quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Campina: Prefeito visita terreno onde funcionará Terminal de Integração Temporal

28/08/2013 - Prefeitura de Campinas

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, esteve no conjunto Chico Mendes, onde vistoriou o terreno onde serão construídas as futuras instalações do Terminal de Integração Temporal da cidade. A ação dará continuidade ao projeto de transporte por cartão temporal, sendo o terminal um ponto fixo que permitirá fazer interligação com outras linhas.

Segundo Romero, além das melhorias dos serviços de transporte público, a presença do terminal trará outros benefícios para a região. "As obras serão de muita importância para as Malvinas, Chico Mendes, Mariz, enfim, toda a região que será contemplada pelo Terminal de Integração Temporal. Além disso, os moradores terão mais segurança com a instalação de um novo sistema de iluminação e melhoramento da malha viária. Será um avanço que preservará a prática de esporte que aqui acontece, pois a Prefeitura irá ceder um novo terreno com melhor estrutura para os desportistas do Chico Mendes", explicou o prefeito.

O terminal será instalado através de uma parceria do Município com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Campina Grande (Sitrans), cabendo à prefeitura a cessão do terreno e as ações de infraestrutura no entorno do terminal, que será construído pelo Sitrans. O prefeito esteve acompanhado, durante a visita, do presidente da Câmara Municipal, vereador Nelson Gomes Filho, e do representante do Sitrans, Anchieta Bernardino.

Com informações: Codecom

Com faixa, ônibus é uma hora mais veloz que carro

Com faixa, ônibus é uma hora mais veloz que carro

27/08/2013 - Folha de SP

Fiscal da SPTrans anota placa de carro que trafega no corredor de ônibus no primeiro dia de multas no corredor norte-sul - Moacyr Lopes Junior/Folhapress

Os ônibus foram uma hora mais rápidos que os carros em toda a extensão da faixa exclusiva no corredor norte-sul, ontem, primeiro dia de operação da quarta e última etapa.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) também começou ontem a aplicar multas nos trechos iniciais, inaugurados a partir de 29 de julho. Houve bastante desrespeito.

A faixa tem 26,75 km e liga a av. Senador Teotônio Vilela, esquina com a av. Atlântica, na Cidade Dutra (zona sul), à praça Campo de Bagatelle, em Santana (zona norte).

A reportagem percorreu de manhã, de ônibus e de carro, toda a sua extensão, a partir da zona sul. No coletivo, partindo às 6h56, a viagem durou uma hora e 36 minutos. De carro, duas horas e 39 minutos, a partir das 6h47.

A velocidade média do ônibus foi de 16,7 km/h (acima da média de 13 km/h antes do início da operação). O carro fez média de 10 km/h.

INVASÃO

Os motoristas não respeitaram a faixa exclusiva no primeiro dia de fiscalização nos três trechos iniciais, entre a praça Campo de Bagatelle, e a av. Senador Teotônio Vilela.

Em 15 minutos (das 10h16 às 10h31), a reportagem flagrou 79 carros na via dos coletivos, perto do número 7.000 da avenida Washington Luís, no Campo Belo.

A maioria dos invasores saía do aeroporto de Congonhas e permanecia na pista da direita até a entrada para avenida dos Bandeirantes.

Segundo Valtair Ferreira Valadão, gerente da CET, funcionários da SPTrans (empresa que gerencia os ônibus da cidade) e 50 marronzinhos faziam a fiscalização.

A multa para quem invadir a faixa é de R$ 53,20, mais três pontos na carteira.

Os motoristas dizem que viram seu tempo de viagem aumentar com a segregação.

A consultora de informática Eloah Prata, 63, afirma que seu tempo de percurso, entre a Vila Mascote, no Jabaquara (zona sul), onde mora, e Santana (zona norte), onde trabalha, aumentou em uma hora.

"Se os ônibus tivessem qualidade, eu usaria."

QUARTO TRECHO

Apesar da orientação de marronzinhos, motoristas se confundiram ontem, primeiro dia de operação do quarto trecho da faixa exclusiva no corredor norte-sul --entre as avenidas Atlântica e Jangadeiro, na Cidade Dutra (zona sul). Por volta das 6h, o trânsito ficou carregado.

O empreiteiro João Rodrigues, 65, que utiliza a via todos os dias para ir ao trabalho, diz que ficou surpreso com as mudanças. "Vou procurar caminhos alternativos."

São Paulo e Guarulhos farão integração do uso do bilhete único

13/05/2013 - DCI

O deputado Gerson Bittencourt (PT) apresentou uma proposta para que o bilhete único, implantado em São Paulo e Guarulhos, possa ser utilizado pelos usuários do transporte coletivo nas duas cidades paulistas. O desafio foi lançado durante audiência pública realizada na última terça-feira na Assembleia Legislativa, em comemoração aos 9 anos da implantação do bilhete único na cidade de São Paulo. A audiência foi promovida pela Frente Parlamentar em Defesa da Implantação do Bilhete Único Metropolitano, coordenada pelo deputado Gerson Bittencourt.

Presentes na audiência, os secretários de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, e de Guarulhos, Atílio André Pereira, aceitaram o desafio e se prontificaram a dar início aos estudos para a integração do uso do bilhete único.

"Quem mora em Guarulhos e trabalha ou estuda em São Paulo e vice-versa poderá utilizar o cartão, com os benefícios proporcionados pelo bilhete único", explica o deputado. Segundo ele, é possível do ponto de vista técnico e operacional a integração do uso do sistema.

Já o secretário de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, considera "a ideia genial, pois não há custos nem dificuldades técnicas e vai facilitar a vida dos usuários". Segundo ele, se o cidadão usar o bilhete em São Paulo, o dinheiro fica para São Paulo, valendo o mesmo para Guarulhos.O secretário entende que "o governo do estado não liderou este processo, exemplo disso é a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), que não faz parte da integração".

O secretário de Transportes de Guarulhos, Atílio André Pereira, fez, durante a audiência, um telefonema ao prefeito Sebastião Almeida e relatou a proposta. "O prefeito autorizou a análise técnica da proposta, pois avaliamos que é possível fazer a integração do uso, sem prejuízos para a administração e com ganhos para os usuários", ponderou o secretário.

Estava presente também na audiência o secretário de Transportes de Campinas, Sergio Benassi, e o presidente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), Ailton Brasiliense.

Para Gerson Bittencourt, o uso do bilhete único é uma forma criativa e plausível "para não esperar mais a inoperância do governo do estado, que há mais de dez anos discute a implantação do bilhete único na Região Metropolitana de São Paulo". O deputado também sugeriu ao secretário de Transportes de Campinas, Sérgio Benassi, que estude esta integração entre Campinas e outras cidades da Região Metropolitana.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

São Paulo e Guarulhos farão integração do uso do bilhete único

13/05/2013 - DCI

O deputado Gerson Bittencourth (PT) apresentou uma proposta para que o bilhete único, implantado em São Paulo e Guarulhos, possa ser utilizado pelos usuários do transporte coletivo nas duas cidades paulistas. O desafio foi lançado durante audiência pública realizada na última terça-feira na Assembleia Legislativa, em comemoração aos 9 anos da implantação do bilhete único na cidade de São Paulo. A audiência foi promovida pela Frente Parlamentar em Defesa da Implantação do Bilhete Único Metropolitano, coordenada pelo deputado Gerson Bittencourt.

Presentes na audiência, os secretários de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, e de Guarulhos, Atílio André Pereira, aceitaram o desafio e se prontificaram a dar início aos estudos para a integração do uso do bilhete único.

"Quem mora em Guarulhos e trabalha ou estuda em São Paulo e vice-versa poderá utilizar o cartão, com os benefícios proporcionados pelo bilhete único", explica o deputado. Segundo ele, é possível do ponto de vista técnico e operacional a integração do uso do sistema.

Já o secretário de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, considera "a ideia genial, pois não há custos nem dificuldades técnicas e vai facilitar a vida dos usuários". Segundo ele, se o cidadão usar o bilhete em São Paulo, o dinheiro fica para São Paulo, valendo o mesmo para Guarulhos.O secretário entende que "o governo do estado não liderou este processo, exemplo disso é a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), que não faz parte da integração".

O secretário de Transportes de Guarulhos, Atílio André Pereira, fez, durante a audiência, um telefonema ao prefeito Sebastião Almeida e relatou a proposta. "O prefeito autorizou a análise técnica da proposta, pois avaliamos que é possível fazer a integração do uso, sem prejuízos para a administração e com ganhos para os usuários", ponderou o secretário.

Estava presente também na audiência o secretário de Transportes de Campinas, Sergio Benassi, e o presidente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), Ailton Brasiliense.

Para Gerson Bittencourt, o uso do bilhete único é uma forma criativa e plausível "para não esperar mais a inoperância do governo do estado, que há mais de dez anos discute a implantação do bilhete único na Região Metropolitana de São Paulo". O deputado também sugeriu ao secretário de Transportes de Campinas, Sérgio Benassi, que estude esta integração entre Campinas e outras cidades da Região Metropolitana.

Ônibus não vão mais aceitar pagamento em dinheiro em Santos

21/05/2013 - O Estado de São Paulo

A partir desta quinta, usuários terão o cartão-transporte

SANTOS - A partir desta quinta-feira, 23, os motoristas dos ônibus municipais de Santos não vão mais aceitar o pagamento das passagens com dinheiro. Os profissionais vinham exercendo a dupla função, de motoristas e cobradores, e eram alvo de assaltos, sobretudo à noite. A medida, que já deveria ter sido adotada há um mês, por determinação da prefeitura, foi adiada para que a Viação Piracicabana, concessionária do transporte municipal, dotasse a cidade com um número suficiente de postos para atender todos os munícipes com o cartão-transporte.

De acordo com a administração municipal, a concessionária foi punida com multa de R$ 14,5 mil, por não ter cumprido o prazo de instalar os postos até o mês passado. É que a medida foi anunciada em janeiro, com um prazo de três meses para a tomada de todas as providências necessárias. Agora, a empresa anunciou a instalação de 261 postos, dos quais 31 em condições de funcionar 24 horas. Os cartões podem ser recarregados em 35 bairros santistas.

Além do cartão-transporte, a empresa colocou à disposição cartões múltiplos, com duas, quatro e até dez viagens. A Viação Piracicabana conta com oito lojas próprias e 215 pontos de venda terceirizados, em bancos, lanchonetes, farmácias, bancas de jornal, entre outros. No portal da empresa, os usuários dos ônibus também podem obter o cartão e fazer a recarga.

Junto com a determinação de funcionamento do cartão-transporte, a prefeitura anuncia para esta quinta, a entrega de novos ônibus em circulação, com benefícios como ar-condicionado e Wi-Fi. Vinte e seis veículos já estão disponíveis na garagem da empresa. Desse primeiro montante, seis deles contam com degraus rebaixados, a fim de facilitar a entrada e saída de passageiros com dificuldade de locomoção, como os idosos. As linhas beneficiadas ainda não foram anunciadas.

domingo, 25 de agosto de 2013

CET inaugura novas faixas para ônibus em 11 vias de São Paulo

24/08/2013 - G1 SP / Diário de SP


 A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) implanta faixa exclusiva de ônibus no Corredor Norte-Sul na Avenida 23 de Maio, em São Paulo. (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo) CET vai implantar último trecho de faixa exclusiva para ônibus no Corredor Norte-Sul. (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo)

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai inaugurar nesta segunda-feira (23) novas faixas exclusivas para ônibus em onze vias de São Paulo. Trechos das avenidas Nova Cantareira, Tucuruvi, Água Fria, Senador Teotônio Vilela, e das ruas Monte DOuro, Maria Cândida, Olavo Egídio, Domingos Calheiros, Coronel Sezefredo Fagundes, Lavapés e Independência receberão a nova faixa.

A ação faz parte da Operação Dá Licença para o Ônibus, que tem como objetivo priorizar a circulação do transporte coletivo na cidade, diminuir o tempo de viagem dos usuários e melhorar os padrões de conforto e segurança do transporte público. No período, será implantada a quarta e última etapa da faixa no Corredor Norte-Sul, que vai ficar na Avenida Senador Teotônio Vilela.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), trafegar pela faixa exclusiva de ônibus é uma infração leve, que gera perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.

Veja os trechos que vão receber a nova faixa:

Avenida Senador Teotônio Vilela

A última etapa da faixa de ônibus no Corredor Norte-Sul ficará na Avenida Senador Teotônio Vilela, em uma extensão de 1,25 km, da Avenida do Jangadeiro até a Avenida Atlântica (Largo do Rio Bonito). Ela vai funcionar em ambos os sentidos da via, de segunda a sexta feira entre as 6h e as 22h.

Avenida Nova Cantareira

A faixa será implantada no sentido Centro, no trecho entre a Avenida Tucuruvi e a Rua Domingos Calheiros, em uma extensão de 300 metros. Ela vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h.

Em outro trecho, a faixa exclusiva vai ficar no sentido bairro, entre a Avenida Água Fria e Rua Agente Gomes. No local, ela vai funcionar entre as 17h e as 20h.

Rua Monte D'Ouro

Na Rua Monte DOuro, a faixa vai ser implantada no sentido bairro, ao longo de 300 metros, desde a Avenida Tucuruvi até a Rua Coronel Sezefredo Fagundes. A nova faixa ficará à direita da via e vai funcionar de segunda a sexta-feira das 17h às 20h.

Rua Maria Cândida

A faixa ficará no sentido Centro, entre a Rua Guaraçaí e a Avenida Luís Dumont Villares. No trecho, ela vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h e das 17h às 20h.

Rua Olavo Egídio

Na Rua Olavo Egídio, a faixa para ônibus ficará entre as avenidas Luís Dumont Villares e Cruzeiro do Sul. Ela ficará em funcionamento de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h e das 17h às 20h.

Avenida Tucuruvi

A avenida terá a faixa implantada no sentido bairro, no trecho entre a Rua Domingos Calheiros e a Rua Coronel Sezefredo Fagundes, ao longo de 300 metros. A faixa será ativada de segunda a sexta-feira, das 17h às 20h.

Outro trecho da faixa na via será inaugurado entre a Avenida Guapira e a Rua Paulo de Faria, com 120 metros. Ele será ativado de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h.

Rua Domingos Calheiros

A faixa será implantada no sentido bairro, entre a Avenida Nova Cantareira e a Avenida Tucuruvi, em um total de 300 metros. No trecho, a faixa vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 17h às 20h.

Avenida Água Fria

Na Avenida Água Fria, a faixa para ônibus ficará no sentido Centro, entre a Rua Jerônimo Dias e Avenida Nova Cantareira. Ela ficará em funcionamento apenas de segunda a sexta-feira, das 17h às 20h.

Rua Coronel Sezefredo Fagundes

Na rua, a faixa vai ser implantada no sentido Centro, ao longo de 200 metros, desde a Rua Monte D'Ouro até a Avenida Tucuruvi. A nova faixa vai funcionar de segunda a sexta-feira apenas na parte da manhã, das 6h às 9h.

Rua Lavapés

A nova faixa vai ficar entre a Rua do Glicério e o Largo do Cambuci e deve funcionar entre as 17h e as 20h, de segunda a sexta-feira.

Rua Independência

Na Rua Independência, a faixa exclusiva será implantada do Largo do Cambuci até a Avenida Dom Pedro I. A exclusividade de tráfego para ônibus vai valer de segunda a sexta-feira, das 17 às 20 horas.

Diário de SP

Novas vias terão faixas a partir de segunda

Trecho para ônibus no corredor Norte-Sul vai ser ampliado e a fiscalização com multa começa dia 26

Na próxima segunda-feira, a SPTrans e a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) implantam faixas exclusivas de ônibus em doze vias, nas zonas Norte e Sul da capital. Os coletivos passam a ter  prioridade também agora na Avenida Nova Cantareira, Rua Monte D'Ouro, Rua Maria Cândida, Rua Olavo Egídio, Avenida Tucuruvi, Rua Domingos Calheiros, Avenida Água Fria, Avenida Nova Cantareira, Rua Coronel Sezefredo Fagundes, Rua do Lavapés e Rua Independência.

Também na segunda-feira, vai ser implantada a última etapa da faixa exclusiva no corredor Norte-Sul, com 1,25 quilômetro de extensão na Avenida Senador Teotônio Vilela, desde a Avenida do Jangadeiro até a Avenida Atlântica (Largo do Rio Bonito).

Nos outros trechos do corredor Norte-Sul, onde as faixas já foram implantadas, começa a fiscalização dos agentes de trânsito e os motoristas podem ser multados em R$ 53,20, mais três pontos na carteira de habilitação.

Segundo a SPTrans, desde o início do ano até agora já foram implantados 128,56 quilômetros de faixas exclusivas. Com as ativações desta segunda-feira, as vias exclusivas somarão 136,06 quilômetros.


Velocidade dos coletivos tem ganho acima de 50%, diz CET

Estudos preliminares da CET, referentes aos trechos 2 e 3 da faixa exclusiva do corredor Norte-Sul, com dados coletados entre 12 e 16 de agosto, indicam que houve ganho acima de 50% na velocidade média dos ônibus nos três períodos medidos: manhã, entre pico e tarde. O melhor desempenho da velocidade foi observado no sentido Centro, no período da tarde, onde a velocidade média  dos coletivos na faixa saltou de 12,72 km/h para 23,25 km/h. Um ganho equivalente a 83% , segundo a CET.

Agora - São Paulo

Carros ficam proibidos em avenida com faixa exclusiva


O quarto trecho da faixa exclusiva para ônibus no corredor norte-sul será inaugurado na próxima segunda-feira, na avenida Teotônio Vilela (zona sul de SP).

A novidade é que parte da via será destinada apenas para circulação de coletivos.

O novo trecho do corredor ficará entre as avenidas do Jangadeiro e Atlântica, com uma extensão de 1,25 km.

No trajeto entre a rua Padre José Garzotti e a avenida do Jangadeiro, o trânsito será exclusivo para os ônibus no sentido centro durante todo o dia, independente do horário de operação da faixa.

Os motoristas que passam pelo local terão de usar um desvio um desvio para chegar à avenida do Jangadeiro.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

SP: quatro novas faixas exclusivas para ônibus entram em operação nesta 2ª

19/08/2013 - Terra


Avenida Brigadeiro Luis Antônio ganhou faixa exclusiva para ônibus nesta segunda-feira em São Paulo - Foto: Marcos Bezerra / Futura Press

Leia: Quatro vias de SP ganham novas faixas de ônibus nesta segunda-feira - G1 SP

Quatro novas faixas exclusivas para ônibus entraram em operação nesta segunda-feira em São Paulo. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), foram ativados trechos nas avenidas Brigadeiro Luis Antônio, Francisco Matarazzo e Águia de Haia, e na rua rua João Teodoro. Ao todo, são 10,5 quilômetros novos e a cidade passa a contar, ao todo, com 128,62 quilômetros de faixas exclusivas implantadas em 2013.

A ampliação faz parte da Operação Dá Licença Para o Ônibus, que busca priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores. Com a implantação das faixas, a intenção é reduzir os tempos de viagens com padrões de eficiência, conforto e segurança para os usuários do transporte público.

Na Brigadeiro Luis Antônio, a nova faixa vai funcionar de segunda a sexta-feira das 6h às 22h e, aos sábados, das 6h às 14h, desde a praça Dom Gastão Liberal Pinto até a rua Maria Paula. São 4,8 quilômetros. No sentido do bairro, será colocada uma faixa exclusiva complementar a já existente no contra-fluxo do tráfego geral.

Na avenida Francisco Matarazzo, os ônibus trafegarão com exclusividade na faixa à esquerda em dois trechos distintos, que somam 500 metros de extensão, das 4h às 23h de segunda a sexta-feira e, aos sábados, das 4h às 15h. Já na Águia de Haia, a faixa exclusiva vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 5h às 9h, no sentido centro e, das 17h às 20h no sentido bairro, desde a avenida São Miguel até o acesso à Radial Leste, totalizando 4,3 quilômetros de faixa exclusiva.

Os ônibus poderão circular com exclusividade na rua João Teodoro, entre as avenidas do Estado e Tiradentes, de segunda a sexta-feira, das 6h às 10h, em um trecho de 900 metros de extensão.

Campinas quer reativar modelo de trem que fracassou na década de 1990

17/08/2013 - Folha de SP

Leia: Campinas busca recursos de R$ 1 bilhão para reativar o VLT - Correio Popular - Campinas

A Prefeitura de Campinas (SP) planeja reativar um modelo de transporte que foi alvo de denúncias de mau uso do dinheiro público na década de 1990 e que vai interferir no plano de expansão do aeroporto de Viracopos.

O projeto foi apresentado nesta semana pela administração municipal ao Ministério das Cidades para pleitear R$ 1,7 bilhão para reativar o VLT (trem urbano) da cidade.

Ele prevê a utilização das mesmas avenidas e ruas que já constam de um plano de corredor BRT (ônibus rápido).

Em fase mais avançada, o projeto para implantação de dois corredores de ônibus deve ser licitado até o fim deste ano e já conta com R$ 339 milhões do mesmo PAC da Mobilidade Urbana que pode financiar a reativação do VLT.

O secretário municipal de Administração, Silvio Bernardin, admite "algumas imperfeições" no anteprojeto do VLT e diz que tanto o trem quanto o BRT podem ficar mais caros que o planejado.

Ele disse, no entanto, que o trajeto de 18 quilômetros do trem é "muito embrionário" e disse que "dois modais [VLT e BRT] podem conviver no mesmo leito".

Outro ponto controverso do projeto é a chegada a Viracopos pela área de expansão do aeroporto. O diretor-presidente da concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, Luiz Alberto Küsler, disse que irá adaptar o projeto ao traçado do trem. "O aeroporto pode assumir se houver custo adicional", completou.

A prefeitura disse, via assessoria, que os trajetos do BRT e do VLT terão vários trechos coincidentes, mas que um sistema irá complementar o fluxo do outro.

Para o secretário municipal de Transportes, Sérgio Benassi, o conflito de traçados "é de fácil solução". "Na hora que avançar a discussão da aprovação [do financiamento], mudamos o traçado."

Segundo ele, os corredores, com previsão de entrega no fim de 2016, já nascerão sobrecarregados. A estimativa é transportar 300 mil passageiros diariamente. Para o trem, a projeção é de 120 mil pessoas por dia.

Tanto o trem quanto o ônibus ligarão o centro da cidade a bairros carentes da região sudoeste.

ANTIGO VLT

Anunciado em 1990 pelo ex-prefeito de Campinas e então governador de SP, Orestes Quércia (PMDB), o VLT de funcionou entre 1991 e 1995 e foi abandonado após problemas como denúncias de concorrência fraudada.

Após ser inaugurado três vezes e funcionar por dois dos quatro anos sem cobrança de passagem, o VLT deixou de operar porque transportava apenas 3.000 passageiros por dia e dava prejuízo de mais de R$ 500 mil por mês.

Planejado para levar 120 mil pessoas por dia e custar US$ 50 milhões, consumiu US$ 125 milhões à época.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Ônibus já anda mais rápido que carro no corredor norte-sul

30/07/2013 - Folha de SP

Ônibus anda livre de trânsito no primeiro dia de funcionamento da faixa exclusiva no corredor norte-sul, em São Paulo

No primeiro dia de funcionamento da faixa exclusiva de ônibus no corredor norte-sul, em São Paulo, os coletivos foram 15 minutos mais rápidos do que os carros.


A reportagem percorreu em um ônibus o trecho inaugurado ontem (de 2,1 km, da ponte das Bandeiras até o parque da Luz), no sentido centro, entre as 7h15 e as 7h25. O carro da reportagem demorou 25 minutos.

Mais dois trechos serão inaugurados até agosto. A faixa terá um total de 25 km, até a avenida Teotônio Vilela, na Cidade Dutra (zona sul).

Segundo Waldemar Christianini, gestor de Trânsito da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a velocidade média dos ônibus no trecho subiu de 14 km/h, antes da faixa, para 25,4 km/h.

"Demoro em média 20 minutos no trecho. Hoje foi mais rápido", disse o auxiliar administrativo Winkeong Fon, 50, que mora em Cangaíba (zona leste) e trabalha perto do aeroporto de Congonhas.

"Se perceber que os ônibus estão mais rápidos, mudo o meio de transporte", disse o segurança Sivaldo dos Santos, 35, que estava de carro.

Os ônibus terão exclusividade nos dois sentidos de segunda a sexta, das 6h às 22h.

Em 20 minutos, a reportagem flagrou 42 carros trafegando na faixa. Inicialmente, a fiscalização será em caráter educativo --sem multas.

Após anunciar R$ 8 bi, Dilma diz que SP representa o maior desafio para mobilidade

31/07/2013 - Folha.com / Estadão

Leia também: São Paulo vai ter 'PAC' de R$ 8 bilhões, diz Haddad - Folha de SP

Dilma ajudará Haddad em 127 km de corredores - O Estado de SP

Prefeito Fernando Haddad e a presidente Dilma Rousseff durante cerimônia de anúncio do PAC Mobilidade Urbana em São Paulo

Em sua primeira visita a São Paulo após os protestos de junho, a presidente Dilma Rousseff (PT) enalteceu ações do governo federal na área de mobilidade urbana e criticou indiretamente o governador Geraldo Alckmin (PSDB) ao dizer que a capital paulista é "a maior cidade do mundo com o menor sistema de transporte metroviário do mundo".

Dilma falou nesta quarta-feira (31) ao lado do prefeito Fernando Haddad (PT). Ela veio à cidade anunciar a destinação de cerca de R$ 8 bilhões em recursos, dos quais R$ 3 bilhões para corredores de ônibus na capital. Segundo a petista, seria o maior volume de dinheiro federal já destinado, de uma só vez, à prefeitura.

A gestão do metrô, cuja necessidade de expansão foi explicitada por Dilma, é responsabilidade do governo estadual, nas mãos do PSDB há 20 anos. "Uma das teorias divulgadas no Brasil é que o país não tinha nível de renda suficiente para comportar metrô. Ora, como é possível uma cidade do tamanho de São Paulo sem transporte metroviário? Sem que o transporte possa ter uma velocidade que recorte a cidade em toda a sua expansão?", questionou a presidente.

"Essa teoria é responsável pelo fato de sermos talvez a maior cidade do mundo com o menor sistema de transporte metroviário do mundo. Isso é uma questão muito séria e nós temos de encará-la e enfrentar esse desafio com todas as armas que temos. Com as parcerias que fazemos com o governo do Estado para acelerar as obras do metrô".

Convidado para o evento, o governador Geraldo Alckmin não compareceu pois já tinha compromisso. Enviou como representante o secretário de Planejamento, Julio Semeghini. A visita de Dilma estava prevista para ontem, mas foi adiada porque a presidente estava doente.

Dilma disse ainda que seu governo já ajuda as obras de ampliação do metrô contribuindo com recursos para as linhas Verde e Lilás, e na CPTM, na modernização de equipamentos da linha Diamante, por exemplo.

INVESTIMENTOS EM SP

Durante o evento em São Paulo, Dilma Rousseff disse que o governo federal destinará R$ 3,1 bilhões para mobilidade urbana, incluindo corredores e terminais de ônibus.

A presidente também garantiu o investimento de R$ 1,6 bilhão para obras contra enchentes, como no córrego Tremembé e no riacho do Ipiranga, além da criação de um parque linear em Perus e obras de drenagem no Vale do Anhangabaú.

As represas Billings e Guarapiranga serão beneficiadas com R$ 3,3 bilhões. Serão construídas na cidade 20 mil unidades habitacionais, que custarão R$ 1,5 bilhão ao governo federal.

TARIFA

A presidente ainda fez questão de dizer que o governo federal agiu para minimizar o aumento das tarifas de ônibus, desonerando a folha de pagamento e o PIS/Cofins das empresas do setor. Foi o aumento no preço das passagens de ônibus que fez com que os protestos estourassem em São Paulo e outras centenas de cidades pelo país em junho.

Numa espécie de resposta velada aos protestos, a petista disse que mobilidade urbana é prioridade de sua gestão porque "garantir transporte público rápido, seguro e de qualidade também é um eixo de redução da desigualdade".

Em contraposição à fala da presidente, o prefeito Fernando Haddad elogiou ações conjuntas que vem firmado com Alckmin desde o início de sua gestão e chamou o governador tucano de "parceiro da cidade de São Paulo". Ele discursou antes de Dilma.

Durante sua fala, a presidente cometeu uma pequena gafe. Ela chamou o bairro do Campo Limpo, na zona sul, de "Capão Limpo", numa confusão com Capão Redondo, que fica na mesma região.

Dilma anuncia R$ 8,1 bilhões do PAC para São Paulo

Em cerimônia na Prefeitura, presidente destina R$ 3 bilhões para corredores de ônibus, R$ 2,2 bilhões para recuperar mananciais, R$ 1,5 bilhão para moradias e R$ 1,4 bilhão para drenagem; 'dia histórico', diz Haddad

SÃO PAULO - A presidente Dilma Rousseff (PT) anunciou, no fim da manhã desta quarta-feira, 31, em cerimônia na Prefeitura de São Paulo, um pacote de investimentos de R$ 8,1 bilhões em obras de mobilidade, drenagem e recuperação dos mananciais na cidade de São Paulo. O investimento deverá viabilizar a construção de cerca de 99 quilômetros de corredores de ônibus - construir 160 quilômetros de vias exclusivas para o transporte coletivo foi uma das principais promessas do prefeito Fernando Haddad (PT) durante a campanha eleitoral.

Foram liberados R$ 3 bilhões para corredores de ônibus em avenidas das zonas leste e sul, R$ 2,2 bilhões para recuperação dos mananciais das represas Billings e Guarapiranga, na zona sul, R$ 1,5 bilhão para construção de moradias para 20 mil famílias que vivem perto das represas, e R$ 1,4 bilhão para a drenagem de córregos em vários bairros da capital.

Dilma afirmou que esses são "os primeiros R$ 8 bilhões" que São Paulo recebe. "Estamos investindo mais R$ 50 bilhões em todo o Brasil. E é justo que primeira cidade a receber os primeiros 8 (bilhões) - e estou fazendo uma promessa aqui - seja São Paulo. Porque aqui está concentrado o maior desafio do Brasil." Anteriormente, o governo havia investido R$ 89 bilhões no Brasil por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Desses, R$ 29 bilhões haviam ficado na capital paulista.

Corredores de ônibus nas zonas leste e sul da cidade vão receber R$ 3 bilhões. "Ao investir no transporte público você devolve o tempo às pessoas. E é no tempo que você vive. Tirar as pessoas do transporte e colocá-las no lazer, em suas casas, na faculdade é devolver vida para as pessoas. O governo está empenhado em investir em Metrô e corredor de ônibus", afirmou a presidente. Dilma lembrou que o governo federal também está investindo dinheiro em ao menos quatro linhas de Metrô: 5-Lilás, 15-Prata, 17-Ouro e 18-Bronze.

"Garantir transporte público é um dos eixos de garantir o combate à desigualdade social", afirmou. A presidente terminou seu discurso dizendo que, segundo Haddad, a ordem de início para algumas das obras que tiveram financiamento liberado nesta quarta será dada nos próximos dias.

Além do transporte, a área de drenagem receberá investimentos de R$ 1,4 bilhão. O dinheiro será empregado em obras de oito córregos: Morro do S, Paciência, Ribeirão Perus, Tremembé, Riacho do Ipiranga, Uberaba, Paraguai e Éguas. Segundo o ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, o financiamento também deverá ser empregado para elaborar o projeto de drenagem do córrego do Anhangabaú, na região central.

Na recuperação dos mananciais das represas Billings e Guarapiranga, que abastecem com água potável boa parte da Região Metropolitana, o governo federal vai aplicar R$ 2,2 bilhões. Mais R$ 1,5 bilhão será utilizado para construir moradias, por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida, para 20 mil famílias que vivem em comunidades nas margens das represas. "Esse cuidado é essencial. Viabilizar moradia digna é elemento que distingue obras sustentáveis de não sustentáveis. Temos certeza que fazendo essas obras estaremos contribuindo para melhoria nas condições de vida da população", afirmou Dilma.

'Dia histórico'. O petista Haddad classificou o anúncio como um "dia histórico" para a cidade. "Fizemos nesses seis meses inúmeras parcerias com o governo do Estado e estamos anunciando aqui talvez o maior pacote de investimentos do governo federal numa única cidade", afirmou o prefeito. "Não lembro de ver um pacote de medidas tão amplo e que dialoga com todos os bairros da cidade como este."



Haddad negou que a vinda dos investimentos para São Paulo tenha sido facilitada por uma questão partidária. Segundo ele, desde o início da gestão, tem procurado acordos também com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e com a iniciativa privada. "Nossa obsessão vai ser construir esse alinhamento estratégico (com o governo estadual e federal). Somos grandes demais para nos isolarmos. O grande equívoco do passado foi achar que nossa grandeza dava condições de isolamento." Haddad lembrou que São Paulo concentra 5% da população do Brasil e gera 12% de toda a riqueza nacional.

Corredor poderá ganhar ônibus expresso

30/07/2013 - O Estado de SP

Norte-Sul. Táxis devem ser autorizados a utilizar faixas exclusivas de ônibus da cidade

A criação de uma faixa exclusiva de ônibus ao longo de todo o corredor Norte-Sul, que começou a ser implementada ontem e está prevista para ser concluída nos próximos 30 dias, pode viabilizar uma linha de ônibus que atravesse a cidade. A criação do itinerário está sendo estudada por técnicos da Secretaria Municipal de Transportes.

"Não digo que seria uma linha expressa porque teríamos que fazer algumas paradas. Mas você atravessaria a cidade com uma linha só, o que não acontece hoje", afirmou o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto. Em geral, os coletivos que saem da zona sul ou da zona norte param em terminais no centro. "Alguns corredores, como os das Avenidas Ibirapuera e 9 de Julho estão sobrecarregados. Eventualmente, algumas linhas poderiam ser transferidas para a 23 de Maio."

Especialistas em engenharia de tráfego defendem a criação de uma linha de ônibus de alta capacidade que faça a ligação Norte-Sul e seja alimentada por linhas menores, que circulariam pelos bairros. Mas o ideal seria que esses veículos andassem por corredores de ônibus à esquerda – e não pela faixa exclusiva à direita, que tem mais interferências dos automóveis.

"Poderia ser feito um grande corredor, com ultrapassagem nos pontos de parada e uma linha estrutural, com ônibus biarticulados. Um sistema desse poderia transportar 35 mil passageiros por hora e por sentido da via, quase metade do que faz uma linha de metrô, mas com um preço de implementação muito mais baixo", afirma o consultor Sérgio Ejzenberg, mestre em Transportes pela USP.

Velocidade. A faixa exclusiva começou a funcionar ontem entre as Ruas Paineira do Campo e Carlos de Souza Nazaré, passando pela Ponte das Bandeiras e atravessando a Avenida do Estado. A velocidade dos ônibus quase dobrou. Na semana passada os ônibus circulavam a 14 km/h. Ontem de manhã, eles atingiram a média de 25,4 km/h, segundo medição parcial feita por técnicos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Um estudo completo sobre a eficiência das faixas exclusivas está ainda sendo preparado pela CET. O secretário Jilmar Tatto lembrou que os táxis devem ser autorizados a utilizar as faixas exclusivas da cidade. Em alguns pontos, como na Marginal do Pinheiros, ônibus fretados também podem ser beneficiados.

Corredor norte-sul recebe mais um trecho de faixa exclusiva

11/08/2013 - Jornal da Manhã – Uberaba

Leia: Avenidas Indianópolis e Interlagos terão faixa para ônibus - O Estado de SP / Agora SP

Nesta segunda-feira (12), a Prefeitura de São Paulo implanta o terceiro trecho da faixa exclusiva de ônibus no corredor norte-sul, da rua Joaquim Nabuco, que passa pelas avenidas Washington Luís, Interlagos e do Jangadeiro até a avenida Senador Teotônio Vilela. A faixa vai funcionar de segunda a sexta-feira, em ambos os sentidos, das 6h às 22h, uma extensão de 13 km.

O primeiro trecho foi instalado no último dia 29, entre a rua Paineira do Campo e a rua Carlos de Souza Nazaré em ambos os sentidos. A faixa funciona de segunda a sexta-feira, das 6h às 22h, um total de 2,1 km.

Já o segundo trecho, implantado na última segunda (5), opera desde o túnel do Anhangabaú, passando pelas avenidas 23 de Maio, Rubem Berta, Professor Ascendino Reis, Moreira Guimarães e Washington Luís, até 200 metros após a avenida Jornalista Roberto Marinho.

De acordo com a prefeitura, neste segundo trecho a velocidade dos ônibus teve aumento de 58,8% no pico da manhã, sentido centro, em comparação com a velocidade média registrada antes da implantação da faixa.

No último dia 2, o secretário de Transportes, Jilmar Tatto, informou que a velocidade dos ônibus nas faixas exclusivas implantadas neste ano aumentou 30%. No primeiro trecho do corredor norte-sul, houve um aumento na velocidade de 13 km/h para 25 km/h.

Trechos por onde os ônibus vão circular na terceiro trecho da faixa

Sentido Sul (bairro)

Avenida Washington Luís, entre o viaduto Deputado Luis Eduardo de Magalhães e a praça Ministro Pedro Chaves

Avenida Interlagos, entre a praça Ministro Pedro Chaves e a praça Enzo Ferrari

Avenida do Jangadeiro, entre a praça Moscou e a avenida Senador Teotônio Vilela

Sentido norte (centro)

Avenida Interlagos, entre a praça Enzo Ferrari e a praça Ministro Pedro Chaves

Avenida Washington Luís, trecho entre a praça Ministro Pedro Chaves e o viaduto Deputado Luis Eduardo de Magalhães.

Alteração de circulação

A prefeitura vai desativar a conversão à esquerda da avenida Interlagos, sentido bairro, para a avenida João Peixoto Viegas. Também será desativada a conversão à esquerda da avenida Interlagos, sentido bairro, para a avenida Yervant Kissajikian.

Alternativas

Os veículos que trafegam pela avenida Interlagos, sentido bairro, com destino às avenidas João Peixoto Viegas e Yervant Kissarjikian, deverão prosseguir em frente e utilizar a faixa de conversão à esquerda, em frente ao shopping Interlagos, retornando ao caminho desejado.

Posteriormente, a faixa exclusiva do corredor norte-sul será ampliada da avenida Senador Teotônio Vilela até a avenida Atlântica.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), transitar na faixa exclusiva à direita de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.

Mudança de itinerário

Por conta da implantação do novo trecho de faixa exclusiva, cinco linhas de ônibus vão sofrer alteração no itinerário.

5175/10 Balneário São Francisco – Pça. da Sé

509J/10 Jd. Selma – Pq. Ibirapuera

6366/10 Jd. Miriam – Term. Bandeira

517J/10 Jd. Selma – Berrini

Ida: Sem alteração.

Volta: Normal até a avenida Interlagos, avenida Engenheiro Alyrio Hugueney de Mattos, rua Sargento Geraldo Santana, avenida Yervant Kissajikian

509J/21 Vila Missionária – Moema (Circular)

Sentido único: normal até a avenida Washington Luiz, avenida Interlagos, avenida Engenheiro Alyrio Hugueney de Mattos, rua Sargento Geraldo Santana, avenida Yervant Kissajikian.

Pista para coletivo começa a valer hoje na Av. Indianópolis

12/08/2013 - Estado de SP / Folha de SP

Leia sobre o assunto: Em corredor, velocidade de ônibus é o dobro da de carro - Folha de SP

Com faixa, ônibus já ganha de carro por 30 minutos - O Estado de SP

Faixa exclusiva prioriza população sobre transporte individual - Folha de SP

Corredor norte-sul recebe mais um trecho de faixa exclusiva - UOL

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e a São Paulo Transporte (SPTrans) vão implantar a partir de hoje a faixa exclusiva para ônibus na Avenida Indianópolis, na zona sul da cidade, em ambos os sentidos entre as avenidas Jabaquara e Rubem Berta. Também hoje será inaugurada a terceira etapa da faixa exclusiva no Corredor Norte-Sul, desde a Rua Joaquim Nabuco, passando pelas Avenidas Washington Luís, Interlagos e do Jangadeiro até a Avenida Senador Teotônio Vilela.

As novas faixas de ônibus fazem parte da Operação Dá Licença para o Ônibus lançada há cerca de um mês pela Prefeitura de São Paulo. O objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo na cidade de São Paulo, reduzindo o tempo das viagens. Ao todo, mais de 60 km de faixas já foram instaladas.

Os resultados da iniciativa já são visíveis: nesse período, a velocidade dos coletivos nos locais que receberam as novas faixas praticamente dobrou. Na semana passada por exemplo, o trajeto de 23 km entre o Terminal Capelinha, no extremo sul da cidade, e a Praça da Sé, na região central, demorou 1h50 de carro e 1h20 de ônibus - uma economia de 30 minutos para quem usou os coletivos.

Indianópolis. Segundo a CET, a exclusividade para o transporte coletivo na faixa da Indianópolis valerá de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h, no sentido centro, e das 17h às 20h, em direção ao bairro. Ao todo a faixa terá 2,4 km de extensão.

No Corredor Norte-Sul, os horários da faixa exclusiva para ônibus são diferentes: valem de segunda a sexta-feira, das 6h às 22h. Nessa terceira etapa de implantação da faixa foram utilizadas 141 placas de trânsito, 4.500 m² de pintura e 20 faixas de vinil relativas à adequação da sinalização horizontal.

Segundo a CET, transitar na faixa exclusiva de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 53,20.

Folha de SP

Faixa exclusiva da norte-sul tem novo trecho

DO "AGORA"

Começa a funcionar hoje o terceiro trecho da faixa exclusiva de ônibus à direita do corredor norte-sul. Com 13 km de extensão, ela funcionará de segunda a sexta-feira, das 6h às 22h.

O terceiro trecho liga o viaduto Deputado Luís Eduardo Magalhães, no Campo Belo, à avenida Senador Teotônio Vilela, na Cidade Dutra (zona sul de SP). A faixa de ônibus terá mais uma extensão, até a avenida Atlântica, também na Cidade Dutra, ainda sem data de abertura.

Com a abertura do novo trecho, o corredor norte-sul passa a ter 25 km de faixas exclusivas no total.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) não informa quando começará a aplicar multas aos motoristas que invadem a faixa. Por enquanto, a fiscalização tem caráter educativo.

Para implementar o terceiro trecho da faixa, a CET precisou fazer alterações no trânsito para os carros.

Os motoristas que seguem no sentido bairro da avenida Interlagos terão duas opções a menos de conversão. Eles não podem mais virar à esquerda para acessar as avenidas Yervant Kissajikian e João Peixoto Viegas.

Com isso, os motoristas terão que fazer o retorno no shopping Interlagos.

A prefeitura também abrirá hoje uma faixa exclusiva de ônibus na av. Indianópolis, um dos principais acessos ao corredor norte-sul.

Com 2,4 km de extensão entre as avenidas Jabaquara e Moreira Guimarães, a faixa funcionará de segunda a sexta das 6h às 9h no sentido centro e das 17h às 20h no sentido bairro. A medida vai ligar os bairros da Saúde e Planalto Paulista.

De acordo com a SPTrans (empresa que administra o transporte), 12 linhas de ônibus circulam pela região da faixa exclusiva. Cerca de 114 mil passageiros utilizam diariamente as linhas que passam pelo novo trecho.



Nos horários de funcionamento da faixa, veículos ficarão proibido

Com faixa, ônibus supera carros em 40 minutos

13/08/2013 - Folha de SP

Leia: Multa na 23 de Maio começa no dia 26 - O Estado de SP

DO "AGORA"

Os ônibus foram 40 minutos mais rápidos que os carros na primeira manhã de funcionamento do terceiro trecho da faixa exclusiva no corredor norte-sul.

De ônibus, a reportagem percorreu os 13 km da via exclusiva inaugurados ontem, no sentido centro, nas avenidas Senador Teotônio Vilela, na Cidade Dutra (zona sul), Interlagos e Washington Luís, até o viaduto Deputado Luís Eduardo de Magalhães, no Campo Belo (zona sul).

O trecho foi feito em 29 minutos, das 6h47 às 7h16. O carro da reportagem fez o mesmo percurso, partindo no mesmo horário, e demorou uma hora e 11 minutos.

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a velocidade média dos ônibus aumentou 71% no trecho inaugurado ontem. No trecho entre o túnel do Anhangabaú (centro) e a avenida Washington Luís, implantado na semana passada, o ganho foi de 108% na velocidade.

"Está muito mais rápido", afirmou Cláudio Correia dos Santos, motorista da linha Jardim Quarto Centenário-Praça da Sé. Ele demorava, em média, uma hora para percorrer o trecho. Ontem, fez em 30 minutos.

Para o assistente financeiro Marcelo Diniz, 42, a faixa pode ser uma opção para deixar o carro em casa.

"Sexta-feira fui trabalhar de carro e gastei duas horas e meia. Hoje vim de ônibus e vou economizar meia hora. O carro não está compensando", disse. Ele mora na Cidade Dutra e trabalha em Perdizes (zona oeste).

Em relação à última sexta-feira, a lentidão para os automóveis aumentou. Na avenida Interlagos, por exemplo, às 7h, o tamanho da fila passou de 1,3 km para 2,2 km --aumento de 69% na lentidão.

Na Washington Luís, que não teve registro de lentidão na sexta-feira, às 7h, segundo a CET, teve 1,5 km de filas ontem no mesmo horário.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Licitação do BRT recebe propostas em agosto

15/07/2013 - Correio Popular - Campinas

O novo aviso de licitação para contratação de empresa ou consórcio para consolidar os projetos básicos do BRT (Bus Rapid Transit - ônibus de trânsito rápido) foi publicado na última sexta-feira pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) no Diário Oficial.

A licitação estabelece pacto pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC) — formato criada pelo governo federal que permite mais agilidade no processo. As propostas serão recebidas entre as 8h do dia 5 de agosto e às 9h30 do dia seguinte. A abertura das propostas será a partir das 9h30 do dia 6 e a disputa de preços a partir das 10h do mesmo dia.

Na primeira licitação eletrônica, que ocorreu no dia 20 de junho, três empresas participaram do certame (Tranzum Planejamento e Consultoria de Trânsito; Consulgal Brasil Consultores de Engenharia e Gestão; e Fernandes & Terruggi Consultores Associados). O recurso máximo estipulado para a realização do serviço era de aproximadamente R$ 4 milhões, mas o processo fracassou.

Na semana passada, em negociação com a Caixa Econômica Federal (CEF), a Emdec conseguiu aporte financeiro, de R$ 2,4 milhões, para complementar o recurso, possibilitando a realização de nova licitação. A Administração tem até o dia 30 de outubro para entregar os projetos consolidados dos corredores do BRT ao Ministério das Cidades. "Fizemos todo o processo para ampliar os recursos de forma rápida, para conseguir entregar o projeto no prazo", declarou o secretário de Transportes, Sérgio Benassi.

Obras

As obras do BRT têm previsão de início para o próximo ano, com duração total estimada de 36 meses. O projeto contempla, além de uma pista exclusiva para os ônibus, estações de transferência fechadas e plataformas em nível, com embarque e desembarque pela porta esquerda do veículo.

O BRT irá beneficiar cerca de 300 mil pessoas que residem nas regiões do Ouro Verde e Campo Grande. No Ouro Verde serão 14,4 km de extensão, saindo do Terminal Central (Viaduto Miguel Vicente Cury), seguindo pela João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim e Terminal Vida Nova. Já no Campo Grande serão 17,8 km de extensão, saindo do Terminal Multimodal Ramos de Azevedo, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, John Boyd Dunlop e chegando ao Terminal Itajaí.

Entre os dois trechos haverá um corredor com 4 km, ligando a Vila Aurocan até o Campos Elíseos, seguindo pelo leito desativado do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A verba para a implantação dos corredores, no valor de cerca de R$ 340 milhões, vem do PAC 2.