sábado, 10 de dezembro de 2016

Proposta para o sistema BRT é aprovada e segue para homologação

11/05/16 - Cruzeiro do Sul

Larissa Pessoa 
larissa.pessoa@jcruzeiro.com.br 
      
 Abertura do envelope com proposta de preço aconteceu na manhã desta quarta - ERICK PINHEIRO
 
Proposta apresenta pelo consórcio vai para homologação - ERICK PINHEIRO


A proposta apresentada pelo Consórcio BRT Sorocaba para realizar a implantação e operação do Sistema Bus Rapid Transit (BRT) no município foi aprovada na manhã desta quarta-feira (11) após análise da Comissão Especial de Licitações da Secretaria da Administração (Sead). A partir de agora, segundo Cintia Aparecida Antunes, integrante da comissão, deve ser realizada a homologação e depois disso, em pouco dias, o contrato será assinado. Depois de concluído o processo licitatório, o prazo para o término das obras é de 18 meses. 

A sessão pública para abertura e julgamento da proposta apresentada pela Consórcio BRT Sorocaba durou menos de uma hora e segundo Celso Bersi, diretor da área de Transportes da Urbes, o procedimento foi rápido porque a licitante atendeu a proposta de preço do edital, que tinha o limite de R$ 4,43. Esse foi o valor apresentando pelo consócio e como explica Bersi, essa é a tarifa técnica, ou seja, o que a empresa receberá por passageiro transportado. "É preciso deixar claro que esse valor não tem vínculo com a tarifa pública, que é a que o passageiro para pelo transporte", esclarece. Segundo ele, por conta dos subsídios, o valor pago pelo usuário do transporte público é menor. 

Bersi também explicou que o Consórcio BRT Sorocaba será responsável por toda a implantação do sistema BRT na cidade, desde as obras necessárias nas vias, até os carros que operarão. "Por isso as empresas integrantes do grupo são especialistas em áreas distintas." A licitação é na modalidade concorrência internacional e a Consórcio BRT Sorocaba foi a única licitante habilitada a participar do certame. Ela é composta pelas seguintes empresas: Terra Transportes, Construções e Participações Eireli; CS Brasil Transportes de Passageiros e Serviços Ambientais; Pinese Vieira Ltda.; Comaro Engenharia Ltda. e FBS Construção e Pavimentação S.A. 

De acordo com o projeto, o sistema BRT funcionará em conjunto ao modelo atual, permitindo integração aos Terminais Santo Antônio e São Paulo, às seis Áreas de Transferências e a integração temporal entre diferentes linhas, com o pagamento de uma tarifa. "Algumas linhas passarão por ajustes e serão integradas ao novo sistema", diz Bersi. Serão três corredores de BRT: Ipanema, Itavuvu e Oeste. 

No edital está prevista a construção de 28 estações e mais quatro de integração, 96 abrigos de parada, três terminais, pátio de estacionamento e manutenção do BRT. Serão instalados 16,7 km de corredores bidirecionais exclusivos para ônibus, com desembarque em nível pela esquerda do coletivo, junto ao canteiro central, e onde serão instaladas as estações. 

É prevista a construção de 11,2 km de faixas bidirecionais e 12,9 km unidirecionais em seis corredores estruturais exclusivos para circulação de ônibus, com desembarque à direita pela escada, em pontos normais (como os atuais). Para execução do projeto, será necessária a desapropriação de 16 imóveis no valor total de R$ 24,4 milhões. 

Haverá também a adequação de vias adjacentes, em calçadas, ciclovias, mobiliário urbano, paisagismo nas áreas de influência das estações e abrigos, entre outras intervenções. A concessionária estará responsável por 17 linhas no eixo BRT e deverá operar com uma frota de 125 ônibus, incluindo a quantidade reserva. A previsão é a de que entre 150 mil e 180 mil usuários do transporte coletivo poderão ser atendidos pelo sistema alimentador diariamente. O tempo de viagem terá uma redução da ordem de 20%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário