quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Campinas é a quarta cidade brasileira a ter ônibus biarticulados em operação



by Comunicação Corporativa - 23/04/2010

Já estão em operação em Campinas dois ônibus biarticulados Volvo, os chassis com alta capacidade de transporte que a marca produz em Curitiba, no Paraná. Um terceiro biarticulado já está sendo encarroçado e deve começar a rodar em breve.
Campinas é a quarta cidade brasileira a adotar este tipo de veículo, que pode transportar cerca de 250 passageiros. Curitiba, São Paulo e Goiânia são os outros centros urbanos que escolheram biarticulados para ampliar e melhorar o transporte coletivo.
Já conhecidos em Campinas como “papa-filas”, os ônibus da empresa Itajaí Transportes Coletivos circulam nos horários de maior movimento, das 6h30 às 9h30 e das 16h30 às 20 horas. Eles fazem a linha 2.12, a partir do Terminal Itajaí, seguem pelo corredor Campo Grande, que compreende toda a extensão da avenida John Boyd Dunlop, passam no Terminal Campo Grande, vão para a região central e ainda percorrem pontos de grande demanda, como a Prefeitura e o Terminal Rodoviário. Cerca de 15 mil passageiros são transportados diariamente nessa linha.
“Optamos pelos biarticulados porque precisávamos aumentar a capacidade de transporte em uma região que cresceu muito”, afirma Joubert Beluomini, diretor da Itajaí Transportes Coletivos. Atualmente, 18 ônibus articulados operam na linha 2.12. A empresa pretende adquirir mais sete biarticulados até o final do ano.
Os biarticulados contribuem para melhorar o trânsito de Campinas, uma das maiores cidades brasileiras, com uma população de 2,6 milhões habitantes em sua região metropolitana.  “A Itajaí Transportes Coletivos está investindo em ônibus biarticulados e articulados justamente pelos principais benefícios destes chassis: maior capacidade de transporte, menos emissões de gases, custo menor por passageiro transportado e atendimento da demanda de forma mais equilibrada”, declara Per Gabell, presidente da Volvo Bus Latin America.
“Temos muita experiência em BRTs (Bus Rapid Transit), e sabemos que a capacidade de transporte é fator decisivo na competitividade”, destaca Gabell. No Brasil os BRTs são conhecidos como sistemas organizados de transporte coletivo urbano, a exemplo do que existe em Curitiba, cidade pioneira na implantação de projeto viário e de transporte desta natureza.
BRT
Outros BRTs importantes na América Latina que optaram por chassis Volvo são o de Santiago, capital do Chile; e o de Bogotá, capital da Colômbia, este último chamado de Transmilenio, onde a marca tem mais de 70% dos veículos e ainda opera com chassis biarticulados. Ambas as cidades escolheram usar ônibus de grande capacidade para facilitar a acessibilidade e o transporte de milhões de passageiros todos os dias.
Os BRTs são sistemas baseados em características que os transformam numa excelente opção para melhorar o trânsito: veículos com alta capacidade de transporte (articulados e biarticulados); terminais seguros, com embarque em nível (em plataformas) ou no piso da rua (com ônibus de piso baixo ou com degraus); venda antecipada e automatizada de bilhetes, permitindo maior agilidade; têm, na sua maioria, pistas exclusivas para os ônibus, garantindo maior velocidade média; e possibilidade de incluir prioridade na sinalização para os ônibus e informação em tempo real para os passageiros, monitorando a frequência dos veículos.
Mais informações,
Newton Chagas - Volvo Bus Latin America
Assessor de Imprensa – Comunicação Corporativa
Tel.: 55 41 3317 8296 – Fax: 55 41 3317 8403
E-mail: 
newton.chagas@consultant.volvo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário