domingo, 31 de março de 2013

Gestão Haddad vai alterar 1/3 das linhas de Ônibus

31/03/2013 - Via Trólebus, Caio Lobo

Como vocês já perceberam, várias linhas já tiveram seus itinerários alterados desde o início do ano. E parece que as mudanças só tendem a aumentar.

Para cumprir a meta de subir a velocidade dos ônibus nos corredores de 14 km/h para 25 km/h, a SPTrans irá mexer em boa parte das linhas dos corredores. (veja aqui)

A maioria dos ônibus que circulam pelos corredores usam poucas quadras e já saem da via exclusiva, o que atrapalha os demais e afeta na velocidade dos ônibus.

"São ônibus que entram no corredor, andam uma ou duas quadras e já saem, o que acaba interferindo no comportamento do corredor, tirando sua capacidade", afirma Maurício Lima, do quadro técnico da SPTrans.

Para Aílton Brasiliense Pires, presidente da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), o sistema atual, desenhado há uma década, está defasado.

"O patamar econômico não é o mesmo, e o número de usuários e de viagens cresceu muito. É preciso racionalizar a oferta de ônibus no corredor, para atender o usuário."

O consultor Horácio Figueira, mestre em transportes pela USP, diz que o entra e sai existe porque a cidade tem poucos corredores.

A intenção agora é só deixar ônibus que trafeguem por todo corredor e, para isso, será necessário alterar 1/3 das linhas da cidade.

"Foram colocando e hoje tem mais linhas nos corredores do que fora. Temos de cortar. É impossível operar assim", diz Ana Odila de Paiva Souza, diretora da SPTrans.

Segundo Jilmar Tatto, secretário municipal dos transportes, outras mudanças deve vir em breve com a nova licitação do sistema.

Mas todo esse plano depende da construção de mais corredores. A promessa do prefeito Fernando Haddad é construir mais 150 km nos 4 anos de mandato.

"Não vamos licitar linhas, é uma licitação do sistema. Vamos determinar um intervalo para os ônibus e as empresas terão que se organizar", afirma Tatto.

Outra novidade é a obrigatoriedade de rastreadores em todos os ônibus para facilitar na fiscalização.

Por Caio Lobo

sábado, 30 de março de 2013

Prefeitura quer terminal de ônibus na frente do Aeroporto de Congonhas

25/03/2013 - O Estado de São Paulo

A Prefeitura planeja construir um terminal de ônibus na frente do Aeroporto de Congonhas, na zona sul. Se sair do papel, será o segundo equipamento voltado ao transporte público de massa erguido na área, hoje de difícil acesso a quem não usa carro ou táxi. O Metrô já começou a fazer perto dali uma estação de monotrilho, prevista para ser entregue no fim de 2014.

Segundo a Secretaria Municipal dos Transportes, o Terminal Jardim Aeroporto, que atenderá o futuro corredor de ônibus da Avenida 23 de Maio, terá área coberta de 13 mil m² e plataformas com 540 metros. A expectativa é de que fique pronto em até três anos e meio.

Por ora, não há informações sobre quantos passageiros devem ser beneficiados pelo terminal nem quantas linhas o servirão. Tampouco se será ligado à estação de monotrilho e ao aeroporto. A São Paulo Transporte (SPTrans) diz que os detalhes do empreendimento ainda dependem de estudos.

Na semana passada, foram lançados editais para contratar os projetos básicos deste e de mais dez terminais - todos nas zonas sul e leste -, além de 123 km de corredores de ônibus. A localização exata do terminal do aeroporto não foi informada, mas, pelo mapa anexado à licitação, será perto da esquina da Avenida Washington Luís com a Rua Vieira de Moraes. O terreno da antiga Vasp, atualmente desocupado, fica bem ao lado. Nas redondezas, também há um bolsão de radiotáxis. O terminal poderia ser montado em algum desses pontos.

Para o comerciante Valmir Paulo Ferreira, de 73 anos, a obra será boa. "Há anos, ali está totalmente abandonado, vazio." Ele arrenda uma lanchonete na Washington Luís. Uma de suas funcionárias, a cozinheira Maria Araújo, de 49 anos, que mora no Grajaú, na zona sul, usa diariamente ônibus para trabalhar. Em sua opinião, o terminal deverá facilitar sua vida. "Provavelmente, vou poder pegar o ônibus vazio."

O corredor previsto pela gestão Fernando Haddad (PT) para o corredor norte-sul terá 25,3 km. As obras devem começar no ano que vem. Para o projeto, estão previstos mais dois terminais além do Jardim Aeroporto: Jardim Miriam e Baronesa, também na zona sul.

Opções

Para especialistas, o corredor pode se tornar mais atraente que o monotrilho para quem quiser ir de transporte coletivo ao aeroporto. Isso porque a Linha 17-Ouro do Metrô inicialmente ligará Congonhas apenas à Estação Morumbi da Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), fora de mão da região central. De monotrilho, quem está no centro terá de ir até o Morumbi para depois voltar ao aeroporto. A extensão desse ramal até o Jabaquara, onde se conectará com a Linha 1-Azul do Metrô, de mais fácil acesso a áreas centrais, ainda não tem data.

Transporte coletivo municipal de Itu ganha 20 novos ônibus

26/03/2013 - Prefeitura ce Itu

O transporte coletivo de Itu ganhou 20 novos ônibus no dia 22 de março. A medida faz parte do processo de renovação da frota municipal, que atende tanto a zona urbana quanto a zona rural, sendo resultado de um investimento de R$ 5,6 milhões.

Todos os novos ônibus atendem às exigências de acessibilidade, sendo devidamente adaptados aos portadores de necessidades especiais. Outra novidade é que os novos veículos do transporte coletivo municipal têm motores menos poluentes.

Além dos novos veículos, a concessionária que opera o transporte coletivo na cidade afirma já ter iniciado fase de testes para instalar equipamentos de GPS nos ônibus, seguindo pedido do Governo Municipal. Outro pedido feito pela prefeitura e que em breve deverá ser realizada é o funcionamento de um guichê da Viação Itu Avante no prédio do Paço Municipal, a fim de ampliar o atendimento público.

Recentemente, a concessionária disponibilizou em seu site informações sobre os itinerários dos ônibus, linhas e seus respectivos horários, visando melhorar o serviço ao público. O site é o www.avanteitu.com.br.

Informações: Prefeitura de Itu

Plano de metas de Haddad prevê mais 150 km de corredores de ônibus

26/03/2013 - O Estado de São Paulo

Lista com 100 metas é mais enxuta que plano do ex-prefeito Gilberto Kassab, que tinha 223

Adriana Ferraz e Rodrigo Burgarelli

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) terá 100 metas para cumprir até o fim de 2016. Divulgado nesta manhã, o programa do petista é dividido em três eixos temáticos que têm por objetivo contemplar territórios vulneráveis do ponto de vista social, ambiental, urbanístico e econômico. "Há algumas metas que vou acompanhar com maior atenção, que são mobilidade urbana, saúde, educação e habitação.", disse o prefeito de São Paulo.


Hélvio Romero/AE
Objetivo é cumprir as metas até o fim do mandato, em 2016
Mas apesar da metodologia diferenciada, o plano não traz grandes novidades e repete algumas promessas já feitas pelo prefeito nos últimos meses. Mais enxuta que o plano traçado pelo ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD), que elencou 223 metas a cumprir em quatro anos, a lista de Haddad é formada especialmente por metas que preveem novos equipamentos públicos, além da requalificação de espaços existentes. "Nós reduzimos o número de metas para que todas fossem importantes", justificou Haddad.

Entre as várias obras listadas pelo documento, estão a construção de 150 km de corredores de ônibus, 400 km de vias para bicicletas, 3 novos hospitais e 20 novos Centros Educacionais Unificados (CEU).

Confira a lista das metas, dividas por objetivos:

Objetivo 1 - Superar a extrema pobreza na cidade de São Paulo

1) Inserir aproximadamente 280 mil famílias com renda de até meio salário mínimo no Cadastro Único
2) Beneficiar 228 mil novas famílias com o Programa Bolsa Família
3) Implantar 60 Centros de Referência da Assistência Social (CRAS)
4) Implantar 7 Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS)
5) Garantir 100 mil vagas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC)
6) Formalizar aproximadamente 22,5 mil empreendedores individuais

Objetivo 2 - Alcançar ao final de 2015 o índice no IDEB de 5,4 (anos iniciais) e 5,3 (anos finais) do Ensino Fundamental e garantir a alfabetização na idade certa (até 8 anos) para todos os alunos matriculados na Educação Básica

7) Valorizar o profissional da educação por meio da implementação de 32 polos da Universidade Aberta do Brasil (UAB)
8) Ampliar a jornada escolar de 100 mil alunos d Rede Municipal de Ensino
9) Ampliar a Rede CEU em 20 unidades

Objetivo 3 - Ampliar em 150 mil a oferta de vagas para a educação infantil, assegurando a universalização do atendimento em pré-escola para crianças de 4 e 5 anos, atendendo a demanda declarada por creches em 01/01/2013

10) Obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e construir 243 Centros de Educação Infantil (CEI)
11) Construir 65 Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs) e um Centro Municipal de Educação Infantil (CEMEI)
12) Expandir a oferta de vagas para educação infantil por meio dos novos CEUs
13) Expandir a oferta de vagas para Educação Infantil por meio da rede conveniada

Objetivo 4 - Ampliar o acesso, aperfeiçoar a qualidade, reduzir as desigualdades regionais e o tempo de espera e fortalecer a atenção integral das ações e serviços de saúde

14) Obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento, construir e instalar 32 unidades da Rede Hora Certa
15) Desenvolver o processo de inclusão do módulo do prontuário eletrônico do paciente na rede municipal de saúde
16) Obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e construir 3 hospitais
17) Recuperar e adequar 16 hospitais
18) Obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento, construir e instalar 43 Unidades Básicas de Saúde
19) Reformar e ampliar os serviços de 14 prontos-socorros e 6 AMA 24 horas existentes, transformando-os em UPA
20) Implantar 5 novas UPA III

Objetivo 5 - Ampliar o acesso da população à cultura

21) Obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento, construir e instalar pelo menos 1 equipamento cultural nos 19 distritos que não possuem qualquer tipo de equipamento público de cultura
22) Alcançar um calendário anual que inclua uma Virada Cultural no Centro, 2 descentralizadas e mais 3 outros eventos temáticos
23) Viabilizar dois novos Centros Culturais de Referência
24) Ampliar a Rede de Pontos de Cultura na cidade, com a inclusão de 300 novos pontos
25) Criar e efetivar o Fundo Municipal de Fomento à Cultura
26) Apoiar 300 artistas por meio do programa Bolsa Cultura
27) Atingir 160 projetos anuais dos programas de Fomento ao Teatro, Dança e Cinema
28) Atingir 500 projetos fomentados pelo Programa para Valorização das Iniciativas Culturais

Objetivo 6 - Ampliar o acesso à moradia adequada

29) Obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e produzir 55 mil unidades habitacionais
30) Beneficiar 70 mil famílias no Programa de Urbanização de Favelas
31) Beneficiar 200 mil famílias no Programa de Regularização Fundiária

Objetivo 7 - Implantar um programa territorializado de prevenção da violência e da criminalidade

32) Implantar 18 mil novos pontos de iluminação pública eficiente
33) Ampliar o efetivo da Guarda Civil Muniicipal em 2 mil novos integrantes
34) Capacitar 6,3 mil agentes da Guarda CIvil Metropolitana em Direitos Humanos e 2 mil em Mediação de Conflitos
35) Reformular a Operação Delegada utilizando 1/3 do efetivo para o patrulhamento noturno em áreas com altos índices de violência
36) Integrar os sistemas das diversas instituições municipais para melhorar o aproveitamento das informações (GCM, CET, SAMU, Defesa Civil)
37) Obter terreno, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento, construir e instalar uma Casa da Mulher Brasilera em São Paulo
38) Obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento, construir e instalar mais uma Casa Abrigo e uma Casa de Passagem para ampliar a acapacidade de atendimento de proteção às mulheres vítimas de violência

Objetivo 8 - Promover a prática de atividades esportivas, recreativas e de lazer

39) Obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento, construir e instalar 2 Centros Olímpicos de Iniciação e Formação
40) Criar 1 Parque de Esportes Radicais
41) Abrir 32 equipamentos esportivos para uso 24 horas nos finais de semana
42) Requalificar 50 equipamentos esportivos entre CDCs e Clubes-Escola
43) Projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento, construir e instalar 5 Centros de Iniciação Esportiva

Objetivo 9 - Garantir a acessibilidade e mobilidade urbana nos espaços públicos e de uso público

44) Tornar acessíveis 850 mil m² de passeios públicos
45) Efetivar o funcionamento da Central de Libras, Intérpretes e Guias-Intérpretes no período de 24h/dia
46) Garantir a oferta de vagas a todas as crianças beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social
47) Ampliar a acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, garantindo 100% da frota acessível
48) Revitalizar os Centros de Formação e Acompanhamento à Inclusão

Objetivo 10 - Promover uma cultura de cidadania e tolerância

49) Criar e efetivar a Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial
50) Viabilizar a implementação das Leis Federais 10.639 e 11.645 que incluem no currículo oficial da rede de ensino a temática da História e Cultura Afrobrasileira e Indígena
51) Criar e efetivar a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres
52) Reestruturar os 5 Centros de Cidadania da Mulher, redefinindo suas diretrizes de atuação
53) Desenvolver ações permanentes de combate à homofobia e respeito à diversidade sexual
54) Implantar a Ouvidoria Municipal de Direitos Humanos e Combate à Discriminação e à Intolerância
55) Implementar a Educação em Direitos Humanos
56) Criar a Comissão da Verdade, da Memória e da Justiça no âmbito do Executivo Municipal

Objetivo 11 - Requalificar os espaços públicos

57) Requalificar a infraestrutura e os espaços públicos do Centro, incluindo a renovação dos calçadões e projetos estratégicos no Vale do Anhangabaú, Parque Dom Pedro II, Pátio do Pari e os arredores do Mercado Municipal
58) Implantar 42 áreas de conexão wi-fi aberta, com qualidade e estabilidade de sinal
59) Criar 32 programas de requalificação do espaço público e melhoria de bairro

Objetivo 12 - Promover o crescimento econômico e a geração de postos de trabalho

60) Criar e Efetivar a Agência São Paulo de Desenvolvimento
61) Criar uma agência de promoção de investimentos para a cidade de São Paulo a partir da expansão da atuação da Companhia São Paulo de Parcerias (SPP)
62) Criar e efetivar o Programa de Incentivos Fiscais nas Regiões Leste e extremo Sul

Objetivo 13 - Promover a cidade de São Paulo como centro de tecnologia e inovação

63) Obter terreno, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e instalar 1 Centro Tecnológico Municipal na Zona Leste e apoiar a criação do Centro Tecnológico Estadual do Jaguaré
64) Implantar o programa VAI TEC para incentivo de desenvolvedores de tecnologias inovadoras, abertas e colaborativas
65) Apoiar a implantação da UNIFESP e do Instituto Federal São Paulo nas zonas leste e norte, respectivamente

Objetivo 14 - Proteger os recursos naturais da cidade, conservando as áreas de mananciais, ampliando o sistema de áreas verdes, preservando os recursos hídricos e monitorando as áreas de risco

66) Concluir as fases I e II e iniciar a fase III do Programa de Mananciais, beneficiando 70 mil famílias
67) Criar e efetivar um programa de incentivos fiscais para carros elétricos e prédios verdes
68) Criar um sistema de contrapartida para fins de implantação de áreas verdes e financiamento de terrenos para parques
69) Readequar 34 parques e Unidades de Conservação Municipais
70) Criação de 400 Núcleos de Defesa Civil

Objetivo 15 - Ampliar os índices de coleta seletiva oficial no município de 2% para 10%

71) Ampliar a coleta seletiva municipal para os 21 distritos que ainda não são atendidos
72) Obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e construir 4 centrais de triagem automatizadas
73) Implantar 74 novos Ecopontos

Objetivo 16 - Ampliar as áreas de circulação exclusiva e qualificar o sistema de ônibus municipal, aumentando a velocidade média dos horários de pico de 14 km/h para 25 km/hora

74) Projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e construir 150 km de corredores de ônibus
75) Implantar as novas modalidades temporais de Bilhete Único (Diária, Semanal e Mensal)
76) Implantar horário de funcionamneto 24 horas no transporte público municipal
77) Implantar 150 km de faixas exclusivas de ônibus

Objetivo 17 - Melhorar a mobilidade urbana universal reduzindo o índice de lentidão no trânsito e diminuindo o número de mortes em acidentes de trânsito

78) Implantar uma rede 400 km de vias cicláveis
79) Modernizar a rede semafórica
80) Realizar as obras previstas no âmbito da Operação Urbana Consorciada Água Espraiada
81) Projetar, licitar, licenciar e garantir a fonte de financiamento para a execução do Plano Viário Sul
82) Projetar, licitar, licenciar e garantir a fonte de financiamento para viabilizar as obras do apoio viário norte e sul da Marginal do Tietê
83) Concluir obras do complexo Nova Radial
84) Projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e construir a ponte Raimundo Pereira de Magalhães

Objetivo 18 - Reduzir a ocorrência de enchentes e alagamentos, diminuindo o índice anual de pontos de alagamento por mm de chuva

85) Intervir em 79 pontos de alagamentos por meio do Programa de Redução de Alagamentos
86) Realizar intervenções de macrodrenagem nos córregos Ponte Baixa, Zavuvus, Sumaré/Água Preta, Aricanduva, Praça da Bandeira e Av. Anhaia Mello
87) Desenvolver o programa de drenagem e manejo das águas pluviais, com a criação de uma instância municipal de regulação, articulação e monitoramento da drenagem urbana

Objetivo 19 - Aproximar a Prefeitura do cidadão, descentralizando e modernizando a gestão e reduzindo o tempo de espera no atendimento

88) Criar 32 Centros de Atendimento ao Cidadão
89) Criar a Subprefeitura de Sapopemba
90) Ampliar e modernizar os serviços oferecidos por meio do 156
91) Implantar a Central de Operações da Defesa Civil
92) Implantar o Gabinete Digital como instrumento de transparência e participação social
93) Implantar um sistema de informação geográfica com dados abertos e livre consulta pelo público

Objetivo 20 - Promover a participação e o controle social na administração pública municipal

94) Criar o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social e mais 6 Conselhos Temáticos
95) Realizar 18 Conferências Municipais Temáticas
96) Criar Conselhos Participativos nas 32 subprefeituras
97) Implementar todos os conselhos gestores previstos em lei

Objetivo 21 - Revisar o marco regulatório do desenvolvimento urbano de forma participativa

98) Revisar o Plano Diretor Estratégico
99) Revisar a Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo
100) Revisar os Planos Regionais Estratégicos


PARA LEMBRAR

É a segunda vez que um prefeito de São Paulo é obrigado a informar a população o que pretende fazer durante os quatro anos de seu governo. O programa é uma exigência legal, criada em 2008 por meio de uma emenda à Lei Orgânica do Município apresentada pela Rede Nossa São Paulo e outras 570 entidades da sociedade civil. Estreante na função, Kassab apresentou 223 metas em 2009. No fim do ano passado, admitiu ter cumprido apenas 55,1%.h

Maioria dos ônibus usa só trechos de via exclusiva

30/03/2013 - Folha de SP

A maioria das linhas de ônibus de São Paulo cujos trajetos incluem a passagem por corredores exclusivos usa só trechos curtos dessas vias.

Na prática, isso representa um entra e sai constante nos corredores, o que prejudica a fluidez geral dos coletivos e contribui para os baixos índices de velocidade.

Conforme a Folha mostrou há duas semanas, a velocidade média dos ônibus nos corredores caiu em 2012. Nos picos da manhã e da tarde, ficou abaixo dos 14 km/h.

Segundo especialistas, um dos motivos é o excesso de linhas. Das mais de 800 linhas que usam corredores, metade percorre menos de 10% da extensão deles, segundo a SPTrans (empresa municipal que gerencia o transporte). A situação é a mesma no sentido do centro ou do bairro.

"São ônibus que entram no corredor, andam uma ou duas quadras e já saem, o que acaba interferindo no comportamento do corredor, tirando sua capacidade", afirma Maurício Lima, do quadro técnico da SPTrans.

A conclusão vai orientar mudanças que a prefeitura pretende fazer, retirando linhas dos corredores, para tentar elevar a velocidade.

Para Aílton Brasiliense Pires, presidente da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), o sistema atual, desenhado há uma década, está defasado.

"O patamar econômico não é o mesmo, e o número de usuários e de viagens cresceu muito. É preciso racionalizar a oferta de ônibus no corredor, para atender o usuário."

O consultor Horácio Figueira, mestre em transportes pela USP, diz que o entra e sai existe porque a cidade tem poucos corredores.

TRÂNSITO

Além de prejudicar os corredores, o entra e sai dos ônibus também atrapalha o trânsito dos outros veículos.

"Atrapalha muito. E há mais chance de acidente", diz o conferencista Thiago César, 28, que usa a avenida Manoel Barbosa, na zona norte. A via faz parte do corredor Pirituba-Lapa-Centro, o campeão da mudança de faixa.

No corredor da avenida Rebouças e rua da Consolação, os ônibus precisam forçar passagem para sair da faixa exclusiva, à esquerda, cruzar três faixas e acessar vias como a Paulista ou a Doutor Arnaldo, do outro lado.

Como os ônibus são mais lentos, é prática comum os cobradores colocarem o braço pela janela para pedir espaço aos motoristas.

"Deveria haver faixa de ultrapassagem, para não prejudicar os ônibus que seguem, e semáforo de troca de faixa", afirma Figueira. Segundo ele, o aparelho alternaria o sinal verde. "Aí, os ônibus saem sozinhos e não precisam ficar disputando com os carros."

Prefeitura diz que vai mudar 1/3 das linhas da cidade

O secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, diz que vai mudar um terço das 1.350 linhas de ônibus da cidade, iniciando por aquelas que utilizam os corredores.

A ideia é que poucas linhas fiquem nos corredores, com mais ônibus, para cumprir uma das cem metas da gestão Fernando Haddad (PT): elevar a velocidade dos ônibus de 14 km/h para 25 km/h.

"Foram colocando e hoje tem mais linhas nos corredores do que fora. Temos de cortar. É impossível operar assim", diz Ana Odila de Paiva Souza, diretora da SPTrans.

Outras mudanças vão ocorrer com a nova licitação do transporte coletivo, que deve ser lançada em breve.

Mas o plano depende da construção de mais corredores -a meta é viabilizar mais 150 km- e mais terminais (a promessa é fazer 14).

"Não vamos licitar linhas, é uma licitação do sistema. Vamos determinar um intervalo para os ônibus e as empresas terão que se organizar", afirma Tatto.

Para aumentar a fiscalização, será obrigatório que todos os carros tenham rastreador funcionando para circular -hoje, não é preciso.

CAE aprova empréstimo de US$ 125 milhões para São Bernardo, em SP

19/03/2013 - O Estado de São Paulo

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou nesta terça-feira, em votação simbólica, a operação de empréstimo internacional no valor de US$ 125 milhões para garantir o financiamento a um programa de transporte público em São Bernardo do Campo (SP). Com a garantia da União, a operação de crédito externo será realizada entre a prefeitura e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), sendo que o município vai desembolsar outros US$ 125 milhões entre este ano e 2017.

No seu parecer, o senador Humberto Costa (PT-PE), relator da operação, destacou que a atual situação de endividamento do município comporta a assunção da nova dívida advinda do empréstimo. "Essa operação implica, para o município de São Bernardo do Campo (SP), dispêndios médios com os serviços de sua dívida consolidada correspondentes a 2,62% de sua receita corrente líquida, portanto, bem inferior ao valor máximo permitido pelo Senado Federal, de 11,5% da referida receita", destacou no texto. A comissão aprovou um requerimento de urgência para que a matéria seja votada ainda hoje pelo plenário do Senado.

sexta-feira, 29 de março de 2013

Meta de Jonas inclui BRT, moradias e esgoto tratado

29/03/2013 - Correio Popular

Meta de Jonas inclui BRT, moradias e esgoto tratado

Trânsito na Avenida das Amoreiras (Campinas): ônibus com grande capacidade de transporte devem aliviar tráfego

O prefeito Jonas Donizette (PSB) encaminhou ontem à Câmara de Campinas o plano de metas a serem atingidas nos quatro anos de governo e que, basicamente, reproduz seu programa de governo defendido na campanha eleitoral.

A ênfase está na implantação dos corredores Ouro Verde e Campo Grande por onde circularão os BRTs (ônibus rápido, de grande capacidade de passageiros); chegar a 100% de tratamento de esgoto; aumentar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) dos atuais 4,7 para 5,5; recuperar o Centro de Convivência; implantar 100 quilômetros de ciclovias e construir 10 mil unidades habitacionais.

O plano, que por exigência legal deve ser divulgado em 90 dias após a posse, traz um cronograma de quando, dentro dos quatro anos, cada projeto será concluído. A divulgação das metas é uma obrigação legal e o descumprimento tem punições que vão desde explicações à Câmara até a cassação do cargo.

Assim como a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o Plano Plurianual (PPA) e o Orçamento são obrigações do prefeito todo ano, caberá agora apresentar o cumprimento das metas a cada semestre. Todas as obras e orçamentos terão que ser detalhados e ficar disponíveis nos sites das autarquias, subprefeituras, da Câmara e da Prefeitura, além de ser publicado no Diário Oficial.

Jonas montou um plano calcado em três eixos: desenvolvimento econômico, desenvolvimento sustentável e desenvolvimento humano. O detalhamento, no entanto, estará no Plano Plurianual, onde serão elencados valores e destinação orçamentária para cada item.

Jonas leva um pacote de promessas para quatro anos de governo, que vão desde a remodelação da Avenida Orosimbo Maia para torná-la polo de atração de investimentos, como ocorreu com a Avenida Norte-Sul, passando pelo fim do aterro sanitário, até a repaginação do Centro.

Na carteira de projetos do prefeito estão ações de sustentabilidade, principalmente no uso de energia limpa, para reduzir as emissões de gases do efeito estufa. Um projeto anunciado, que será feito em parceria com a CPFL Energia, Secretaria de Estado de Energia e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é o uso de carro elétrico. A Administração terá 40 desses veículos e ele próprio utilizará um modelo elétrico.

Economia

No eixo econômico, Jonas afirma querer criar condições para a instalação de empresas de base tecnológica e capacitar a cidade como polo logístico de exportação, congregando a via aérea à malha ferroviária e rodoviária. Segundo ele, o aeroporto de Viracopos consolida a cidade como plataforma de exportação e porta de entrada de importações.

Além disso, disse, com a implantação do Novo Complexo Aeroportuário de Viracopos, com o aeroporto indústria, haverá incremento do fluxo turístico e turístico de negócios para Campinas.

O prefeito afirmou, na mensagem ao Legislativo, que dentro do desafio de expandir e consolidar Campinas como uma cidade voltada à pesquisa e alta tecnologia, atuará no processo de tornar o município mais atrativo e desejável, através da melhoria nas suas características ambientais, urbanísticas e de mobilidade urbana.

O plano de metas informa que será implantado o programa "Cada Bairro é um Centro, o Centro é o nosso Bairro", que promoverá a requalificação dos bairros em relação às obras viárias, auxiliando na melhora das interligações entre eles, bem como no estímulo ao convívio no próprio bairro por meio de atividades culturais, esportivas, campanhas etc.



Comente

Nome
E-mail
Comentário



Trânsito na Avenida das Amoreiras (Campinas): ônibus com grande capacidade de transporte devem aliviar tráfego

O prefeito Jonas Donizette (PSB) encaminhou ontem à Câmara de Campinas o plano de metas a serem atingidas nos quatro anos de governo e que, basicamente, reproduz seu programa de governo defendido na campanha eleitoral.

A ênfase está na implantação dos corredores Ouro Verde e Campo Grande por onde circularão os BRTs (ônibus rápido, de grande capacidade de passageiros); chegar a 100% de tratamento de esgoto; aumentar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) dos atuais 4,7 para 5,5; recuperar o Centro de Convivência; implantar 100 quilômetros de ciclovias e construir 10 mil unidades habitacionais.

O plano, que por exigência legal deve ser divulgado em 90 dias após a posse, traz um cronograma de quando, dentro dos quatro anos, cada projeto será concluído. A divulgação das metas é uma obrigação legal e o descumprimento tem punições que vão desde explicações à Câmara até a cassação do cargo.

Assim como a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o Plano Plurianual (PPA) e o Orçamento são obrigações do prefeito todo ano, caberá agora apresentar o cumprimento das metas a cada semestre. Todas as obras e orçamentos terão que ser detalhados e ficar disponíveis nos sites das autarquias, subprefeituras, da Câmara e da Prefeitura, além de ser publicado no Diário Oficial.

Jonas montou um plano calcado em três eixos: desenvolvimento econômico, desenvolvimento sustentável e desenvolvimento humano. O detalhamento, no entanto, estará no Plano Plurianual, onde serão elencados valores e destinação orçamentária para cada item.

Jonas leva um pacote de promessas para quatro anos de governo, que vão desde a remodelação da Avenida Orosimbo Maia para torná-la polo de atração de investimentos, como ocorreu com a Avenida Norte-Sul, passando pelo fim do aterro sanitário, até a repaginação do Centro.

Na carteira de projetos do prefeito estão ações de sustentabilidade, principalmente no uso de energia limpa, para reduzir as emissões de gases do efeito estufa. Um projeto anunciado, que será feito em parceria com a CPFL Energia, Secretaria de Estado de Energia e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é o uso de carro elétrico. A Administração terá 40 desses veículos e ele próprio utilizará um modelo elétrico.

Economia

No eixo econômico, Jonas afirma querer criar condições para a instalação de empresas de base tecnológica e capacitar a cidade como polo logístico de exportação, congregando a via aérea à malha ferroviária e rodoviária. Segundo ele, o aeroporto de Viracopos consolida a cidade como plataforma de exportação e porta de entrada de importações.

Além disso, disse, com a implantação do Novo Complexo Aeroportuário de Viracopos, com o aeroporto indústria, haverá incremento do fluxo turístico e turístico de negócios para Campinas.

O prefeito afirmou, na mensagem ao Legislativo, que dentro do desafio de expandir e consolidar Campinas como uma cidade voltada à pesquisa e alta tecnologia, atuará no processo de tornar o município mais atrativo e desejável, através da melhoria nas suas características ambientais, urbanísticas e de mobilidade urbana.

O plano de metas informa que será implantado o programa "Cada Bairro é um Centro, o Centro é o nosso Bairro", que promoverá a requalificação dos bairros em relação às obras viárias, auxiliando na melhora das interligações entre eles, bem como no estímulo ao convívio no próprio bairro por meio de atividades culturais, esportivas, campanhas etc.

Largo 13 ganha 1ª zona livre de carros de SP

29/03/2013 - O Estado de São Paulo

A primeira zona livre de carros da cidade de São Paulo começa a funcionar hoje no Largo 13 de Maio, na zona sul da capital. Por ali, veículos de passeio não podem mais rodar, de segunda-feira a sábado, nos horários de maior lentidão. Somente ônibus, táxis e motos estão autorizados a circular. A restrição foi criada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para "melhorar o desempenho do transporte coletivo".

Pelas novas regras, das 5h às 10h, trechos das Avenidas Santo Amaro, Adolfo Pinheiro e Padre José Maria e da Rua Paulo Eiró ficam proibidos para os carros. Mais tarde, das 16h às 20h, os automóveis não podem andar na Rua Barão do Rio Branco, no trecho entre as Avenidas Mário Lopes Leão e Padre José Maria (veja o mapa). Hoje, o trânsito nessa região não flui bem, por causa das obras da Linha 5-Lilás do Metrô.

Trata-se de mais uma medida adotada pela gestão Fernando Haddad (PT) com o objetivo de dar prioridade aos ônibus, em detrimento dos carros. Em fevereiro, o Viaduto Engenheiro Orlando Murgel, no centro, que passava por obras após um incêndio, foi interrompido para todos os veículos que não fossem os coletivos.

Poucos dias depois, o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, anunciou um plano para a construção de 150 km de corredores de ônibus na cidade, atingindo vias tradicionalmente "apropriadas" pelos carros, como as Avenidas 23 de Maio e Bandeirantes, na zona sul. Os futuros corredores exclusivos terão áreas de ultrapassagem, para torná-los expressos, o que poderá retirar mais faixas de deslocamento de automóveis.

A área da zona livre de carros é bem próxima ao Terminal Santo Amaro da São Paulo Transporte (SPTrans), um dos mais movimentados de toda a cidade, por onde circulam diariamente cerca de 210 mil passageiros, atendidos por mais de 50 linhas.

Benefícios

Para o consultor de tráfego Horácio Augusto Figueira, os usuários dos coletivos serão beneficiados, uma vez que ao menos parte do nó da saída dos coletivos será desatada. "E também começa a mudar o comportamento de quem usa carro. Quer ir para o Largo 13 no horário de pico? Então use o transporte público."

Contudo, para ele, a CET deveria ter proibido as motos também, que podem ser perigosas em vias mais livres. "Os táxis só deveriam trafegar por ali se não atrapalhassem os ônibus, como ocorre às vezes em muitos corredores."

Figueira defende a ampliação da medida para outros lugares da capital, como Santana, na zona norte, Lapa e Pinheiros, na zona oeste. O aumento da abrangência da restrição é igualmente defendido pelo especialista em Transportes Creso de Franco Peixoto, da Fundação Educacional Inaciana (FEI). "Essa ação contribui para mostrar para os cidadãos que o carro é um problema, e não uma solução." A CET informou, por meio de nota, que "as mudanças, neste momento, serão realizadas exclusivamente no Largo 13".

quinta-feira, 28 de março de 2013

São Paulo - 1977

Revista Sua Boa Estrela,nº62, 1977.

Extraído do blog "Ônibus Antigos Brasileiros" em 28/03/2013.

São Paulo - 1985

Linha seletiva República - Aeroporto de Cumbica.

Foto: Relatório da Administração do Metrô 1986.

Extraído do blog "Ônibus Antigos Brasileiros" em 28/03/2013.

Integração Metrô-Ônibus em 1976

Revista Transporte Moderno, nº 57, 1976.

Material extraído do blog "Ônibus Antigos Brasileiros" em 28/03/2013.
http://onibusantigosbrasileiros.blogspot.com.br/

terça-feira, 26 de março de 2013

Transporte coletivo municipal de Itu ganha 20 novos ônibus

26/03/2013 - Prefeitura ce Itu

O transporte coletivo de Itu ganhou 20 novos ônibus no dia 22 de março. A medida faz parte do processo de renovação da frota municipal, que atende tanto a zona urbana quanto a zona rural, sendo resultado de um investimento de R$ 5,6 milhões.

Todos os novos ônibus atendem às exigências de acessibilidade, sendo devidamente adaptados aos portadores de necessidades especiais. Outra novidade é que os novos veículos do transporte coletivo municipal têm motores menos poluentes.

Além dos novos veículos, a concessionária que opera o transporte coletivo na cidade afirma já ter iniciado fase de testes para instalar equipamentos de GPS nos ônibus, seguindo pedido do Governo Municipal. Outro pedido feito pela prefeitura e que em breve deverá ser realizada é o funcionamento de um guichê da Viação Itu Avante no prédio do Paço Municipal, a fim de ampliar o atendimento público.

Recentemente, a concessionária disponibilizou em seu site informações sobre os itinerários dos ônibus, linhas e seus respectivos horários, visando melhorar o serviço ao público. O site é o www.avanteitu.com.br.

Informações: Prefeitura de Itu

sábado, 23 de março de 2013

Lançadas licitações para projetos de novos corredores de ônibus

20/03/2013 - Prefeitura SP

O secretário municipal de Transportes em exercício, José Evaldo Gonçalo, anunciou na terça-feira, 19, o lançamento de licitações para os projetos de 123 quilômetros de novos corredores de ônibus em São Paulo. A divulgação ocorreu durante o fórum Brazil Road Summit 2013, realizado na Capital.


As futuras vias atenderão especialmente as regiões Sul e Leste de São Paulo. Dentre os projetos estão eixos perimetrais que farão a ligação por ônibus entre as duas regiões sem passar pelo Centro. Também estão contempladas nas novas licitações 11 terminais.

Falando a representantes de prefeituras, no fórum José Evaldo fez uma palestra no sobre o sistema de transportes na cidade. Ele destacou a meta da Secretaria em expandir a rede de corredores passando dos atuais 120 quilômetros para 270 até o final de 2016.

Além do aumento em quantidade, o ganho em qualidade das futuras vias será notado pela implementação do conceito de BRT, sigla em inglês para ônibus de trânsito rápido. Ele inclui itens como a cobrança desembarcada da tarifa – feita na entrada da parada e não mais dentro do ônibus, faixas de ultrapassagem, linhas expressas, que melhoram a velocidade, e a atenção à acessibilidade.

O fórum tem programação até quinta-feira, 21, dentro do Brazil Road Expo 2013, feira anual sobre infraestrutura viária e rodoviária que reúne especialistas dos setores públicos e privados.

José Evaldo está respondendo pela Secretaria nesta semana em razão da viagem do titular, Jilmar Tatto, a Londres e Glasgow onde está conhecendo o sistema de controle de tráfego das duas cidades e, em especial, o complexo semafórico.

Informações: Prefeitura de SP

Terminal Vila Prudente será desativado

21/03/2013 - Via Trólebus, Renato Lobo

Após décadas de operação como provisório, o terminal Vila Prudente será demolido. No lugar devem ser erguidos pilares para manobras do monotrilho. O novo terminal deve ser construído em baixo da estação do trem aéreo.

Em virtude destas obras, sete linhas de ônibus terão seus itinerários alterados a partir de sexta-feira, dia 22 de março. A SPTrans informa que a bilheteria presente no local será desativada. Os passageiros devem utilizar as bilheterias dos Terminais Sacomã, Mercado ou Sapopemba/Teotônio Vilela para restituição de crédito, solicitação do Bilhete Único Estudante, venda de crédito ou restauração de cartões.

As linhas 3021 e 3024 passam a ser circulares. Já as 514T, 573A, 373M e 575C que são linhas de passagem, devem passar por fora do antigo terminal, seguindo pela Rua Ibitirama, Pça. Pe. Damião, Rua Capitão Pacheco e Chaves, prosseguindo normal.

A linha 5109 (Expresso Tiradentes) passa a ter seu ponto final na Rua Cavour.

Não existe informação sobre a Linha 3160, operada por trólebus. Mas, o que tudo indica, os ônibus elétricos devem continuar a rodar no trecho.



Por Renato Lobo


Category : SPTrans, Trólebus

sexta-feira, 22 de março de 2013

Terminal Vila Prudente será desativado

21/03/2013 - Via Trólebus, Renato Lobo

Após décadas de operação como provisório, o terminal Vila Prudente será demolido. No lugar devem ser erguidos pilares para manobras do monotrilho. O novo terminal deve ser construído em baixo da estação do trem aéreo.

Em virtude destas obras, sete linhas de ônibus terão seus itinerários alterados a partir de sexta-feira, dia 22 de março. A SPTrans informa que a bilheteria presente no local será desativada. Os passageiros devem utilizar as bilheterias dos Terminais Sacomã, Mercado ou Sapopemba/Teotônio Vilela para restituição de crédito, solicitação do Bilhete Único Estudante, venda de crédito ou restauração de cartões.

As linhas 3021 e 3024 passam a ser circulares. Já as 514T, 573A, 373M e 575C que são linhas de passagem, devem passar por fora do antigo terminal, seguindo pela Rua Ibitirama, Pça. Pe. Damião, Rua Capitão Pacheco e Chaves, prosseguindo normal.

A linha 5109 (Expresso Tiradentes) passa a ter seu ponto final na Rua Cavour.

Não existe informação sobre a Linha 3160, operada por trólebus. Mas, o que tudo indica, os ônibus elétricos devem continuar a rodar no trecho.



Por Renato Lobo


Category : SPTrans, Trólebus

quinta-feira, 21 de março de 2013

ÔNIBUS MARCOPOLO VIALE BRT COMEÇAM A CIRCULAR EM CAMPINAS

02/08/2012 - Marcopolo

Veículos articulados serão utilizados no primeiro corredor BRT da cidade

Caxias do Sul (RS), 2 de agosto de 2012 - A Marcopolo fez a entrega, ontem, dia 1º de agosto, do primeiro lote de ônibus Viale BRT para o Sistema de transporte urbano da cidade de Campinas, São Paulo. Os 15 veículos, do mais moderno modelo produzido no Brasil, foram adquiridos pela Itajaí Transportes Coletivos e começaram a circular percorrendo o trajeto entre o bairro Campo Grande e o Centro.

Desenvolvido para aplicação nos avançados sistemas de transporte coletivo em grandes centros urbanos, o Marcopolo Viale BRT é o mais avançado já fabricado no Brasil e consumiu dois anos de pesquisas e desenvolvimento. A versão articulada tem 19 metros de comprimento, capacidade para transportar até 145 passageiros e foi concebida com inéditos conceitos de design, ergonomia, conforto, segurança e eficiência.

Segundo Paulo Corso, diretor de operações comerciais para o mercado brasileiro da Marcopolo, o sistema de BRT em funcionamento no Brasil e em diversas cidades do mundo oferece os mais modernos conceitos de mobilidade urbana. “Em Campinas o sistema foi escolhido como padrão do transporte coletivo nos próximos anos. É um exemplo que deve ser replicado para outras cidades brasileiras pelos importantes benefícios e vantagens que proporciona para os cidadãos e, sobretudo, para a mobilidade urbana”, destaca Paulo Corso.

Montados com chassi Volvo, os novos ônibus Marcopolo Viale BRT Articulado têm desenho moderno, como exclusivos conjuntos óticos dianteiro e traseiro em LEDs, que garantem melhor iluminação e reforçam a identidade da marca. Também é o primeiro ônibus urbano do mercado brasileiro a contar com Daytime Running Light, dispositivo de acendimento automático dos faróis mesmo durante o dia.

Para maior comodidade e conforto dos passageiros, os veículos possuem internet sem fio (wireless) e monitores de televisão. O motorista contará com uma tela ao lado do volante, por onde poderá acompanhar o embarque e desembarque de passageiros, câmeras de segurança, computador de bordo, além de sistemas de indicação de parada audiovisual e gerenciamento de frota.

“Enquanto os corredores exclusivos não ficam prontos, os ônibus Viale BRT serão utilizados no sistema atual da cidade. A partir de 2013 deverão ser colocados em circulação novos veículos nos corredores Ouro Verde e Campo Grande. A estimativa é de que os dois corredores transportem juntos, no horário de pico, cerca de 30 mil passageiros por hora”, explica o executivo.

Conforto interno

Internamente, o Viale BRT oferece mais conforto, ergonomia e segurança. A maior largura interna, associada à configuração das poltronas, proporciona maior área livre e facilita a circulação dos passageiros, tornando a viagem mais cômoda e confortável. A altura interna também foi aumentada, permitindo a inclusão de eficientes dutos de ar, alto-falantes e amplo espaço para propaganda nas laterais superiores.

A concepção do Viale BRT é de um veículo robusto e extremamente confiável, imagem conquistada junto às pessoas que o utilizam, produto de excelente relação custo/benefício, atributo reconhecido pelos empresários do setor de transporte urbano de passageiros. Outras características importantes são a redução de custos, sustentabilidade do produto, praticidade e tecnologia embarcada.

Ideal para o transporte urbano, o Viale possui câmbio automático e sistema de segurança para que não se movimente com as portas abertas. O veículo atende todas as exigências dos sistemas de plataformas de embarque existentes no País, com opção de porta com 1.100 mm de vão livre na frente do rodado dianteiro e piso elevado, adaptados à acessibilidade.

Crédito da foto: Júlio Soares

segunda-feira, 18 de março de 2013

Aviso de Audiência Pública em Nova Odessa

18/03/2013 - EMTU

A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo - EMTU-SP, faz saber que será realizada no dia 18 de março de 2013, às 9h30, no Instituto de Zootecnia, em Nova Odessa/SP, localizado à rua Heitor Penteado, 56, audiência pública que tem como objetivo apresentar o Projeto Corredor Metropolitano Noroeste – Lote 3, Sumaré – Santa Bárbara D'Oeste, de transporte coletivo sobre pneus, cujo objetivo é reestruturar o sistema de transporte público na região Noroeste da Região Metropolitana de Campinas, proporcionando maior integração entre os municípios e a facilidade de mobilidade da população, com a reorganização e racionalização das linhas metropolitanas e municipais, através de um tronco de transporte de média capacidade, integrado com linhas de ônibus intermunicipais e municipais. Sua infraestrutura compreende terminais de passageiros, estações de transferência, pontos de parada cobertos, com viário compartilhado e exclusivo.

Aviso de Audiência Pública em Santa Bárbara D'Oeste
A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo - EMTU-SP, faz saber que será realizada no dia 18 de março de 2013, às 14h30, na Câmara Municipal de Santa Bárbara D'Oeste, localizada à Rodovia Luis Ometto SP-306, 1001, audiência pública que tem como objetivo apresentar o Projeto Corredor Metropolitano Noroeste – Lote 3, Sumaré – Santa Bárbara D'Oeste, de transporte coletivo sobre pneus, cujo objetivo é reestruturar o sistema de transporte público na região Noroeste da Região Metropolitana de Campinas proporcionando maior integração entre os municípios e a facilidade de mobilidade da população, com a reorganização e racionalização das linhas metropolitanas e municipais, através de um tronco de transporte de média capacidade, integrado com linhas de ônibus intermunicipais e municipais. Sua infraestrutura compreende terminais de passageiros, estações de transferência, pontos de parada cobertos, com viário compartilhado e exclusivo.

sábado, 16 de março de 2013

Implantação intermitente e lenta não criou rede integrada

16/03/2013 - Folha de São Paulo

JAIME WAISMAN

Os primeiros corredores do ônibus foram implantados em São Paulo e região metropolitana no início dos anos 1980 e contribuíram decisivamente para a melhoria da eficiência do sistema, graças a uma expressiva elevação das velocidades médias (e, portanto, redução dos tempos de viagem).


Ocorre que, com o passar dos anos, estes corredores, devido à falta de investimentos e melhorias, foram se degradando, com a redução (às vezes eliminação) dos benefícios.


Cabe ressaltar, ainda, que a implantação dá-se de forma intermitente e lenta, não tendo sido construída (passados 30 anos da experiência pioneira, o corredor 9 de Julho/Santo Amaro) uma verdadeira rede integrada de corredores.

Os principais problemas nas vias exclusivas existentes são:

1) a saturação do espaço (a faixa) destinado aos ônibus, devido ao número excessivamente elevado de veículos;

2) a inexistência de faixas de ultrapassagem nos pontos de parada, o que causa filas e, portanto, perda de tempo;

3) tempo elevado de embarque (e desembarque) devido à inadequação dos veículos (como degraus altos) e à cobrança dentro do veículo;

4) a inexistência de dispositivos, seja de sinalização ou obras de transposição, que priorizem o fluxo dos coletivos.

Identificam-se, assim, as ações para melhoria, que constituem em seu conjunto o que se denomina BRT - Bus Rapid Transit (embora o corredor de ônibus seja uma "invenção" 100% brasileira):

1) vias exclusivas, preferencialmente à esquerda, junto ao canteiro central e com pavimento de concreto;

2) faixas de ultrapassagem nos pontos de parada e em outros pontos críticos;

3) passagem em desnível em intersecções saturadas;

4) paradas com piso elevado e/ou ônibus de piso baixo para facilitar o embarque/desembarque de passageiros;

5) cobrança da tarifa fora do veículo (dependendo de espaço disponível na parada);

6) parada com "arquitetura sustentável" (ventilação natural, iluminação via energia solar, materiais recicláveis/reciclados, etc);

7) priorização do tráfego dos veículos via sinalização semafórica específica.

Tanto a nova gestão municipal como o Estado estão desenvolvendo/implantando projetos de novos corredores.

É o momento de se pensar em soluções inovadoras, seja no que diz respeito à boa inserção urbana do corredor e à melhoria do transporte público, a ser visto como uma alternativa viável ao uso do automóvel.

JAIME WAISMAN é professor da Escola Politécnica da USP e consultor na área de transportes e mobilidade urbana

CET SP implanta faixas reversíveis e exclusivas para ônibus no Corredor Inajar - Rio Branco-Centro

15/03/2013 - CET SP

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai implantar faixas reversíveis e exclusivas para ônibus na Avenida Inajar de Souza, Ponte Freguesia do Ó e Avenida Comendador Martinelli, ambos os sentidos, a partir de segunda-feira (18/03), priorizando o transporte coletivo no Corredor Inajar- Rio Branco-Centro nos horários de maior movimento. O objetivo é reduzir os tempos de viagem e proporcionar maior conforto aos usuários do transporte público.


Por este trecho circulam 14 linhas de ônibus, com uma frequência de 121 ônibus/hora transportando, aproximadamente, 165 mil passageiros em um dia útil.

Alterações no sistema viário
Implantação de faixa reversível exclusiva para ônibus, nos seguintes locais:
Na Avenida Comendador Martinelli, incluindo a Ponte Freguesia do Ó (1200m de extensão), no sentido Bairro-Centro, de segunda a sexta-feira, entre 06h00 e 09h00.

Na Ponte Freguesia do Ó, no sentido Centro-Bairro, de segunda à sexta-feira, entre 17h00 e 20h00 (400m de extensão).


Implantação de faixa exclusiva para ônibus, no sentido Centro-Bairro, nos seguintes locais:

Faixa exclusiva à esquerda em período integral na Avenida Comendador Martinelli, exceto na Ponte Freguesia do Ó, e na Avenida do Inajar de Souza, entre a Avenida da Nossa Senhora do Ó e a Rua Pedra Bela (1300m de extensão).

Faixa exclusiva para ônibus à direita na Avenida do Inajar de Souza, entre Avenida Deputado Emilio Carlos e a Rua Edson Andrade Silva (400m de extensão), de segunda à sexta-feira, das 17h00 às 20h00.

Faixa exclusiva para ônibus à direita na Avenida Inajar de Souza, entre a Rua Edson Andrade Silva e o Terminal Cachoeirinha, em período integral (200m de extensão).

Recomendações ao público

Respeite a sinalização;
Dê preferência ao uso de transporte público (Metrô, Ônibus e Táxi);
Se necessitar pedir informações, proceda de forma a não atrapalhar a fluidez do trânsito;
Não estacione em locais proibidos, frente a guias rebaixadas, em canteiros centrais, em fila dupla ou onde haja canalizações com cones e cavaletes;
Não embarque ou desembarque em fila dupla ou afastado da calçada;
Ao avistar a canalização de orientação na pista, reduza a velocidade dos veículos para maior segurança;
Procure conhecer previamente as vias de acesso;
Caso não se dirija à região, busque utilizar vias alternativas, evitando passar nas imediações do evento.

A Engenharia de Campo da CET vai monitorar e orientar o tráfego na região, visando melhorar as condições de trânsito e preservar a segurança de pedestres e motoristas.

Para informações de trânsito, ligue 1188 – Fale com a CET. Atende 24 horas por dia para informações de trânsito, ocorrências, reclamações, remoções e sugestões.

Informações: Departamento de Imprensa - CET

quinta-feira, 14 de março de 2013

Novos pontos de ônibus começam a aparecer por São Paulo

10/03/2013 - Via Trólebus, Caio Lobo

Quem trafega por avenidas nos bairros de Moema, Pinheiros, Alto de Pinheiros dentre outros já começou a perceber que começaram a ser instalados os novos pontos de ônibus. Até o momento já foram instalados 37 pontos. Até abril serão 60 e até o fim do ano 1400.

Na Av. República do Líbano já alguns prontos com vidros e outros com faixa isolante pois ainda não foram finalizados. Nas imediações do Parque Villa-Lobos a mesma situação. Estes, no caso tratam-se do modelo de ponto "caos estruturado".

Há outros 3 tipos de pontos que devem ser instalados como o "brutalista", o "high-tech" e o "minimalista com ginga". Algumas pessoas (incluindo eu) crê que por serem de vidros, o vandalismo irá acabar com eles em pouco tempo.

A empresa responsável pelos novos pontos diz que está preparada para reparar qualquer tipo de vandalismo em até 24 horas.

quarta-feira, 13 de março de 2013

São Paulo ganha novo modelo de ponto de ônibus em 37 lugares

12/03/2013 - Folha de São Paulo

Quem circula pela zona oeste já pode conhecer os novos modelos de pontos de ônibus

Vanessa Correa

Abrigo modelo "minimalista com ginga"
créditos: Thays Bittar/Folhapress

Os 37 primeiros foram instalados em Moema, Pinheiros, Itaim Bibi, Alto de Pinheiros, Jardim Paulista e Perdizes. Até abril, serão 60 no total e, no fim do ano, 1.400.

Os novos abrigos vão expor publicidade em um painel de 2 m² e os primeiros anunciantes serão a rede Visa e uma cerveja da Ambev, diz o consórcio Pra SP, formado por Odebrecht, TV Bandeirantes, Kalitera Engenharia e o grupo Ruas, de empresas de ônibus.

É a primeira oportunidade de anúncios externos após a Lei Cidade Limpa, de 2007, e por isso há uma grande procura de empresas, segundo Violeta Noya, do Pra SP. Assim, em vez de receber da prefeitura pela troca dos 6.500 pontos com abrigo, o consórcio pagará R$ 167 milhões só pelo direito de explorar a propaganda. "São Paulo é um dos maiores contratos do mundo. Só a China tem essa escala", diz ela.

Todos os abrigos, além dos 12.500 totens da cidade, serão substituídos até 2015. Depois, a empresa deve instalar mil novas coberturas e 2.200 novos totens. O prazo é o fim de 2017.

Os abrigos terão quatro modelos, criados pelo designer Guto Indio da Costa, todos cobertos por vidro ou plástico transparente sobre estrutura de aço ou concreto. O modelo "caos estruturado" e o "brutalista" estarão na maior parte da cidade. O modelo "high-tech", com painel digital, será instalado em centros financeiros, como as avenidas Paulista e Berrini.

Já o "minimalista com ginga", mais discreto, aparecerá em locais com arquitetura antiga. Em frente ao Theatro Municipal já existe um desde dezembro. Os outros 36 já instalados são do modelo "caos estruturado".

A sãopaulo conversou com usuários dos pontos na última quarta. A maioria achou-os bonitos, mas está preocupada com a conservação. "Não dou uma semana para quebrarem esse ponto", diz o aposentado Gentil Gomes, 80, na av. Brigadeiro Faria Lima.

Os entrevistados também reclamaram do calor. A reportagem testou o conforto e verificou que a temperatura é mais fresca embaixo da cobertura, que suaviza o sol com serigrafia. Se houver abrigo depredado, a substituição deve ser feita em até 24 horas, e o consórcio diz estar pronto para isso.

Leia também:
Mulheres são maioria no metrô de São Paulo
Como andar de bike com segurança em grandes cidades
Terapeutas do trânsito em São Paulo

segunda-feira, 11 de março de 2013

Número de usuários do transporte coletivo cai 13% em Araraquara, SP

11/03/2013 - G1

A procura pelo transporte coletivo em Araraquara (SP) diminuiu 13% nos últimos oito anos na cidade, segundo a Companhia Tróleibus Araraquara (CTA). Dados revelam que o número de passageiros caiu de 15 milhões em 2005 para 13 milhões em 2012. No mesmo período o município registrou um crescimento de 66% na frota de veículos, subindo de 88.028 para 145.818, de acordo com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Mesmo com menos passageiros, problemas de lotação e atrasos ainda incomodam os usuários de ônibus. Para amenizar a situação, a CTA realiza uma pesquisa para aperfeiçoar o serviço.

O resultado do estudo deve ficar pronto em um mês. A empresa promete implantar ainda este ano as mudanças pedidas pelos passageiros. "Vamos fazer um redimensionamento das nossas linhas no que diz respeito à origem do destino desse usuário, colocando mais ônibus no horário de pico e fazer uma otimização da frota, podendo assim fazer economia de combustível, pneus e manutenção de uma forma geral", disse Silvio Prada, diretor presidente da CTA.

A cozinheira Lucidalva Castelhão mora na cidade e disse que se tivesse condições deixaria de usar o transporte coletivo. "O custo é alto e os ônibus atrasam. Tem linha que parece que está carregando boi, só falta derrubar a gente", disse.

O diretor da empresa afirmou que não há como reduzir o valor da passagem, que custa R$ 2,90. "A tarifa representa uma despesa já efetuada, um custo que foi levantado em função de dados do ano passado", explicou Prada.

Pesquisa
Essa é a segunda fase da pesquisa que começou com entrevista aos passageiros em pontos de ônibus localizados no centro da cidade. O trabalho foi produzido por colaboradores e 36 estagiários de diversos cursos de graduação da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara contratados pela CTA. As entrevistas começaram no dia 8 de outubro do ano passado.

O questionário continha perguntas sobre o bairro de origem, o destino, as linhas utilizadas, a frequência do uso de ônibus, entre outras.

Informações: G1 São Carlos e Araraquara

Em Rio Preto, Prefeitura vai implantar corredores exclusivos para ônibus ainda no primeiro semestre de 2013

13/02/2013 / Diário Web

Vai ficar mais difícil parar o carro na área central de Rio Preto. A criação de corredores exclusivos para ônibus eliminará 1.940 vagas de estacionamento em ruas e avenidas do Centro, Parque Industrial e Maceno. Levantamento da Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb), obtido com exclusividade pelo Diário, mostra que da região central serão eliminadas 860 vagas de estacionamento, a maioria delas nas avenidas Alberto Andaló e Bady Bassitt.

Com os corredores de ônibus, o prefeito Valdomiro Lopes (PSB) tentará mais uma vez deixar o transporte coletivo eficiente e acabar com a reclamação de passageiros que passam até uma hora dentro dos ônibus, no percurso entre a zona norte e o Centro. Desde novembro de 2011, quando assinou a nova concessão do transporte coletivo, Valdomiro promete ônibus ágeis e confortáveis.

Além de agradar quem já utiliza ônibus, o prefeito tenta atrair para o transporte coletivo os rio-pretenses que utilizam carros para se deslocar de casa para o trabalho e, com isso, reduzir o número de veículos nas ruas. Os ônibus do sistema de transporte coletivo de Rio Preto transportam 2 milhões de passageiros mensalmente.

Até agora o prefeito só conseguiu reduzir o custo da passagem com a oferta de subsídio financeiro às empresas Circular Santa Luzia e Expresso Itamarati. Os ônibus continuam lentos e superlotados. "Com os corredores, algumas linhas de ônibus vão ficar de 5 minutos a 15 minutos mais rápidas", disse o prefeito. Valdomiro quer implantar os primeiros corredores ainda no primeiro semestre de 2013. "Não vamos fazer isso do dia para a noite. Será gradativo."

O prefeito e o presidente da Emurb, Gil Fontes, buscam alternativas para suprir a extinção das vagas de estacionamento e, com isso, evitar o caos no trânsito. Fontes fala em tirar da gaveta proposta que prevê a expansão da Área Azul para os bairros Santa Cruz e Boa Vista. Valdomiro quer criar vagas de estacionamento nas praças Dom José Marcondes e Cívica, além de incentivar empresários a construir garagens verticais.

A expansão dos estacionamentos rotativos de Área Azul para a Santa Cruz e Boa Vista foi aprovada em 2009 na Câmara de Rio Preto, mas não saiu do papel até hoje. Agora, com o fim das vagas de estacionamento para dar lugar aos corredores de ônibus, Fontes cogita a implantação da Área Azul na região que abrange a avenida da Saudade, rua Cândido Carneiro, continuando pela rua Iperoldes Borges até a rua Independência, no bairro Santa Cruz.

Já na Boa Vista, a Área Azul deverá ser implantada entre a rua Pedro Amaral, seguindo pela Luiz Antonio da Silveira até a rua Independência. "Com a proibição de estacionar nas avenidas (Andaló e Bady) as ruas dos bairros Santa Cruz e Boa Vista vão ficar conturbadas e, por isso, é preciso organizar essas vias com estacionamento rotativo", afirmou o presidente da Emurb.

Valdomiro também defende o uso de ruas transversais pelos motoristas que buscam vagas de estacionamento no Parque Industrial. "Hoje, na rua Pedro Amaral, por exemplo, quase não se estaciona nas transversais", disse.

'Corredor só funciona se ônibus for ágil'

Para a arquiteta e urbanista Delcimar Teodozio, coordenadora do curso de arquitetura da Unirp, os rio-pretenses só trocarão o carro pelo ônibus se o transporte coletivo for eficiente. "Trocar carro pelo ônibus é sempre muito bom, na medida em que o ônibus ofereça, de fato, conforto, fluidez e segurança, ou seja, eficiência ao usuário", afirmou.

Ela disse ainda que eliminar as vagas de estacionamento representará uma ação positiva se o transporte público for mais rápido e barato que o carro. "Quem faz o percurso de casa até o trabalho em 15 minutos usando o carro não pode gastar uma hora de ônibus. Essa pessoa continuará preferindo o carro", completou.


Mais Notícias de São Paulo
Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

De acordo com Delcimar, sem transporte coletivo eficiente, a extinção das vagas de estacionamento pode provocar um colapso na região central. "Nesse caso haverá uma explosão de estacionamentos particulares no Centro", analisou a especialista. A arquiteta disse também que o investimento no transporte coletivo não deve parar na implantação dos corredores de ônibus.

"Espero novas intervenções. As calçadas devem ser ampliadas para que os pontos de ônibus possam ser cobertos e confortáveis. As pessoas precisam se abrigar da chuva. As ações da Prefeitura devem contemplar todas as modalidades de transporte, inclusive as bicicletas", afirmou.
Delcimar apontou a construção de terminal intermodal para desafogar o trânsito, principalmente na região central. "Esse tipo de terminal possui área de estacionamento. O usuário do ônibus percorre parte do trajeto de carro ou de bicicleta e depois deixa o veículo estacionado no terminal e segue o restante do percurso de ônibus", concluiu.

Área Azul

A extinção das vagas de estacionamento vai afetar a Área Azul. Das 1.940 vagas que serão eliminadas para a instalação dos corredores de ônibus, 367 são de estacionamento rotativo e controladas pela Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb). Essas vagas estão espalhadas pelas ruas Bernardino de Campos, General General Glicério, XV de Novembro e Antônio de Godoy.
Atualmente, 3.069 vagas de estacionamento da Área Azul funcionam no Centro e na Redentora. Com a proposta de eliminação, a Emurb disponibilizará aos motoristas apenas 2.702 vagas de estacionamento rotativo. Para deixar o veículo estacionado por duas horas, o motorista desembolsa R$ 2.

A redução das vagas de estacionamento rotativo no Centro e na Redentora reforça a ideia da Emurb de implantar Área Azul nos bairros Santa Cruz e Boa Vista. De acordo com o presidente da Emurb, Gil Fontes, técnicos da empresa municipal vão avaliar em quais ruas as novas vagas de Área Azul serão implantadas. "A expansão já foi aprovada. Agora, vamos estudar a necessidade de cada bairro. Os estacionamentos rotativos nos bairros Santa Cruz e Boa Vista poderão ser implantados gradativamente", disse Fonte.

A extinção das vagas de estacionamento nas ruas e avenidas vai intensificar o uso de estacionamentos particulares. Na região do Centro e Redentora abriga pelo menos 110 estacionamentos particulares, que cobram em média R$ 5 por uma hora de uso.

por Jocelito Paganelli
Informações: Diário Web
Clayton Leal e Equipe às 11:10
Compartilhar

Novos pontos de ônibus começam a aparecer por São Paulo

10/03/2013 - Via Trólebus, Caio Lobo
Quem trafega por avenidas nos bairros de Moema, Pinheiros, Alto de Pinheiros dentre outros já começou a perceber que começaram a ser instalados os novos pontos de ônibus. Até o momento já foram instalados 37 pontos. Até abril serão 60 e até o fim do ano 1400.

Na Av. República do Líbano já alguns prontos com vidros e outros com faixa isolante pois ainda não foram finalizados. Nas imediações do Parque Villa-Lobos a mesma situação. Estes, no caso tratam-se do modelo de ponto "caos estruturado".

Há outros 3 tipos de pontos que devem ser instalados como o "brutalista", o "high-tech" e o "minimalista com ginga". Algumas pessoas (incluindo eu) crê que por serem de vidros, o vandalismo irá acabar com eles em pouco tempo.

A empresa responsável pelos novos pontos diz que está preparada para reparar qualquer tipo de vandalismo em até 24 horas.

sábado, 9 de março de 2013

Praia Grande vai criar corredor de ônibus com verba do PAC 2

Praia 08/03/2013 - A Tribuna Online

Praia Grande poderá ser a próxima cidade da Baixada Santista a contar com corredor de ônibus. O anúncio foi feito pela Prefeitura nesta quinta-feira. Para a implantação da faixa exclusiva serão utilizados recursos do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) 2. As Avenidas Marginais, do Bairro Mirim ao Solemar, receberão obras de adaptação das vias.


A contemplação de Praia Grande para construção de um corredor de ônibus por meio do PAC foi divulgada nesta quarta-feira, pelo Ministério das Cidades, no Diário Oficial da União. O início das obras depende agora do envio de um projeto da Prefeitura à Brasília para o repasse dos recursos. A verba prevista é de R$ 70.584.348,00, sendo R$ 63.584.348,00 do Governo Federal e R$ 7.000.000,00 da Prefeitura.

O município foi selecionado dentro do âmbito do Programa de Infraestrutura de Transporte e Mobilidade Urbana (Pró-Transporte). A portaria do Ministério das Cidades, de nº 109, datada de 5 de março, prevê a criação de um sistema viário para a passagem de transporte coletivo, com prazo de execução máximo de 24 meses.

De acordo com a secretária de Obras Públicas, Eloisa Ojea Gomes Tavares, a seleção do projeto para criação de corredores de transporte coletivo se dá pelo fato de as vias poderem ser artérias com características metropolitanas, ligando o Litoral Sul à região norte. "O sistema também servirá de opção viária rápida de ligação entre diversos bairros do Município e que hoje tem como meio principal de ligação a rodovia Padre Manoel da Nóbrega", disse.

As faixas de ônibus a serem implantadas têm como objetivo agilizar todo o transporte inter-regional (Peruíbe, Itanhaém e Mongaguá), regional (atendendo a bairros como Cidade da Criança, Princesa, Imperador, Solemar, Flórida, Real, Caiçara, Melvi, Samambaia, Esmeralda e Maracanã). Em função do sistema tronco-alimentador, atenderá também os demais bairros do Município.

Os principais serviços serão de pavimentação, canalização e construção de obras de micro-drenagem. A implantação de paradas de ônibus e sinalização horizontal e vertical complementam o projeto. Pelo novo corredor deverão circular linhas inter-regionais (que opera atualmente com 13 veículos, com demanda de 175.166 passageiros/mês) e linhas municipais (que opera com 15 veículos com demanda de 311.486 passageiros/mês).

Ciclovias

No projeto, pretende-se ainda implantar semáforos inteligentes, que visam dar prioridade ao sistema de transporte de forma organizada e segura. A travessia de pedestres e seu acesso ao sistema por meio de novos e modernos abrigos darão comodidade e segurança aos usuários.

Outro serviço previsto é o monitoramento das vias e sua estruturação por meio de painéis contendo informações das linhas do sistema em tempo real, via tecnologia GPS. O objetivo principal do projeto é melhorar a mobilidade urbana, incentivando o uso do transporte coletivo e do não motorizado, com a implantação de ciclovias no trecho ainda não contemplado.

De acordo com a carta-consulta apresentada ao Governo Federal, com o projeto passará a atender a demanda atual de 18.717 passageiros/dia para 22.460 passageiros/dia. Ainda segundo a carta apresentada, serão implantados 40 pontos de parada, 20 quilômetros de calçadas e 20 quilômetros de infraestrutura cicloviária, ao longo dos corredores de transporte coletivo ou que conectem os bairros ao sistema.

De A Tribuna On-line

sexta-feira, 8 de março de 2013

São Paulo anuncia R$ 1,4 bi para corredores e obras viárias

28/02/2013 - Secom/PMSP

Obras incluem corredores na Radial Leste e em Capão Redondo até Vila Sônia (29km), reforma de corredor na Inajar de Souza e construção do Terminal Jardim Ângela

Mapa de corredores de ônibus divulgado pela Prefeitura
créditos: Divulgação/ SMT

O prefeito Fernando Haddad anunciou a finalização de seis licitações de corredores de ônibus e obras viárias, no valor total de cerca de R$ 1,4 bilhão. O resultado foi publicado no Diário Oficial de terça-feira (26).

As obras contemplam os corredores Leste Radial 1 (12km) e Radial 2 (5km), o corredor do sistema viário Capão Redondo-Campo Limpo-Vila Sônia (12,1km) e a reforma do corredor da Inajar de Souza (14km). Também estão no pacote o Complexo Viário de Acesso ao Terminal Jardim Ângela (1,5km de obras) e o Terminal Jardim Ângela (74 mil m²).

"Já abrimos os envelopes de propostas, já temos as empresas vencedoras e agora há o prazo para contestação", explicou Haddad. O inicio das obras depende do andamento das eventuais desapropriações.

Os investimentos fazem parte do programa de mobilidade urbana da administração, que inclui a recuperação dos corredores já existentes, a construção de 150 km de novos corredores e a criação de 150km de faixas exclusivas para ônibus.

De acordo com o prefeito, a meta é concluir o primeiro ano de governo com 66 km licitados e 84 km com projeto para licitação.

Projetos de corredores de ônibus metropolitanos entram em nova etapa

08/03/2013 - EMTU

A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos dá continuidade aos projetos de construção de quatro corredores de ônibus nas Regiões Metropolitanas de São Paulo e Campinas com a sessão pública realizada hoje, dia 07/03, de entrega dos documentos de habilitação e atestados técnicos para a Concorrência nº 002/2012.

No total, 41 interessados, organizados em 19 consórcios e cinco empresas, apresentaram a documentação necessária para a pré qualificação, a fim de participar da futura concorrência de contratação de obras de construção dos novos sistemas de transporte. As empresas classificadas devem ser conhecidas em abril deste ano, considerando os prazos legais para análise dos documentos, publicações dos resultados, recursos e homologação.

A pré-qualificação está prevista no artigo 114 da Lei nº 8.666/93. O objetivo da EMTU/SP, ao reunir diversos empreendimentos num mesmo processo de pré-qualificação, é selecionar empresas ou consórcios de empresas para participação em futuras licitações, permitindo aos interessados um planejamento mais consistente para atender às exigências do edital de obras, além de possibilitar um melhor nível nas propostas a serem apresentadas.

A Concorrência nº 002/2012 envolve os Corredores Guarulhos-São Paulo, BRT Perimetral Leste e Corredor Itapevi-São Paulo, na Região Metropolitana de São Paulo, além do Corredor Metropolitano Noroeste, na Região Metropolitana de Campinas. O processo foi suspenso em dezembro de 2012 por conta de liminar que foi derrubada no último dia 22/02 pelo Tribunal de Justiça.

Corredor de Osasco e VLT de Santos terão R$ 600 mi da União

07/03/2013 - O Estado de São Paulo

O governo federal autorizou ontem um financiamento de cerca de R$ 3 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para obras do Estado de São Paulo. A maior parte do dinheiro será destinada a saneamento básico. Cerca de R$ 600 milhões vão custear o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) da Baixada Santista e o corredor de ônibus entre Osasco e Jandira, na Grande São Paulo. O anúncio foi feito após visita do governador Geraldo Alckmin (PSDB) à presidente Dilma Rousseff.

Está previsto para abril o início das obras do primeiro trecho do VLT, que terá 11 quilômetros de extensão e ligará o Terminal Barreiros, em São Vicente, à Avenida Conselheiro Nébias, em Santos. O segundo trecho, com 6 quilômetros, vai da Conselheiro Nébias até o Valongo e começará a ser feito em junho.

Serão gastos cerca de R$ 900 mil nos dois primeiros trechos, segundo a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU). O projeto total prevê, ainda, mais 24,3 km de linhas de VLT e a reestruturação do sistema de ônibus intermunicipais.

Quando estiver pronto, o VLT ligará Santos, São Vicente e Praia Grande por meio de sistema de transporte sobre trilhos de média capacidade, semelhante a um grande bonde. A expectativa da EMTU é de que 23% dos ônibus sejam retirados das ruas.

Ônibus

O outro projeto selecionado foi o Corredor Itapevi-São Paulo, que terá 30,4 km e passará por Jandira, Carapicuíba, Osasco e Butantã, zona oeste.

Haddad lança consulta para corredor de ônibus

08/03/2013 - O Estado de São Paulo

A gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) lançou ontem consulta pública para a criação de 123,2 km de corredores de ônibus em São Paulo. Entre os endereços que vão receber as vias exclusivas estão as Avenidas 23 de Maio, Engenheiro Luís Carlos Berrini e Bandeirantes, na zona sul, e Celso Garcia, na zona leste.

A licitação deve sair neste ano e as obras começarão em 2014. São Paulo tem hoje 130 km de corredores e 29 terminais. A meta da Prefeitura é fazer 150 km de corredores e 13 terminais até o fim de 2016.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Governo do Estado avança no licenciamento ambiental de corredores metropolitanos na Grande São Paulo e em Campinas

25/02/2013 - EMTU

Ao todo, serão 56 km de corredores em obras ou em processo de contratação até o final deste semestre.

Dois corredores metropolitanos de ônibus gerenciados pela EMTU/SP, empresa do Governo do Estado de São Paulo, dão um passo importante esta semana em seus respectivos processos de licenciamento ambiental, etapa anterior necessária ao início das obras.

Nesta quinta-feira (21/02), foi protocolado na Cetesb/SP o Relatório Ambiental Preliminar (RAP) do trecho Jandira – Osasco (km21) do Corredor Itapevi-São Paulo, subdividido em dois trechos – Jandira-Carapicuiba e Carapicuiba-Osasco, num total de 11km. O procedimento visa a solicitação da Licença Ambiental Prévia. Com a LP, a legislação já permite a publicação do edital para execução de obras.

O trecho Jandira – Osasco (km 21) tem início de obras previsto para junho de 2013 e a previsão de conclusão é julho de 2014. O Governo do Estado investirá R$ 219 milhões no empreendimento.

Na próxima segunda-feira (25/02) será protocolado na Cetesb/SP o RAP do trecho Sumaré–Sta. Barbara d'Oeste do Corredor Noroeste, na Região Metropolitana de Campinas, visando a obtenção da LP – Licença Ambiental Prévia. Com 23,7km de extensão, o trecho terá um investimento de R$ 110 milhões. A previsão de início das obras é junho de 2013 e a conclusão está prevista para julho de 2014.

Ambos os trechos em fase de licenciamento ambiental fazem parte de um total de 56km incluídos no Plano de Expansão de Corredores de Transporte de Passageiros nas regiões metropolitanas do Estado, onde os sistemas intermunicipais são gerenciados pela EMTU/SP. Esses corredores já estão em obras ou em processo de contratação até o final do 1º semestre de 2013. Além dos citados, faz parte da relação o Corredor Guarulhos – São Paulo, já em seu segundo trecho (Cecap-Vila Galvão). Na Baixada Santista, as obras do 1º trecho do VLT (Barreiros, em São Vicente, até Av. Conselheiro Nébias, em Santos) têm previsão de início de obras em abril.

Licenciamento ambiental

A legislação de licenciamento ambiental no Brasil prevê três etapas:

• Licença Prévia (LP) - deve ser solicitada na fase de planejamento da implantação, alteração ou ampliação do empreendimento. Aprova a viabilidade ambiental do empreendimento e o detalhamento dos projetos, não autorizando o início das obras.

• Licença Instalação (LI) - Aprova os projetos e programas ambientais previstos, autorizando o início da obra. É concedida depois de atendidas as exigências da Licença Prévia.

• Licença de Operação (LO) - Autoriza o início do funcionamento do empreendimento e é concedida depois de atendidas as exigências da Licença de Instalação.

CET amplia faixa exclusiva de ônibus em trecho da Radial Leste

28/02/2013 - Folha de S. Paulo

A Companhia de Engenharia de Tráfego destinou uma faixa exclusiva de ônibus na faixa da direita da Radial

De acordo com a CET, a pista exclusiva será implantada no sentido centro de segunda à sexta-feira, das 6h às 9h. A intenção, explica a companhia, é priorizar o transporte público no horário de maior movimento na via. A mudança vai acontecer entre a estação Tatuapé do metrô e a avenida Álvaro Ramos.

Segundo a CET, a expectativa é reduzir o tempo de viagem dos cerca de 215 mil passageiros que utilizam os ônibus no local. De acordo com a CET, 39 linhas de ônibus com uma frequência de 164 ônibus por hora trafegam na Radial Leste.

Desvios
Com a implantação da faixa de ônibus, será fechado o acesso da avenida Salim Farah Maluf, sentido Vila Prudente, para a Radial Leste, sentido centro. O fechamento será somente nos dias de semana, das 6h às 9h.

Por conta dessa mudança, o motorista deverá seguir pela rua Engenheiro Saturnino de Brito, acessar a rua Herval, virar à direita rua Siqueira Bueno, novamente à direita na rua Júlio de Castilho, acessando o viaduto Guadalajara, entrar à direita na rua Padre Adelino, novamente à direita na rua Doutor Fomm e, finalmente, à esquerda na Radial Leste, retornando ao caminho original.

Os veículos que trafegam pelas ruas Melo Peixoto e Catiguá, que já funcionam em mão única de circulação das 6h às 9h, deverão acessar a rua Toledo Barbosa, virar à direita na rua Álvaro Ramos, à esquerda na rua Herval e seguir a rota descrita acima.

Na rua Herval, explica a CET, será implantado sentido duplo entre a rua Engenheiro Saturnino de Brito e a rua Engenheiro Reinaldo Cajado, durante o funcionamento da faixa exclusiva.

Segundo a CET, agentes vão monitorar o trânsito e orientar os motoristas na região. Como rota alternativa, os motoristas podem utilizar a marginal Tietê.

Em São Paulo, 66 km de corredores de ônibus já estão licitados

28/02/2013 - G1

Em entrevista ao portal G1 na manhã desta quarta-feira (27), o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, abordou diversos assuntos, entre eles o trânsito e mobilidade urbana. Haddad declarou que, nos seus primeiros 60 dias de governo, a prefeitura já licitou seis novos corredores de ônibus, com recursos próprios da cidade e recursos do PAC.

As obras para a alternativa aos congestionamentos enfrentados em São Paulo, no entanto, ainda não tem data para começar. "Já abrimos os envelopes de propostas, já há empresas vencedoras, mas há um prazo agora para contestação e as obras começam assim que os prazos administrativos vencerem", disse.

Até o fim deste ano, o prefeito espera ter 66 km de corredores de ônibus já licitados, 84 km em projeto para licitação e obras iniciadas.

Para resultados imediatos, lembrou a operação na Radial Leste, iniciada nos últimos dias, com a segregação de uma faixa para ônibus. A medida pode ser ampliada a outras vias da cidade, explicou o prefeito, mas o detalhamento das regiões selecionadas para contar com faixas exclusivas e segregadas deverá ser apresentado apenas no Plano de Metas, até 30 de março.

Informações: G1 SPv

Prefeitura de São Paulo quer dobrar velocidade de ônibus

04/03/2013 - G1

O secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, afirmou nesta quinta-feira (28) que a Prefeitura de São Paulo desistiu de construir novos corredores de ônibus através de parcerias público-privadas. Os projetos devem ser agora financiados com verba do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC).

"Foi abandonado [a proposta de fazer via PPP]. Vamos fazer com dinheiro do governo federal por meio do PAC ", afirmou Tatto. De acordo com ele, a escolha foi tomada para acelerar os projetos. "Para não perder tempo. Nem sempre é fácil estruturar as PPPs", afirmou.


Segundo a secretaria, o dinheiro do PAC deve ser utilizado para construção de 80 km a serem licitados até o fim do ano. Segundo Tatto, o custo dos corredores é de R$ 25 a R$ 30 milhões por quilômetro. O início das obras está previsto para 2014 com término até 2016.

O prefeito Fernando Haddad (PT) prometeu durante campanha eleitoral entregar 150 km de corredores até o fim da sua gestão.

A previsão é que os novos corredores tenham faixas exclusivas para ultrapassagem, enterramento de fios, embarque nas paradas e controle de horário de veículos. O sistema é conhecido como BRT (transporte rápido de ônibus, na sigla em inglês). As Avenidas Aricanduva, Bandeirantes, 23 de Maio, Radial Leste, Celso Garcia, Tancredo Neves e Marechal Tito são algumas com previsão de construção de novos corredores.

70 km licitados
Nesta quinta-feira (28), foi publicado no Diário Oficial da Cidade de São Paulo o nome das empresas selecionadas para participar das obras dos 70 km de corredores de ônibus licitados no ano passado. O valor total é de cerca de R$ 1,4 bilhão.

As obras incluem os 17 km de corredor de ônibus na Radial Leste, 12 km de corredor no sistema Capão Redondo/Campo Limpo/Vila Sônia, a reforma de 14 km de corredor na Avenida Inajar de Souza, a construção do Terminal Jardim Ângela e do complexo viário de acesso ao terminal.

Nova operação
Ainda segundo Tatto, a Prefeitura de São Paulo irá reformular o sistema operacional nos corredores de ônibus para aumentar a velocidade média dos veículos que trafegam pela faixa exclusiva. Atualmente, a velocidade média dos ônibus é de 13 km/h.

Para que os ônibus consigam andar com mais rapidez e alcancem até 25 km/h, a Secretaria Municipal de Transportes irá diminuir o número de linhas sobrepostas e linhas locais. "Nós vamos tirar um monte de linhas dos corredores", afirmou o secretário Jilmar Tatto.

De acordo com estimativas prefeitura, 30% das 1.350 linhas da cidade registram sobreposição. Do total, 230 linhas utilizam os corredores de ônibus.

Outra medida adotada é a mudança na estrutura das GETs (Gerências Regionais da CET). O gerente responsável por cada GET, são oito no total, vai trabalhar em conjunto com um funcionário que coordena o planejamento da São Paulo Transportes (SPTrans) fiscalizando a velocidade dos ônibus nos corredores por um sistema on-line. Quando os gargalos foram identificados e solucionados, a prefeitura pretende aumentar a velocidade dos veículos nas vias secundárias.

Bicicletas
O secretário de Transportes afirmou ainda que, no pacote de obras em planejamento para o trânsito, pretende incluir a integração do empréstimo de bicicletas ao transporte público. A intenção é ter bicicletários espalhados por vários pontos, desde praças até equipamentos públicos, através de uma concessão. Ainda não há informações sobre os custos das obras.

Segundo o projeto da Secretaria Municipal de Transportes, para a bicicleta ser emprestada não será necessário o uso de cartões de crédito, sistema utilizado atualmente por algumas empresas.

O novo modelo em estudo utilizaria o pagamento através do Bilhete Único. O débito deve ocorrer somente no momento que o passageiro fizer a integração com terminais de ônibus, trens ou metrô.

"A empresa que fornecer as bicicletas ganha com a publicidade nos equipamentos", afirmou o secretário de Transportes. "Para pegar a bicicleta, o usuário não paga a passagem, apenas quando ele fizer a integração com outro modal", explicou.

Para agilizar a viagem dos ciclistas, a Prefeitura diz que vai construir ciclovias sobre as calçadas, do lado direito da via, onde existirem corredores de ônibus. Para a implantação das ciclovias será necessário aterrar os fios e reformar as calçadas.

Informações: G1 SP