terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Integração entre trem e ônibus valerá em mais 7 estações da CPTM

20/12/2012 - Folha de São Paulo

A CPTM (Companhia de Trens Metropolitanos) anunciou que no próximo sábado (22) os usuários de sete estações da rede poderão utilizar um bilhete que unifica a cobrança para o uso de ônibus metropolitanos e trens.

O anúncio da integração do sistema com o cartão BOM (Bilhete de Ônibus Metropolitano) foi feito no dia 17 pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB).

O serviço estará disponível nas estações Mogi das Cruzes, Estudantes e Guaianazes (linha 11-coral), Itaim Paulista, São Miguel e Comendador Ermelino (linha 12-safira) e Itapevi (linha 8-diamante).

Desde o dia 17 de dezembro, essa integração já pode ser feita nas estações do metrô Itaquera, Brás, Carrão, Penha e Barra Funda (einha 3-vermelha) e nas estações da CPTM em Osasco, Carapicuíba e Barra Funda (Linha 8-diamante).

Editoria de Arte/Folhapress

A novidade, que ao todo será instalada em 22 estações de trens, é testada há um ano na estação Barra Funda, que recebe usuários de várias partes da Grande São Paulo e tem cobrado os usuários pela integração.

Há terminais que já operam o BOM na Grande São Paulo, onde cerca de 500 mil cartões já foram emitidos. Agora, o benefício passa a ser aplicado em grande escala também na capital.

No sistema em operação, o bilhete é emitido após cadastro em postos de atendimento ou pela internet.

A integração, porém, não é tarifária --o passageiro que usar o ônibus e trem vai continuar pagando o preço integral dos dois sistemas.

BID empresta US$ 125 mi para melhorar mobilidade em São Bernardo do Campo

21/12/2012 - EFE

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou nesta quinta (20) o empréstimo de US$ 125 milhões para ajudar a mobilidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo

Em comunicado, o BID indicou que o dinheiro servirá para financiar tanto obras de infraestrutura - a construção de 45 quilômetros de pista e de estações para os ônibus -, como para instalação e melhoria de elementos urbanísticos: calçadas, iluminação e garantia de acessibilidade universal, entre outros.

O programa, em colaboração com a Prefeitura de São Bernardo do Campo, que fornecerá por sua parte outros US$ 125 milhões, também procura assegurar "maior segurança viária" mediante a adoção de um sistema de semáforos e placas.

"O projeto trará benefícios incalculáveis tanto para os usuários do transporte coletivo como para toda a população deste município de mais de 800 mil habitantes", afirmou o chefe de equipe do projeto, Dalve Soria.

A potencialização do transporte público deve servir para reduzir a emissão de gases do efeito estufa, assim como para diminuir a taxa anual de acidentes na região, atualmente de 208 por cada 10 mil veículos.

Com estas medidas também espera-se que o tempo de viagem para os usuários do transporte coletivo reduza uma média de 25 %.

Os US$ 125 milhões emprestados pelo BID deverão ser devolvidos em um prazo de 25 anos com um período de carência de outros cinco anos e meio.

Bilhete que integra trem e ônibus passa a valer hoje em SP

17/12/2012 - Folha de São Paulo

Usuários de 22 estações do metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) poderão, a partir de hoje, utilizar um bilhete que unifica a cobrança para o uso de ônibus metropolitanos e trens.

O anúncio dos detalhes do funcionamento do cartão BOM (Bilhete de Ônibus Metropolitano) será feito hoje pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) --ele fará um passeio de ônibus pela zona leste até o metrô Itaquera.

A novidade é testada há um ano na estação Barra Funda, que recebe usuários de várias partes da Grande São Paulo e tem cobrando os usuários pela integração.

Há terminais que já operam o BOM na Grande São Paulo, onde cerca de 500 mil cartões já foram emitidos. Agora, o benefício passa a ser aplicado em grande escala também na capital.

Editoria de Arte/Folhapress

No sistema em operação, o bilhete é emitido após cadastro em postos de atendimento ou pela internet.
desconto

O governo não antecipou como será a aquisição do bilhete nem se haverá desconto para a capital.

No começo deste ano, porém, o secretário dos Transportes, Jurandir Fernandes, disse que poderia haver descontos proporcionais ao trecho utilizado.

Isso porque os valores dependem das empresas que prestam o serviço e dos subsídios de cada prefeitura envolvida e do próprio governo.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Transporte coletivo de Taubaté inicia a integração de linhas

06/12/2012 - G1

A ABC Transportes, permissionária do transporte coletivo em Taubaté, iniciou nesta quarta-feira (5) a operação do sistema de integração das linhas de ônibus. Com o novo modelo, a cidade passa a ser a segunda no Vale do Paraíba a adotar a tarifa única para a utilização de mais de um ônibus em período pré-estebelecido.

As 77 vans do Transporte Complementar de Taubaté (Tctau) não foram contempladas pela medida. (saiba mais abaixo).


A ABC investiu R$ 1 milhão na modernização da tecnologia de bilhetagem eletrônica para viabilizar o acesso da população a integração das linhas. A maior parte do valor foi aplicada na renovação dos cartões e o restante em modernização dos softwares das catracas.

De acordo com o diretor da ABC, Tiago Felício, a tarifa única deve ser utilizada por pelo menos 15% dos 60 mil passageiros atendidos diariamente. Na prática, o passageiro que pagava duas passagens para chegar ao destino, totalizando R$ 5,60, vai pagar apenas uma, R$ 2,80.

A regra é que o passageiro embarque no segundo ônibus em um prazo máximo de uma hora e que o ônibus opere em linha de mesmo sentido. O sistema depende da utilização de cartões eletrônicos e não funciona para passageiros que utilizam apenas dinheiro como forma de pagamento.

"O sistema tem cadastrado as linhas que se integram. Quando o usuário usa o cartão para pagar a tarifa, a integração está acionada caso ele precise. A integração não funciona para sentidos opostos, como por exemplo, uma pessoa que foi de um bairro ao Centro e volte no período de menos de uma hora não tem direito ao bilhete único", explicou o diretor.

Além do bilhete único, a ABC lançou em outubro uma promoção para os usuários da bilhategam eletrônica, em que o passageiro recebe gratuitamente uma passagem para viajar as domingos após a compra de valor equivalente a 10 passagens de ônibus.

Transporte Complementar
Os permissionários do TCTAU criticam a Secretaria de Transportes da cidade, gestora do sistema de transporte público, por não acionar as vans para que o bilhete único fosse implementado também nos veículos da cooperativa.

Em protesto ao bilhete único e também à promoção da ABC, os permissionários da TCTAU reduziram a tarifa para R$ 2,52 no último dia 26 de novembro. O novo valor não foi autorizado pela administração. "Já faz dois anos que existe essa conversa de integração das linhas e desde o começo pedimos para prefeitura participar. Não podemos ficar no prejuízo. A ABC faz promoções, agora tem o bilhete único, então reduzimos nossa passagem como moeda de troca para pressionar a prefeitura na negociação. Queremos ser incluídos no sistema e nos mantermos competitivos", disse Sérgio Vasconcelos, permissionário do Tctau.

A cooperativa opera 77 vans, das quais, 7 deixaram de cobrar a tarifa de R$ 2,52 e voltaram para o valor de R$ 2,80 nesta semana. Os demais mantém o protesto.

O diretor da Secretaria de Trânsito e Transportes de Taubaté, Luiz Donizete Gonçalves, foi procurado, mas não atendeu às ligações do G1 até a publicação da reportagem. Em entrevista anterior, a pasta afirmou que a redução da tarifa da TCTAU não havia sido autorizada.

Serviço
Para aquisição ou troca dos cartões antigos da ABC Transportes, basta procurar a loja da empresa no Parque Doutor Barbosa de Oliveira (rodoviária velha) ou na empresa, que fica à Rua Margarida, 612. Para dúvidas, o telefone é o (12) 3621-5300.

Suellen Fernandes
Do G1 Vale do Paraíba

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

São Bernardo do Campo terá ônibus alinhado por sensores na pista

04/12/2012 - Via Trólebus

Para quem acha que corredores de ônibus são apenas faixas exclusivas por onde os coletivos trafegam separados dos demais veículos, importante conhecer este novo projeto que deve ser implantado em São Bernardo do Campo.
Pelo menos dois dos doze corredores previstos para ficarem prontos a partir de 2013, o Alvarenga e João Firmino vão ter em alguns trechos sistemas óticos para alinharem os veículos às guias. Esta tecnologia permite que os ônibus sejam alinhados automaticamente por sensores na pista, nas guias e nos veículos, independentemente da ação do motorista, que neste momento apenas faz o veículo parar ou andar. A direção fica por conta do sistema. (A imagem acima mostra sistema semelhante com trólebus na cidade de Lyon, na França)
Nos demais trechos sem o sistema óptico, a condução será de maneira tradicional.
Apesar de os custos serem considerados altos, o secretário de Transportes e Vias Públicas de São Bernardo, Oscar Silveira Campos, afirma que valem a pena por melhorarem o atendimento, reduzirem os riscos de acidente e aumentarem a velocidade comercial dos coletivos.
A funcionalidade faz também com que economize no espaço urbano. Os corredores podem ser mais estreitos nos trechos, com menos área de segurança, pelos riscos de falhas serem menores em comparação à condução convencional.
Outra funcionalidades devem ser implantadas neste corredores no futuro, como estações que permitem embarque no mesmo nível do ônibus, proteção para o passageiro do clima, pagamento da tarifa antes do embarque no veículo e sistemas com painéis eletrônicos de informação, com dados sobre as linhas, horários, itinerários e previsão de quanto os ônibus vão demorar para chegarem às estações.

Por Renato Lobo



Enviado via iPhone

domingo, 2 de dezembro de 2012

Tarifa de ônibus de Campinas aumenta para R$ 3.30, a mais cara do Brasil

02/12/2012 - EMDEC

As tarifas do transporte coletivo em Campinas serão reajustadas a partir da zero hora deste domingo, dia 2 de dezembro. Nos ônibus e miniônibus do Sistema InterCamp, a tarifa vai passar de R$ 3,00 para R$ 3,30, um reajuste de 10%. A mudança no valor foi publicado na edição desta sexta-feira, 30 de novembro, do Diário Oficial do Município, decreto nº 17.786.

Com o reajuste de 10%, o passe escolar vai passar de R$ 1,20 para R$ 1,32. Também terão novos valores as linhas Circular-Centro / Linhão da Saúde (5.01 e 5.02), que passam de R$ 2,00 para R$ 2,20 no pagamento com o Bilhete Único e de R$ 3,00 para R$ 3,30 no pagamento em dinheiro. O passe escolar nestas duas linhas (5.01 e 5.02) sobe de R$ 0,80 para R$ 0,88.

O prefeito Pedro Serafim definiu o valor, após avaliar as planilhas da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC) e das empresas que operam o sistema de Transporte Público.

O percentual definido é inferior ao proposto pela Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) – que representa as empresas operadoras do sistema. A planilha de custos das empresas apresentada apontava um aumento de 27%, pois estabelecia uma tarifa de R$ 3,8080.

O índice de 10% é inferior também ao aumento no custo de operação do Sistema Intercamp calculado pela EMDEC no período, levando-se em conta o transporte convencional e o alternativo. Os técnicos da EMDEC verificaram que o custo de operação elevou 12,39% neste período.

A nova tarifa teve também como parâmetro o aumento dos insumos no período. O salário dos motoristas, por exemplo, aumentou 11,73%; o valor do veículo subiu 8,38% e o litro do combustível teve um acréscimo de 6,78%.

MELHORIAS
O reajuste da tarifa define também alguns compromissos das empresas concessionárias para a melhoria do sistema de transporte.

Até fevereiro de 2013, o PAI – Serviço (Programa de Acessibilidade Inclusiva) deverá dobrar sua capacidade de atendimento. Hoje, a população tem disponível 25 vans e deverá contar com 50 vans a partir de 1º de março de 2013.

Além disso, já está confirmado até o final de fevereiro de 2013 a renovação de 47 veículos na frota, devendo haver após isto a continuidade de renovação da frota até o final de 2013.

CARTÕES BILHETE ÚNICO
Os usuários do transporte que utilizam o Bilhete Único Comum que quiserem se antecipar e comprar os créditos no valor ainda no valor de R$ 3,00 poderão fazê-lo até sábado, das 8h às 18h, nos postos de venda da Transurc nos terminais Central, Ouro Verde, Campo Grande, Barão Geraldo, Terminal Metropolitano e rede credenciada (relação de estabelecimentos pode ser consultada no site da Transurc). Os créditos têm validade de um ano contados da data de compra.

SISTEMA INTERCAMP
Sistema InterCamp é o Sistema de Transporte Público de Campinas, operado por ônibus e miniônibus das empresas concessionárias do transporte coletivo e miniônibus do serviço alternativo, implantado em 2005.


Atualmente, o Sistema InterCamp possui 1.270 veículos, sendo 535 acessíveis (42,1% do total). A idade média da frota é de 4,67 anos.

O sistema Intercamp registra na catraca a média de 600 mil passageiros por dia, volume que representa aproximadamente 300 mil usuários por dia.

Informações: EMDEC


Enviado via iPhone

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Fernando Haddad quer aumentar velocidade comercial dos ônibus com menos linhas em corredores e veículos maiores

11/11/2012 - Via Trólebus

O prefeito eleito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad ainda não assumiu o posto, mas já faz algumas considerações de como será a política implantada nos transportes públicos, com prioridade ao ônibus. Haddad juntamente com sua equipe quer o aumento da frequência dos coletivos.
Para os dez corredores atuais, está sendo analisado a possibilidade de circular apenas veículos biarticulados. Centros de controle operacional devem ser criados para monitorar cada ramal e tomar providências caso haja problemas. A ideia é aumentar a fluidez para dar aos corredores velocidade média semelhante ao metrô. Para tanto, os especialistas que estão trabalhando com o novo prefeito entendem que o correto é ter apenas uma linha por corredor, mas avaliam também que a complexidade do sistema não permitirá essa medida. O número de linhas vai variar de acordo com o corredor, mas a proposta é diminui-lo ao máximo.
Nova concessão dos consórcios
De acordo com o jornal "Folha de São Paulo", o modelo da nova concessão ainda está em estudo e deverá ser definido nos primeiros meses da gestão Haddad. A equipe, entretanto, já sabe que a nova gestão terá de dialogar com as empresas e as cooperativas para equacionar o problema considerado o mais agudo: o da frequência dos ônibus. A equipe quer diminuir o tempo de espera pelos coletivos e reduzir a lotação.
"Todo mundo resiste, empresas e cooperativas. Ninguém quer colocar ônibus vazio para rodar, todo mundo quer pôr ônibus cheio, mas cabe ao poder público dosar isso", disse o deputado federal Carlos Zarattini, ex-secretário de Transportes da gestão Marta Suplicy (2001-2004) e um dos coordenadores da área no programa de governo de Haddad. "O sistema foi privatizado, mas o planejamento e a fiscalização estão nas mãos da Prefeitura."
Os novos corredores
Fernando Haddad também definirá com seus assessores em quais vias é mais urgente construir os 150 quilômetros de corredores prometidos na campanha. O petista chegou a citar as Avenidas 23 de maio, Celso Garcia, Brasil e Radial Leste.
Por Renato Lobo
4713073



Enviado via iPhone

sábado, 10 de novembro de 2012

Sem trem, transporte para Cumbica é caro e demorado

08/11/2012 - Valor Econômico

A falta de opções de transporte rápido e de massa faz com que o deslocamento de passageiros do Aeroporto de Guarulhos até São Paulo seja caro ou demorado: o que há disponível são táxis, ônibus executivo e coletivos particulares. O aeroporto fica a cerca de 30 quilômetros da região central de São Paulo e, há anos, é alvo de promessas do governo do Estado da instalação de uma linha de trem para facilitar o acesso.

O mais recente projeto é o da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que pretende construir uma linha de 11,5 quilômetros entre o terminal e a Estação Engenheiro Goulart, na zona leste paulistana. A obra deve começar a sair do papel só em fevereiro do ano que vem e as obras, com custo de R$ 1,2 bilhão, só ficam prontas entre 18 e 24 meses. "O trem não consegue ficar pronto para a Copa do Mundo de 2014, ainda estamos discutindo os detalhes da licitação", afirmou na terça-feira o presidente da CPTM, Mário Bandeira. Já o primeiro projeto de trem expresso até o centro da cidade foi descartado pela companhia em razão do trem de alta velocidade, que também tem estação prevista no aeroporto.

Quando estiver pronta, a linha chamada de 13-Jade terá demanda de 120 mil passageiros por dia. São pessoas que hoje precisam arranjar alternativas para chegar até o maior aeroporto da América Latina. Por lá, passam 30 milhões de pessoas por ano. Além disso, a população permanente do aeroporto (basicamente funcionários) é de 30 mil pessoas e deve chegar a 50 mil com as ampliações do terminal. A população flutuante (passageiros e acompanhantes) já alcança 300 mil pessoas por dia.

Ônibus

Hoje, a companhia Airbus Service que disponibiliza ônibus executivos para o aeroporto cobra R$ 35 pelo serviço. A atendente informa que o trajeto até a Rodoviária do Tietê dura 30 minutos; para a República, no centro, dura 40 minutos; até a Barra Funda, na zona oeste, Avenida Paulista, na região central, Aeroporto de Congonhas e Avenida Faria Lima, ambos na região sul, a viagem chega a uma hora. O serviço é feito 24 horas por dia. Há ainda um ônibus circular da empresa que leva passageiros até o metrô Tatuapé por R$ 4,30. Nesse caso, o serviço é prestado das 5h às 24h e o trajeto dura cerca de 40 minutos.

Os serviços do ônibus mais barato, no entanto, não têm sinalização adequada e nem todos os passageiros o encontram. Kleber da Silva, que chegava do Ceará para trabalhar como garçom em São Paulo, procurava o ônibus que ia até o metrô Tatuapé. "Faltam informações sobre onde param os ônibus. Se meu amigo não tivesse vindo me esperar não conseguiria chegar", considera.

Para a comissária de bordo Amanda Rodrigues, o ônibus até o Tatuapé é a opção mais barata. "Demoro uma hora e meia para chegar na minha casa, em Osasco. Se tiver um trem, esse trajeto pode ser mais fácil e rápido", considera ela, que faz o trajeto pelo menos uma vez por semana.

Executivo

Já o advogado Cassius Lopes utilizava o terminal 4 para embarcar para Curitiba. "Vim de táxi do centro. Paguei R$ 90", diz ele, que viaja de avião com frequência por conta do trabalho. "Uma linha de trem é importante para ter outras opções para vir para cá", avalia. Lopes afirma ainda que utiliza ônibus executivos no aeroporto de Curitiba por R$ 4 e em Brasília por R$ 4. "O preço em São Paulo é absurdo", considera.

A analista de recursos humanos Renata Morro mora no Chile, mas vem para São Paulo uma vez por mês visitar a família e utiliza ônibus executivo. "Fico em Perdizes [na zona oeste] e acho que o trem facilitaria bastante o acesso", diz ela. Quando viaja a trabalho, Renata utiliza os táxis do aeroporto e diz pagar R$ 120 pelo transporte até a casa da família.

Outra opção são os ônibus das companhias aéreas que levam os passageiros até o Aeroporto de Congonhas. Na fila para pegar o ônibus da TAM, a bancária Bianca Carvalho, esperava o transporte até Congonhas, onde pegaria o voo de volta para o Rio de Janeiro. "Hoje dependemos da companhia para fazer isso. Ter possibilidade de transporte público vai nos dar mais acessibilidade", considera.

Estação

De acordo com o presidente da CPTM, o governo de São Paulo mantém conversas com a concessionária Aeroporto Internacional de Guarulhos, que está assumindo a administração do aeroporto, para definir o melhor local da estação. "Havia um local reservado entre os terminais 1 e 2. Há documentos que comprovam isso, mas eles dizem que não sabiam do projeto e reservaram o espaço para outra finalidade", afirma Bandeira.

Segundo Bandeira, a concessionária reservou espaço próximo ao Terminal 4, que hoje atende apenas a WebJet, e fica dois quilômetros distante dos terminais 1 e 2, que são os mais movimentados e darão acesso ao terminal 3, que está em construção. A concessionária afirma que colabora com a CPTM para a definição do "local mais adequado" para a construção da futura estação da Linha 13-Jade. Após definição do local, a empresa prevê construir um sistema de mobilidade interna que levará os passageiros da estação aos terminais. De acordo com a empresa, há um sistema de monotrilho em estudo, previsto no plano diretor do aeroporto, com capacidade adequada à demanda projetada pela CPTM. O investimento estimado é de US$ 40 milhões, mas a previsão é que o projeto fique pronto somente em 2016.

Já em São Paulo, a estação que vai abrigar a chegada dos passageiros é a Engenheiro Goulart, da Linha 12-Safira. De lá os passageiros precisarão percorrer mais dez minutos para ter acesso ao metrô no Tatuapé. A estação Engenheiro Goulart, de acordo com a CPTM, será remodelada. Antiga, ela recebe somente 2,3 mil passageiros por dia e apresenta infiltrações no teto. Para chegar à plataforma é preciso subir uma rampa que passa por cima dos trilhos e é acessada por escadas. Os passageiros com dificuldade de acessibilidade precisam atravessar a linha do trem para chegar a plataforma.

A gestora escolar Elizabete Martins, que mora em Engenheiro Goulart e trabalha em Guarulhos, diz que nunca utilizou o aeroporto, mas que o trem pode ajudar a diminuir o tempo gasto até o trabalho, que hoje chega a 40 minutos.

O auxiliar administrativo Alexandre Pereira também nunca precisou ir até o aeroporto e diz que a necessidade dos passageiros do bairro é que o trem da Linha 12-Safira, que hoje só faz integração com o metrô Tatuapé, tenha paradas também em outras estações. "Trabalho perto do metrô Belém e precisa ir até o Brás para depois voltar ao local onde trabalho", reclama.


Enviado via iPhone

Subsídio para ônibus em SP pode chegar a R$ 1 bi em 2013

10/11/2012 - Via Trólebus

Fernando Haddad nem começou na Prefeitura e já possui um imbróglio em suas mãos. Aumentar ou não a tarifas dos ônibus em SP.
Este ano, o subsídio para as empresas de ônibus bateu recorde: R$ 961 milhões. Isto se deve à decisão do atual prefeito, Gilberto Kassab, em não aumentar as tarifas municipais (hoje em R$ 3,00).
Para o próximo ano, primeiro da gestão Haddad, o subsídio pode ultrapassar a marca do R$ 1 bi visto que só sua promessa de campanha, o Bilhete Único Mensal, consumiria a quantia aproximadamente de R$ 400 milhões.
O governo municipal tem um ponto positivo a seu favor. Em setembro, o governo reduziu os impostos para as empresas de transporte coletivo, o que deve abater em pelo menos 4% o custo do sistema paulistano, o equivalente a R$ 220 milhões por ano. Porém, caso a tarifa permaneça nos R$ 3,00 atuais, esta medida não será suficiente para o subsídio não passar a marca dos R$ 1 bi.
O último reajuste municipal foi em 2010, de 11,1%, contra uma inflação acumulada na época de 6%. Desde então, a inflação passa de 10%. Se esse percentual for aplicado, a passagem de ônibus chegará a R$ 3,30.
Nova licitação
Em julho de 2013 vencem os contratos do transporte coletivo atual. Até lá, a Prefeitura necessita fazer uma nova licitação. Segundo o vereador Antonio Donato (PT), esta licitação pode fazer com que os custos atuais diminuem. Em pior dos casos, mantém como está.
A Prefeitura precisa remodelar o atual sistema de informática do Bilhete Único que se encontra saturado e defasado. Caso isso ocorra, a promessa do Bilhete Único Mensal pode sair no segundo semestre do ano.
Outra opção é a Prefeitura fazer uma licitação a parte do novo sistema.


Enviado via iPhone

Haddad e a tarifa de ônibus

10/11/2012 - Via Trólebus

Conforme noticiado hoje pela Folha de São Paulo, umas das preocupações do prefeito eleito Fernando Haddad é a questão da tarifa de ônibus municipal. Não há aumento da tarifa desde janeiro de 2011 e com isto, o subsídio para as empresas é recorde este ano (R$ 821 milhões).
Outro fator importante que deverá aumentar o subsidio às empresas é a sua promessa de campanha, o Bilhete Único Semanal e Mensal.
Para barrar o aumento do repasse, Haddad terá que aumentar a passagem porém, caso isto ocorra, irá causar um desgaste político logo no início de seu mandato. A tarifa hoje é de R$ 3,00 e já é a mais cara do país.
Além desses fatores, os contratos com as empresas de ônibus vencem no meio do ano. Com certeza, o primeiro ano de mandato do novo prefeito será turbulento na área dos transportes.

Por Caio Lobo



Enviado via iPhone

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

EMTU/SP recebe propostas para execução de obras no trecho Cecap-Vila Galvão do Corredor Guarulhos-São Paulo

09/11/2012 - EMTU

Oito consórcios entregaram hoje (09/11) suas propostas para a concorrência de execução de obras no trecho Cecap-Vila Galvão do Corredor Guarulhos - São Paulo, com 12,3 km de extensão, previsto para ser concluído em 2014. A previsão de início das obras é janeiro de 2013. O valor orçado para o empreendimento é de R$ 92.245.978,04.

As propostas foram entregues pelos seguintes consórcios:

FERREIRA GUEDES - ARAGUAIA

S.A. PAULISTA - CONSTRUBASE

ENPAVI - EQUIPAV

CVG (CONSLADEL - HELENO & FONSECA)

GOMES LOURENÇO - SITRAN

VILA GALVÃO ( EIT ENGª - SERGET)

AZEVEDO TRAVASSOS - SINALIZADORA PAULISTA

CONSTRUCAP - MENDES JUNIOR.

O trecho Vila Endres -Tiquatira/Penha encontra-se em fase de projetos. A sessão pública para entrega das propostas de obras está marcada para 14/12 e a previsão de início é o primeiro semestre de 2013, com a conclusão das obras prevista para o primeiro semestre de 2014.


Enviado via iPhone

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Estado de SP aceita discutir bilhete único mensal

07/11/2012 - Folha de São Paulo, Eduardo Geraque e Evandro Spinelli

Governo estadual está disposto a negociar extensão às redes de metrô e trem do benefício do bilhete único mensal, uma das principais promessas de campanha de Haddad

Bilhete único mensal também no metrô?
créditos: Divulgação

O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse que conversou com "conhecidos no PT" sobre o assunto e que o governo está "aberto a discutir e conversar".

Ele classificou a proposta como tecnicamente viável, mas fez ressalvas sobre a possibilidade de implantação, especialmente nas questões de controle dos custos.

"O Metrô não pode entrar em um sistema e depois pagar o pato. Nós apanhamos muito com a venda do bilhete único por um serviço que não era nosso", disse.

Ele se refere à implantação do bilhete único, na gestão Marta Suplicy (PT), que inicialmente servia apenas aos ônibus e depois foi estendido à rede sobre trilhos, aumentando significativamente o número de usuários.

A rede de metrô e de trens já está saturada. O bilhete único mensal pode estimular o uso do sistema, aumentando ainda mais a superlotação, tudo o que o Metrô não quer.

O bilhete único mensal prometido por Haddad já funciona em outras cidades do mundo --Paris e Nova York, por exemplo. O usuário paga uma taxa única e pode fazer quantas viagens de transporte coletivo quiser naquele período de tempo -um dia, uma semana ou um mês.

Nos ônibus, o sistema deve ser implantado em 2013, segundo o coordenador da equipe de transição de Haddad, Antonio Donato, mas depende do estado para estender à rede sobre trilhos.



Enviado via iPhone

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Estado de SP aceita discutir bilhete único mensal

07/11/2012 - Folha de São Paulo, Eduardo Geraque e Evandro Spinelli

Governo estadual está disposto a negociar extensão às redes de metrô e trem do benefício do bilhete único mensal, uma das principais promessas de campanha de Haddad

O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse que conversou com "conhecidos no PT" sobre o assunto e que o governo está "aberto a discutir e conversar".

Ele classificou a proposta como tecnicamente viável, mas fez ressalvas sobre a possibilidade de implantação, especialmente nas questões de controle dos custos.

"O Metrô não pode entrar em um sistema e depois pagar o pato. Nós apanhamos muito com a venda do bilhete único por um serviço que não era nosso", disse.

Ele se refere à implantação do bilhete único, na gestão Marta Suplicy (PT), que inicialmente servia apenas aos ônibus e depois foi estendido à rede sobre trilhos, aumentando significativamente o número de usuários.

A rede de metrô e de trens já está saturada. O bilhete único mensal pode estimular o uso do sistema, aumentando ainda mais a superlotação, tudo o que o Metrô não quer.

O bilhete único mensal prometido por Haddad já funciona em outras cidades do mundo --Paris e Nova York, por exemplo. O usuário paga uma taxa única e pode fazer quantas viagens de transporte coletivo quiser naquele período de tempo -um dia, uma semana ou um mês.

Nos ônibus, o sistema deve ser implantado em 2013, segundo o coordenador da equipe de transição de Haddad, Antonio Donato, mas depende do estado para estender à rede sobre trilhos.


Enviado via iPhone

Sistema avisa quando ônibus vai chegar ao ponto em São Carlos, SP

07/11/2012 - G1

Tecnologia reduz tempo de espera e ajuda portadores de deficiência. Todos os 1,2 mil pontos da cidade estão cadastrados no Busalert.
07/11/2012 19h06 - Atualizado em 07/11/2012 19h06

Aplicativo Busalert já está funcionando em São Carlos (Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV)
Do G1 São Carlos e Araraquara
Um sistema de envio de mensagens de textos e áudio através de um aplicativo de celular vai ajudar a diminuir o tempo de espera no ponto de ônibus em São Carlos (SP). A tecnologia permite saber quando o ônibus vai chegar ao ponto e ainda avisa aos motoristas se haverá deficiente visual ou físico.
Para ter acesso aos dados é preciso se cadastrar no Busalert. O serviço desenvolvido para São Carlos permite que as mensagens sejam enviadas em texto e também em som.
Agora, todos os 1,2 mil pontos estão cadastrados. Uma placa com número e identificação em braile para ajudar pessoas com deficiente visual está instalada em 400 deles.
O aposentado Ailton Alves Guimarães, que é deficiente visual, cadastra o ponto e o número da linha ônibus. O motorista da linha recebe um aviso em um aparelho. Nele, tem o tempo para a chegada e até a indicação se o passageiro é deficiente.
Para Guimarães, a mudança facilita muito o deslocamento. "Dá uma autonomia para o cego pegar um ônibus em São Carlos. Antes a gente ficava no ponto, as pessoas não ajudavam e o ônibus passava", disse.
Desde junho, o serviço permitia apenas o aviso ao passageiro e não ao motorista. A secretária de Transporte e Trânsito, Regina Romão, disse que uma campanha vai explicar melhor essa expansão do serviço. "Vamos começar com a divulgação efetivamente para a população e pretendemos implantar com todo o potencial que ele permite.
Cerca de mil pessoas já estão cadastradas no sistema do Busalert. Para o diretor da empresa responsável pelo projeto, Sérgio Soares, o sistema pode ser levado a outras cidades. "A ideia do Busalert é que ninguém fique mais no ponto de ônibus esperando, porque não tem nada mais chato no mundo do que você ficar esperando no ponto de ônibus. Você pode estar aproveitando o seu tempo no trabalho, na escola, em casa com os filhos, qualquer coisa menos esperar no ponto de ônibus", disse.
Funcionamento do sistema
O Busalert funciona em qualquer celular, pré ou pós-pago, com capacidade de acesso a pacotes de dados, que utilize a linguagem de programação Java, ou tenha os sistemas operacionais Android e Windows ME.
Para utilizar o Busalert é necessário ter um pacote de transmissão de dados habilitado para o aparelho celular e que utilize a linguagem de programação Java, ou tenha os sistemas operacionais Android e Windows ME.
Para baixar o programa o usuário deverá mandar um torpedo (SMS) de acordo com o sistema operacional de seu celular. Para celulares que rodem jogos ou programas em JAVA deve ser enviada a frase Instalar Busalert Java, para o sistema operacional da Google muito comum nos celulares mais novos a frase é Instalar Busalert Android e para o sistema tradicional para alguns modelos Instalar Busalert Windows. Em seguida o Sistema retornará ao usuário uma mensagem com o link para efetuar a instalação, ou o telefone do Suporte, caso tenha alguma dificuldade na instalação.

Os telefones para envio de SMS, de acordo com cada operadora, são: TIM (16) 8168-4444, Vivo (16) 9717-2277, Claro (16) 9342-7500, Oi (16) 8836-8888 e CTBC (16) 9996-6999. O usuário pode escolher qualquer telefone, de qualquer operadora. Em geral, SMS para a mesma operadora costuma ser mais barato. Esta operação é executada apenas uma vez e não há custo para utilizar o Busalert, apenas o uso normal do seu celular. O SMS é enviado apenas uma única vez na instalação.
Depois de baixar e instalar o programa, para utilizá-lo basta inserir o número da linha de ônibus desejada, ou das linhas e o número do ponto de parada de ônibus, onde o usuário se encontra. O sistema informa na tela do celular a distância, o tempo estimado de chegada e o número de pontos que o ônibus se encontra, naquele momento, até o ponto onde o usuário informou. Não é necessário estar no ponto para receber esta informação.
Caso o usuário tenha dúvidas ou não consiga instalar o programa ele ainda poderá consultar o Suporte do Grupo Criar pelos telefones 0800-942-9422 ou (16) 3512-9000, ou acessar o site http://busalert.com.br/ . No caso de contato via telefone é importante que se faça a ligação de outro aparelho para poder operar o celular onde será instalado o Busalert.


Enviado via iPhone

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Terminal Pinheiros fica para dezembro

Terminal Pinheiros fica para dezembro

06/11/2012 - Rede Bom Dia, Mari Cavalcante

No local vão operar 16 linhas municipais e nove intermunicipais, que juntas atenderão 120 mil ao dia

O investimento total será de R$ 146 milhões
créditos: Bruno Poletti/ Diário SP

O futuro terminal de ônibus de Pinheiros, na Zona Oeste da capital, ficará pronto até dezembro deste ano. Na área, de nove mil metros quadrados, vão ser implantadas seis plataformas para receber 16 linhas de ônibus municipais, que hoje fazem ponto final no Largo da Batata, nove linhas intermunicipais, duas linhas de passagem e outras três noturnas.

Segundo a SPObras (São Paulo Obras), a previsão é de que saiam seis ônibus por minuto e sejam atendidos 120 mil passageiros por dia. De acordo com a SPTrans não serão criadas novas linhas de ônibus.

O investimento total, somado as obras de melhorias no entorno, será de R$ 146 milhões.

O terminal vai integrar os ônibus municipais com a Linha 4-Amarela, do Metrô, e vai permitir a transferência dos passageiros que utilizam a Estação Pinheiros da Linha-9 Esmeralda, da CPTM. A estrutura terá ainda uma garagem com capacidade para 430 carros.

As ruas do entorno do terminal e outras vias da região serão revitalizadas. Haverá alargamento de pistas, colocação de guias, nova iluminação pública, entre outras melhorias.

Quem mora na região precisa conviver com as obras diariamente, ainda mais quando elas acontecem em frente de casa. O morador Átila Aguiar, de 57 anos, mora em uma das ruas que sofrem intervenções. Há dois meses foram colocados tapumes. Para ele, o maior benefício que vai ter com a construção do terminal é o desvio das linhas de ônibus, que deixarão de passar em sua rua. "O barulho, principalmente de madrugada, é insuportável", conta. Ele acredita que as melhorias só vão valorizar o bairro.


Enviado via iPhone

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Haddad afirma que vai fazer corredores da gestão Kassab

31/10/2012 - Agora, Fabiana Cambricoli

O prefeito eleito Fernando Haddad (PT) disse ontem que quer dar continuidade à licitação dos corredores de ônibus iniciada pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD).

Construir 66 km dessas vias foi uma das promessas de campanha de Kassab em 2008, mas não será concluída até o fim do ano.

Segundo a SPTrans, os corredores que estão em licitação somam 60,5 km e são os de Santo Amaro, Radial Leste, Aricanduva, Itaquera, Berrini e Capão Redondo-Vila Sônia.

O pacote inclui ainda quatro terminais de ônibus e obras viárias, em um investimento de R$ 2,3 bilhões.

Com isso, Haddad pretende incorporar os corredores já em licitação ao seu plano de construir 150 km dessas vias.

O tema foi tratado em reunião entre Kassab e o petista ontem à tarde.

"Perguntei [sobre a licitação] e, segundo o prefeito, está transcorrendo e vai transcorrer normalmente", disse Haddad.



Enviado via iPhone

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Haddad quer bilhete mensal e isenção de inspeção em 2014

29/10/2012 - Via Trólebus

Promessas de campanha de Fernando Haddad, o bilhete único mensal e o fim da taxa de inspeção veicular já tem data para começaram a vigorar, pelo menos se depender do prefeito eleito.
Haddad disse nesta segunda-feira (29) que irá enviar à Câmara Municipal, assim que assumir o cargo, ambos os projetos de lei: "Depende de lei, meu compromisso é remeter para a Câmara no primeiro momento essas iniciativas", afirmou. Ele disse esperar que, no 2º ano do governo, as duas promessas estejam cumpridas.
O petista também falou que pretende encaminhar para a Câmara Municipal, já no primeiro semestre de 2013, a reforma urbana, que consta em seu programa de governo. "Nós entendemos que a cidade hoje está muito concentrada. Há um bloco que atrai os empregos da cidade e exige que milhões de moradores tenham que se deslocar por um longo percurso", afirmou.
Quem paga a conta?
Caso Haddad mantenha a politica de inspeção só que isenta de pagamento ao cidadão, importante para o combate a poluição do ar, o petista não disse quem pagará a conta da taxa, já que o dinheiro terá que vir de algum lugar, provavelmente de impostos, ou seja, todos pagam (quem anda de carro, ônibus, Metrô e a pé) ao contrário do sistema atual que apenas o motorista de carro banca.

Por Renato Lobo



Enviado via iPhone

sábado, 27 de outubro de 2012

Odebrecht e sócias venderão anúncios em abrigo de ônibus

24/10/2012 - Valor Econômico, Adriana Mattos

O consórcio PRA SP venceu a licitação para a instalação e operação dos abrigos de ônibus na cidade de São Paulo e vai investir um total de R$ 636 milhões. Fazem parte do consórcio as empresas Odebrecht Transport Participações, APMR Investimentos e Participações, Rádio e Televisão Bandeirantes de Minas Gerais e Kalítera Engenharia.
Este é o primeiro contrato da Odebrecht Transport, braço do grupo para operar obras de infraestrutura. Pelo contrato, serão permitidos anúncios publicitários nos abrigos, a serem comercializados pelo consórcio, em troca de serviços de manutenção e conservação do espaço.
Segundo informação publicada ontem no Diário Oficial do município, o PRA SP tirou melhor nota técnica que o consórcio "Os Abrigos de São Paulo" - do qual participam a JCDecaux do Brasil e a JCDecaux Ameriques Holding, subsidiárias brasileira e americana do grupo francês JCDecaux.
Os investimentos do PRA SP incluem uma taxa fixa de R$ 274 milhões a ser paga à prefeitura paulista pelo direito de exploração dos abrigos por 25 anos, somado a um lance adicional (ágio) de R$ 35 milhões, o que eleva a soma para R$ 309 milhões. Outros R$ 25 milhões serão aplicados na manutenção dos atuais abrigos até que o consórcio finalize a troca dos pontos antigos. Por fim, mais R$ 302 milhões serão aplicados na remoção e troca dos 6,5 mil pontos. Ao considerar todos esses valores, o valor investido é de R$ 636 milhões.
Esse contrato marca o retorno da publicidade no mobiliário da cidade de São Paulo, cinco anos após a implantação da lei "Cidade Limpa". Em setembro, o consórcio "A Hora de São Paulo" (formado pela empresa francesa JCDecaux) ganhou o direito de instalar e operar mil relógios de rua em São Paulo. Os relógios e os abrigos foram os dois únicos espaços liberados para expor anúncios na cidade.
O contrato com a PRA SP deve ser assinado nas próximas semanas - 30 dias a partir da assinatura, as empresas assumem o serviço. Devem ser trocados todos os 6,5 mil abrigos de São Paulo em três anos. O consórcio começará a negociar, nas próximas semanas, contratos para anúncios publicitários nos novos pontos. "No edital, o prazo para a troca dos abrigos era de cinco anos, mas nos propomos a fazer em três. E pelas nossas contas, até a Copa do Mundo de 2014, 2,5 mil abrigos terão sido trocados", disse Violeta Kertesz, diretora da Odebrecht Transport. "Queremos ser uma companhia brasileira líder nessa área, no país".
Os novos modelos dos abrigos foram projetados pelo consórcio. Há painéis digitais com tela "touch screen" - esses estarão em 5% dos pontos - e telas para anúncios com duas faces. Nos painéis digitais, o anúncio muda ao longo do dia. "Pela manhã, podemos ter um anúncio de um sabão em pó e à noite, no horário do jantar, de um restaurante", disse Violeta.


Enviado via iPhone

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Novos pontos de ônibus em São Paulo terão a 'cara' da região

25/10/2012 - Folha de São Paulo

A partir do começo do ano que vem, quem pegar ônibus do transporte urbano nas avenidas Paulista ou Luís Carlos Berrini vai esperar pelo transporte em uma estrutura com desenho avançado, batizada de ponto "high-tech".

SP terá relógios de LED e pontos 'high-tech'
Análise: Volta da propaganda às ruas pode ter resultados positivos

Nas marginais e nas proximidades de pontes e viadutos, o conceito do abrigo muda e a estrutura será em concreto, com maior resistência.

O consórcio que vai gerir os novos pontos de ônibus da cidade de São Paulo promete quatro estruturas diferentes, com design que se relaciona à região em que o equipamento for instalado.

"Pensamos nas características da cidade para desenhar os modelos. No centro histórico, por exemplo, os abrigos vão ser transparentes, permitindo que o usuário contemple o visual do entorno", afirmou Violeta Noya, representante do grupo vencedor.

A maior parte das vias --como a avenida Brasil, o entorno do parque Ibirapuera e a avenida Faria Lima--, porém, vai ter pontos em aço, chamados no projeto de "Caos Top".

"A intenção é embelezar São Paulo com as estruturas, que vão ser bem iluminadas e foram desenhadas para dar orgulho ao cidadão", afirma.

Em calçadas mais estreitas, com menos espaço para as estruturas originais, os pontos vão ser adaptados para proteger os usuários da chuva e de vento.

Os locais de instalação dos totens informativos de paradas de ônibus (sem cobertura), que não poderão ter publicidade, vão ser determinados por órgãos da prefeitura.

Editoria de Arte/Folhapress

REGIÕES

Os novos relógios de rua a serem instalados na cidade, de acordo com Ana Célia Biondi, representante do consórcio ganhador da concessão, foram projetados para durar 25 anos e serão operados e atualizados à distância.

"O projeto do relógio levou em conta as características da cidade. São dois modelos exclusivos capazes de resistir à chuva, à poluição, aos ventos", disse Biondi.

O grupo vai começar a substituir os antigos modelos no primeiro semestre do ano que vem e tem 14 meses para concluir o trabalho.

As regiões leste, oeste, norte e sul vão receber, no mínimo, 150 relógios. A porção central da cidade vai ter, no máximo, cem unidades. (JAIRO MARQUES)

+ CANAIS
Acompanhe a editoria de Cotidiano no Twitter
Acompanhe a Folha no Twitter
Conheça a página da Folha no Facebook
+ NOTÍCIAS EM COTIDIANO
Secretaria da Saúde esclarece 'falta de ajuda' à jovem assassinada
Três pessoas são mortas e seis feridas após assassinato de policial em SP
Governo amplia cobertura de vacinação contra gripe
Palmas quer climatizador em praça para aliviar calor de até 45°C
LIVRARIA DA FOLHA

GONZAGUINHA E GONZAGÃO
Regina Echeverria
De: 39,90
Por: 33,90
COMPRAR
CORAÇÕES DESCONTROLADOS
Ana Beatriz Barbosa Silva
De: 39,90
Por: 31,90
COMPRAR
Variação exagerada de humor pode ser sinal de síndrome de borderline
Confronto entre PCC e PM na Baixada Santista é recorrente, diz livro
Pesquisas de opinião estão entre as maiores falácias da matemática, diz autor
Criminosos transformaram cidade brasileira em 'inferno de violência'
Seu colega de trabalho pode ser um psicopata, diz livro
Presidiárias são mais propensas a relação homoerótica, diz Varella
Anuncie aqui
Links Patrocinados
Melhor Investimento?
Vinho alemão refrescante, Riesling. Todo site em 6 vezes sem juros
www.jardimdovinho.com.br
TIM Empresa - Consultor
Fale Ilimitado c/ 42 milhões de usuários TIM! Rep. Autorizado TIM.
www.Tim-Empresas.com/Consultor
Metais Sanitários Eternit
Tendências vêm e vão, mas o bom gosto é Eterno
www.eternit.com.br/metaissanitarios
Comentar esta reportagemVer todos os comentários (6)
Marcelo Mathias (53)(10h10) há 4 horas
facebooktwitter
0
1
ResponderDenuncie
Que legal, 46 mil reais cada ponto de onibus.
Quem projetou esses pontos, não anda de onibus e nem vive em São Paulo.
Bancos virarão moradias por serem planos e vidros que estarão quebrados em 1 semana, fora a fragilidade do modelo "aço".
O comentário não representa a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem
Reynante * (6691)(10h17) há 4 horas
facebooktwitter
0
1
ResponderDenuncie
Esses ponto de onibus custaram, mais caros do que os apartamentos da Cohab...
Deve ter uns 200 atravessadores nessa história levando pro-pi-na...
O comentário não representa a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem
Rodrigo Ferreira (850)(08h12) há 6 horas
facebooktwitter
0
0
ResponderDenuncie
Que ótima notícia, mais uma infraestrutura de uma empresa terceirizada que os usuários dos ônibus terão que pagar (custo embutido na passagem de ônibus). Essa gestão está mesmo ótima para a população, quem sabe não coloquem uma TV LED nos pontos e obriguem a população pagar também. O povo é obrigado a tudo, que país mais democrático.
O comentário não representa a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem
Termos e condições



Enviado via iPhone

sábado, 6 de outubro de 2012

Ônibus movido a bateria é testado em SP

05/10/2012 - R7, com AE

Segundo a prefeitura paulistana, veículo elétrico vai economizar cerca de R$ 179,77 por dia, em comparação aos ônibus a diesel

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, participou na segunda-feira passada (1°), no Pavilhão de Exposições do Anhembi, zona norte da capital paulista, da apresentação de um ônibus movido à bateria.

O veículo é de fabricação chinesa e está em teste, informa a prefeitura, devendo começar a rodar até o fim do ano ou, no máximo, até o começo de janeiro de 2013.

Para funcionar, o ônibus à bateria deve ser carregado durante a noite, por cerca de quatro horas. Durante o teste, o coletivo rodou 230 km, a um gasto calculado de R$ 60,58. Para comparar, um ônibus à diesel consome R$ 240,35 para a mesma distância. Segundo a prefeitura, isso significa que, em um ano, a cidade economizaria R$ 59.324,70.

Eletroposto

Na último dia 28 de setembro, foi lançado o primeiro eletroposto de recarga rápida de veículos elétricos no Brasil com sistema de billing e ferramentas de planejamento elétrico. O projeto avaliará os impactos dos veículos elétricos nos sistemas de distribuição de energia elétrica e já deram início aos testes da primeira fase do projeto, que serão concluídos no final de 2012.


Enviado via iPhone

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Em 3 anos, SP perdeu 1 em cada 4 fretados

04/10/2012 - O Estado de São Paulo, Artur Rodrigues

SÃO PAULO – Três anos depois do início das restrições na região central de São Paulo e da exigência de troca de parte da frota, um quarto dos fretados deixou as ruas da capital. Eram cerca de 6 mil circulando diariamente pela cidade em 2009. Hoje, não passam de 4,5 mil, segundo o Sindicato das Empresas de Transporte por Fretamento (Transfretur).

Veja também:
Taxa deve deixar fretado 5% mais caro para passageiro
MP abre inquérito para apurar restrição a fretados em SP
TJ derruba decisão que levantava restrições a ônibus fretados

Na época, a Prefeitura chamou os fretados de "táxis de luxo", que competiam com o transporte público, e afirmou que a restrição em uma área de 70 km² melhoraria o trânsito. Com isso, ônibus que deixavam os passageiros na porta das empresas tiveram de passar a fazer o desembarque em estações do metrô – Brás, Barra Funda e Imigrantes.

O administrador de empresas Antonio Mantovani, de 56 anos, até tentou manter a comodidade. "Aumentou meu custo e era um desgaste à toa. Resolvi parar com a maratona do transporte público e pagar garagem. Agora, só venho de carro", diz.

Segundo o Transfretur, muitos tiveram a mesma decisão. "Em 2009, tínhamos 370 mil pessoas usando fretados. Hoje, são cerca de 300 mil. Quem saiu do fretado foi para o carro", diz o diretor executivo da Transfretur, Jorge Miguel dos Santos.

A Prefeitura, no entanto, afirma que o trânsito melhorou. Segundo dados da Secretaria dos Transportes, em 2008, antes da restrição, a média de lentidão foi de 89 km no período da manhã e de 129 km à tarde. No ano passado, foram 80 km e 108 km, respectivamente. Nesse período, porém, além dos fretados, também houve restrições a caminhões na cidade.
A administração municipal afirma ainda que na Avenida Paulista, onde se concentravam muitas linhas de fretados, a velocidade média dos ônibus comuns no pico da manhã passou de 11,69 km/h para 17,12 km/h.

Crítica. Para o consultor e engenheiro de tráfego Horácio Figueira, a Prefeitura errou ao restringir essa alternativa. Para ele, quem está acostumado a ir sentado, no ar-condicionado, saindo da porta de casa e chegando diretamente ao destino, só trocaria o carro por algo parecido. "O fretado é uma alternativa para tirar carros da rua e a cidade não gastaria nada com isso", afirma.
No ano que vem, termina o prazo para que veículos com mais de 15 anos saiam das ruas. O sindicato estima que pelo menos mais 700 deixem de circular. De acordo com a Associação das Micro, Pequenas e Médias Empresas de Fretamento (Assofresp), com as restrições impostas pela Prefeitura, 30% das companhias de até médio porte fecharam.


Enviado via iPhone

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Prefeitura de São Paulo testa ônibus movido a bateria

03/10/2012 - Assessoria de Imprensa - SPTrans

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Transportes e da São Paulo Transporte (SPTrans), em parceria com a Rede C40, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Instituto ISSRC, está realizando testes com um novo ônibus movido a bateria, fabricado pela empresa chinesa BYD. Essa tecnologia, que emite zero poluente, é inédita no Brasil.

Os primeiros testes do veículo foram realizados sem passageiros, entre 17 e 27 de setembro, pela Viação Transppass. O ônibus foi carregado com bombonas d'água para simular o peso de um coletivo com passageiros, em rotas e linhas pré-determinadas, para medir a eficiência energética, consumo e desempenho do veículo.

O veículo a bateria continuará em testes por mais 15 dias sob responsabilidade da empresa Ambiental Transporte, supervisionada pela SPTrans, onde serão conferidos os ganhos de eficiência registrados nos testes realizados em São Paulo e também em Bogotá, na Colômbia.

Os testes já realizados mostraram que esse modelo consome 131,7 kwh a cada 100 quilômetros percorridos, ao custo de R$ 0,20 por kwh. Um ônibus comum movido a diesel consome 55 litros de combustível para rodar a mesma quilometragem, ao preço médio de R$ 1,90 por litro. O veículo movido a bateria tem uma autonomia de 250 quilômetros com uma carga completa, que leva no máximo quatro horas para ser realizada.

Durante um dia de teste, foram rodados 230 quilômetros com um custo de R$ 60,58 para o veículo movido a bateria, recarregado fora do horário de pico, quando o preço da energia é mais baixo. O ônibus movido a diesel teve um gasto de R$ 240,35 no mesmo cenário de teste. Isso representa uma economia que pode chegar a R$ 179,77 por dia, ou R$ 59.324,10 por ano, apenas com combustível.

Um veículo movido a bateria e modificado para atender às especificações da SPTrans está avaliado em R$ 950 mil, enquanto um similar movido a óleo diesel custa em média R$ 400 mil. Essa tecnologia já está em operação em países como China, Cingapura, Taiwan, Itália, Holanda, Alemanha e Estados Unidos.

O veículo que está sendo utilizado nos testes não atende às especificações e padrões exigidos pela SPTrans, por ser um ônibus criado para atender aos padrões operacionais da China. Um modelo deverá ser montado, dentro das especificações da Capital, para fazer novos testes aos interessados na aquisição do equipamento.

As empresas Transppass e Ambiental Transporte tiveram participação nos testes disponibilizando a infraestrutura, mão de obra operacional e de manutenção.

Programa Ecofrota

Tecnologias utilizadas

Biodiesel: 1.200 ônibus são abastecidos com uma mistura de 20% de biodiesel de grãos ao diesel já utilizado na Cidade. A utilização do combustível B20 nesses veículos reduz em até 22% a emissão de material particulado, 13% de monóxido de carbono e 10% de hidrocarbonetos

Energia elétrica: A Prefeitura, por meio da SPTrans, vai renovar 140 dos 190 trólebus que circulam na cidade. 92 veículos novos já estão operando com poluição zero.

Diesel de cana: 160 ônibus abastecidos com 10% de diesel de cana estão circulando na Cidade. Os testes realizados anteriormente apresentaram uma redução de até 41% de fumaça preta, comparado com os veículos abastecidos com diesel B5.

Etanol: 60 veículos abastecidos com etanol operam com redução de emissão de material particulado, NOx e sem liberar enxofre no ar de São Paulo.

O restante da frota utiliza combustível B5 S50, ou seja, uma mistura de diesel de petróleo adicionado a 5% de biodiesel.

A SPTrans investe ainda na renovação da frota da Cidade, realizando a troca dos veículos antigos por modelos de tecnologia mais nova, com maior capacidade e menos poluentes. Dos 15 mil ônibus da frota, 13.333 (ou 88,8%) já foram renovados.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Começam os testes com ônibus híbrido em Araraquara

30/09/2012 - Prefeitura de Araraquara


O ônibus híbrido de teste da Volvo, que funciona com motores a biodiesel e elétrico, começou a circular nas linhas da CTA (Companhia Troleibus Araraquara) e deverá permanecer na cidade por cerca de 30 dias. Araraquara é uma das primeiras cidades do País a receber o modelo e foi escolhida pelo seu histórico com ônibus elétricos.

A vinda do ônibus híbrido é resultado de um acordo entre a Volvo e a CTA. Antes de Araraquara, o veículo somente havia circulado em grandes cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Campinas e São José dos Campos.

A CTA irá colocar o veículo em diversas linhas ao longo do período de testes. Como não possui catraca, o ônibus irá embarcar os passageiros somente no TCI (Terminal Central de Integração).

Meu Transporte em Araraquara

Com tecnologia de ponta, o ônibus híbrido tem um motor diesel de 215 CV e outro elétrico de 180CV, que tracionam o veículo de forma simultânea ou independente. As principais características do veículo são as reduções de 35% e 50% no consumo de combustível e na emissão de gases, respectivamente, o baixo ruído e o conforto aos passageiros.


O ônibus também possui sistema de rebaixamento da suspensão para facilitar o embarque de cadeirantes e para que possa circular em ruas com lombadas e valetas.

Segundo Agnaldo Machado, representante da concessionária Auto Sueco da Volvo, o veículo segue norma da Euro 5, correspondente ao Conama P7 brasileiro, que regulamenta a emissão de poluentes por veículos automotores.

Machado afirma que os ônibus híbridos começaram a ser adquiridos neste ano no Brasil e duas empresas nacionais estão fazendo as carrocerias dos veículos. "A receptividade da população tem sido a melhor possível", afirma ele.



Como funciona?
Ao arrancar, o ônibus é movido pelo motor elétrico. O alto torque proporciona uma partida macia e silenciosa. A partir do momento em que uma determinada velocidade é atingida, aproximadamente 20 km/h, o motor diesel entra em operação. Quando o veículo está parado, o motor diesel é desligado. Para isso, um avançado sistema de controle regula a aplicação de recursos de potência. As duas fontes de energia interagem de forma otimizada. O uso reduzido de energia e as baixas emissões são certamente os principais benefícios do Volvo Híbrido.


As emissões de CO2 e NOx são dramaticamente reduzidas, obtendo índices até 50% inferiores em relação aos limites permitidos na Europa. Outra vantagem que contribui para a economia do sistema é que o uso combinado do motor elétrico permite a utilização de um motor diesel de menor porte do que os de ônibus urbanos convencionais, sem reduzir seu desempenho.

Informações: Prefeitura de Araraquara

Campinas fica com R$ 339 milhões do PAC da Mobilidade

24/04/2012 - Blog da Rose

A Prefeitura de Campinas vai receber R$ 339 milhões do PAC da Mobilidade. O anúncio foi feito hoje pela presidente da República Dilma Rousseff. O prefeito Pedro Serafim (PDT) participou da cerimônia.

A verba – R$ 98 milhões a fundo perdido e outros R$ 197 milhões financiados pelo BNDES ou CEF (Caixa Econômica Federal) – será utilizada para construir dois corredores exclusivos para ônibus na região do Ouro Verde e Campo Grande, entre outras obras. A contrapartida da prefeitura será de R$ 30 milhões.

O volume para obras de mobilidade urbana distribuídos hoje alcança a cifra de R$ 22 bilhões em recursos do Orçamento Geral da União. O programa atenderá municípios com mais de 700 mil habitantes em 19 Estados. Os governos estatuais e municipais terão de fazer investimentos em contrapartida, um volume de recursos que deverá chegar a R$ 32 bilhões.

As cidades contempladas são Belém (PA); Belo Horizonte (MG); Brasília (DF); Campinas (SP); Campo Grande (MS); Curitiba (PR); Fortaleza (CE); Goiânia (GO); Guarulhos (SP); João Pessoa (PB); Maceió (AL); Manaus (AM) ; Natal (RN); Nova Iguaçu (RJ); Porto Alegre (RS); Recife (PE); Rio de Janeiro (RJ); Salvador (BA); São Bernardo do Campo (SP); São Luís (MA); São Paulo (SP) e Teresina (PI).


Marcelo Almirante
69 - 9985 7275

terça-feira, 25 de setembro de 2012

SP terá pontos de ônibus com informações do tempo de espera dos coletivos e até painel touchscreen

21/09/2012 - O Estado de São Paulo

Em 2013 a cidade de São Paulo deverá ter novos pontos de ônibus. Serão 6,5 mil abrigos e 14 mil totens com design futurista, informações sobre o tempo de espera dos ônibus e iluminação. De acordo com o jornal "O Estado de S. Paulo" um deles terá até painel touchscreen. O custo estimado de instalação é de R$ 550 milhões. A SPObras é a responsável pela a licitação.
A troca dos abrigos e totens faz parte da segunda fase da Cidade Limpa – que também inclui publicidade em relógios. O consórcio que vencer a licitação deverá instalar os pontos e fazer a manutenção. Em troca, poderá explorar a publicidade nos pontos de ônibus.
Em geral, todos as novas paradas apostam em transparências e espaços para anúncios luminosos. Além da informação sobre o tempo de espera dos ônibus e os bancos, é obrigatório que haja total acessibilidade, com piso tátil e informações em braile.
O consórcio vencedor poderá trabalhar por 25 anos na publicidade nos abrigos. São elas : Pra SP, formado pelas empresas Odebrecht, Kalítera e Rádio e Televisão Bandeirantes (MG), e o Os Abrigos de São Paulo, do grupo francês JCDecaux.
Segundo o prefeito Gilberto Kassab (PSD), a cidade não gastará nada e ainda vai lucrar em impostos com o modelo. "Com aquela publicidade visual, a cidade arrecadava 6 milhões por ano (equivalente a R$ 15 milhões). Agora, vamos arrecadar em torno de 100 milhões por ano (equivalente a R$ 264 milhões)."
A São Paulo Transportes (SPTrans) deve escolher onde serão colocados os abrigos e totens. A medida visa evitar que a empresa vencedora da licitação queira apenas colocar abrigos nos locais onde os anúncios tenham maior valor de mercado.
Por Renato Lobo, com as informações de "O Estado de S.Paulo"


Enviado via iPhone

Subsídio para ônibus em 2012 será recorde

17/09/2012 - Band.com.br

Repasse da Prefeitura de São Paulo para empresas será de R$ 960 mi, ante R$ 520 mi em 2011, aumento de quase 85%

Gratuidades e descontos, nas passagens de ônibus, beneficiam mais de 1,7 milhão de pessoas

Leticia Moreira/ Folhapress
Márcio Alves, do Metro SP noticias@band.com.br

Os gastos da prefeitura para custear o sistema de transporte público em São Paulo serão recorde este ano. Segundo a SPTrans, empresa que administra o sistema, o repasse será de R$ 960 milhões – 84,6% superior a 2011, quando foram transferidos R$ 520 milhões.

O subsídio, segundo a prefeitura, serve principalmente para a cobertura das gratuidades e descontos, que beneficiam mais de 1,7 milhão de pessoas – como idosos e estudantes –, a um custo de R$ 821 milhões neste ano.

A ampliação de gratuidades ou de benefícios a passageiros pode ter impacto direto no valor que a prefeitura tem de repassar às empresas e consequentemente nos cofres do município.

Por isso, o Metro perguntou aos candidatos a prefeito da capital que planos têm para a tarifação do transporte público, caso sejam eleitos.

Usado por 92% dos passageiros (veja abaixo), o Bilhete Único é um dos temas que surgiu nas propostas dos candidatos. Criado em 2004 pela então prefeita Marta Suplicy (PT), o Bilhete Único previa a realização de quatro viagens de ônibus em até duas horas.

Em 2008, quando Gilberto Kassab (PSD) era prefeito e José Sera (PSDB) governador do Estado, uma parceria estendeu o benefício para três horas. O uso foi ampliado também para o metrô e trens da CPTM, com valores inferiores aos que seriam cobrados sem o uso do cartão.



Enviado via iPhone

Ônibus de SP têm recorde de passageiros em agosto

18/09/2012 - O Estado de São Paulo

CAIO DO VALLE

Não está fácil andar de ônibus em São Paulo. Estatísticas da Prefeitura divulgadas nesta semana mostram que os coletivos da cidade quebraram, em agosto, o recorde histórico de passageiros transportados. No mês passado, 267 milhões de usuários giraram as catracas – 8,6 milhões por dia. O patamar máximo anterior havia sido atingido exatamente um ano antes, em agosto de 2011, quando 265 milhões de pessoas fizeram uso dos ônibus de São Paulo.

O novo recorde pode ajudar a reverter a tendência que estava se desenhando para este ano, de redução no número de passageiros. Reportagem publicada no JT no mês passado mostrava que nos primeiros sete meses do ano o número de usuários dos ônibus da capital estava 0,6% inferior ao mesmo período do ano passado. Com os números de agosto, a diferença (considerando o período de oito meses) caiu para 0,2% (ainda com mais passageiros em 2011).

Quem usa os ônibus com frequência afirma sentir o aumento do desconforto. Isso, apesar de a SPTrans informar que a oferta de lugares cresceu. Morador do Jardim Herculano, na zona sul, o cozinheiro Gilberto Nascimento da Silva, de 36 anos, conta que gasta entre 1h40min e 2h para chegar à Rua Haddock Lobo, centro, onde trabalha. "Cansa muito mais ficar dentro da condução do que fazer o meu serviço."

Ele diz que enfrenta filas ainda fora dos ônibus, nos terminais Jardim Ângela e Santo Amaro. "Se você não quiser ir em pé, tem que pegar a fila lá pelas 4h."

A passadeira de roupa Maria Queila Gardene, de 36 anos, enfrenta problema parecido, mas no Jardim Boa Vista, zona oeste, onde vive. Ali, demora para embarcar no ponto final da linha que a deixa perto da Avenida Paulista, onde trabalha. No coletivo, que sai cheio, mais problemas. "Muitas vezes já chego irritada no serviço porque não consigo descer no ponto certo. Como está lotado, nem sempre dá para chegar à porta na hora que o ônibus para." À tarde, a volta também é desgastante, segundo ela, que aguarda a condução no corredor da Rua da Consolação. "Demora uns 45 minutos para o ônibus passar. Nesse tempo, temos que ficar aqui ouvindo o barulhão dos motores subindo e descendo a rua." Quando o coletivo aparece, diz ela, já está lotado.

Mais eficiência
Como aumentar o conforto, então? "Tinham que pôr mais ônibus rodando e construir outras linhas de metrô", palpita o segurança Marcos Moraes, de 47 anos, que diariamente viaja do Jaçanã, na zona norte, à Paulista.

Mas, para o assessor técnico da Associação Nacional de Transportes Públicos Marcos Bicalho, a solução não necessariamente é essa. "A questão central que se coloca é dar mais eficiência aos ônibus." De acordo com ele, é necessário priorizar os coletivos em grandes avenidas, em detrimento dos carros. "Assim, os ônibus, mesmo com mais gente, vão andar mais rápido e a oferta de viagens aumentará, resultando em mais conforto."

Em nota, a SPTrans informou que a demanda se manteve estável nos dias úteis entre os meses de agosto de 2011 e 2012, apesar do crescimento absoluto. Segundo a empresa, entre um ano e outro "a oferta de lugares cresceu 2,1% em todo o sistema, ou seja, 1,3 ponto porcentual acima do crescimento de passageiros transportados em agosto".

Categories: Transporte
Tags: ônibus lotados, recorde de passageiros, SPTrans



Enviado via iPhone

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Governador Alckmin entrega o Terminal Metropolitano Cecap, da EMTU/SP, em Guarulhos

24/09/2012 - EMTU

Serão beneficiados 35 mil usuários/dia, com integração física entre linhas da EMTU/SP e municipais; investimento foi de R$ 6,6 milhões

O governador Geraldo Alckmin entregou nesta segunda-feira, 24, o Terminal Metropolitano Cecap, em Guarulhos, localizado na confluência das avenidas Monteiro Lobato e Tancredo Neves. Com nove linhas metropolitanas e 21 municipais, o terminal beneficia diretamente 35 mil usuários/dia do município e da região norte de São Paulo, que contam com integração física entre as linhas intermunicipais e municipais. O investimento do Governo do Estado na obra foi de R$ 6,6 milhões.

O local é dotado de infraestrutura que inclui rampas, passeios, banheiro, piso podotátil, plataforma elevada de 28 cm, corrimão e guarda-corpo (proteção para cadeirantes), sinalizações visual e tátil de ambientes e bicicletário com 130 vagas.

Com 8.500 m² de área construída, o terminal faz parte do Corredor Metropolitano Guarulhos – São Paulo (Tucuruvi), que terá 32,3 km de extensão e está em construção pela EMTU/SP sob a coordenação da Secretaria dos Transportes Metropolitanos. O empreendimento suprirá importante demanda de transporte público sobre pneus na ligação entre a capital e o segundo município mais populoso do Estado, além de interligar futuramente os usuários ao sistema metroferroviário nas estações Tucuruvi, do Metrô, e Tiquatira, da CPTM.

O Terminal Cecap será ligado ao Terminal Taboão - em operação desde maio - por um viário de 3,5 km a ser entregue ainda em 2012. Estima-se que o trecho seja utilizado por 10 mil passageiros/dia (dois sentidos de operação), usuários de uma linha municipal troncal e cinco linhas metropolitanas troncais previstas para operarem no trecho. Com os dois terminais operando, a movimentação de usuários é estimada em 60 mil passageiros/dia, número que inclui as linhas municipais e intermunicipais que passam pelos terminais Taboão e Cecap.

Os dois terminais se destacam pela condição estratégica na reorganização das redes metropolitana e municipal de transporte coletivo por ônibus. São locais de concentração de linhas que estavam com seus pontos finais localizados em ruas e avenidas do município de Guarulhos, causando, na maioria das vezes, incômodos aos moradores vizinhos e transtornos ao trânsito local.



Linhas intermunicipais

Nove linhas metropolitanas atenderão ao Terminal Cecap (segue abaixo relação)


Origem no Terminal

499 Guarulhos (Terminal Metropolitano Cecap) / São Paulo (Estação CPTM Dom Bosco)


De passagem pelo Terminal

016 Guarulhos (Terminal Urbano de Guarulhos) / São Paulo (Metrô Armênia)

121 Guarulhos (Terminal Metropolitano Taboão) / São Paulo (Penha)

139 São Paulo (São Miguel Paulista) / Guarulhos (Centro)

301 Itaquaquecetuba (Rancho Grande) / Guarulhos (Jardim Santa Mena)

318 Poá (Terminal Cidade Kemel) / Guarulhos (Centro)

318 VP1 São Paulo (São Miguel Paulista) / Guarulhos (Centro)

575 Guarulhos (Terminal Urbano de Guarulhos) / São Paulo (Metrô Armênia)

577 Guarulhos (Jardim Ipanema / São Paulo (Metrô Armênia)



Corredor Guarulhos – São Paulo

Até 2014, está prevista a conclusão de três trechos: Taboão – Cecap (3,5 km), Cecap – Vila Galvão (12,4 km), e Vila Endres – Tiquatira/Penha (6,5 km).



Trecho Taboão – Cecap: previsão de conclusão em 2012.

Trecho Cecap – Vila Galvão: previsão de conclusão em 2014.

Trecho Vila Endres – Tiquatira/Penha: previsão de conclusão em 2014.



Divulgação à população

O início da operação comercial do Terminal CECAP promoverá várias alterações nos pontos de parada localizados nas imediações. Para comunicar e reforçar o novo serviço, a EMTU/SP elaborou folhetos, divulgação à Imprensa (jornais, rádios, TVs e sites da Grande São Paulo), 0800, além de cartazes dentro dos ônibus.



EMTU/SP em Guarulhos

A EMTU/SP gerencia e fiscaliza o transporte intermunicipal na Região Metropolitana de São Paulo, dividida em quatro áreas de concessão. Guarulhos faz parte da Área 3, que inclui ainda os municípios de Arujá, Mairiporã e Santa Isabel. O município é servido por 122 linhas intermunicipais operadas pelos consórcios Internorte e Unileste.


Enviado via iPhone

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Artigo: O trajeto dos ônibus em SP

13/09/2012 - Folha de S.Paulo

*José Luiz Portella Pereira

Quando se fala do tempo gasto pelas pessoas para chegarem ao trabalho, a ideia é apontar o trânsito como o grande culpado. Ele tem grande influência, mas não é o único responsável.

O trajeto dos ônibus em São Paulo é quase sempre irracional. Feito para demorar mais do que seria necessário. São longos e tortuosos percursos, passando muitas vezes por ruas estreitas, aumentando o tempo da viagem. Pior ainda é que não se ligam a trem e metrô, de modo a otimizarem o deslocamento.

O foco não está no deslocamento das pessoas, mas no melhor percurso para o ônibus.

Ninguém sai de casa para andar de metrô, de trem, de ônibus. O grande objetivo é chegar ao destino no menor tempo possível. Logo, o sistema de transporte deve ser pensado como um todo que se articule da melhor forma para realizar as viagens demandadas.

De onde partem as pessoas e para onde elas querem ir é o que importa. O sistema deve atender diretamente esses desejos. Deve adaptar-se a isso e não o contrário.

Linhas de ônibus que estão próximas de linhas de metrô ou de trem fazem voltas e voltas, percorrem um trajeto maior e acabam deixando as pessoas em estações mais sobrecarregadas do sistema sobre trilhos, como a estação Itaquera, do metrô, onde já existe um terminal bastante carregado.

Além do desconforto, o tempo de viagem aumenta, pois a concentração em determinadas estações aumenta o tempo de embarque. Quer dizer, além do trânsito em si, bastante carregado, acrescenta-se um trajeto mais longo.

A linha 213C (Itaim Paulista - Jd. Califórnia) é um exemplo.

Tratar cada modo de transporte separadamente é a origem dessas incoerências. Metrô, ônibus, carro, táxi, bicicleta fazem parte de um sistema só. Que, por isso, deve ser operado por um gestor apenas: a chamada Autoridade Metropolitana de Transporte.

Uma mudança nos trajetos dos ônibus diminuiria imediatamente o tempo gasto nas viagens. Acrescida de uma nova ligação planejada com o transporte sobre trilhos em estações sem concentração indevida, teria sucesso ainda maior.

O trânsito não irá mudar da noite para o dia. Tampouco os congestionamentos desaparecerão. Só um conjunto ousado de medidas diminuirá o comprimento das filas. Que em São Paulo podem ser reduzidas em 30%, em cerca de três anos.

Mas esse conjunto não necessita ser implantado simultaneamente. A mudança de trajeto dos ônibus pode ser implantada logo. Teria efeito benéfico imediato que quase todos iriam perceber rapidamente.

Algumas soluções estão mais próximas do que se pensa. Aplicá-las, além de melhorar a vida das pessoas, serviria de estímulo para acreditarmos que a cidade tem jeito.

*José Luiz Portella Pereira, 58, é engenheiro civil especializado em gerenciamento de projetos, orçamento público, transportes e tráfego. Foi secretário-executivo dos Ministérios do Esporte e dos Transportes, secretário estadual dos Transportes Metropolitanos e de Serviços e Obras da Prefeitura de São Paulo e presidente da Fundação de Assistência ao Estudante. Formulou e implantou o Programa Alfabetização Solidária e implantou o 1º Programa Universidade Solidária.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Prefeitura de Campinas entrega documentos para a liberação de recursos do BRT

06/09/2012 - EMDEC

A Administração Municipal deu mais um importante passo para a implantação do conceito de Bus Rapid Transit (BRT - Ônibus de Trânsito Rápido, em Inglês), na cidade. Nesta semana, uma equipe de técnicos da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), liderada pelo secretário de Transportes André Aranha Ribeiro, esteve no Ministério das Cidades, em Brasília, entregando as documentações necessárias para a contratação das operações de crédito e formalização dos termos de compromisso, junto à Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana.

Campinas entregou os documentos com antecedência, uma vez que o prazo final para o procedimento se encerra nesta sexta-feira, dia 31 de agosto. “Essa é mais uma ação efetiva para a implantação da infraestrutura dos corredores BRT Ouro Verde e BRT Campo Grande. Já estamos com prazos correndo para a elaboração de projetos executivos e procedimentos licitatórios de contratação das obras. Caso não haja alterações de prazos, pelo Governo Federal, esse processo se estende durante o primeiro semestre de 2013; então, as obras poderão ser iniciadas”, destacou o secretário André Aranha Ribeiro.

O cronograma previsto de execução de obras, considerando os prazos estabelecidos para essa etapa inicial, é de 36 meses. Com isso, a totalidade dos dois corredores deverá se concluída no final de 2016. “Campinas terá um sistema de transporte público coletivo mais seguro, rápido, eficiente e confiável”, enfatizou o secretário.

BRT
O BRT Campinas será um sistema de transporte de ônibus de alta qualidade, que irá realizar viagens mais rápidas, semelhantes às do metrô. Os veículos irão circular nos corredores Ouro Verde (que será implantado nas avenidas Amoreiras e Ruy Rodriguez); e Campo Grande (Avenida John Boyd Dunlop).

Nos dois corredores haverá estações elevadas para facilitar o embarque e desembarque. A cobrança da tarifa deixa de ser no ônibus e passa a ser realizada na estação. O Bilhete Único será mantido e o preço da passagem o mesmo do Sistema InterCamp.

O BRT contará com uma central de controle operacional, para controle das viagens, e os veículos terão GPS, evitando atrasos. O sistema inclui serviços de informações de voz e digital, anunciando os horários e as estações.

O início das obras dos corredores do BRT está previsto para o segundo semestre de 2013, com previsão de três anos de trabalhos. Para 2014, a previsão é de transportar 30 mil passageiros por hora, no pico, em cada sentido, em cada corredor. Esse volume pode chegar a 40 mil passageiros/hora/pico/sentido nos próximos 30 anos.

As verbas para a implantação do conceito de BRT, em Campinas, são da ordem de R$ 340 milhões, oriundas do Programa de Aceleração do Crescimento da Mobilidade Urbana (PAC 2), com o qual Campinas foi contemplada pelo Governo Federal. Os recursos serão investidos na infraestrutura viária. Já os veículos serão comprados pelas concessionárias do transporte público coletivo.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Faixas para transporte coletivo começam a funcionar em Sorocaba

27/08/2012 - G1

Começou a funcionar nesta segunda-fera (27) o sistema de faixas exclusivas para o transporte coletivo em Sorocaba (SP). As faixas foram instaladas pela Urbes, empresa responsável pelo trânsito e transporte da cidade, pelas ruas Hermelino Matarazzo e Comendador Oeterer. O objetivo da implantação é agilizar o deslocamento dos veículos, além de melhorar a circulação no trânsito.


As faixas exclusivas podem ser utilizadas das 6h às 8h e das 17h às 19h pelo transporte coletivo urbano, transporte especial, fretamento com passageiros, taxis com passageiros, transporte escolar com passageiros, transporte intermunicipal, suburbano e veículos em operações emergenciais como ambulâncias, bombeiros e viaturas de polícia. As bicicletas com aro 20 ou acima também utilizarão estas faixas para circulação, em compartilhamento com o transporte coletivo.

Ainda de acordo com a empresa responsável pelo trânsito (Urbes), nos períodos de pico entre 6h e 8h e entre 17h e 19h não é permitida a circulação de motocicletas, veículos de passeio, utilitários e caminhões na faixa exclusiva. O estacionamento do lado esquerdo da via também será proibido nesses horários. Fora deles, tanto a circulação na faixa da direita quanto o estacionamento na faixa da esquerda serão permitidos. Durante os primeiros dias os agentes de trânsito irão orientar os condutores sobre as novas regras implantadas. Transitar na faixa exclusiva de ônibus é uma infração grave, que resulta em cinco pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 127,69.

Os corredores ganharam uma faixa azul para demarcar onde o transporte coletivo poderá circular exclusivamente nos horários estabelecidos. Foram implantadas 150 placas de regulamentação e advertência e 2.500 metros quadrados de sinalização horizontal (pintadas no asfalto). Tanto a rua Hermelino Matarazzo como a rua Comendador Oeterer tem aproximadamente 1,4 quilômetro de extensão. As faixas de rolagem foram divididas em duas, cada uma com cerca de 3,5 metros de largura. O binário possui câmeras de monitoramento e a movimentação será acompanhada em tempo real pelo Centro de Controle Operacional (CCO) da Urbes.

Cerca de 24 linhas utilizarão os corredores exclusivos. Destas, 71%, ou seja, 16 linhas irão transitar por toda a extensão dos corredores da rua Hermelino Matarazzo e Comendador Oeterer. Já as linhas 02 - Brasilândia; 19 - Progresso; 23 - Industrial / Dois Corações; 36 - Porcel; 38 - Aparecidinha / Éden e 61 - Iporanga, que atendem a Vila Santana, e a linha 45 - Retiro São João, que atende o Jd. Marco António e região do Mercado Distrital, irão transitar por trechos destes corredores.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

São Paulo terá 2 rodoviárias e 8 corredores de ônibus

19/08/2012 - O Estado de São Paulo

A Prefeitura abre hoje a consulta pública para um pacote viário que inclui a construção de duas estações rodoviárias, na Vila Sônia e em Itaquera, e 68,5 quilômetros de corredores de ônibus, incluindo 3,3 km na Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini.

Trata-se do primeiro passo para que saiam do papel as obras previstas entre as metas para a gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD). As licitações devem ser feitas nas próximas semanas.

Na Berrini, no Brooklin, zona sul de São Paulo, o corredor será instalado ao lado do canteiro central, ocupando uma das três faixas da via. A faixa exclusiva começará no fim da Rua Funchal e seguirá até o cruzamento da Avenida Roque Petroni Júnior.

A estimativa da Secretaria Municipal de Transportes é de que R$ 40 milhões sejam gastos na obra e pelo menos 33 linhas de ônibus possam trafegar pela região, transportando aproximadamente 155 mil passageiros por dia.

A zona leste será a que mais receberá corredores exclusivos. Serão dois trechos na Radial Leste, que somam 17 km. O projeto, que pode ter como consequência o fim de uma das faixas de veículos, é visto como uma alternativa para aliviar a Linha 3-Vermelha do Metrô. Além disso, haverá mais 14 km na Avenida Aricanduva e 2 km em Itaquera, somando 16,1 km.

Na zona sul, além da Berrini, haverá a construção de um sistema viário que abrange Capão Redondo e Campo Limpo, chegando até a Vila Sônia, na zona oeste – um total de 12 km. De acordo com a Prefeitura, também será construído o Binário Santo Amaro, interligação dos corredores de ônibus que atendem a região sul da cidade, a serem integrados no Terminal Santo Amaro.

Atualmente, a capital tem dez corredores de ônibus, que transportam 3,2 milhões de pessoas por dia. No entanto, a velocidade média dos coletivos registrada nas faixas exclusivas foi de somente 15 km/h no ano passado. Dependendo do trajeto e do horário, um passageiro poderá passar mais de duas horas para percorrer 17 km.

Rodoviárias
A Vila Sônia também terá uma rodoviária, que deverá ser erguida ao lado da Estação Vila Sônia, da Linha 4-Amarela do Metrô. O novo terminal terá 8 mil m² e deve receber principalmente linhas intermunicipais que utilizam as Rodovias Régis Bittencourt e Raposo Tavares, além do Rodoanel.

Do outro lado da cidade, em Itaquera, será construída outra rodoviária. Essa unidade deverá servir pessoas que vêm do litoral norte, Vale do Paraíba e Belo Horizonte. O terminal faz parte do pacote de infraestrutura para a Copa de 2014. Três terminais urbanos ainda serão construídos no Jardim Ângela, em Parelheiros, ambos bairros da zona sul, e em Perus, na zona norte.

Do pacote também consta a reforma e requalificação de dois corredores. Serão 8 km na Estrada do M’Boi Mirim, na zona sul, e 14 km na Avenida Inajar de Souza, na zona norte.

Fonte: O Estado de S.Paulo, Artur Rodriguesm

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Em Campinas, EMDEC apresenta conceito do BRT (Bus Rapid Transit)

10/08/2012 - EMDEC

O conceito de BRT Bus Rapid Transit (Ônibus de Trânsito Rápido, em inglês) e a proposta dos corredores de transporte público para as regiões do Ouro Verde e Campo Grande foram apresentados durante reunião ordinária do Conselho da Cidade de Campinas (CONCIDADE). O evento foi realizado na noite de quarta-feira, dia 8 de agosto, no auditório da Base da Guarda Municipal, na Avenida Dr. Moraes Salles.

Foto: tudodeonibus.com

 A reunião foi aberta pelo secretário de Planejamento e Desenvolvimento Urbano e presidente do CONCIDADE, Alair Roberto Godoy, que destacou a importância de a sociedade “receber as informações pertinentes ao tema, de maneira clara e objetiva, para que todas as dúvidas sejam sanadas”.

Logo na sequência, a palavra foi passada para o secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), André Aranha Ribeiro, que apresentou todos os elementos que envolvem o BRT, como infraestrutura, planejamento e controle operacional.

O secretário de Transportes destacou que “BRT não é apenas um veículo. O sistema é formado por um conjunto de elementos importantes, como corredores exclusivos com espaços para ultrapassagens, estações de transferência e veículos articulados ou biarticulados”. E enfatizou que tudo isso deixa o sistema “mais seguro, rápido, eficiente e confiável”.

A apresentação teve duração de 1h30 e foi a mesma realizada durante a Audiência Pública do BRT, em julho passado. Ela está disponível, na íntegra, no site da EMDEC, no endereço eletrônicowww.emdec.com.br/brt.

Após a apresentação do secretário de Transportes, os conselheiros puderam realizar perguntas e fazer sugestões.

BRT
O BRT Campinas é um sistema de transporte de ônibus de alta qualidade, que realiza viagens mais rápidas, semelhantes às do metrô. Os veículos irão circular nos corredores Ouro Verde (que será implantado nas avenidas Amoreiras e Ruy Rodriguez) e Campo Grande (Avenida John Boyd Dunlop).

Nos dois corredores haverá estações elevadas para facilitar o embarque e desembarque. A cobrança da tarifa deixa de ser no ônibus e passa a ser realizada na estação. O Bilhete Único será mantido e o preço da passagem será o mesmo do Sistema InterCamp.

O BRT contará com uma central de controle operacional, para controle das viagens, e os veículos terão GPS, evitando atrasos. O sistema inclui serviços de informações de voz e digital, anunciando os horários e as estações.

O início das obras dos corredores do BRT está previsto para o segundo semestre de 2013, com previsão de três anos de trabalhos. Para 2014, a previsão é de transportar 30 mil passageiros por hora, no pico, em cada sentido, em cada corredor. Esse volume pode chegar a 40 mil passageiros/hora/pico/sentido nos próximos 30 anos.

O conceito de BRT será implantado com os R$ 339 milhões de verbas do Programa de Aceleração do Crescimento da Mobilidade Urbana (PAC 2), com o qual Campinas foi contemplada pelo Governo Federal. Os recursos serão investidos na infraestrutura viária. Já os veículos serão investimentos das concessionárias do transporte público coletivo.

Reuniões com a comunidade
Desde a Audiência Pública do BRT, realizada no dia 6 de julho, a EMDEC vem apresentando, para os diversos segmentos sociais, os projetos de implantação dos corredores Ouro Verde e Campo Grande. Até agora foram sete encontros. Mais oito reuniões já estão agendadas para as próximas semanas.

domingo, 12 de agosto de 2012

Em São Paulo, Usuário tem um olho no ponto e outro na internet

10/08/2012 - Diário de SP

Já virou rotina: antes de ir para o trabalho, a roteirista de cinema Tainá Mühringer acessa em seu celular o site da SPTrans (São Paulo Transporte) e lá entra no sistema Olho Vivo, que fornece a localização precisa do ônibus que ela precisa pegar. “Assim, eu não espero no ponto. Espero na minha casa”, afirma.

A SPTrans disponibilizava desde 2008 um serviço que mostrava somente a velocidade média e o tempo de percurso dos ônibus nos principais corredores da cidade. 

Desde março deste ano o programa foi ampliado para facilitar ainda mais a vida dos oito milhões de usuários que utilizam os 15 mil ônibus da frota da capital todos os dias.
Há cinco meses, quem acessa o endereço eletrônico olhovivo.sptrans.com.br pode buscar nos links De Olho na Linha, De Olho no Ponto e De Olho na Via informações como o tempo que falta para a chegada do próximo ônibus.
Assim, o passageiro pode monitorar, em tempo real, todo o sistema de ônibus de São Paulo, tendo acesso a várias informações: em quanto tempo ele vai passar, em que posição do itinerário está o próximo coletivo dessa linha e qual o tempo médio do percurso nos principais corredores.
O De Olho na Linha localiza os ônibus que poderão atender o usuário ao longo do trajeto da sua linha. Ele está disponível para os 1.360 itinerários.
O De Olho no Ponto mostra em quanto tempo e quais linhas se aproximam do ponto que o usuário está ou vai utilizar em uma das vias exclusivas de ônibus. Esse serviço está disponível nos corredores Rio Bonito, Santo Amaro, Rebouças, Pirituba e Expresso Tiradentes.
Todas as informações podem ser acessadas via internet, de casa ou do trabalho, e também estão disponíveis em celulares smartphones e equipamentos móveis com acesso à internet, rodando Android e iOS da Apple. No Corredor Rebouças e no Terminal Santo Amaro o sistema wi-fi está disponível aos usuários.
O sistema Olho Vivo foi criado em 2005 com objetivo de ampliar a fiscalização dos 15 mil ônibus da frota da cidade. Ele foi ampliado em 2008 e os dados sobre velocidade e previsão de partidas começaram a ser disponibilizados aos passageiros, que conseguiam acompanhar on-line a velocidade dos principais corredores. Nos pontos, o tempo de espera para o próximo ônibus com painéis eletrônicos era informado em painéis. O sistema evoluiu e agora o usuário acessa informações pela rede móvel.

sábado, 11 de agosto de 2012

EMTU/SP publica edital para pré-qualificar empresas que executarão 56,5km de corredores de ônibus em SP e Campinas

10/08/2012 - EMTU

O investimento total previsto pelo Governo do Estado nas obras é de R$ 670 milhões.

 O governo do Estado, por meio da EMTU/SP publicou nesta sexta (10/12) em jornais da capital, Guarulhos e Campinas, edital de pré-qualificação para selecionar empresas ou consórcios que queiram participar de licitações destinadas à execução de obras e projeto executivo em quatro corredores de ônibus nas regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas.

A publicação marca o início do processo de seleção das empresas que executarão obras previstas no Plano de Corredores da EMTU/SP, que terá 80,8km de vias construídas até 2014.

As melhorias previstas no edital deverão beneficiar cerca de 560 mil usuários/dia em 12 municípios: São Paulo, Osasco, Barueri, Jandira, Itapevi, Guarulhos, Campinas, Santa Bárbara D'Oeste, Americana, Hortolândia, Nova Odessa e Sumaré. O valor estimado desses empreendimentos é de R$ 670 milhões, correspondendo a 56,5 km de corredores, oito terminais, além de estações de transferência, estações de embarque / desembarque e obras de arte (viadutos, transposições rodoviárias e passarelas).

O aviso engloba o Corredor Guarulhos - São Paulo (trecho Vila Endres-Ticoatira); BRT Perimetral Leste, que ligará o Terminal São Mateus ao Corredor Guarulhos-São Paulo, passando próximo ao Estádio onde haverá a abertura da Copa do Mundo de 2014; Corredor Itapevi-São Paulo (trechos Jandira - Terminal Carapicuíba e Terminal Carapicuíba - 
Terminal Metropolitano Km 21); e continuação do Corredor Noroeste, na Região Metropolitana de Campinas, incluindo o trecho Nova Odessa - Santa Bárbara D'Oeste e obras complementares no trecho Campinas - Sumaré.

O objetivo da EMTU/SP, ao reunir diversos empreendimentos num mesmo processo de pré-qualificação, é permitir às empresas interessadas um planejamento mais consistente para atender às exigências do edital de obras, além de possibilitar um melhor nível nas propostas a serem apresentadas na segunda fase do processo de seleção.

O edital completo estará disponível para download a partir de 22/08 (quarta-feira) na página da EMTU/SP na Internet (www.emtu.sp.gov.br) ou pode ser retirado gratuitamente até 20/09 na sede da empresa, à rua Joaquim Casemiro, 290, em São Bernardo do Campo, de segunda a sexta-feira das 08h30 às 16h00, mediante a apresentação de um CD-R (gravável).

A sessão pública para entrega da documentação de pré-qualificação será no dia 21/09, das 10h às 10h30, na sede da EMTU/SP (endereço acima).      

Essa mensagem foi enviada automaticamente através do site da EMTU
Caso não deseje mais receber newsletters, clique aqui