terça-feira, 29 de março de 2016

EMTU consegue licença ambiental para trecho do corredor Itapevi-São Paulo

29/03/2016 - Blog Ponto de ônibus

ADAMO BAZANI

A EMTU Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos informou nesta segunda-feira, 28 de março de 2016 ,que no último dia 23, a Cetesb concedeu licença ambiental para um trecho de 7,6 quilômetros do corredor Metropolitano Itapevi – São Paulo.

A licença é para o trajeto entre Osasco km 21 – Vila Yara – limite com a capital paulista.

Com a liberação, a EMTU diz que até junho devem ser concluídos os projetos básico e executivo, mas a contratação do edital de obras só deve ocorrer no segundo semestre.

A gerenciadora metropolitana ainda informa que este trecho vai custar R$ 106 milhões e vai contar com 10 estações de embarque e desembarque.

Apresentado em 25 de maio de 2012, o corredor deveria ter sido concluído neste ano, mas agora a previsão é para o segundo semestre de 2017.

No total, o Corredor Itapevi – São Paulo deve ter 23,9 quilômetros e atender 90 mil pessoas por dia.

O corredor passará pelos municípios de Itapevi, Jandira, Barueri, Carapicuíba, Osasco e São Paulo, ligando o futuro Terminal Itapevi, próximo à estação da CPTM, ao Terminal Vila Yara, no limite entre Osasco e São Paulo.

Haverá integração física com Linha 4 – Amarela do Metrô (Estação Butantã) e Estações Itapevi e Jandira da Linha 8 – Diamante da CPTM.

Os trechos são:

– Itapevi-Jandira: 5 quilômetros entre as cidades de Itapevi e Jandira, fazendo a interligação das estações da CPTM Itapevi, Engenheiro Cardoso, Sagrado Coração e Jandira. – 10 mil passageiros por dia. Serão construídos o Terminal Itapevi, três estações de transferência, sete estações de embarque e desembarque, um viaduto e uma passarela sobre a via férrea.  Diminuição do tempo de viagem em 20%

– Jandira-Carapicuíba: 8,8 quilômetros e atenderá 33 mil usuários/dia. Além do viário, faz parte desse trecho o Terminal Carapicuíba, uma estação de transferência (Barueri) e oito estações de embarque / desembarque.

– Carapicuíba – Osasco Km 21: 2,2 quilômetros. Estão previstos o Terminal KM 21 que terá integração física com a CPTM, duas estações de embarque e desembarque, um viaduto em Carapicuíba e alças de acesso.

– Osasco km 21 – Terminal Vila Yara: 7,6 quilômetros. Readequação do Terminal de Integração Vila Yara e 10 estações de embarque e desembarque. A estimativa neste trecho é de que sejam transportados 90 mil usuários por dia, considerando todo o Corredor Metropolitano Itapevi – São Paulo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

sexta-feira, 25 de março de 2016

São Paulo ganha ônibus turístico de dois andares; bilhete custa R$ 40

12/03/2016 - UOL

  
Luiz Guadagnoli/SECOM
Ônibus do Circular Turismo SP, que percorrerá os pontos turísticos e históricos da cidade
Ônibus do Circular Turismo SP, que percorrerá os pontos turísticos e históricos da cidade

Assim como em grandes metrópoles do mundo como Londres e Nova York, São Paulo ganhará uma linha de ônibus de dois andares que percorrerá os pontos turísticos e históricos da cidade. Com bilhete a R$ 40, o serviço terá início neste sábado (12).

O serviço funcionará todos os dias, saindo da Estação da Luz. Nos dias úteis e sábados, as saídas acontecerão em três horários diferentes: às 9h, 12h40 e 16h. Aos domingos e feriados, os horários de partida são 10h, 13h40 e 17h.

A princípio, o ônibus passará por dez locais: Mercado Municipal, Praça da República, Estádio do Pacaembu, Masp, Parque Ibirapuera, Liberdade, Pátio do Collegio, Theatro Municipal, Centro Cultural São Paulo e a Casa das Rosas. O passeio deve durar três horas. Em dias de jogos no Pacaembu, os coletivos não entrarão na Praça Charles Miller e somente passarão ao lado do estádio.

Assim como acontece em grandes metrópoles do mundo, os turistas receberão informações sobre a história dos locais visitados (em português, espanhol e inglês).  Com capacidade para transportar até 60 pessoas, o ônibus tem wi-fi e ar-condicionado, e será conduzido apenas por mulheres. Os usuários também receberão mapas com informações dos principais atrativos localizados no entorno das paradas.

Alguns atrativos e espaços culturais oferecerão benefícios exclusivos aos usuários do ônibus. Apresentando o bilhete de embarque na bilheteria, o turista poderá entrar gratuitamente em locais como Catavento Cultural e Educacional, Estação Pinacoteca, Museu de Arte Moderna (MAM), Museu Afro Brasil, Museu de Arte Sacra, Museu do Futebol e Pinacoteca do Estado.  O ingresso permite ao turista retornar ao veículo no período de 24 horas, contadas a partir do começo da viagem.

Os ingressos custarão R$ 40 e serão vendidos exclusivamente no interior do veículo, sem venda antecipada ou reserva. O pagamento poderá ser feito em dinheiro, cartões de crédito ou débito. 

sábado, 5 de março de 2016

Pane em recarga faz app ter média de 1,3 mil downloads por dia


03/03/2016 08:00 - O Estado de SP

SÃO PAULO - A pane no sistema de recarga de Bilhete Único e a falta de troco das bilheterias abriu oportunidade para que alguns passageiros começassem a colocar créditos nos seus cartões por aplicativos de celular. A Zuum foi uma das plataformas que conseguiu ser credenciada pela SPTrans para prestar o serviço e desde o dia 15 de fevereiro, quando o aplicativo começou a divulgar a atividade, a média de downloads por dia é 1,3 mil tanto nas plataformas IOS quanto Android dos smartphones.

O diretor de produtos e marketing da empresa que é uma joint venture entre Vivo e Mastercard, Eduardo Abreu, lamentou os problemas que os usuários têm enfrentado nas últimas semanas, mas afirmou que “é tendência a recarga ser feita de forma remota” entre os passageiros de ônibus e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

O aplicativo fez 20 mil recargas totalizando R$ 110 mil em créditos de tarifa no Bilhete Único. Para ele o número não é pequeno. “Tivemos uma amostra de que os passageiros querem fazer a recarga da forma mais fácil possível, de casa ou no trajeto até a estação”, afirmou.

Primeiro, o passageiro deve baixar o aplicativo e se cadastrar. Com a plataforma instalada e cadastrado, o usuário informa o valor da recarga e se dirige a uma banca de jornal ou outro tipo de comércio que aceite o pagamento das tarifas. Em seguida, basta bater o Bilhete Únicos nos validadores espalhados por estações e terminais de ônibus.

A Prefeitura explicou que “já há outras empresas homologadas, em fase de assinatura de documentação ou desenvolvimento para atuar no segmento de vendas de crédito”. Uma das promessas do secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, é que os passageiros dos ônibus possam validar as recargas dentro dos coletivos ao encostar os cartões nas catracas dos veículos.