletivos passam a operar em linhas do Sistema a partir desta terça-feira dia 21.

A solenidade aconteceu às 9h, no estacionamento da Prefeitura de Sorocaba, com a entrega das chaves feita pelo prefeito Vitor Lippi à população. A nova frota de ônibus é composta por 2 ônibus de 15 metros que apresentam maior capacidade de carregamento, 5 ônibus de tecnologia Padron (maiores que os convencionais) de com motor eletrônico e suspensão reforçada, 5 ônibus de tecnologia convencional.

Com a entrega dos novos veículos, a população de Sorocaba passa a contar com 215 ônibus adaptados para portadores de deficiência. No total, a Prefeitura já renovou 60% da frota, melhorando a acessibilidade no transporte coletivo.

Viação Piracicabana vence licitação em Praia Grande

20/12/2010 -  A Tribuna On-line

Créditos: Divulgação

A Viação Piracicabana venceu a licitação para a concessão de serviços de transporte coletivo urbano em Praia Grande. O novo contrato, homologado na última semana, será assinado nesta quinta-feira, no Gabinete do prefeito Roberto Francisco dos Santos. 

A empresa, conforme informações da assessoria de imprensa da Prefeitura, atendeu todas as exigências feitas pela Administração. O valor do contrato será de de R$ 20 milhões. 

As exigências da Prefeitura para a empresa vencedora são a reforma nos Terminais Rodoviários Tatico (Bairro Mirim) e Tude Bastos (Bairro Sítio do Campo); a construção de estações de transbordo (para transferências e embarque de passageiros) nos Bairros Samambaia e Vila Sônia; a construção de, no mínimo, 300 abrigos em pontos de ônibus; garagem para os veículos; sistema de monitoramento com GPS; 10 painéis eletrônicos nas paradas com informações sobre o transporte municipal e 69 ônibus na frota com, no mínimo, 10% dos veículos adaptados ao acesso de portadores de necessidades especiais.

O valor do contrato será de R$ 20.800.000,00 e todos os bens reversíveis (novas estações de transbordos, abrigos e painéis eletrônicos), após o término do contrato, passarão a pertencer ao patrimônio público. O contrato será válido por cinco anos, podendo ser renovado por igual período.

Empresa apresenta novo ônibus para transporte coletivo de Campinas

21/12/2010 - Portal de Paulínia

img

O prefeito de Campinas, Hélio de Oliveira Santos, e o secretário municipal de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), Gerson Luis Bittencourt, conheceram na manhã desta segunda-feira, dia 20, o Mega BRT, inovador modelo de ônibus articulado que será adotado no sistema de transporte coletivo de Campinas a partir de 2011.

O Mega BRT foi desenvolvido pela empresa Neobus, de Caxias do Sul, e destaca-se pelo padrão de conforto oferecido ao usuário, com conceito dos veículos semelhante ao do trem bala.

“É um veículo com cara de metrô, que será adotado inicialmente no corredor expresso da região Noroeste (o Corredor Campo Grande, na Avenida John Boyd Dunlop)”, disse o prefeito Dr. Hélio.

De acordo com o prefeito, a cidade aguarda a liberação de verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) II da Mobilidade Urbana para dar início à implantação do corredor da John Boyd Dunlop. 

“Aguardamos a liberação de verbas do PAC II. É certo que o PAC II privilegiará as cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, mas Campinas também deverá ser contemplada porque possui o Aeroporto Internacional de Viracopos, que receberá boa parte das delegações e do público que assistirá à Copa e aos Jogos de 2016”, disse o prefeito. 

A expectativa do secretário Bittencourt é que a cidade receberá de 50 a 60 veículos com as características do Mega BRT nos próximos dois anos. O contrato de concessão do Sistema InterCamp prevê a aquisição de novos veículos articulados no processo natural de renovação da frota e a cidade determinará às concessionárias a aquisição deste tipo de veículo.

“Trata-se de um veículo com características modernas e inovadoras, que mantém o padrão universal de acessibilidade da frota, além de agregar novas características importantes, como dispositivos de informação sonoro e visual e a integração com o sistema de bicicletas”, disse Bittencourt.

O Mega BRT

img

Recém-lançado, o uso do Mega BRT ainda é inédito no país, mas a Prefeitura de Curitiba já assinou um contrato para utilização do modelo, que deverá entrar em circulação na capital paranaense a partir de fevereiro de 2011.

O veículo possui estrutura semelhante à de um ônibus articulado, mas destaca-se pelas medidas mais generosas, que ampliam o conforto oferecido ao usuário. O corredor do veículo, por exemplo, possui largura de 2,60m, contra 2,50m de um veículo convencional. Já sua altura é de 2,20m, enquanto a altura média de um ônibus convencional é de 1,90m.

O veículo conta ainda com sistema de ar condicionado; monitores em LCD; painéis de mensagem variável e sistema sonoro para informar ao usuário sobre as paradas ao longo do itinerário; cinto de segurança nos assentos preferenciais; área reservada para o transporte de bicicletas; maior área envidraçada e rede wi-fi. 

“É um projeto diferenciado, que adota o conceito de trem bala para o veículo. Oferece um conforto diferenciado porque nosso objetivo é criar uma opção atraente para que as pessoas deixem seu automóvel em casa e possam fazer a opção pelo transporte público”, destacou o diretor de engenharia da Neobus, Adelir José Boschetti.

O Mega BRT tem capacidade para transportar 150 pessoas, entre passageiros sentados e em pé. O custo de cada veículo é estimado em torno de R$ 600 mil.

sábado, 18 de dezembro de 2010

VLP fará ligação Centro-Viracopos

10/08/2010 - Correio Popular

Segunda fase do projeto de veículo leve sobre pneus de Campinas prevê linha para aeroporto 

O projeto do veículo leve sobre pneus (VLP) para o Corredor Ouro Verde já está definido em detalhes para ser incluído no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade. O novo modelo de transporte de massa deve atender a 120 mil passageiros por dia ligando a Estação Cultura, na região central, até o Terminal do Ouro Verde, numa primeira fase, e posteriormente até o Aeroporto Internacional de Viracopos.

A proposta

É o principal item do plano de mobilidade urbana para Campinas que vai ser apresentado até o começo de setembro para o governo federal. A previsão é que a licitação seja aberta ainda neste ano.

Além do VLP, o projeto desenvolvido pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), em parceria com as consultorias Sistran e Planserv, também prevê a construção do Corredor Campo Grande, que adotará o modelo Bus Rapid Transit (BRT), similar ao adotado em Curitiba com ônibus biarticulados, e uma ligação entre os dois corredores.

O secretário de Transportes e presidente da Emdec, Sérgio Torrecillas, avalia que os recursos necessários para as obras, que virão integralmente do PAC do governo federal, são de até R$ 600 milhões, sendo dois terços desse valor apenas para o VLP.

O traçado do VLP

Prevê saída da Estação Cultura, passagem pela Avenida João Jorge, segue pela Avenida Amoreiras e depois continua na Avenida Ruy Rodriguez até o Terminal Ouro Verde.

A segunda fase, prevista para depois da expansão do aeroporto, vai ligar o terminal até Viracopos. A extensão da linha é de 18 quilômetros. A maior parte do percurso aproveita o leito antigo do veículo leve sobre trilhos (VLT).

De acordo com Torrecillas, o VLP vai aliviar o tráfego na ligação entre o Centro e o Ouro Verde, reduzindo 60% da frota de ônibus que circula pela região. “Vai ter um impacto muito positivo no trânsito e as obras não vão interferir no tráfego da região”, garante. O transporte será totalmente integrado à rede municipal, aceitando o bilhete único.

O plano

O plano da Prefeitura é alternar composições expressas, que fazem todo o percurso até o Ouro Verde em 20 minutos, e outras realizando até 20 paradas, num intervalo de pelo menos 700 metros entre cada uma. “A grande vantagem desse modelo em relação ao VLT é que ele permite ultrapassagens, o que vai facilitar para que esse sistema seja adotado”, explica.

Movido a eletricidade, o VLP é um modelo de transporte público ainda inédito no Brasil, similar a um metrô com pneus. Cada composição terá de quatro a seis vagões, com capacidade total para transportar até 250 pessoas. Nos horários de pico, até seis composições vão circular simultaneamente.

Processo

Torrecillas está otimista com a liberação de recursos federais para a obra. O projeto vai concorrer com propostas de outras cidades por uma fatia do montante de R$ 18 bilhões que o governo vai liberar no PAC para programas de mobilidade. “O presidente (Luiz Inácio Lula da Silva) sempre diz que os melhores projetos vão ser contemplados. Tenho certeza de que o projeto que vamos apresentar está muito bem embasado e vai agradar”, afirma.

A partir da aprovação federal, o secretário avalia que o processo licitatório deve levar de três a seis meses, para então iniciar as obras, provavelmente em meados de 2011. A primeira fase da construção do VLP deve durar 2 anos.

O NÚMERO

60 KM/H é a velocidade máxima que o VLP deve atingir nos trechos com menor movimentação de pedestres.

Corredor vai usar leito do antigo VLT

O Corredor do Campo Grande também vai aproveitar parte do leito desativado do VLT. O corredor exclusivo para ônibus biarticulados está previsto para sair da antiga Fepasa, local que deve ser repassado do governo federal para a administração municipal. O trajeto deve seguir boa parte da Avenida John Boyd Dunlop. Os dois corredores serão ligados por uma avenida que deverá ter 4,5 quilômetros de extensão e que contará com linhas de ônibus.

Mobilidade urbana 

Com as obras, o plano de mobilidade urbana pretende atender inicialmente 250 mil pessoas por dia, numa das regiões mais movimentadas da cidade. O plano inicial era que os VLPs circulassem nos dois corredores, mas a Prefeitura avaliou que o projeto empacaria por exigir um montante ainda maior de recursos financeiros. A Prefeitura vai ser responsável pelas obras de infraestrutura de implantação do VLP e depois conceder a operação dos corredores por um período que deve variar entre 30 e 40 anos. Alguns grupos internacionais já se interessaram pelo projeto, como a japonesa Mitsui. Executivos da empresa estiveram em Campinas com representantes da francesa Lohr Industrie, que fabrica e comercializa sistemas de transportes de passageiros, para conhecer o projeto.

Fonte: 
Correio Popular (AAN)
Site da Materia:
http://www.viracopos.com.br/

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Grande SP ganha 1º ônibus a hidrogênio

16/12/2010 -R7

Testes do veículo começam às 12h30 desta quinta-feira (16)

Divulgação/EMTU
Divulgação/EMTU
Ônibus movido a hidrogênio polui menos, diz EMTU

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos, por meio da EMTU (Empresa Metropolitana de Transporte Urbano) de São Paulo, realiza nesta quarta-feira (16), a partir de 12h30, o primeiro teste com passageiros do ônibus intermunicipal movido a hidrogênio.

O veículo levará passageiros por um trecho do Corredor Metropolitano ABD, entre São Mateus (zona leste) e Jabaquara (zona sul). Segundo a EMTU, este é o primeiro ônibus intermunicipal do tipo na América Latina.

O ônibus movido a hidrogênio polui menos que os veículos tradicionais porque não elimina substâncias poluentes e agressivas ao meio ambiente.

Em maio deste ano, o Rio de Janeiro ganhou um ônibus municipal do tipo, desenvolvido por pesquisadores da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). O ônibus usa eletricidade e hidrogênio para se locomover.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Scania fornecerá 50 ônibus a etanol para a cidade de São Paulo

08/12/2010 - Scania 

Foto: Busologia Mundial


Convênio

Montadora assina convênio com a Prefeitura, Única, Cosan e operadora do sistema Metropolitana. A Scania do Brasil acaba de fechar a venda de 50 ônibus a etanol para uma das operadoras do sistema de transportes da cidade de São Paulo, a Viação Metropolitana. No protocolo de intenções para a compra dos modelos, assinado no gabinete da Prefeitura de São Paulo, a montadora também será responsável por garantir a manutenção preventiva dos veículos até 120 mil quilômetros rodados por unidade.
Acordo

"Hoje a Scania, Viação Metropolitana, Única, COSAN e a Prefeitura da cidade de São Paulo dão um passo extremamente importante em sustentabilidade que garante um futuro mais saudável à população. O Etanol é, no momento, a solução mais viável no Brasil dentre os combustíveis renováveis por apresentar a melhor relação custo x eficiência em níveis de emissões e disponibilidade", afirma Wilson Pereira, gerente executivo de Vendas de Ônibus da Scania Brasil.

Ônibus

Os novos ônibus sustentáveis K 270 4x2 da Scania, com entrega prevista em lotes a partir de maio de 2011, possuem motor de 9 litros de 270 cavalos de potência e serão abastecidos com etanol, adicionado a 5% de aditivo promovedor de ignição. Esse combustível renovável é capaz de reduzir a emissão de CO2 em até 90%. A alta tecnologia dos modelos já atende às exigências da legislação brasileira de emissão de gases poluentes e a Euro V, que só entrará em vigor no País em 2012, além da EEV (Enhanced Environmentally Friendly Vehicles), norma obrigatória na União Européia.

A iniciativa da compra dos 50 veículos pela cidade de São Paulo coloca a Scania como a única fornecedora de ônibus a etanol, confirmando o pioneirismo e tradição em ser provedora de soluções sustentáveis em transportes, oferecendo produtos que causem o mínimo de impacto ao meio ambiente.

Por acreditar no ônibus a etanol, a Scania adquiriu ao longo dos anos uma enorme experiência no segmento. "Há 20 anos comercializamos o produto na Europa. Agora saímos na frente na disputa pelo mercado brasileiro, especialmente em São Paulo, se considerarmos que para cumprir as metas de política ambiental, todo o município paulista terá de ter uma frota de ônibus composta por veículos movidos a combustíveis 100% renováveis até 2018", afirma o executivo.

Negócio

Os 50 ônibus movidos a etanol que rodarão na cidade são do modelo K 270 4x2. Com motor 9 litros de 270 cavalos de potência, os veículos serão utilizados pela Viação Metropolitana, uma das operadoras do sistema de transportes de São Paulo.

Antes da venda para a Viação Metropolitana, a Scania já havia cedido para a cidade de São Paulo dois veículos movidos pelo combustível que foram usados durante três anos em operação de tráfego normal. A primeira unidade foi entregue em 2007 e a segunda em 2009.

Os ônibus a etanol da Scania Série K comprovaram que são uma excelente alternativa para o transporte urbano. A disponibilidade do produto já gerou interesse de alguns órgãos gestores e a montadora apresentará os esclarecimentos técnicos solicitados em diferentes capitais brasileiras.
Scania

A Scania é um dos principais fabricantes mundiais de caminhões e ônibus para transporte pesado e de motores industriais e marítimos. Os produtos de serviços têm participação crescente nos negócios da empresa, assegurando aos clientes soluções de transporte econômicas e com alta disponibilidade operacional. Com 32 mil colaboradores, a Scania está presente em mais de 100 países e possui operações industriais na Europa e na América do Sul, com possibilidade de intercâmbio global de componentes e veículos completos. Em 2009, as receitas totais da Scania alcançaram 62 bilhões de coroas suecas e o resultado financeiro após a dedução de impostos foi de 1,1 bilhão de coroas suecas.

Responsabilidade

De acordo com a prefeitura, essa ação atende à Política Municipal de Mudanças do Clima na Cidade de São Paulo, instituída pela Lei nº 14.933, de 5 de junho de 2009, que, conforme a legislação vigente, a administração está comprometida a diminuir em pelo menos 10% ao ano o uso de combustíveis fósseis. Dessa forma, todos os ônibus do sistema do transporte público do município serão movidos por combustíveis renováveis não-fósseis até 2018.

Segundo a prefeitura, os custos estipulados para a utilização da frota movida a etanol aditivado serão provenientes das multas aplicadas aos motoristas que não realizaram a Inspeção Veicular Ambiental. A Secretaria Municipal de Transportes informa que, em princípio, os 50 veículos circularão em princípio nos corredores da capital.

http://www.scania.com.br/

Terminal Urbano do Cecap, em Guarulhos, começa a funcionar no aniversário da cidade

02/12/2010 - Guarulhos Notícias

Prefeitura inaugura obra no próxima quarta-feira (8); passageiros poderão fazer integração gratuita entre as linhas em operação

No Terminal, as pessoas poderão fazer transferências gratuitas entre os ônibus em circulação (Foto:José Luiz)


A Prefeitura entrega na próxima quarta-feira (8), o Terminal Urbano da Rodoviária de Guarulhos. Quatorze linhas municipais circularão pelo local, perfazendo um total de 73 veículos e cerca de 43 partidas por hora nos períodos de maior movimentação.

Para o funcionamento do Terminal, o Departamento de Transportes, órgão ligado à Secretaria de Transportes e Trânsito, promoveu a adequação de linhas já existentes e alterou o itinerário de algumas das viagens, sem deixar de atender os passageiros que utilizam essas linhas atualmente.

No Terminal, as pessoas poderão fazer transferências gratuitas entre os ônibus em circulação. A exceção será a linha 45 – Terminal Rodoviário / Praça das Palmeiras, que já é gratuita e permanecerá dessa forma, não sendo permitido desembarcar no local.

“A adequação dessas linhas para o Terminal Urbano propiciará melhor acesso às regiões do Parque Cecap, Aeroporto, Pimentas e Cidade Satélite de Cumbica. Haverá a interligação de 14 bairros e de quatro corredores de ônibus, compreendendo os bairros do Taboão, Jardim São João, Centro e Pimentas”, informa o diretor de Transportes, Arnaldo Caputo.

Confira as 14 linhas que passam a funcionar no Terminal Urbano da Rodoviária de Guarulhos:

C01 – Praça 8 de Dezembro / Cidade Satélite (via Bela Vista)

C02 – Praça 8 de Dezembro / Cidade Satélite

8B – Parque Stella / Aeroporto (volta)

9B – Vila União / Cidade Satélite

12 – Terminal Rodoviário / Shopping Internacional

12A – Praça das Palmeiras / Shopping Internacional

17 – Jardim Vila Galvão / Aeroporto

81A – Jardim Santa Paula / Centro

187-1 – Pimentas / Bom Clima

187-2 – Jardim Arujá / Centro

45 – Terminal Rodoviário / Praça das Palmeiras

80 – Terminal Rodoviário / Aeroporto

25 – Aeroporto / Praça da Saudade (volta)

25A – Aeroporto / Base Aérea (volta)

Serviço: O Terminal Urbano da Rodoviária de Guarulhos fica na Alameda dos Lírios, s/n – Cecap, em frente ao Hospital Geral de Guarulhos.