segunda-feira, 13 de julho de 2015

Em Limeira (SP) sistema de biometria facial nos ônibus revela fraudes nos bilhetes

13/07/2015 - Jornal de Limeira

Estudantes estão entre os que mais solicitam o serviço e cometem fraudes
 
Ana Paula Rosa
 
Desde que foi implantado o sistema de biometria facial nos ônibus de Limeira, foram bloqueados 2.815 cartões de pessoas que cometeram algum tipo de fraude, ou seja, utilizaram o cartão de outra pessoa que contava com algum tipo de benefício (de junho de 2014 até o final de maio de 2015). A informação é da secretária de Mobilidade Urbana, Andréa Soares, que afirma que a maioria do uso irregular - entre 80% e 90% - acontece com estudantes, que são os beneficiários que mais pedidos realizam mensalmente.
 
Do início da biometria facial até hoje, foram feitos 24,9 mil pedidos de cartões de gratuidade para idosos e deficientes. Deste número, 4,2 mil foram solicitados por deficientes físicos ou mentais e 20,7 mil pedidos foram feitos por idosos, a partir de 60 anos. Ainda segundo a pasta, a média mensal é de 1,6 mil idosos e 350 deficientes que procuram pelos serviços.
 
Já quanto ao pedido de novas carteirinhas de estudantes, o número se destaca. O público, que é responsável pelo maior número de fraudes, teve o pedido de cadastramento de 33,26 mil usuários - média mensal de 2,77 mil pessoas. Outro dado fornecido pela Secretaria de Mobilidade Urbana são os que não retiraram as carteirinhas, que somam 2.044 usuários. Estes não tiveram interesse ou não puderam retirar os cartões por motivos diversos.
 
Processo
Em casos de fraude, as pessoas que cometeram o ato recebem bloqueio no cartão em até 24h, considerando que o sistema reconhece a face do proprietário do cartão de gratuidade ou desconto. No caso de bloqueio, a pessoa paga multa referente a cinco passagens de ônibus e consegue reativar o cartão. "Nesta etapa, os funcionários fazem toda uma orientação para a pessoa, pois, muitas vezes, não ocorre má-fé. O passageiro, às vezes, desconhece que não pode emprestar o cartão", explica Andréa.
 
Ainda segundo a secretária, o sistema trabalha para não ter falhas, considerando que em casos em que a face da pessoa não está de acordo com a foto do sistema a partir das imagens captadas durante o embarque, é realizado um trabalho manual de comparação. "Neste caso, se a pessoa não for a mesma do cadastro, é realizado o bloqueio".

Nenhum comentário:

Postar um comentário