quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Licitação do BRT recebe propostas em agosto

15/07/2013 - Correio Popular - Campinas

O novo aviso de licitação para contratação de empresa ou consórcio para consolidar os projetos básicos do BRT (Bus Rapid Transit - ônibus de trânsito rápido) foi publicado na última sexta-feira pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) no Diário Oficial.

A licitação estabelece pacto pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC) — formato criada pelo governo federal que permite mais agilidade no processo. As propostas serão recebidas entre as 8h do dia 5 de agosto e às 9h30 do dia seguinte. A abertura das propostas será a partir das 9h30 do dia 6 e a disputa de preços a partir das 10h do mesmo dia.

Na primeira licitação eletrônica, que ocorreu no dia 20 de junho, três empresas participaram do certame (Tranzum Planejamento e Consultoria de Trânsito; Consulgal Brasil Consultores de Engenharia e Gestão; e Fernandes & Terruggi Consultores Associados). O recurso máximo estipulado para a realização do serviço era de aproximadamente R$ 4 milhões, mas o processo fracassou.

Na semana passada, em negociação com a Caixa Econômica Federal (CEF), a Emdec conseguiu aporte financeiro, de R$ 2,4 milhões, para complementar o recurso, possibilitando a realização de nova licitação. A Administração tem até o dia 30 de outubro para entregar os projetos consolidados dos corredores do BRT ao Ministério das Cidades. "Fizemos todo o processo para ampliar os recursos de forma rápida, para conseguir entregar o projeto no prazo", declarou o secretário de Transportes, Sérgio Benassi.

Obras

As obras do BRT têm previsão de início para o próximo ano, com duração total estimada de 36 meses. O projeto contempla, além de uma pista exclusiva para os ônibus, estações de transferência fechadas e plataformas em nível, com embarque e desembarque pela porta esquerda do veículo.

O BRT irá beneficiar cerca de 300 mil pessoas que residem nas regiões do Ouro Verde e Campo Grande. No Ouro Verde serão 14,4 km de extensão, saindo do Terminal Central (Viaduto Miguel Vicente Cury), seguindo pela João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim e Terminal Vida Nova. Já no Campo Grande serão 17,8 km de extensão, saindo do Terminal Multimodal Ramos de Azevedo, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, John Boyd Dunlop e chegando ao Terminal Itajaí.

Entre os dois trechos haverá um corredor com 4 km, ligando a Vila Aurocan até o Campos Elíseos, seguindo pelo leito desativado do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A verba para a implantação dos corredores, no valor de cerca de R$ 340 milhões, vem do PAC 2.

Nenhum comentário:

Postar um comentário