quarta-feira, 22 de junho de 2011

São Paulo é pioneira mundial em uso de ônibus híbridos

22/06/2011 - http://www.segs.com.br/ - Flavia Menani

Veículos "do futuro" rodam na Grande SP desde 1998. Empresa 100% brasileira é a responsável pela fabricação dos 32 ônibus que hoje circulam comercialmente no país.

Os ônibus híbridos, considerados por especialistas uma importante alternativa aos modelos tradicionais a diesel para a melhor preservação ambiental, estão em alta. Apesar de ainda serem vistos como “ônibus do futuro”, os híbridos já circulam na Grande São Paulo há mais de dez anos. O primeiro modelo a entrar em operação no país foi posto nas ruas pelo Grupo ABC em 1998, fazendo a ligação entre São Bernardo do Campo e Santo André. Em 2002, o modelo pioneiro passou a circular no Corredor ABD, que liga São Mateus (na Zona Leste da capital paulista) ao Jabaquara (na Zona Sul). Operado pela Metra, o corredor passa também pelas cidades de Mauá, Santo André, São Bernardo do Campo e Diadema.

A tecnologia de tração híbrida foi desenvolvida pela Eletra, empresa 100% nacional, pertencente ao Grupo ABC. Como o próprio nome sugere, o ônibus híbrido utiliza duas fontes de energia. Uma é a elétrica, e a outra pode ser diesel, álcool ou gás. O sistema utilizado nas ruas da Grande São Paulo é composto por um motor a diesel que fornece energia para o motor elétrico que traciona o veículo. A tecnologia, que pode ser instalada em carroceria ou chassi de qualquer fabricante, garante ainda o reaproveitamento da energia que seria dispersada nas frenagens do veículo. O resultado é uma redução de 90% de material particulado e de 60% do monóxido de carbono lançados na atmosfera.

Hoje, 12 ônibus híbridos circulam no Corredor ABD. São 10 modelos de 10 metros (padron) e mais dois articulados. Além deles, a Eletra desenvolveu 15 veículos de 15 metros para o Expresso Tiradentes (Via Sul) e outros cinco, de 12 metros, para a SPTrans. Por enquanto, eles são os únicos veículos utilizados comercialmente em todo o país. Outros veículos híbridos com tecnologia desenvolvida pela Eletra estão em teste nas ruas do Rio de Janeiro, além de um modelo que utiliza o etanol em vez do diesel e é usado nas dependências da Usina de Itaipu.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

TERMINAL, SISTEMA TRONCO ALIMENTADOR DO ZAÍRA E LINHA EXPRESSA INÉDITA LEVAM MAUÁ À ERA DE MODERNIZAÇÃO DOS TRANSPORTES

17/06/2011 - CBN, Adamo Bazani


Terminal de Integração do Zaíra, em Mauá. Objetivo é aumentar a oferta de transportes coletivos nos bairros e melhor a fluidez do trânsito na região central da cidade com menos ônibus, mas atendendo a mesma demanda de passageiros . Créditos: Roberto Mourão _ Prefeitura de Mauá

Sistema tronco-alimentado do Zaíra deve agilizar transportes e beneficiar o trânsito
O intervalo entre os ônibus das linhas que servem os bairros na região do Zaíra, em Mauá, também vai ser reduzido.


Está previsto para o próximo dia 23 de junho o início das operações do Terminal de Integração do Jardim Zaíra, em Mauá.

O objetivo é deixar o sistema de ônibus em Mauá mais inteligente e racional e facilitar o dia a dia de quem necessita de transportes públicos na cidade.

As linhas 83 (Zaíra 3), 85 (Zaíra 5) e 86 (Zaíra 6) vão até o Terminal novo localizado na Avenida Presidente Castelo Branco. Elas passarão a se chamar T 83 (Zaía 3), T 85 (Zaíra 5) e T 86 (Zaíra 6).

De lá, os passageiros vão embarcar gratuitamente em ônibus de maior porte, do tipo articulado, que vão até o Terminal Central de Mauá.

O sistema oferece várias vantagens para quem usa os ônibus e para a cidade como um todo:

O passageiro dos bairros vai ficar menos tempo no ponto esperando o ônibus. Isso porque em vez de a condução ir até o centro e depois voltar, os ônibus vão conseguir fazer mais viagens dentro dos bairros, com itinerários reduzidos entre o bairro e o terminal do Zaíra.

Para se ter uma ideia, os intervalos do Zaíra 3, que hoje são de cerca de 15 minutos, vão diminuir para 10 minutos.

A cidade ganha porque serão menos ônibus indo para o centro nas vias principais transportando o mesmo número de passageiros, mas sem excesso de lotação, já que os veículos serão de grande porte.

O trânsito será beneficiado pelo número menor de ônibus.

Em horários de pico, a nova linha troncal que será criada para o serviço no Terminal, deve operar com intervalos de cinco em cinco minutos.

A linha Zaíra 04, que já possui articulados, não será extinta e vai continuar operando normalmente. 

O sistema tronco-alimentado se baseia na lógica de maior oferta de transportes nos bairros e de melhor utilização da frota no espaço urbano.

Em vez de dois ou três ônibus sem a lotação completa irem para as ruas principais da cidade, um ônibus apenas, com a lotação completa, porém oferecendo conforto pelo fato de ele ser maior, faz o mesmo serviço. São menos veículos no trânsito e menos poluição também.

LINHA EXPRESSA:

Outra novidade importante é que nos horários de pico haverá ônibus expressos que sairão do Terminal do Zaírá e vão chegar ao Terminal Central de Mauá sem paradas no caminho e fazendo um itinerário em vias que apresentam menos trânsito, o que vai reduzir significativamente o tempo de viagem.


Linha Troncal será atendida por ônibus articulados que levam um maior número de passageiros com mais conforto e proporcionalmente ocupando menos espaço urbano. Foto: Adamo Bazani

LINHAS QUE SERVIRÃO O TERMINAL ZAÍRA

Linha Troncal: (Terminal Zaíra – Terminal Central)
Intervalos: 5 em 5 minutos no horário de pico
10 em 10 minutos nos demais horários, em média
Linha Expressa: (Terminal Zaíra – Terminal Central) – sem paradas em pontos no trajeto. Opera apenas nos horários de pico e somente nos dias úteis.
Intervalos de 15 em 15 minutos

Linha 083 passa a ser chamada de T 83 (Zaíra 3 até o Terminal do Zaíra)
Intervalos: 10 em 10 minutos no horário de pico
15 em 15 minutos nos demais horários
Linha 085 passa a ser chamada de T 85 (Zaíra 5 até o Terminal do Zaíra)
Intervalos: 10 em 10 minutos no horário de pico
15 em 15 minutos nos demais horários
Linha 086 passa a ser chamada de T 86 (Zaíra 6 até o Terminal do Zaíra)
Intervalos: 10 em 10 minutos no horário de pico
12 em 12 minutos nos demais horários

Adamo Bazani, jornalista da rádio CBN, especializo em transportes

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Ônibus 100% elétrico da BYD fará teste em SP

16/06/2011 - Revista Carsale

Carsale - Ainda este ano, as cidades de São Paulo e Curitiba deverão iniciar os testes com o ônibus “verde” e-Bus K9, primeiro veículo elétrico de transporte coletivo desenhado e produzido pela montadora chinesa BYD. Ele é tracionado com motores instalados junto às rodas, que são alimentados por um conjunto de baterias.


A diferença para os tradicionais tróleibus utilizados no Brasil é que não precisa de uma cara rede com fios para a sua alimentação. Além de silencioso, eles tem mais mobilidade e nível de emissão zero de poluentes. A vantagem é que pode trafegar em qualquer faixa ou percurso, sem risco de ficar paralisado por eventuais quedas de energia na rede.

O ônibus será testado em condições reais de circulação para avaliar a redução das emissões de gases do efeito estufa, os custos envolvidos e a confiabilidade da nova tecnologia. O projeto faz parte do programa da Clinton Climate Initiative (CCI), da Fundação William J. Clinton, e se estenderá a outras cidades latino-americanas da Rede C40, que incluem São Paulo, Curitiba e Bogotá.

Os resultados serão utilizados na elaboração de um relatório para o desenvolvimento do mercado de ônibus híbrido e elétrico na América Latina. A expectativa é introduzir 9.000 desses veículos na frota de várias cidades a partir de 2012, a fim de reduzir as emissões anuais de dióxido de carbono em 556 mil toneladas até 2016.

Recentemente, a BYD fez uma proposta ao governo do Chile para transformar Santiago na cidade pioneira para a implantação de transporte público com veículos (ônibus e táxis) 100% elétricos, como meio de reduzir a poluição na capital chilena.

O e-Bus K9 e os táxis e6 incorporam um avançado sistema de baterias de Fe, tecnologia inteiramente desenvolvida pela BYD e um sistema inteligente de gerenciamento de energia. Equipados com painéis solares sobre a capota, como fonte de energia auxiliar, os ônibus 100% elétricos da empresa chinesa têm 12 metros de comprimento e possuem autonomia para rodar 250 km. A recarga completa pode ser feita em apenas 3h30. Esse mesmo conjunto de baterias está presente nos táxis elétricos e6, que atingem uma autonomia para 300 km e chegam a uma velocidade de 140 km/h.

Postado por Busologia Mundial

terça-feira, 14 de junho de 2011

Começam as obras do Corredor Metropolitano Itapevi – São Paulo (Butantã)

14/06/2011 - EMTU/SP

O Secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, e o presidente da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU/SP), Joaquim Lopes, estarão presentes no início das obras de construção do Corredor Metropolitano Itapevi – São Paulo (Butantã) - trecho Itapevi-Jandira, nesta quarta-feira, dia 15/06, às 15 horas. 

O evento será realizado na Rua Eduardo de Abreu, altura do nº 540, bairro Engenheiro Cardoso, em Itapevi. 

Serviço:

Evento: início das obras do Corredor Metropolitano Itapevi – São Paulo (Butantã)

Local: Rua Eduardo de Abreu, na altura do nº 540, no bairro Engenheiro Cardoso – Itapevi

Data: 15/06/2011

Horário: 15 horas

terça-feira, 7 de junho de 2011

País perde um dos maiores historiadores dos transportes

05/06/2011 - CBN, Adamo Bazani

Autor de três livros sobre transportes, Waldemar reuniu informações e fotos sobre a evolução dos transportes que estariam perdidos sem seu trabalho


Há pessoas que ficam na história pelo que são. Há outras pelo que fazem.
No caso de Waldemar Correa Stiel, pelos dois motivos.

Considerados um dos maiores pesquisadores dos transportes brasileiros e um apaixonado pelo setor, Waldemar morreu na tarde deste domingo no INCOR – Instituto do Coração, em São Paulo.
Com 90 anos de idade, ele não resistiu a problemas cardíacos.

Waldemar Correa Stiel foi responsável por reunir e eternizar importantes informações sobre ônibus e bondes, sua especialidade, ao longo de seu trabalho.

Desde jovem colecionava fotos, informações, folhetos e dados.

Ele fez três livros sobre o tema:

História dos Transportes Coletivos em São Paulo (1978)
História do Transporte Urbano do Brasil (1984)
Ônibus: uma história do Transporte Coletivo e do Desenvolvimento (2001)

A obra de Waldemar Correa Stiel é uma das principais fontes de pesquisas nos dias de hoje quando o assunto é como os sistemas de mobilidade se desenvolveram.

“Conheço o Waldemar desde os 14 anos de idade. Um grande amigo. Ele saía para tirar fotos de bondes e tinha uma paixão pelo assunto. Eu gosto de transportes desde os 03 anos de idade e ele me incentivou ainda mais” – disse o também pesquisador Ayrton Camargo e Silva.

“Ele pesquisava com paixão. Foi uma das principais referências no Brasil quando o assunto era bondes e trólebus, principalmente” – complementou Mário dos Santos Custódio, que também realiza pesquisas históricas e mantém acervos fotográficos sobre transportes.

Todos são unânimes em dizer que em sue trabalho de pesquisa, Waldemar Correa Stiel conseguia unir dois aspectos importantes para retratar de maneira fiel e humana a história: ele usava conhecimento técnico e razão junto com o amor pelo que fazia.

Sem o traballho de Waldemar, muitas informações e fotos sobre os transportes, um setor que está inserido no dia a dia das pessoas, e cuja a história ajuda a entender vários aspectos do crescimento do País e até de alguns erros do passado, poderiam estar perdidas

Com informações do OB por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Benfica é nova empresa de ônibus de Diadema

06/06/2011 - ABCD Maior, Rodrigo Bruder (rodrigo@abcdmaior.com.br)

Empresa ofertou R$ 15,8 milhões para operar 40% do transporte coletivo por 15 anos na cidade

A empresa Transportadora Turística Benfica Ltda., com operação em São Caetano, apresentou a maior oferta para assumir a gestão de 40% do transporte coletivo de Diadema nos próximos 15 anos, serviço hoje praticado pela ETCD (Empresa de Transporte Coletivo de Diadema).

De acordo com edital publicado nesta quinta-feira (03/06), a Benfica ofertou R$ 15,8 milhões e foi classificada em primeiro lugar, seguida das viações Umuarama e Sorriso, do Paraná, que apresentaram, respectivamente, R$ 15,3 milhões e 13,7 milhões. A Rodoviária Metropolitana, com sede na Capital, ficou classificada em último lugar, com oferta de R$ 12,7 milhões. De acordo com o líder de governo, vereador Orlando Vitoriano (PT), a expectativa da Administração é de que a concessionária assuma a operação até o final do ano.

O prazo é relativamente longo, diz Vitoriano, porque existe um período mínimo de 10 dias (contados a partir da publicação do edital de classificação) para as empresas perdedoras apresentarem recursos, e aproximadamente cinco meses para a vencedora ser homologada e estabelecer os serviços. A concessão será de 15 anos, prorrogáveis por mais cinco. O contrato exigirá a operação de uma frota mínima de 63 veículos, com GPS e adaptados para deficientes físicos.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Região terá acesso rápido ao futuro estádio do Timão André Vieira

31/05/2011 - Diário do Grande ABC

Os torcedores do Grande ABC terão uma ligação direta por corredor de ônibus com o Fielzão, estádio projetado pelo Corinthians, que foi indicado como a sede paulista da Copa do Mundo de 2014.

Na região da futura arena, em Itaquera, Zona Leste da Capital, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos pretende operar o Corredor Perimetral Leste Jacu-Pêssego.

O sistema terá três terminais, uma estação de transferência e vai ligar os corredores Guarulhos/São Paulo e ABD - que conecta São Mateus a Jabaquara, na Capital, passando por Santo André, São Bernardo, Diadema e Mauá.

Segundo o presidente da EMTU, Joaquim Lopes da Silva Júnior, "a ideia é criar terminal em Itaquera e descer usando a Avenida Jacu-Pêssego, que está pronta e tem quatro faixas. A discussão é apropriar uma dessas faixas para o transporte coletivo."

Segundo Silva Júnior, como parte da infraestrutura está completa, o que sobra é ampliar as zonas de ultrapassagem, instalar os pontos de ônibus e fazer o projeto de paisagismo. A predileção é por usar veículos a etanol.

Este trecho seria ligado com São Mateus, um dos limites do Corredor Metropolitano ABD. O segundo tramo, também pela Jacu-Pêssego, acabaria em terminal em Guarulhos, que está em obras. "Isso dá para fazer até a Copa", garantiu Silva Júnior.

A EMTU informou que o investimento previsto é de R$ 166,5 milhões. O corredor deverá ter 26,8 quilômetros de extensão e atenderá 153 mil passageiros por dia.

Dez novos ônibus da CTA devem começar a circular em setembro


Valor da aquisição é de R$ 2,6 milhões...

A CTA (Companhia Tróleibus Araraquara) assinou com a Caixa Econômica Federal (CEF), nesta terça-feira (31), o financiamento de dez ônibus novos que irão renovar parte da frota da empresa. A previsão é que, até setembro de 2011, os ônibus já estejam em circulação. 

O valor da aquisição é de R$ 2,6 milhões, sendo 20% à vista o restante a ser pago em 60 meses. Os veículos terão motor Mercedes-Benz e carroceria Caio/Induscar e representam o início do processo de renovação da frota.

O investimento, além de renovar a frota, também irá contribuir para aumentar o número de ônibus em circulação, para atender os bairros onde a demanda de passageiros teve um aumento significativo nos últimos anos.

Outro reflexo do investimento é a redução dos custos mensais de manutenção da frota. A CTA gasta, somente em peças e manutenção, cerca de R$ 300 mil mensais.

Acessibilidade

Todos os dez novos ônibus da CTA serão equipados com elevadores para a acessibilidade de pessoas deficientes. De acordo com a diretoria da CTA, a aquisição de ônibus com elevadores é uma exigência da lei.

Atualmente, a acessibilidade de pessoas com deficiência é garantida por três veículos da CTA (dois microônibus e uma van) e um da Viação Paraty (um microônibus) especialmente adaptados. Com os novos ônibus com elevadores, irão aumentar as opções de destino para esses passageiros.

Confira dez coisas sobre os ônibus ecológicos de São Paulo

02/06/2011 - SP Trans

*Saiba sobre dez coisas sobre veículos movidos a biodiesel que rodam pela cidade de São Paulo:1. Desde fevereiro, a cidade conta com 1.280 ônibus que usam uma mistura de diesel e biodiesel como combustível. Isso representa 13% da frota (9.000 veículos). 

2. Segundo a prefeitura, a emissão de material particulado, um dos principais poluentes do diesel, cai 22% com a mistura. Os ônibus do programa têm um selo com a inscrição Ecofrota nas laterais. 

3. Esse combustível "ecológico" tem 80% de diesel comum (de petróleo) e 20% de biodiesel. 

4. Outros combustíveis limpos estão sendo testados. Na semana passada, 50 ônibus movidos a etanol começaram a rodar. 

5. A maior parte dos ônibus movidos a biodiesel atua na ligação entre o nordeste (bairros como Penha e Vila Matilde) e o centro. 

6. A estimativa é que, só neste ano, cerca de 3,2 toneladas de poluentes deixem de ser lançadas no ar da cidade por conta do programa. O cidadão pode acompanhar essa conta no site www.sptrans.com.br

7. O restante da frota também passa por mudanças. Desde o ano passado, as empresas de ônibus são obrigadas a usar um tipo de diesel mais limpo, chamado B5 S50, que libera menos enxofre. 

8. Por outro lado, um transporte limpo e já em uso na cidade vem sendo deixado de lado: o trólebus. A meta é que os 140 veículos mais antigos (da frota de 200) sejam substituídos até 2012. Mas, até agora, só 12 foram comprados. A prefeitura diz que não encontra fornecedores. 

9. Apesar de o biodiesel ser menos poluente, a produção desse combustível, que é obtido principalmente da soja ou de vegetais como a mamona, ainda é baixa no país. 

10. A prefeitura diz que sua meta é eliminar o diesel comum do transporte público até 2018. É uma obrigação imposta pela Lei Municipal de Mudanças Climáticas, de 2009. 

*Fontes: André Luís Ferreira, presidente do Iema (Instituto de Energia e Meio Ambiente); José Roberto Augusto de Campos, professor de motores de combustão interna do Instituto Mauá de Tecnologia; SPtrans.

postado por Buslologia Mundial