quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Corredor Leste entre Mogi e a Capital Paulista será o segundo mais extenso da Região Metropolitana

14/01/2013 - Diário de Mogi

A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) do Estado de São Paulo prevê a construção de um corredor de ônibus intermunicipal para ligação de Mogi das Cruzes a São Paulo. A obra está em estudo e ainda não possui prazos de execução, porém está prevista dentro do chamado Programa de Corredores Metropolitanos de Transporte Coletivo de Média Capacidade (PCM), plano considerado de alta prioridade para planejamento do fluxo de pedestres e passageiros na Região Metropolitana de São Paulo. A previsão da estatal é aumentar a malha existente, dos atuais dois corredores para um total de 14 até 2025. A obra que servirá Mogi das Cruzes deverá demandar um investimento de pelo menos R$ 112 milhões.


Chamado de Corredor Leste, o projeto deverá ligar Mogi das Cruzes a São Paulo, passando pelos municípios de Suzano, Poá e Itaquaquecetuba. A obra terá um total de 32 quilômetros de extensão e, depois de pronta, se tornará o segundo maior corredor de toda a RMSP, ficando atrás apenas do já existente São Mateus-Jabaquara, que tem 33 km e fica localizado na região do ABD.

Mapas disponibilizados no site oficial da EMTU indicam que a futura passagem Mogi-São Paulo deverá ser implantada ao longo da SP-66 (antiga São Paulo/Rio), mesmo percurso percorrido atualmente pelos ônibus intermunicipais. Os dados apresentados pela estatal na Internet ainda apontam um custo de R$ 112 milhões para construção da faixa ao longo de toda a via, porém, o valor não inclui as desapropriações. Isso indica que o investimento deverá ser bem maior, já a que a rodovia estadual está completamente urbanizada nesse trecho.

A estimativa da EMTU é de que até 2025 o Corredor Leste tenha uma demanda diária de 111.816 passageiros por dia. A abertura da faixa exclusiva para o transporte público na via permitirá uma melhor fluidez do trânsito e, principalmente, maior ganho de tempo e qualidade de vida para os passageiros. O projeto prevê ligação com o futuro corredor do eixo entre Itaquaquecetuba e Arujá. Depois que todo o programa for concluído, as ramificações da malha que vem sendo projetada ainda permitirão acesso facilitado dos passageiros mogianos a municípios da região do ABC como, por exemplo, São Caetano do Sul, Santo André e Diadema.

Consultada, a Assessoria de Imprensa da EMTU informou que ainda não é possível fornecer informações detalhadas sobre o Corredor Leste (Mogi das Cruzes – São Paulo), uma vez que o mesmo encontra-se em fase de estudo. Ainda não é possível afirmar quando o projeto deverá começar a ser elaborado ou qual a previsão de início das obras. Porém, no site da empresa há informações gerais sobre o Programa de Corredores Metropolitanos de Transporte Coletivo de Média Capacidade, que podem dar uma ideia dos objetivos gerais da empresa para o fluxo de passageiros em toda a Região Metropolitana de São Paulo, incluindo Mogi das Cruzes e a Região do Alto Tietê.

De acordo com a EMTU, o PCM foi concluído em 2010 e o mesmo é decorrência "de um trabalho de revisão, análise e adequação de estudos anteriores realizados ao longo dos últimos anos em consulta aos planos e projetos da CPTM, Metrô, SPTrans e CET". Os planos são para conclusão dos projetos até 2025. A EMTU lista como benefícios do Programa a "ampliação da acessibilidade e a mobilidade da população; melhora do desempenho do transporte no quesito segurança e qualidade, o que significa menor tempo de espera e de viagem; e adoção de tecnologias e combustíveis menos poluentes".

Por Júlia Guimarães
Informações: O Diário de Mogi

Nenhum comentário:

Postar um comentário