terça-feira, 18 de maio de 2010

Nem reforma reduz lentidão de corredor de ônibus em SP


18/5/2010
Folha de S.Paulo

As reformas feitas pela gestão Gilberto Kassab (DEM) nos corredores de ônibus não melhoraram a vida dos passageiros em São Paulo. Nos horários de pico, a velocidade média continua igual em quatro dos sete corredores que foram recapeados nos últimos dois anos.
  
Em dois deles, os ônibus estão mais lentos que em 2009. E só em um estão mais rápidos.
   
Há na cidade dez corredores, que transportam 3,1 milhões de passageiros por dia. Com a lentidão recorrente, em agosto de 2008 a prefeitura anunciou reformas para aumentar em 10% a velocidade média.
   
Mas isso ainda não ocorreu. Em média, os ônibus andam a 17,2 km. Trata-se de índice inferior ao que a própria SPTrans (empresa que gerencia o transporte coletivo na cidade) considera apropriado -18 km/h.
   
A pior situação está na zona norte, nos corredores Inajar-Rio Branco-Centro e no Pirituba-Lapa-Centro. Ali, o ônibus não passa de 12 km/h no pico.
   
Daí a preferência dos motoristas pelo carro, que anda em média a 15 km/h na cidade nos horários de maior movimento.
   
"O ônibus é mais prejudicado pelo congestionamento. Tem percurso fixo, não pode escapar do trânsito. O carro pode buscar um caminho alternativo", afirma o engenheiro de transportes Jaime Waisman, professor da Poli-USP. "O ônibus não tem sido atrativo em razão da baixa velocidade, do excesso de lotação, da viagem mais longa -o que explica por que tanta gente prefere automóvel."
   
O ideal, para ele, é que os ônibus andem a pelo menos 20 km/h nos corredores. O único a andar acima desse patamar é o Expresso Tiradentes (ex-Fura Fila), que tem faixa exclusiva -ele circula a 36 km/h.
   
Recapear as vias ajuda, disse Waisman, para que os ônibus não tenham de frear a cada vez que encontram um buraco. Mas não é suficiente, alerta: faltam, por exemplo, faixas de ultrapassagem. Sem elas, os ônibus formam fila nas paradas de embarque e desembarque.
   
A SPTrans não respondeu à Folha sobre a lentidão nos corredores -disse que teria de analisar a situação caso a caso e que não haveria tempo hábil para fazê-lo ontem. A empresa disse que prevê reformas ainda neste ano nos corredores Campo Limpo-Rebouças-Centro e Inajar-Rio Branco-Centro.
   
As obras da linha 5-lilás do metrô foram responsáveis pela queda de velocidade no corredor Itapecerica-João Dias-Santo Amaro. O fim das obras deve aliviar o problema, diz a empresa.
   
Em outro ponto, no corredor Santo Amaro-Nove de Julho-Centro, a empresa disse que é preciso alargar vias e eliminar um entroncamento no local. A SPTrans não falou em prazos para a obra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário