quinta-feira, 28 de abril de 2016

Plano mostra que São Paulo terá novos terminais de ônibus somente a partir de 2017


27/04/2016  - Blog Ponto de Ônibus

ADAMO BAZANI

Com problemas em caixa, enfrentando situações como atrasos nas liberações de verbas do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento pelo Governo Federal, queda na arrecadação, e após indisposições com o TCM -Tribunal de Contas do Município, responsável por aprovar as licitações, a Prefeitura de São Paulo só deve entregar neste ano dois dos 15 terminais de ônibus que estão no plano de metas de curto prazo da administração. A maior parte está prevista somente para 2017.

É o que revela o Plano de Investimentos no Compromisso de Desempenho Institucional da SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora do sistema da capital, obtido peloBlog Ponto de Ônibus.

Os empreendimentos somam R$ 1,386 bilhão.

Os terminais de ônibus são considerados pela própria administração municipal como essenciais para o plano de expansão dos corredores de ônibus, que também enfrenta dificuldades por falta de verbas e bloqueios por parte do TCM, que diz encontrar irregularidades nas licitações, como sobrepreço.

As estruturas também são consideradas essenciais para a reorganização das linhas de ônibus na capital paulista prevista na licitação dos transportes, que também está barrada pelo TCM, neste caso desde novembro do ano passado.

A licitação deve suprimir 32% das linhas municipais atuais, ampliando o número de integrações entre os itinerários. O objetivo é eliminar as sobreposições de linhas criando um novo sistema tronco-alimentador, pelo qual linhas de bairro com menor demanda complementam linhas estruturais prestadas por ônibus de grande porte, como articulados e biarticulados.

Para estas transferências de linhas, os terminais devem ter uma estrutura melhor do que grande parte dos espaços atuais. O total de terminais hoje em São Paulo é considerado insuficiente já para o atual modelo de linhas. A nova reorganização poderia trazer transtornos ao passageiro sem esta infraestrutura prevista.

RELAÇÃO DE TERMINAIS – ÁREA OCUPADA – CUSTO – PREVISÃO DE CONCLUSÃO:

– TERMINAL ITAIM PAULISTA (29.682 m2) R$ 192 milhões – 1/12/2016

– TERMINAL JARDIM ELIANA (8.305 m2) R$ 103 milhões –  1/12/2016

– TERMINAL ANHANGUERA (13.880 m2) R$ 110 milhões – 1/5/2017

– TERMINAL ARICANDUVA (10.568 m2) R$ 58 milhões 10568 – 1/6/2017

– TERMINAL BARONESA (9.733 m2) R$ 89 milhões – 1/6/2017

– TERMINAL CONCÓRDIA (3.496,0 m2) R$ 20 milhões – 1/12/2017

– TERMINAL JARDIM AEROPORTO (9.180 m2) R$ 90 milhões 1/10/2017

– TERMINAL PONTE RASA (5.760 m2) R$ 99 milhões 1/11/2017

– TERMINAL SANTANA R$ 91 milhões – 1/3/2017

– TERMINAL SÃO MATEUS (NOVO) R$ 125 milhões 1/9/2017

– TERMINAL SÃO MIGUEL (8.000 m2) R$ 68 milhões – 1/6/2017

– TERMINAL VARGINHA (11.180 m2) R$ 102 milhões – 1/9/2017

– TERMINAL JARDIM MIRIAM (9.390 m2) R$ 94 milhões  1/1/2018

– TERMINAL PEDREIRA(12.400 m2) R$ 126 milhões – 1/1/2018

– TERMINAL VILA MARA (6.318 m2) R$ 19 milhões – 1/1/2018

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

terça-feira, 26 de abril de 2016

Haddad determina que ao menos 80% dos ônibus em São Paulo tenham ar condicionado


26/04/2016  - Blog Ponto de Ônibus

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Paulo Fernando Haddad promulgou nesta segunda-feira, 25 de abril de 2016, a Lei 16.428/16 que determina que ao menos 80% da frota de ônibus da capital paulista tenham ar-condicionado.

A prefeitura atende projeto de lei 407/13, do vereador David Soares.

De acordo com a lei, publicada nesta terça-feira no Diário Oficial da Cidade, os equipamentos terão de possuir regulador de temperatura.

A instalação do ar-condicionado deve ser feita de acordo com a renovação da frota e devem ter prioridade as linhas com maior percurso e maior demanda de passageiros.

No entanto, a determinação gera dúvida no setor, já que no dia 22 de janeiro deste ano uma portaria no Diário Oficial determinou que todos os novos veículos vinculados ao sistema de transporte coletivo de passageiros deverão estar dotados equipamentos de ar condicionado.

A lei promulgada nesta segunda-feira limita esse número a 80% da frota.

A cidade de São Paulo possui uma frota de pouco mais de 14 mil 700 ônibus municipais.

De acordo com balanço mais recente da SPTrans, divulgado em 17 de fevereiro de 2016, desse total, 602 veículos possuem sistema de ar-condicionado.

ACOMPANHE A MAIS RECENTE LEI:

LEI Nº 16.428, DE 25 DE ABRIL DE 2016 (Projeto de Lei nº 407/13, do Vereador David Soares – DEMOCRATAS) Dispõe sobre a instalação de ar refrigerado em no mínimo 80% (oitenta por cento) da frota dos ônibus que operam no sistema de transporte coletivo urbano de passageiros, e dá outras providências. FERNANDO HADDAD, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, faz saber que a Câmara Municipal, nos termos do disposto no inciso I do artigo 84 do seu Regimento Interno, decretou e eu promulgo a seguinte lei: Art. 1º As empresas, concessionárias e permissionárias que operam no sistema de transporte coletivo urbano instalarão sistema de ar refrigerado com regulador de sua temperatura em, no mínimo, 80% (oitenta por cento) de sua frota. Parágrafo único. A instalação de que trata o “caput” deste artigo deverá ocorrer de forma gradativa, conforme renovação da frota de ônibus do município, devendo ter prioridade as linhas com maior percurso e maior demanda de munícipes. Art. 2º Os veículos equipados com ar refrigerado serão distribuídos nas linhas de maior distância e nas com maior número de passageiros, esteja o veículo com ou sem catraca ou roleta e independente da categoria ou nomenclatura que seja dada à linha. Art. 3º (VETADO) Parágrafo único. (VETADO) Art. 4º As despesas decorrentes da execução desta lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessárias. Art. 5º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 25 de abril de 2016, 463º da fundação de São Paulo. FERNANDO HADDAD, PREFEITO WEBER SUTTI, Secretário do Governo Municipal – Substituto Publicada na Secretaria do Governo Municipal, em 25 de abril de 2016.

 Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

terça-feira, 19 de abril de 2016

Governo paulista apresenta Corredor BRT Alto Tietê

14/04/2016 - Mobilize/ EMTU

Corredor ligará municípios da região ao sistema de trens urbanos da CPTM. Encontro com autoridades e técnicos acontece amanhã, sexta (15), em Arujá (SP)
   
 Marcos de Sousa/ Mobilize 

Projeção do futuro Terminal de Aruja 
Projeção do futuro Terminal de Aruja
BRT Alto Tietê: projeção do futuro Terminal de Arujá
créditos: EMTU

Nesta sexta-feira (15) a EMTU/SP realiza em Arujá-SP uma apresentação do projeto do Corredor Metropolitano BRT Alto Tietê, que está sendo desenvolvido pelo governo estadual de São Paulo.

O projeto do futuro corredor de ônibus prevê uma extensão de 21 km e 26 estações entre as cidades de Arujá, Poá, Itaquaquecetuba e Ferraz de Vasconcelos, uma região com grande concentração populacional na área leste da Região Metropolitana de São Paulo. Sgundo estimativas da EMTU, o sistema atenderá a 47 mil passageiros por dia, com redução de cerca de 28% (cerca de 20 minutos) no tempo de viagem.

Ainda segundo o projeto, o BRT Alto Tietê estará conectado aos trens urbanos das Linhas 11-Coral e 12-Safira da CPTM, além do futuro Corredor Metropolitano Leste, na cidade de Mogi das Cruzes-SP (veja mapa).

O encontro acontece na Câmara Municipal de Arujá (rua Rodrigues Alves, 51  Centro de Arujá) e contará com a presença do presidente da EMTU/SP, Joaquim Lopes, e autoridades dos municípios de Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Arujá e Poá, além de técnicos da Emplasa - Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano.

Mapa do futuro corredor BRT: conexão com trens da CPTM em Itaquá e Ferraz de Vasconcelos

segunda-feira, 11 de abril de 2016

São Paulo recebe quase três quilômetros de faixas de ônibus nesta segunda-feira


11/04/2016 - Blog Ponto de Ônibus

ADAMO BAZANI

A cidade de São Paulo recebe nesta segunda-feira, 11 de abril de 2016, mais 2,9 km de faixas para ônibus. Os espaços são na norte da capital paulista.

O motorista deve estar atento já que os horários de funcionamento não são padronizados entre as diferentes faixas.

Com a implantação desses novos trechos, a CET – Companhia de Engenharia de Tráfego, diz que a cidade passa a ter agora 506,2 quilômetros destes espaços destinados para o ônibus, que também podem ser usados por táxis que transportem passageiros.

As multas nestas novas faixas começam no dia 25 de abril. Trafegar em faixa e corredor de ônibus é uma infração gravíssima com sete pontos na Carteira de Nacional de Habilitação e multa de R$ 191,54.

Acompanhe os trechos de operação das novas faixas de ônibus:

– Avenida Santos Dumont – 700 metros – entre a Avenida do Estado e a Rua Porto Seguro, sentido bairro. A faixa funcionará de segunda a sexta-feira, das 6h00 às 22h00.

– Avenida Inajar de Sousa – 1,6 km – entre Avenida General Penha Brasil e Deputado Cantídeo Sanpaio. De segunda a sexta-feira das 6h às 9h, no sentido centro, e das 17h às 20h, no sentido bairro.

– Avenida Nossa Senhora do Ó e Rua Bartholomeu do Canto – 300 metros. De segunda a sexta-feira das 6h às 20h, e aos sábados das 6h às 14h.  Na Avenida Nossa Senhora do Ó será de 300 metros e funcionará no sentido centro, entre a Avenida Inajar de Souza e a Rua Bartholomeu do Canto. Já na rua Bartholomeu do Canto, a faixa será 300 metros e funcionará no sentido bairro, entre as avenidas Nossa Senhora do Ó e Inajar de Souza.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes